BrasileirasPeloMundo.com
Espanha Turismo Pelo Mundo

Cavernas trogloditas na Espanha

Em dezembro de 2018, estive na região de Guadix, na província de Granada, sul da Espanha. Nos hospedamos em uma casa cueva (casa de caverna) troglodita e a experiência foi incrível, adoramos!

Eu já havia comido uma vez em um restaurante de caverna em um povoado de Teruel e, em uma outra ocasião, passei um dia em um spa de caverna em outro povoado, em Castilla La Mancha. Resumindo, o costume desse tipo de construção existe em várias regiões do país, e em cada lugar têm suas peculiaridades. As casas de cavernas também existem em outros países como Grécia e Turquia, e acredito que em cada país elas devem ter características bem diferentes.

As casas cueva de Guadix, também chamadas de viviendas trogloditas, são uma herança arquitetônica troglodita que utiliza as cavernas naturais, tão características daqueles terrenos, para otimizar o isolamento térmico, tanto para o frio quanto para o calor. É literalmente a casa do homem das cavernas. (Risos)

Elas são fruto desse instinto humano ancestral de utilizar as cavernas naturais para se abrigar dos rigores do tempo, dos excessos de frio ou calor, das chuvas, sol, neve ou até de animais. Essa herança arquitetônica é um orgulho da região e foi passada de geração em geração até os dias atuais. Hoje, a maioria dessas casas cueva são casas de turismo rural.

Leia Também: Tudo o que você precisa saber para morar na Espanha

A casa onde nós ficamos hospedados é um hotel de turismo rural, com aproximadamente oito casas, em um terreno bastante grande com jardins e área comum, vista para a Sierra Nevada, uma piscina de verão e um banho árabe, que fica disponível o ano todo.

Sobre os banhos árabes ou também chamados hammans, merece um post especial sobre a herança árabe na Espanha, particularmente presente em Granada, devido a sua história de conquistas e reconquistas. O maior e mais emblemático exemplo dessa herança muçulmana na Espanha é a Alhambra. Ela é realmente uma obra monumental e visita obrigatória para quem for passear por Granada! A Alhambra me emocionou demais! Provavelmente isso ficará para uma próxima coluna.

Sobre as cavernas trogloditas

São casas com pé direito alto e linhas arredondadas no teto e nas paredes. E, surpreendentemente, também super claras, bem iluminadas e ventiladas, apesar de possuírem apenas a porta de entrada e uma janela. Outra característica marcante dessas cavernas é o conforto térmico, pois estava bastante quentinha para o inverno! Já no verão, dizem que elas ficam bem fresquinhas.

Distribuída em uma sala pequena com cozinha americana, uma lareira muito aconchegante e a suíte. Ou seja, são casas simples mas muito acolhedoras.

Vistas de fora, seus telhados ficam totalmente incorporados ao terreno e ficariam completamente camuflados se não fossem as chaminés que sobressaem do meio da terra criando uma imagem bastante curiosa.

Em Guadix é possível visitar algumas casas cueva que tiveram uso em diferentes períodos: pré-histórico, romano e medieval. Alguns exemplos são: as Cuevas Medievales del Valle del Río Alhama, que estão bastante conservadas até hoje; os restos pré-históricos da Cueva Horá, em Darro, declarada “Bem de Interesse Cultural”; a Casa Cueva de Las Ventanas, no município de Pinãr, datada do período Neolítico – em seu interior foram encontrados restos de animais pré-históricos e vestígios de várias culturas de períodos históricos diferentes.

Badlands e Parques Megalíticos

A comarca de Guadix é surpreendente, de uma riqueza natural e cultural maravilhosa. Ainda na mesma região você encontra cadeias montanhosas de grande valor geológico e com aspectos lunares incríveis.  Além disso, é possível fazer passeios de balão nesse entorno, conhecido como a “Capadócia Espanhola“,  com vistas de tirar o fôlego!

São as badlands ou baldias, paisagens fruto de anos de erosão com formas e cores fantásticas. Certamente existe algum mineral especial nessas terras porque notávamos sempre um dourado fantástico conforme batia a luz do sol entre as cores vermelha, marrom e ocre que formava um degradê muito bonito nessas formações de formatos tão característicos.

Fizemos um passeio pelo  trajeto do “Los Colorados de Gorafe”, contornamos toda a cadeia de carro e paramos em alguns mirantes. Fomos na hora do pôr do sol e estendemos o passeio até a lua cheia aparecer por trás das montanhas.

Leia também: Dicas para esquiar em Sierra Nevada

A região também possui parques naturais com reservas de biodiversidade, aquedutos de águas termais, geoparques e parques megalíticos.

O Parque Megalítico de Gorafe também vale muito a visita. É um assentamento arqueológico com 11 necrópoles e mais de 240 dólmens, construções de pedra para uso sagrado no estilo de Stonehenge.

O parque de Gorafe, datado do período Neolítico à Idade de Bronze, possui um centro de interpretação e três rotas sinalizadas onde se pode visualizar uma centena de dólmens, e é considerado o maior parque megalítico do sul da península ibérica.

Bisão, arte rupestre de Altamira. Fonte: Pixabay

Altamira e a Espanha pré-histórica

A Espanha possui uma riqueza arqueológica única que eu desconhecia até vir morar aqui. Um ótimo exemplo dessa riqueza é a caverna de Altamira. Ela fica em outra região, na Cantábria no norte da Espanha.

A caverna de Altamira é considerada um dos achados mais importantes da pré-história. Suas pinturas rupestres no teto da caverna são consideradas a “Capela Sistina da arte rupestre”, de toda arte pré-histórica. Seus desenhos aproveitavam os volumes e desníveis naturais do teto para dar um aspecto 3D às imagens! E por isso,  Altamira foi declarada Patrimônio da Humanidade em 1985.

Conhecendo a Espanha aos poucos

Quando vivia no Brasil, eu sempre reservava uma parte das minhas viagens para dentro do país. Claro que falta muito para eu conhecer, ainda mais sendo o Brasil um país de proporção continental. Justamente por isso, vou conhecendo aos pouquinhos, sem pressa. Morando na Espanha há três anos, eu procuro fazer o mesmo e reservo parte das minhas viagens para conhecer o país. Assim, aos poucos vou conhecendo povoados, cidades grandes, cidades históricas e a natureza daqui. Acredito que desse jeito posso conhecer melhor cada região e cada comunidade autônoma. Cada qual com suas peculiaridades, belezas naturais, cultura, arquitetura, sabores e costumes.

E você, já conhecia esse lado pré-histórico da Espanha?

Related posts

Nova Zelândia é um país para se aventurar

Juliana Richter

Como abrir uma empresa na Espanha

Camile Wyatt

Dicas para viajar de motorhome pelos EUA

Jenny Rosén

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação