BrasileirasPeloMundo.com
Estônia

100 anos de Estônia e links úteis para expatriados

100 anos de Estônia e links úteis para expatriados.

No dia 24 de fevereiro de 2018, a Estônia comemorou os 100 anos de sua primeira independência do Império Russo, no ano de 1918. Antes disso, a história desse pequeno país Báltico foi muito conturbada. A Estônia já foi invadida pela Dinamarca, Suécia, Alemanha e Rússia ao longo da história.

Mas a independência em 1918 que transformou a Estônia em um república, durou apenas 22 anos. Durante a Segunda Guerra Mundial, os países Bálticos foram novamente invadidos e a Estônia foi ocupada em 1940 pela União Soviética, estabelecendo a República Socialista Soviética da Estônia. Depois de 52 anos de ocupação soviética, o país se viu independente novamente no ano de 1992.

Ao longo da sua difícil história, porém, o povo estoniano conseguiu se manter unido graças ao valor dado a sua cultura e ao forte patriotismo que nenhuma guerra ou ocupação conseguiu destruir. Mas o que mais encanta nessa história é a maneira que os estonianos encontraram para demonstrar seu poder e união: cantando!

Leia também: Do passado ao presente no Líbano

A música é uma das formas de expressão mais apreciadas pelo povo, e foi cantando que, em 1988, mais de 300 mil estonianos (aproximadamente um terço da população) se reuniram no mesmo local para exigir a independência. Após cinco anos da pacífica e não-violenta revolução, a Estônia se tornou livre novamente.

Local onde a população se reuniu para cantar pela independência em 1989. Hoje em dia ainda abriga shows e festivais. Foto: delfi.ee

A data mais esperada do ano aqui na Estônia foi o passado 24 de fevereiro, mas não é só em feriados nacionais que o patriotismo desse povo é expressado. O amor pela história e pela cultura está presente em todos os festivais de música, de dança e artes em todo o país, e os estonianos são muito orgulhosos de sua história e determinados em continuar a propagar suas tradições e costumes com as novas gerações e também com os estrangeiros que vão chegando em números cada vez maiores.

É arriscado para uma estrangeira que conhece esse pequeno país Báltico a menos de dois anos afirmar que todos os estonianos são patriotas, mas é inegável que a identidade cultural das pessoas daqui é importantíssima e questionada constantemente, já que é assim que uma população tão diminuta persiste e não se perde no cenário mundial.

Para mim, o legado mais bonito da Estônia para o mundo é a lição de como valorizar a própria história, cultura e tradições. Depois de tantas guerras e ocupações, a Estônia deu o exemplo de como se levantar e seguir adiante, mostrando a união do seu povo com muito progresso, organização e liberdade. Não há estoniano que não se orgulhe de contar a história de seu país!

Links úteis para quem está chegando

Para quem está de visita, há diversos museus que não deixa passar em branco nenhum momento da história, além do extremamente bem conservado e mantido Centro Histórico, que mais parece retirado de um conto de fadas. E para quem vai ficar na Estônia, o governo oferece atualmente diversos programas gratuitos que vão desde uma introdução a cultura do país até palestras sobre os costumes no ambiente de trabalho, a organização familiar e um curso introdutório ao idioma estoniano.

O governo da Estônia, com a ajuda da União Européia criou um programa excelente para integrar quem está de mudança para o país e também para os expatriados que se encontram trabalhando ou estudando há algum tempo por aqui.

Um dos meus guias preferidos e provavelmente o mais completo é o Relocation Guide. Nele há todo tipo de informação relevante sobre a cultura, geografia e idioma, assim como explicações básicas sobre vistos de residência e trabalho, aluguel e compra de imóveis, serviços bancários e inúmeros outros tópicos que um imigrante precisará de um pouco de ajuda para organizar em seu novo país.

Um dos websites que um imigrante utilizará muito durante seu processo de legalização na Estônia é o site da Polícia e Departamento de Imigração. Nele, você encontrará guias completas sobre como dar início ao processo de visto de residência em base a diferentes situações (como em base a casamento com um cidadão estoniano ou convite para trabalhar em uma empresa, por exemplo). Toda a informação está em inglês, e para tirar dúvidas também é possível enviar um e-mail ou telefonar.

Depois que sua situação no país já está regularizada com a residência temporária ou permanente, é possível participar de diversos cursos como eu mencionei anteriormente. Você pode se inscrever para tais no site Settle in Estonia e é permitida a participação de imigrantes que se encontram no país por no máximo cinco anos! Eu já estou por completar meu segundo ano aqui e atualmente estou fazendo o curso introdutório ao idioma estoniano.

Eu recomendo imensamente a todos participarem desses cursos, a adaptação a um novo país se torna muito mais fácil quando passamos a entender sua cultura, familiar e laboral, e principalmente seu idioma. Além do mais, esses eventos são ótimos para conhecer outros expatriados de diferentes lugares do mundo e com eles um pouco da sua história e cultura.

Related posts

Celebração da Páscoa na Estônia

Ana Carolina Poli

Estônia – Ser mulher e gay

Heloísa Magalhães

O que significa ser e-residente da Estônia?

Ana Carolina Poli

7 comentários

Rasputin Junho 9, 2018 at 3:29 pm

Expatriados é uma palavra usada mais por americanos, pois para ter cidadania nos EUA, com poucas exceções, você não pode ter nenhuma outra.

Ou seja, você desistiu de sua patria, virou expatriado.

Esse raramente é o caso dos brasileiros. Porém, eu iria fazer questão de desistir de obedecer as leis brasileiras.

Imigrante é uma palavra melhor.

Resposta
Ana Carolina Poli Junho 11, 2018 at 5:33 pm

Olá Rasputin! Você tem razao, porém a palavra expatriado também se usa no caso de alguém que sai do Brasil exclusivamente para trabalhar por um período de 6 meses a 5 anos. Nao coloquei expatriados e imigrantes no título pois ficaria enorme, difícil de aparecer nas buscas. E apesar de nao completamente correto, ainda é mais usado do que “imigrante” em muitos casos. Obrigada pela observaçao e espero que o post tenha sido útil! Abraço.

Resposta
Rodrigo Agosto 18, 2018 at 5:20 am

Olá Ana! Para uma pessoa que entra legalmente na Estonia e deseja integrar-se à sociedade, existem incentivos do governo, como cursos(idioma e profissionalizante), subsídios, auxílios etc? Obrigado

Resposta
Rodrigo Agosto 18, 2018 at 4:45 pm

Olá Ana! Para uma pessoa que entra legalmente na Estônia e deseja integrar-se à sociedade existe algum
tipo de auxílio do governo, como cursos(idioma e profissionalizante), subsídios, auxílios etc? Obrigado!

Resposta
Ana Carolina Poli Agosto 24, 2018 at 2:43 pm

Olá Rodrigo. No próprio texto coloquei links dos sites onde informação sobre esse tipo de programa para a integração de imigrantes está disponível. Se chama “settle in Estonia”.

Resposta
Rodrigo Agosto 29, 2018 at 11:25 pm

Muito obrigado mais uma vez Ana

Resposta
Ana Carolina Poli Agosto 24, 2018 at 2:44 pm

Olá Rodrigo. No próprio texto coloquei links dos sites onde informação sobre esse tipo de programa para a integração de imigrantes está disponível. Se chama “settle in Estonia”.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação