Egito – O outro lado da moeda: o papel dos homens na sociedade

5
2678
Advertisement
DSC03113r
O outro lado da moeda: a vida dos homens no Egito

Durante a revolução egípcia de 2013 veio à tona diversos casos de assédio sexual durante os protestos em praça pública. Nesse contexto, um vídeo se popularizou sobre o chocante parecer de um dos agressores. Ele dizia algo mais ou menos assim: “É claro que a gente faz isso, a gente não tem condições de casar.”

Se em um primeiro momento a espontaneidade das palavras nos levam a um choque e extrema repulsa, essa frase há muito mais da sociedade egípcia implícita do que se pode imaginar. No mês passado, falamos sobre a vida das mulheres no Egito, nada mais justo do que mostrar o outro lado da moeda, a também nada fácil vida dos homens.

Nova Imagemr
Egípcios em um café no Cairo

Entendo que você está se perguntando qual a relação proporcional direta entre não casar e assediar. Bem, aí no Brasil, nenhuma. Mas aqui… digamos que esse se torne um fator exponenciador da prática, mas que de forma alguma a torna tolerável. Fato é, que pelas bandas de cá, sexo fácil não está no cardápio dos bel prazeres que um homem solteiro tem em um sábado à noite. As mulheres aqui se casam virgens. Então, uma das únicas formas de consegui-lo é através do casamento. Aí agora ficou fácil, é só casar!

IMG_0333r
Homens celebrando em festa de casamento.

Entretanto, esse “só casar” por aqui depende de uma série de pré-requisitos, nada fácil de serem atendidos por um jovem. Primeiramente, para noivar ele precisa oferecer um dote em ouro. O valor vai depender da classe social e poder aquisitivo da família, mas no geral gira em torno de no mínimo 5 mil reais. Primeiro quesito cumprido, ele precisa ter um apartamento próprio. Aqui não tem essa de casar e morar de aluguel, no puxadinho no quintal da mãe ou na casa da sogra, não. Tem que ter imóvel, e tem que ser de acordo com o poder aquisitivo da pretendente. Esse bairro? Não, volta depois. Só dois quartos? Quando comprar um de três você tenta de novo. O apartamento está bom, mas você não tem carro? Minha filha não vai andar de ônibus. E por aí vai.

Agora eu pergunto, que rapaz antes dos 30 anos tem condições de adquirir tudo isso? Isso, porque ainda não contei que a casa tem de estar inteirinha mobiliada (metade paga por ele). E a festa de casamento? Põe na conta do noivo também. Pai da noiva aqui só vai à festa como convidado vip.

A verdade é que quase nenhum deles consegue tal façanha ainda novo. E a pressão social é para que se casem ainda antes dos 30 anos. Cansa pensar no que essa pessoa sofre em driblar todas as mazelas sociais para cumprir todas essas metas e ser digno do reconhecimento da sociedade. Obviamente, a maioria deles não o faz sozinho, tem a ajuda dos pais. Desde que o bebê nasce, o pai já começa a confabular como ajudá-lo. Mas a parcela de pais que tem condições é pequena, até por que as famílias aqui têm muitos filhos. Ele já se cansou demais para conseguir as coisas para o próprio casamento, imagina começar tudo de novo para o do filho. Ainda assim, a maioria torce pela vinda do “filho homem”. Talvez porque ele será o único a tirar o peso das responsabilidades do pai, e até mesmo representá-lo em sua ausência.

Ser filho único é um grande fardo. Ele não poderá fazer para si mesmo, até que as irmãs estejam encaminhadas, o que inclui pagar a faculdade, comprar a parte dos móveis que cabe a noiva no casamento. E claro, dar aquela espiadinha básica no que elas andam fazendo.

Se a mulher é fadada ao lar, o homem precisa assumir toda a condição de provedor da família. Um dos motivos para não aceitarem as esposas trabalharem é a vergonha da sociedade. Vão pensar que ele não está dando conta de prover o sustento.

Devido a essa grande cobrança e todo o esforço despendido para que cumpram seu papel em um mercado de trabalho tão debilitado, muitos acabam pensando que “pagar” é o suficiente. Contanto que a família tenha tudo que precisa dentro de casa, nada mais lhe é devido. Muitos pensam assim! Uma amiga se queixava por não ser feliz com o marido e dizia: “Não sei por que não sou feliz, tenho tudo: apartamento, carro, comida. Acho que o problema é comigo”. Se faltavam carinho, amor e companheirismo, isso era papel da esposa e, portanto, falha dela.

Nova Imagem1r
Egípcios nas ruas do Cairo.

Além de provedor, ainda mais é cobrado do “sexo forte”. Nossos meninos crescem se preocupando em como ganhar a própria vida no Brasil, os daqui se preocupam em não perder a vida em nome do Egito. Há sempre uma possibilidade de guerra. Tão popular quanto os contos de fadas para as meninas, são os contos de guerra para os meninos, só que contos da vida real. Cresceram escutando os pais, tios e avôs contarem sobre as guerras que lutaram. O pai do meu marido foi para duas guerras e, em uma delas, teve que voltar andando do Sinai para o Cairo (600 km), porque o Egito perdeu para Israel e não tinha como resgatar os soldados que ficaram por lá.

O meu marido não precisou servir exército por ser filho único, um dos únicos motivos de dispensa por aqui, – tirando isso, você pode ser deficiente, ter problema de coração, tatuagem, cabelo roxo e ser fã da Beyoncé, não importa, vai para o exército!

Aí você pensa que eles fogem da guerra como o diabo da cruz. Nada disso. É motivo de orgulho lutar pelo país e se tornar um mártir. Um tempo atrás, houve uma situação de iminência de guerra. Sentia-me feliz e satisfeita saber que mesmo que um conflito ocorresse, ele não estaria lá. Já a mãe dele… Gritava em frente à televisão super entusiasta como quem torce para um time de futebol e falava “você vai estar lá, na linha de frente e vai ser o meu orgulho!” Então tá!

5 Comentários

  1. Já disse que estou amando esse blog? Nunca viajei para muito longe, mas basta ler um de seus posts para me sentir “viajada” rs. Caraca! Que vida dura a dos egípcios, hein! Parabéns pelo texto, muito bem escrito =). Imagino também que se fosse fácil esses homens já teriam deixado o país, quanta responsabilidade! Enfim, culturas… Bjinhu Mi!

    • Muito obrigada, Lis. Me sinto lisonjeada por ser capaz de fazê-la sentir em outros lugares.
      Quanto a deixar o país realmente não é fácil, vistos para egípcios é bem restrito.
      Continue acompanhando, vem muita coisa interessante por aí!

  2. Gostei muito dessa pagina….
    E também gostei das histórias…
    Eu entrei aqui para procurar a resposta para um trabalho de história,não encontrei tal resposta ,mas,me impressionei….Achei D+…
    E mais uma vez meus parabéns…

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.