BrasileirasPeloMundo.com
Chile

7 anos em Santiago, 7 desencantos

7 anos em Santiago, 7 desencantos.

Pois é, nem tudo são flores na cidade onde nós, estrangeiros, escolhemos morar. Mas mesmo tendo a certeza de que normalmente são mais flores do que espinhos, resolvi escrever sobre meus 7 desencantos em Santiago. Me refiro ao que a cidade me oferece na minha rotina, não ao povo do país, como também fiz no texto escrito sobre o que me encanta.

1- No inverno, sair cedo de casa e ainda estar escuro é o que há de pior pra quem tem que trabalhar fora ou ir para a escola nessa época. Pegar o metrô às 7h30 ou 8h da manhã é uma tortura por isso, além do frio que faz eu me lembrar da minha cama o tempo todo. Ver tudo escuro me dá uma louca sensação de que na verdade estou no final do meu dia de trabalho voltando pra casa, mas fazendo o caminho inverso. O cérebro meio que dá um nó, confuso: “ você tá indo ou tá voltando? Por que tá tudo escuro?”. Amo os dias longos de verão, quando escurece por volta de 9h30 da noite, parece que eu rendo mais na vida pessoal e profissional, porque dá tempo de fazer tudo que quero ou até algo extra. A título de curiosidade, há horário de verão no Chile também.

2- Café frio e cerveja ou refrigerante quente. Para nós, brasileiros, isso é algo inconcebível. Pelo menos pra mim é! Como é difícil encontrar o oposto e correto, ou seja, café beeeeeem quente e cerveja ou refrigerante beeeeeem gelado. E não importa a época do ano, é assim que funciona. Sei do que estou falando porque por estar o dia na rua pra lá e pra cá, passo muito tempo nos cafés, nos meus intervalos entre uma aula e outra e, também, dando aula lá mesmo, como já comentei em outro texto.

Leia também: O sistema de saúde no Chile

Muitas amigas e alunos meus já foram testemunhas das vezes que pedi para o/a atendente esquentar o café depois que ele chegou na minha mesa ou de alguma discussão com ele/a que dizia que no cappuccino o café não vem quente mesmo. Se eu não quisesse café quente eu pediria café gelado, que já existe nas cafeterias, não é mesmo?

3- Quantidade de cachorros abandonados nas ruas. Isso me parte o coração de uma forma absurda. É o tipo de coisa que quando vejo logo que saio de casa, já estraga meu dia. Explicação pra isso não tenho, e nem acredito que qualquer justificativa seja válida, seja dada por quem quer que seja. Tipo de realidade difícil de se acostumar. Em sua grande maioria são cachorros grandes, o que nos abre a possibilidade de imaginar de que eles foram expulsos dos lugares que moravam, o que me deixa bem descrente do ser humano. Triste realidade de Santiago e outras cidades do Chile pelas quais já passei.

4- O excesso de dias nublados e cinzas. Há quem goste, mas como disse no início, falo da minha experiência e meus gostos. A falta de sol me entristece e me trouxe, por muito tempo, problemas de saúde pela falta de vitamina D. Se você, como eu, ama sol, prepare-se para a ausência constante dele fora do verão. O que pelo menos aprendi em Santiago foi a aceitar que cada país tem seu clima, que não adianta reclamar o tempo todo desses dias porque não vai resolver nada, só serei uma pessoa mais chata. De qualquer forma, a frase que rege minha vida é: Sol é vida! Por isso, tento aproveitar cada minuto do dia quando ele está presente.

Leia também: “Depressão ou falta de vitamina D morando fora”

5-A maioria das escolas ainda é um muito“quadrada”. Muitas proibições  tontas, do tipo não poder pintar unha ou usar brincos grandes. E a “grande” me refiro aos que possam aparecer mais do que o necessário, na visão de quem inspeciona os alunos. Outro exemplo é a saia ainda ser uniforme para as meninas que, inclusive, devem ser usadas no inverno. Mesmo sendo com meia de inverno grossa, a pergunta que faço é: por que não podem ir de calça assim como os meninos? Não me refiro aos dias que todos têm aula de educação física, mas a todos os dias frios. Se os garotos podem usar calça comprida qualquer dia, por que não podem as garotas? Essa diferenciação não me agrada de jeito nenhum. Se há um argumento lógico que justifique, alguém me diga, por favor.

6- Poluição: Em 2016 a Organização Mundial de Saúde elaborou um ranking com as 20 cidades mais poluídas do mundo, e Santiago ocupou o 12° lugar, seguida de outra cidade Chilena, Talca. Prêmio duplo pro Chile. Tem como esse fato estar fora da minha lista de desencantos? Definitivamente, não! As consequências disso não estão em argumentos poéticos de que a poluição vai acabar com a natureza e o mundo em milhares de anos mais. As pessoas estão sofrendo agora! O ar é seco e muito pesado no verão, sente-se, claramente, a dificuldade para respirar. Uma grande parte dos moradores sofre demais com as doenças alérgicas e sobrevive a base de antialérgicos e outros remédios fortes, principalmente no inverno com a queda de temperatura que se junta a contaminação que agrava as infecções de garganta e amígdalas. Não sou médica e, por isso, não vou dar explicações profundas, apenas cito o que observo na cidade e vivencio dentro da minha própria casa. Sinto, também, no bolso a consequência desse mal com as consultas médicas e remédios caros, porque saúde não é nada barata no Chile. Quer um aprova visual dessa poluição? No papel de morador ou turista, suba o Cerro San Cristobal ou o Templo Bahá’í e tire uma foto da cidade lá de cima. Ela virá com um bônus de uma camada cinza horrorosa sobre a cidade.

7- O cheiro de cigarro em todo lugar. Felizmente, já não se pode fumar em lugares fechados, lei válida, inclusive, há pouco tempo, mas quando os chilenos saem juntos pra fumar no intervalo de trabalho ou final do expediente faz com que as entradas dos prédios, corredores e as próprias ruas fiquem impregnadas de fumaça e o terrível cheiro de cigarro. Esse fato agrava ainda mais a situação caótica de contaminação que se encontra a cidade porque o ar fica absurdamente mais pesado e irrespirável, o que reforça o item 7 que detesto em Santiago. Me desculpem os fumantes, mas Santiago fede a cigarro, infelizmente.

Claro que ainda dá pra morar mais 7 anos em Santiago porque, felizmente, os encantos superam os desencantos.

Related posts

Chile – Nascer em Santiago

Joy Matta

Os melhores vinhos do mundo são chilenos

Isabela Vargas

Chile – Como Cuidar da Saúde

Joy Matta

3 comentários

Elisangela Ribas Godoy Cervieri Junho 29, 2018 at 2:33 am

Hola Gislaine, boas informações chilenas… Sou brasileira e moro em Los Andes (80 km de Santiago). Aqui os dias são muito mais ensolarados que nublados (inclusive temos nos preocupado muito com isso devido ao câncer de pele). Quanto às saias, na escola de minha filha também é assim, mas existe a calça, já que o colégio oferece esse tipo de proposta para o uniforme, o problema é que as meninas não gostam de usar porque a acham feia (só vi uma garota com ela até o momento). Abraços..

Resposta
Naty Junho 29, 2018 at 5:23 am

Moro desde 2011 nos Eua e em 2016 morei 6 meses no Chile o suficiente para sair correndo rsrs!! Poluição, gente mal humorada, cigarro na sua cara, os homens dão em cima de você mesmo quando vc tá acompanhada! Ngm eh de ngm parece. Enfim, a reclamação dos Brazucas que moram no Chile é geral… Meu conselho é se você tem alguma oportunidade em qql país de primeiro mundo, ou vive em uma cidade boa no Brasil, então não vá morar no Chile. Para visitar vale a pena com ctz, tem paisagens muito bonitas!!!

Resposta
Eliezer Agosto 10, 2018 at 12:18 pm

Dias nublados, sem sol, uma das razões que me faz querer sair de Curitiba. Aqui metade ou mais dos dias do ano são assim. E quando o sol aparece, aí sim surge uma linda cidade, com um clima bem agradável. Estive uma vez e Santiago, a mais de 10 anos, no inverno, achei que fosse normal tempo fechado.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação