BrasileirasPeloMundo.com
Myanmar

Apresentando o Myanmar

Apresentando o Myanmar.

Myanmar, Burma, Birmânia, os nomes são vários. Enquanto algumas pessoas já pelo menos ouviram falar deste país – seja devido ao turismo ou pela fama da atual ministra e ganhadora do Prêmio Nobel da Paz Aung San Suu Kyi – outras nem mesmo sabem que se trata de um país e muito menos onde fica. Situado entre os gigantes China e Índia, Myanmar tem se tornado um destino popular entre turistas que vão ao sudeste asiático. Em comparação com países como Tailândia e Vietnã, Myanmar é tido como um país que ainda oferece uma experiência mais original aos visitantes, já que apesar de receber muitos turistas ainda não é considerado um país com turismo de massas e também pela maneira tradicional de vida das pessoas.

Andando pelas ruas de Yangon uma das primeiras coisas que se nota é que pelo menos 95% das pessoas usam trajes tradicionais: o longyi, um tecido que é enrolado em volta da cintura , cobrindo até os pés. Existem diferentes maneiras de se amarrar um longyi – homens dão um nó na frente da cintura, as mulheres atam pontas na lateral.   As ruas e calçadas estão lotadas de vendedores, é uma mistura de cheiros , cores e sons. Yangon é uma cidade maravilhosamente caótica, um trânsito de dar inveja à uma cidade como São Paulo, apesar de ser bem menor. Você não quer ser um pedestre em Yangon, já que o pedestre nunca, mas nunca tem vez. Mas se você está na cidade acaba se acostumando, no início uma boa técnica é grudar no birmanês mais próximo que também esteja esperando para atravessar a rua e simplesmente o seguir, não tem erro.

Algumas pessoas dizem que países como Myanmar não são apropriados para quem está indo para o sudeste asiático pela primeira vez, já que por exemplo na Tailândia há mais conforto e estrutura pois o pais é mais desenvolvido. Bom, é uma questão de gosto.   Particularmente penso que quem decide fazer uma viagem para um destino tão distante quer exatamente vivenciar o diferente, ter uma aventura.

A acomodação ainda é um pouco mais cara do que os países vizinhos, devido à falta de quartos. Nos últimos anos a situação tem melhorado e mais hotéis tem sido construídos. Outras pequenas adversidades podem ser encontradas é a frequente queda de energia, internet lenta, trânsito super caótico nas grandes cidades como Yangon e Mandalay.

b217112a-56bf-4ea1-abfa-b0c8ea0eb74f

Qual é o encanto especial deste país? Sem piscar eu digo: o povo. Obviamente para nós, vindo de uma cultura diferente tudo é interessante, mas o que se nota logo a princípio é a hospitalidade e simpatia imensos do povo birmanês.

Além disso os templos monumentais; não se pode ir ao Myanmar e deixar de visitar o tempo Shwedagon, o mais famoso do país e conhecido mundialmente pela concentração de ouro (cerca de 60 toneladas na base da principal Stupa).

No Brasil, mostrando fotos das minhas férias muitas pessoas perguntavam: “nossa, mas eles não são pobres? Como que estes templos ainda estão inteiros como tanto ouro?” . Confesso que fiquei supresa, nunca me passaria pela cabeça que alguém pensaria em levar pedaços dos templos por causa do ouro. Acho que já vivo há muito tempo no exterior (até pouco tempo 12 anos na Alemanha, agora em Myanmar).

fe0822d0-88cf-4a18-8c10-2041d6681477

Dentre as atrações estão a cidade antiga Bagan com seus templos milenares, os passeios de balão; Mandalay , a antiga cidade real com a réplica do palácio , templos, Mandalay Hill e a ponte de Ubein (em Amarapura); praia de Ngapali, arquipélago de Merchi, o encantador lago Inle com os povoados flutuantes.

Myanmar tem muito a oferecer. Templos monumentais, natureza, praias, cultura. Para todos os gostos há uma atração.   Todo este conjunto fez com que eu me apaixonasse perdidamente por este país , sua cultura e seu povo. Apesar das dificuldades, especialmente no meu caso após viver 12 anos na Alemanha, onde tudo funciona, é tudo limpo e organizado. Se um alemão diz “X” é “x” e ponto. Se o birmanês diz “Y” pode ser que “X” também seja ok.   Neste ponto são parecidos conosco.

Leia também: curiosidades sobre Myanmar

No sudeste asiático encontramos também muitas frutas em comum que temos no Brasil e que são desconhecidas em países europeus. Para mim após tanto tempo na Alemanha, onde obviamente não há esta diversidade de frutas e verduras como em países tropicais, é como estar no paraíso.

Os birmaneses tem até pudim de leite, igualzinho ao nosso, algo totalmente desconhecido na Alemanha.  Aliás, a comida birmanesa é muito boa e diversificada na minha opinião. É uma mistura das cozinhas de países vizinhos tais como Tailândia e Índia.

5494d058-fbca-4714-9773-7547ec6ae8c6

Esta mistura torna a cozinha birmanesa especial, misturando estes sabores mas mantendo um caracter próprio.   O prato mais conhecido é o Mohinga, que é uma sopa de peixe consumida geralmente no café da manhã juntamente com arroz.   Vindo aqui não perca a oportunidade de visitar um típico tea shop/casa de chá birmanês e experimentar o lapeh yeh, um chá preto misturado com leite condensado (há algumas variações dependendo do gosto do cliente – mais doce ou menos doce).

A vida acontece nas ruas. Inúmeros vendedores pelas calçadas, restaurantes e tea shops/casas de chá com suas mesas nas ruas.  As pessoas se encontram para bater um papo e observar o movimento. Essa espontaneidade me cativou. Me fazia falta na Europa.

Recomendo muito uma visita. Mas um conselho: quem vier, deixe o estresse em casa. Desfrute do burmese way of life/jeito birmanês de ser!

Related posts

A semana de oito dias em Myanmar

Natalie Lima

10 pratos típicos de Myanmar

Natalie Lima

Licença maternidade pelo mundo

Ann Moeller

12 comentários

Leila Amorim Julho 16, 2016 at 8:49 am

Que maravilha Natalie!
Amei o ” trânsito de fazer inveja a São Paulo” e pudim de leite!

Um abraço !

Resposta
Natalie Lima Julho 22, 2016 at 9:58 am

Obrigada Leila 🙂 realmente fiquei feliz ao descobrir pequenas semelhanças em culturas tão diferentes , o trânsito em Yangon infelizmente é um problema. Mas este cais faz parte do charme da cidade . Abraços!

Resposta
Renata Pfister Julho 16, 2016 at 10:28 am

Adorei seu texto e saber mais sobre Myanmar, espero poder conheçer um dia. E certamente será bom ter alguém como vc, em nossa lingua, p guiar e descobrir as belezas exóticas deste País. Abraços.

Resposta
Natalie Lima Julho 22, 2016 at 9:55 am

Muito obrigada Renata, eu ficaria encantada em receber viajantes brasileiros(-as) e mostrar o meu Myanmar 🙂 grande abraço .

Resposta
Juliana Tavares Julho 17, 2016 at 5:01 pm

Gostei!!! A foto das moças com as golas no pescoço já passou aqui no Brasil, na TV xD
Em minha opinião, esse país me dá tantas curiosidades… Falou em comida diversificada? Me chama que vou! rsrsrsrsrs.

Resposta
Natalie Lima Julho 25, 2016 at 4:15 am

Muito obrigada Juliana, Myanmar é um país maravilhoso que tem despertado curiosidade de muitos. Você vai adorar a comida aqui!

Resposta
Vanessa Marino Julho 19, 2016 at 12:56 am

Belíssimo texto!! Vontade de embarcar agora para Myanmar. Deve ser uma grande alegria poder vivenciar a experiência de novas culturas. E saber captar e aproveitar esses momentos como enriquecimento pessoal é para poucos. Parabéns Natalie! Sou sua fã, pode ter certeza!!

Resposta
Natalie Lima Julho 25, 2016 at 4:16 am

Muito obrigada Van! Sem dúvida é uma realizacao para mim, poder literalmente cair no mundo e aprender de culturas diferentes. Espero que um dia você possa vir me visitar por esses lados 😉 beijos

Resposta
Danyele Contrera Setembro 12, 2016 at 8:39 pm

Natalie ! Voce ainda mora em Yangon e trabalha com turismo?
Estou indo pra Yangon dia 19 de outubro ! Voce poderia me passar seu contato???
Nossa que felicidade que existe uma brasileira morando aí rs !

Beijos

Resposta
Natalie Lima Setembro 12, 2016 at 10:24 pm

Oi Danyele, sim, ainda estou em Yangon. Que ótimo que vem ao Myanmar, sim, vou te passar meu e-mail . Beijos

Resposta
Taissa Junho 6, 2017 at 2:57 am

Ola Danyele, tudo bem? Vc ainda mora em Myanmar?
Estou chegando em Mandalay hoje e irei para Bagan amanhã as 18:00, gostaria de saber se vc tb trabalha por lá ou somente em Yangon? Ou se poderia indicar alguém para nos guiar por Bagan? Aguardo seu retorno… Desde já agradeço.

Resposta
Natalie Lima Junho 6, 2017 at 3:02 am

Oi Taissa, aqui e a Natalie, eu sou a colunista de Myanmar (Danyele era uma brasileira que estava viajando por aqui e me contactou atraves do artigo) Eu moro sim ainda em Myanmar, mas em Yangon, onde trabalho. Caso passe por aqui pode dar um toque se quiser. Abraços!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação