BrasileirasPeloMundo.com
Estações do Ano pelo Mundo Suécia

A escuridão do inverno na Suécia

As pessoas costumam perguntar quanto tempo dura o inverno na Suécia. Sabemos que no calendário, o inverno dura aproximadamente três meses como todas as outras estações do ano. Mas na prática? Bem, o sueco vai responder que o inverno dura aproximadamente quatro meses.

Quando cheguei minha impressão era que o verão durava quatro meses e o resto do ano poderia ser considerado inverno. Hoje, após algumas décadas de residência em Estocolmo, eu quase concordo com os suecos.

Pôr do sol de inverno às 14h30

Quando pensamos no inverno por aqui, nem sempre é a baixa temperatura ou a neve que equacionamos com o mais difícil do inverno. Está certo, isso também. Mas não é o pior. A neve na verdade é uma benção quando chega para clarear as noites e ainda ajuda a impulsionar atividades e esportes ao ar livre. Com o passar dos anos, a nossa dificuldade com o inverno passa a depender bem mais da quantidade de luz natural que temos nessa época do ano do que da temperatura lá fora.

Aprendemos a conviver com baixas temperaturas. Primeiro, porque no interior das casas e edifícios, a temperatura sempre está em torno de uns 20 graus. Segundo, porque aprendemos a nos vestir de forma mais adequada para enfrentar baixas temperaturas. Mas acostumar-se com os dias curtos e escuros do inverno é uma das coisas mais difíceis para quem mora nessas latitudes. A luz, ou melhor, a falta dela durante o período de outubro a fevereiro é realmente de tirar a saúde mental de qualquer um.

A duração do dia e da noite tem uma grande variação ao longo do ano na Suécia, e isso é particularmente dramático na região norte do país. As noites polares são totalmente escuras e duram algumas semanas do inverno. A compensação vem no verão com os dias longos quando o sol não se põe, nos dando o famoso sol da meia noite. A neve ajuda, pois noites de inverno com neve e lua cheia são lindas e claras. Infelizmente, muitas regiões têm tido pouca neve nos últimos anos. Isso significa noites escuras e no mais das vezes húmidas – uma péssima combinação.

Em Estocolmo temos aproximadamente seis horas de luz durante os meses mais escuros. O dia clareia em torno de 9 horas da manhã e escurece em torno de 3 horas da tarde. Se for um dia nublado, a sensação de luz pode se reduzir ainda mais. Não pense que são apenas os estrangeiros que sofrem com isso. Acredita-se que pelo menos 90% dos suecos se sentem afetados e aproximadamente 10% ficam deprimidos. Isso porque a falta de luz afeta o nosso metabolismo. O corpo passa a produzir mais melatonina (o hormônio do sono) e menos cortisol (hormônio que controla o estresse e sistema imunológico). Com o cortisol baixo, as pessoas sentem cansaço e fraqueza, e muitas acabam deprimidas.

O solstício de inverno marca oficialmente o início do inverno no hemisfério norte, o inverno boreal. Na prática, isso significa que em torno do dia 21 ou 22 de dezembro temos a noite mais longa do ano aqui na Suécia. A partir de então, os dias vão se alongando lentamente até mais ou menos a metade do ano, quando temos o dia mais longo. Até o Natal, nós nos distraímos. A decoração à base de luz ajuda a dar um ar festivo. O fechamento do ano no trabalho, e as muitas festas de final de ano nos mantém bastante ocupados. Mas depois do Natal e Ano Novo, temos ainda dois meses daqueles bem escuros.

O que fazer então se a cada ano você tem que conviver com tantos dias escuros? Os ursos aproveitam para dormir o inverno inteiro. E os humanos? O que fazer quando o relógio biológico se confunde, a vontade de dormir aumenta e o desânimo começa a invadir a sua vida? Nesse caso, você pode escolher fazer uma terapia de luz, por exemplo. Por aproximadamente 50 reais você pode sentar-se por 45 minutos em uma sala bem iluminada. Isso aciona a produção de vitamina D e cortisol e pode ajudá-lo caso tenha tendência à depressão. Pesquisas têm indicado que a terapia de luz é mais eficiente do que antidepressivos.

Para quem tem a possibilidade, uma viagem durante os meses mais escuros pode ser uma boa maneira de enfrentar a escuridão e a rotina do inverno. Visitar o Brasil nessa época é certamente atraente, pois você sai do meio de um inverno escuro e frio e chega no alto do verão para as festas de final de ano. Uma alternativa mais barata é viajar para as Ilhas Canárias que são bastante populares entre os suecos. E dá para entender. Com uma viagem a baixo custo, você garante a sua terapia de luz em praias adoráveis, mesmo que a temperatura por lá fique em torno de uns 20 graus no inverno. Se tiver sorte, pode ir até uns 25 graus. Nada mal! Eu já experimentei essa alternativa e gostei muito. Sei que com essas temperaturas, os cariocas nem pensam em sair de casa. Porém, pode ser que mudem de ideia depois de passar um inverno na Suécia.

Sol baixo e dias curtos no inverno boreal

Quando meu filho era criança e eu o chamava de manhã para ir à escola, ele me perguntava: “Tem certeza que está na hora, mamãe? Tem certeza? Ainda está escuro!” Muitos anos se passaram e de manhã tenho sempre que conferir o relógio para ter certeza. Está escuro quando me levanto para ir ao trabalho e está escuro quando saio do escritório. Não vou jamais me acostumar. E os suecos tampouco. Esses têm viajado cada vez mais. Alguns se mudam durante os meses mais frios para regiões ensolaradas e com temperaturas mais amenas como Espanha ou Portugal. O importante é encontrar o seu modelo para enfrentar a escuridão do inverno. Quanto ao frio, você pode até aprender a apreciá-lo!

Related posts

Tem primavera no Canadá?

Marcella Santiago

SFI: falha do governo, experiência pessoal e dicas para iniciantes

Vânia Romão

Verão em Moscou

Renata Rossi

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação