BrasileirasPeloMundo.com
Alugar/Comprar Imóvel Pelo Mundo Argentina

10 dicas para alugar imóveis em Buenos Aires

A busca por uma moradia é trabalhosa e requer muita atenção em qualquer parte do mundo. Se no nosso país essa tarefa requer diversos cuidados e é sempre complicada, em um novo país o desafio acaba sendo ainda maior.

Abaixo listo algumas sugestões que podem facilitar o processo e, consequentemente, tornar a missão de alugar um apartamento o mais exitosa possível.

Leia também: Tipos de moradia na Argentina

1- Não se apresse

Como tudo na vida, a pressa muitas vezes é prejudicial ao êxito. Ter calma é primordial para não pular passos e evitar esquecer detalhes importantes. Se você necessita um lugar para morar com muita urgência, avalie a possibilidade de ficar em uma moradia provisória até encontrar a definitiva. Hotéis podem resultar custosos, mas há alternativas como AirBnB e alugueis de temporada.

Lembre-se de que a lei prevê que os contratos de aluguel em Buenos Aires (Capital Federal) possuem um prazo mínimo de 2 anos e máximo de 20 anos. Sendo assim, é melhor morar um mês em um local de maneira temporária do que aguentar dois anos em uma moradia que não funciona muito bem para você.

2- Programe os gastos

A lei prevê os seguintes gastos por parte do inquilino ao alugar:

– 1 mês de aluguel adiantado como máximo;

– um depósito que não pode superar o valor de um mês de aluguel para cada ano de contrato (esse dinheiro deverá ser devolvido ao inquilino ao término do contrato sempre e quando o imóvel foi deixado em bom estado);

– gastos do escrivão que irão autenticar a sua assinatura e a do seu fiador;

– gastos de informe no Registro de la Propriedad Inmueble.

Atenção! Em Capital Federal não está permitido que as imobiliárias cobrem do inquilino qualquer comissão. Esse custo deve ser arcado pelo dono do imóvel. Também não está permitido que se cobre pela gestão de “informes de domínio o inhibiciones”. Em Província e outras localidades podem reger leis distintas, que devem ser averiguadas antes de começar a busca pela moradia.

3- Esteja consciente das multas por rompimento do contrato

Passados seis meses de aluguel é possível finalizar o contrato sob multa de:

– 1 mês e meio de aluguel se é durante o primeiro ano;

– 1 mês de aluguel se é depois do primeiro ano.

4- Defina quais são as características prioritárias

Uma vez que já tenha conhecimento das normas e dos gastos de um aluguel, é momento de definir as características desejadas no imóvel. Encontrar algo perfeito é quase impossível, portanto o ideal é definir prioridades.  Faça uma lista com os itens indispensáveis e os desejáveis (que podem ser renunciados). Isso ajuda a ter clareza do que se necessita e a escolher qual opção está mais alinhada com as suas necessidades.

5- Escolha bem a localização

Bairros centrais tendem a ser mais caros, seja no valor do aluguel, seja no valor dos serviços que cercam o imóvel. Bairros mais afastados geralmente oferecem alugueis mais baratos, mas dependerão de transporte e mais tempo de deslocamento.

As características definidas como prioritárias no item anterior te ajudarão a escolher a melhor opção para a sua realidade. Lembre-se, também, de avaliar a infraestrutura da região. Se você não tem automóvel e dependerá de transporte público, deverá averiguar antes se há linhas de ônibus ou metrô que te levam onde você precisa. Segurança é outro fator muito importante a ser considerado.

Leia também: Alugar/Comprar imóvel pelo mundo

6- Alugar através de imobiliária ou direto com o proprietário?

Esse é um item que sempre gera muitas dúvidas. O aluguel direto com o proprietário pode ser atrativo pelos valores que costumam ser mais atrativos. No entanto, ter uma imobiliária como intermediadora pode facilitar na exigência de direitos e deveres. O fato, porém, é que não há regra aqui. Assim como há proprietários que são muito acessíveis, há imobiliárias que não exercem muito bem suas obrigações.

7- Atenção às normas

Antes optar por um imóvel, verifique as normas do condomínio e se o proprietário determina alguma proibição. Um bom exemplo são os animais de estimação, aos quais com frequência se aplicam regras de restrição.

8- Negocie

É sempre válido negociar o valor do aluguel. Seja pelo tempo do contrato, ou por melhorias pendentes no apartamento, faça uma proposta. O máximo que pode acontecer é que não aceitem e mantenham o valor.

9- Inspecione e leia bem o contrato

Faça uma inspeção bem detalhada no imóvel e indique as imperfeições notadas. Se há necessidade de grandes reparos, é importante negociar quando e como eles serão feitos.

Leia atentamente o contrato e não tenha vergonha de perguntar o que não entender. Verifique se há cláusulas que são proibidas por lei e exija a retirada, se for o caso.

10- Seja um bom inquilino

Finalmente, faça a sua parte. Respeite as normas, cuide do imóvel, esteja em dia com os pagamentos e obrigações. Lembre-se de que esse é o seu novo lar, valorize-o e trate-o como corresponde. No mais, que você seja muito feliz na nova casa!

Para a lei do aluguel em Buenos Aires (Capital Federal): Gobierno de Argentina

Related posts

Driblando a crise: guia de descontos em Buenos Aires

Sara Martins

Como alugar um imóvel na Finlândia

Tipos de Moradia na Argentina

Ina de Oliveira

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação