Escolas inovadoras em Portugal

4
552
Fonte: Arquivo pessoal Vanessa Tenório (www.voenessa.blog,br)
Advertisement

Educação é amor, afeto! E por acreditar que a educação é a nossa maior esperança para mitigar as múltiplas crises que estamos vivendo, tenho me dedicado integralmente à busca de práticas inovadoras pelos cinco continentes.

Comecei minha jornada em março deste ano pela Europa, onde pretendo ficar por um ano. Passei os três primeiros meses alternando entre Espanha e Portugal, visitando escolas que têm como missão promover o desenvolvimento integral do ser, através de novas construções de aprendizagem.

Conheci diversos espaços educativos que desenvolvem projetos COM as crianças e não PARA as crianças, onde os educadores atuam de forma afetiva e amorosa, respeitando a individualidade de cada um e estimulando o processo de autoconhecimento. Novas formas de educação onde as crianças podem ser crianças, fazer suas escolhas, aprender brincando, com prazer, com simplicidade, com conexão, harmonia e equilíbrio com a natureza. Pedagogias voltadas para a evolução pessoal e social que felizmente também estão sendo desenvolvidas no Brasil.

Os ambientes são pensados para promover a liberdade, estimular a imaginação e a criatividade, a curiosidade, o corpo e o espírito de forma orgânica, respeitando o tempo e o interesse de cada criança. A autonomia é incentivada desde bebê gerando independência, cooperação e solidariedade na prática.

Dos 17 projetos visitados no primeiro trimestre de viagem, compartilho inicialmente os de Portugal (por ordem de visita):

Escola da Ponte – São Tomé de Negrelos

Escola pública abrangendo o pré-escolar e os 1º, 2º e 3º ciclos. Está organizada por projeto e equipe.

Destaque: Projeto Fazer a Ponte com o envolvimento dos alunos nas tarefas e na responsabilidade de gestão da escola.

Principais responsabilidades: Jornal e Facebook; leituras que unem; livros e companhia; terrário e jardim; correio e visitas na Ponte; murais e material comum; datas e eventos; click solidário; jogos e recreio bom; ecoescolas e 5Rs (política que prioriza a redução do consumo e o reaproveitamento dos materiais em relação à sua própria reciclagem. Significado de cada R: Reduzir, Repensar, Reaproveitar, Reciclar, Recusar consumir produtos que gerem impactos socioambientais significativo).

No ciclo de 2015/2016, a escola recebeu 1232 visitantes, sendo 567 brasileiros.

O Mundo Somos Nós – Braga

Projeto experimental de ensino doméstico sem fins lucrativos, dentro do Mosteiro de Tibães, que promove a educação do ser humano como um todo. Os alicerces são a arte do relacionamento (consigo próprio, com os outros e com o ambiente), a bondade e o auto questionamento.

Destaque: Projeto vivenciar o museu do Mosteiro de Tibães sendo os guardiões do jardim, das chaves, da floresta, das salas, do lago, cuidando do espaço e conscientizando os visitantes. Diariamente, fazem caminhada em silêncio na floresta para começar o dia e, posteriormente, expressam seus sentimentos utilizando os estados do tempo como metáfora (sol, chuva, relâmpago, trovoada).

Escola Raiz – Lisboa

Escola particular que implementa o modelo HighScope desde a creche até ao 2º ciclo do ensino básico, partindo do princípio que a criança aprende fazendo. Uma aprendizagem ativa onde a criança vai construindo o seu conhecimento à medida que vai fazendo as suas explorações e tendo as suas experiências através dos projetos que nascem dos seus próprios interesses.

Destaque: Nove hábitos praticados por mais de 200 alunos, de 4 meses a 12 anos, de diferentes nacionalidades: diferenciação; ser positivo; aprender fazendo; planejar, fazer e revisar; procurar soluções; ser eficaz; liderar; cuidar e cooperar.

Externato Fernão Mendes Pinto – Lisboa

Escola pública para alunos do pré-escolar e 1º ciclo, integrante do Movimento de Escola Moderna (associação de professores que oferece um modelo pedagógico de cooperação).

Destaques: Projeto de alfabetização através da música e quadro para expressão dos alunos: Gostei | Não Gostei | Pergunta | Proposta.

Casa da Floresta Verdes Anos – Lisboa

Escola privada para alunos do jardim de infância, 1º e 2º ciclos, com planos próprios segundo a Pedagogia Waldorf, cuja base está na Educação Ambiental e no Ensino pela Arte.

Destaque: Atividades de expansão e contração da turma do jardim de infância (3 a 6 anos) com divisão de tarefas e responsabilidades, promovendo o respeito pela terra e pelo outro.

  • 08h30 acolhimento na rua (mesmo quando está chovendo);
  • 10h00 caminhada pela floresta;
  • 11h00 roda da manhã com fruta.

Programação semanal: fabricação de pão, desenho, aquarela, horta, carpintaria, eurritmia.

Harpa e Escola Jardim do Monte – Alhandra

A Harpa é uma associação sem fins lucrativos, de natureza pedagógica e sociocultural, que trabalha em 3 áreas de intervenção: Educação, Saúde e Ecologia. A Escola do Jardim do Monte, reconhecida pela UNESCO, integra o campo da educação fundamentada numa visão integradora do ser humano nas suas vertentes física, afetiva, cognitiva e espiritual.

Destaque: Atendimento aos alunos com necessidades especiais (crianças com dificuldades comportamentais e emocionais: agressividade, autismo). Utilização da Pedagogia Waldorf como facilitadora de acordo com a necessidade da criança: carpintaria, biodinâmica, horta, arteterapia, musicoterapia, quirofonética, atividades individuais externas para trabalhar as emoções.

Escola Ciência Viva – Vila Nova da Barquinha

Projeto educativo inovador do 1º ciclo do ensino básico, que combina o trabalho prático e experimental na educação em ciências. É uma escola pública que atende 230 alunos dos 6 aos 10 anos, trabalhando com quatro setores que convertem para a sala de extensão (espaço versátil que estimula a aprendizagem colaborativa e o desenvolvimento de múltiplos aprendizados).

Destaques: Projeto de Empreendedorismo sem fins lucrativos (artes com plantas aromáticas, sabonetes, sais de banho). Causas em favor da solidariedade com partilha de bens, que tem como finalidade a colaboração. Horta com arte e ciência (crianças e educadores criaram diversos espantalhos com a participação das famílias).

Florescer – Linda-a-Velha

Organização sem fins lucrativos, que implementa uma educação global e inovadora convergindo as áreas da educação, ecologia, saúde, cultura, tecnologia e solidariedade social. Tem por missão, contribuir para o desenvolvimento integral de crianças e comunidades, para que assumam uma presença ativa e responsável no mundo.

Destaque: Projeto Centro de Educação Global, com uma abordagem comunitária, dedicado à orientação pedagógica e tutorias de crianças em ensino doméstico. As famílias e a comunidade local fazem parte do processo de aprendizagem vivo e sempre em construção como, por exemplo, o sistema para cadastro e acompanhamento do roteiro das crianças, que foi desenvolvido por um pai de aluno.

Escola das Emoções – Leiria

Associação sem fins lucrativos com o objetivo de informar, divulgar e trazer a consciência da importância da educação emocional nas crianças, famílias e organizações.

Destaque: Projeto Jardim Escola João de Deus (turma de 4 anos) com a abordagem de pensamentos e sentimentos de formas diferentes. Expressão das emoções com um grupo de 8 crianças através dos cartões do medo, zangado, triste e feliz. Resultado: 7 felizes e 1 com medo. Exemplo de resposta: “Estou feliz porque a minha avó me deu beijinhos”.

Finalizo esta partilha com uma reflexão do projeto Fazer a Ponte:

“Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade.” Clarice Linspector

Quer saber mais sobre a minha viagem de volta ao mundo? Visite o projeto Voe Nessa.

Compartilhe
Texto anteriorViolência doméstica em Portugal
Próximo textoFormação acadêmica na Tailândia: 5 fatores importantes
Vanessa é carioca, viajante, amante da natureza, pesquisadora, educadora, designer de sustentabilidade e autora do blog Voe Nessa. Em fevereiro de 2017 encerrou um ciclo de 22 anos de carreira no sistema corporativo para dar volta ao mundo sozinha pesquisando e desenhando uma Nova Educação para a Sustentabilidade. Seu planejamento é explorar os cincos continentes fazendo uma nova graduação na prática através da imersão em escolas inovadoras e comunidades sustentáveis. Sonha em co-criar no Rio de Janeiro um centro de formação de cidadãos ativos, livres para explorarem suas potencialidades e conscientes do seu papel na construção de um mundo melhor através da cooperação e não da competição.

4 Comentários

  1. Muito boas as suas observações e informações sobre estas escolas portuguesas. Pode observar-se que há um investimento no desenvolvimento integral e integrado das crianças. Ao mesmo tempo um cuidado planejado para favorecer as interações interpessoais. Chama atenção o conjunto de atitudes planejadas para favorecer estes conteúdos basicamente desenvolvidos pelos profissionais no seu contato humanizado com as crianças e a não referência a tecnologias eletrônicas, o que aliás dever ser valorizado. Valeu, parabéns e obrigado.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui