BrasileirasPeloMundo.com
Brasil

Brasil – Uma caiçara no planalto central

Quando eu era bem pequena, uma mãe emprestada cantava Gal Costa para mim: “Mas da próxima vez que eu for à Brasilia, eu trago uma flor do cerrado pra você”. Eu ficava imaginando como seria esse lugar e o que seria, afinal, uma flor do cerrado.

Bem… Vim, vi, venci e descobri: Brasília é uma cidade linda, cantada em verso e prosa por uma infinidade de artistas – estima-se que há mais de cinquenta músicas falando sobre Brasília, inclusive versões hilárias locais como o melô do DF (que é quase uma piada interna, mas faz todo mundo morrer de rir):

Mas não só de piadas se faz Brasília. Não vou gastar esse post falando de política, OK? A cidade também inspira poemas rasgados e repletos de urbanidade como:

“Eu vou surfar no céu azul de nuvens doidas
Da capital do meu país
Pra ver se esqueço da pobreza e violência
Que deixa o meu povo infeliz”
(Natiruts)
Catedral de Brasília. Foto: Wikimedia Commons
Catedral de Brasília. Foto: Wikimedia Commons
A música brasileira está impregnada no Distrito Federal. “O céu de Brasília, o traço do arquiteto…” e por aí vai.  Mas além de ser cantada e admirada, Brasília é ainda o berço de uma musicalidade muito especial que acolhe MPB, hip hop, reggae e principalmente o rock. Só pra você ter uma noção das coisas boas que brotaram dessa terra, separei uma coletânea de músicas para que você possa conferir aqui, mas apesar de chegar aqui jurando que ia encontrar a capital do rock, foi um choque descobrir que o que mais toca em todas as rádios, supermercados e bares é, na verdade, aquele sertanejo de Goiás no maior estilo “dor de cotovelo”. Foi um grande estranhamento, afinal eu cresci ouvindo Capital Inicial, Legião Urbana e Plebe Rude, mas esse não foi o único estranhamento que a cidade me causou.
Brasília à noite. Foto: Wikimedia Commons
Brasília à noite. Foto: Wikimedia Commons

Não seria exagero se eu dissesse que Brasília foi a cidade mais difícil que encontrei para morar na vida. Ganhou de Hanói e de Jacarta. As pessoas são muito fechadas, os grupos extremamente “enguetados” e achar um grupo para desfrutar do seu lugar ao sol é um desafio interminável. No fim, a gente vive como expatriado. Meu grupo de amigos envolve gente de São Paulo, Rio, Minas e alguns lugares do nordeste e do sul; quantos AMIGOS candangos eu fiz aqui em dois anos? Nenhum!Ainda assim, Brasília é um encanto, e as fotos estão aí para não me deixar mentir. Linda de viver com seu céu azul brilhante, super arborizada e repleta de atividades alternativas, como feiras, mostras de arte, eventos de Direitos Humanos. Boa parte das pessoas que desejam mudar o Brasil e o mundo estão aqui em Brasília, onde está sediada a casa da ONU, os ministérios do Brasil e algumas das maiores organizações nacionais e internacionais atuantes em nosso país. Por isso, quem não vê o coração que bate por trás das primorosas obras de concreto do Niemeyer perde a oportunidade de encontrar essa energia do bem.

Eu, como caiçara que sou, estranhei de início a ausência de praia, o excesso de concreto, a inexistência de esquinas, mas daí você descobre que o povo surfa no céu, faz SUP no lago e toma sol nos parques – isso sem contar os inúmeros clubes, que são opção obrigatória para os que são mais abastados. Os que não são, aproveitam assim mesmo, na “orla” do lago Paranoá. O mais engraçado é que descobri que o lago divide seu espaço democraticamente entre seres humanos, capivaras, pacas e até JACARÉS!Em Brasília o espaço público é ocupado de verdade. Levei um susto quando fui na festa de um amiguinho da minha filha e encontrei um pula-pula montado no meio da calçada. Achei que alguém da família devia ser um figurão da política local para ter recebido a autorização, mas então descobri que aqui as ruas são de todos. Tudo bem fazer piquenique no jardim do prédio, os jardins dos prédios são públicos. Tudo bem fazer uma feirinha vegana no parque ou montar uma festa junina na quadra onde você mora. Que coisa boa!

Coruja buraqueira no Parque da Cidade. Foto: Flickr.com
Coruja buraqueira no Parque da Cidade. Foto: Flickr.com

Outra coisa que me encanta nessa cidade é a profusão de árvores e pássaros. Há árvores frutíferas por toda a cidade, e não raro podemos ver algum engravatado tacando pedras nos galhos de uma mangueira para levar mangas frescas para casa. E os pássaros? Outro dia, a caminho do trabalho, um tucano fez um voo tão rasante que quase arrancou meu “cocoruto”. Uma amiga que mora em casa, acorda com o tititi de papagaios tagarelas e às vezes no meio da rua encontramos pássaros gigantescos, alguns parecidos com águias, outros rosados com bico de colher e até carcarás – aquele mesmo da música da Maria Betânia. Isso sem contar as corujas! Há corujinhas buraqueiras por toda a parte. Uma lindeza. Comecei a me interessar por pássaros depois que cheguei por aqui. Se você tiver vontade de saber mais sobre as aves de Brasília, clique aqui e surpreenda-se com a quantidade de aves lindas que povoam essa cidade encantada, tudo explicado pelo Chico Sant’Anna, um apaixonado pela cidade.

Para você que não conhece esse lugar lindo, vale a pena turistar por aqui. E como sou muito gente boa, vou te dar umas dicas. Aguarde o próximo post !

 

Related posts

Brasil – Resoluções de Ano Novo

Juliana Silva

Brasil – Casa da mãe Joana? Parte 2

Fabi Mesquita

Brasil – O medo que algum dia o mar também vire sertão

Fabi Mesquita

27 comentários

Ana Julho 30, 2015 at 2:56 pm

Que texto incrível! Adorei ler sobre as belezas de Brasília. Nasci e cresci lá, mas agora moro em São Paulo e morro de saudades!

Resposta
Fabi Mesquita Julho 30, 2015 at 5:17 pm

Já eu sou de sampa e agora moro aqui… 🙂
Sorte minha! Quando vier pra essas bandas me chama pra um café! bjs

Resposta
Regina Comparini Julho 31, 2015 at 1:35 am

Belíssimo depoimento dessa jornalista, bailarina, antropóloga, ser humano incrível, dotada de uma humanidade pouquíssimas vezes vista nos meus bem vividos anos.Fabi acolheu Brasília, assim como acolhe a todos que buscam por uma mão, uma palavra e ate uma cama pra passar uns dias. Continue nos presenteando com seus textos, é bom demais ler e nos vermos nele, me incluo nas paulistas amigas. E vai o convite a todos que não conhecem Brasília, vale a pena.

Resposta
Fabi Mesquita Julho 31, 2015 at 7:20 pm

E o que seria de Brasíla (e de mim?) sem pessoas como você? Pura docilidade 🙂

Resposta
Nara Santos Julho 31, 2015 at 5:10 pm

ADOREI!!!!!!!!!!!! Sou uma goiana em Brasília…me reconheci em muitas partes do texto!!! Quanta sensibilidade!!!

Resposta
Fabi Mesquita Julho 31, 2015 at 7:19 pm

AAAAAH que delícia que você gostou! Já faz tempo que estou querendo compartilhar meus textos com você. Aqui no blog tem vários sobre direitos humanos. Quando tiver oportunidade dá uma passeada por aqui. Tem alguns que até mencionam a UNODC…a propósito, saudades viu?

Resposta
Victoria Julho 31, 2015 at 7:13 pm

Que descrição incrível de Brasília! Conheci DF no ano passado e amei demais, espero voltar mais vezes pra ver aquele céu azul maravilhoso.

Resposta
Fabi Mesquita Julho 31, 2015 at 7:17 pm

É lindo né? Volta sim! E me chama quando chegar por aqui 🙂
Obrigada pela visita (em Brasília e no blog)
bjs

Resposta
Renato Oliveira Agosto 1, 2015 at 8:32 am

Bem, é minha cidade, meu céu, nossas pessoas, nossos lugares e teu olhar. Brasília é assim minha querida. Imprevisível. Ela é bela, atraente e ao mesmo tempo estranha… Sim. É isso mesmo. Sou daqui, respiro esse ar seco e puro. Vivo a luz do sol, seja no parque ou nas orlas do lago, adoro as pessoas. Um dia ninguém fala com ninguém, outros, estamos todos juntos. Somos educados, bonitos e cheio de vida. O que nos falta é ainda aprender com todos pois ainda só temos 60 anos. Adorei seu blog. Beijos.

Resposta
Fabi Mesquita Agosto 5, 2015 at 1:27 pm

Oi querido, na verdade o blog é uma construção coletiva sob a competente batuta de uma amiga querida que mora na Inglaterra. Depois do seu post vou ter que retratar meu texto. Tenho então um grande e querido e amigo brasiliense 🙂

Resposta
Fábio Mesquita Agosto 1, 2015 at 2:02 pm

Delicioso seu novo texto , como tudo que vc faz ou escreve. Adorei a descrição dos detalhes da cidade que nós aprendemos a amar. Parabéns anjo, emocionante.

Resposta
Fabi Mesquita Agosto 5, 2015 at 1:26 pm

Obrigada 🙂

Resposta
Marcos F. Guimarães Agosto 2, 2015 at 11:52 pm

Oi Fabi, mais um texto super, parabéns!! Tô aqui em Guiné-Bissau, morrendo de saudades e olhando pro relógio para voltar a Brasília. Eu sempre digo aos meus amigos de São Paulo, morar em Brasília é como morar dentro do parque do Ibirapuera. Bjs!

Resposta
Fabi Mesquita Agosto 5, 2015 at 1:25 pm

Quem diria…ter saudades de Brasília..E você acabou de chegar né? Guiné-Bissau! Também quero! Depois me conta tudo! bjs

Resposta
Loiane Lima Agosto 3, 2015 at 2:28 pm

Que encantadora descrição dessa Capital. Moro aqui há quatro anos e muitas vezes, devido à correria do dia a dia não analiso essa beleza. MUITO cativante raciocinar através das suas palavras quanto tempo, até, perdemos sem desfrutar desse maravilhoso lugar!

Resposta
Fabi Mesquita Agosto 5, 2015 at 1:24 pm

Quatro anos? Puxa pensei que era mais! Que bom que te ajudei a criar um novo olhar pra nossa nova terra. BJs

Resposta
Kely Martins Bauer Agosto 5, 2015 at 7:48 am

Adorei o texto. Sou de Brasília e entendo essa dificuldade de se fazer amigos. Como somos seres estranhos ???????? costumo dizer que quem nasce em BSB se adapta em qualquer lugar do mundo. Beijos

Resposta
Fabi Mesquita Agosto 5, 2015 at 1:24 pm

Com certeza sim! hahaha Obrigada pela visita aqui no blog! Volte sempre! bjs

Resposta
Osvaldo Freitas Agosto 6, 2015 at 6:04 pm

Brasília, Brasília!!! Infelizmente ou felizmente, aqui tem de tudo, de tudo um pouco, um pouco de tudo.

Resposta
Fabi Mesquita Janeiro 30, 2016 at 11:30 am

Acho que essa diversidade sempre faz bem pras cidades!
De um modo ou de outro …

Resposta
Fabi Mesquita Janeiro 30, 2016 at 11:30 am

E muuuuuuito obrigada pela visita!

Resposta
Vanessa Janeiro 30, 2016 at 12:11 am

Gostei muito do texto! Sou gaúcha e moro em Brasília há um bom tempo…e, acredite, nos meus primeiros dias aqui fiz amizade com brasilienses!

Resposta
Fabi Mesquita Janeiro 30, 2016 at 11:29 am

Ai que coisa boa! Só falta fazer amizade comigo também :)))
Obrigada pela vista! bjs

Resposta
Chico Sant'Anna Agosto 13, 2017 at 10:01 pm

Fabi,
Creio que quem cantava essa canção era Gal Costa

Resposta
Fabi Mesquita Agosto 14, 2017 at 5:58 pm

Tem razão…devidamente corrigido…Obrigada, mas engraçado que na minha cabeça ela vem com a voz da Nara…

Resposta
Chico Sant'Anna Agosto 13, 2017 at 10:02 pm

E obrigado pela referência ao meu blog.

Resposta
Fabi Mesquita Agosto 14, 2017 at 5:50 pm

Referência merecida 🙂 Obrigada pela visita

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação