BrasileirasPeloMundo.com
Chile

Chile – Impressões de uma “Brachilena”

O Chile para mim nunca foi um segredo. Sendo filha de chilenos (pai e mãe), passei vários verões na casa de tios e avós. A comida me é familiar e nunca tive problemas com o idioma, já que minha mãe me ensinou primeiro a falar espanhol e depois, ao conviver com outras crianças, aprendi o português.

Quando me apaixonei por um chileno e decidi ir morar em Santiago depois de terminar a faculdade, pensei que não teria nenhum problema de adaptação. Ledo engano. Foi então que eu descobri que sou ainda mais brasileira do que eu imaginava!

Realmente passar férias em um lugar e passar a morar nele são duas coisas totalmente diferentes. Desta vez ia sair do circuito familiar e turístico para viver o dia a dia de uma pessoa comum, procurando emprego e lugares para morar.

No começo, morei com meus tios e primos, mas não pedi ajuda pra nada, quis me virar sozinha desde o começo. Andar de ônibus e metrô, entregar currículos e passear pela cidade, almoçando em lugares onde quase não há turistas… enfim, vivendo a vida como um habitante local.

O primeiro grande choque foi o atendimento. Até então, nunca tinha pensado que o brasileiro é um povo educado. Até achava que nós éramos meio trogloditas, mas aqui, na hora da comparação, descobri que somos um povo que sabe atender aos clientes em qualquer lugar. Nada de bom dia, boa tarde, boa noite ou “em que posso ajudar?”. O negócio em Santiago é cara fechada e um olhar que diz: “fala logo ou vai embora”.

Depois veio a descoberta de que, assim como não são bons atendentes, o chileno em geral não é um bom cliente. É grosso, quer tudo na mão e vive furando fila. Estrias de clientes chilenos tenho muitas, afinal, fiquei anos trabalhando na Zara de diferentes shoppings de Santiago, mas isso é tema para outros posts.

Em relação à outras diferenças consideráveis em relação ao Brasil, eu diria aos meus compatriotas que sonham em morar aqui na “Suiça latino-americana” que atentem aos vovozinhos e vovozinhas, são os piores exemplos de ser humano aqui!

Nunca pensei que ia odiar tanto os idosos. Mas aqui eles não são de fiar, não. Nunca pensei em me sentar ao lado de uma pessoa da terceira idade e ficar na defensiva. E pensar que meu temor no Brasil era que o velhinho não pararia de falar, nem depois que ônibus chegasse ao seu ponto!

Pra vocês terem uma ideia do que estou falando, contarei uma anedota que me aconteceu quando eu estava há umas duas semanas aqui no Chile. Eu fazendo a fila para pegar o pão no supermercado, fui “fechada” por um senhorzinho. Até ai tudo bem, talvez ele estivesse com pressa… relevei. Logo fui na fila para pesar o pão e o vovozinho de novo vem me atravessando, sem pedir licença nem nada, me “cotovelou” e se enfiou entre eu e a senhora à minha frente, que recebeu  uma “trombada” e quase caiu de lado. Eu tinha certeza de que pelo menos ele ia pedir desculpas pra outra senhora, mas não! Se fez de doido e ainda reclamou da demora no atendimento!  Eu costumo dar meu lugar na fila para pessoas da terceira idade, grávidas e mães com criança de colo, mas naquele momento me senti uma idiota por ser uma boa pessoa. Aqui é assim, os bons são fracos e não são muito respeitados.

Mas, claro, nem tudo são sustos negativos. Foi bem legal perceber como aqui é limpo em comparação com minha cinza e suja São Paulo. Ou como o transporte público é melhor do que o nosso, mas não diga isso aos chilenos. Eles vivem reclamando de boca cheia! A saúde pública aqui também pode ser melhor do que a nossa. Eu, pelo menos, só tive boas experiências, mas só precisei de cuidados básicos e acompanhamento durante a gravidez e o parto e não tenho nada do que reclamar.

Aqui me descobri mais brasileira do que nunca, me sinto mais alegre que os chilenos, mais amigável, mais positiva e mais divertida. E morando em Santiago descobri porque meu pai dizia que não voltaria a morar no Chile… coisa que hoje em dia ele não garante, já que morre de saudades do netinho…

Já são 5 anos de Chile, desde 2006, com pausa em 2010 a 2012 por um episódio de stress pós traumático vivido depois do terremoto (que contarei em outro momento).  Aqui encontrei a estabilidade financeira e a perspectiva de uma qualidade de vida familiar melhor do que em Sampa. Ainda estou à procura da estabilidade emocional, mas meu bebê e meu marido estão me ajudando muito nesse quesito.

O bom desta vida de mudanças é que me rende uma boa quantidade de histórias que posso compartir com todos vocês desde hoje.

Abraços e até a próxima!

 

Related posts

Conhecendo Santiago a pé e de graça!

Isabela Vargas

Posso aprender espanhol no Chile?

Gislaine Morais

No Chile se fala chileno

Kátia Ribeiro

50 comentários

Cristiane Leme Novembro 14, 2013 at 12:58 pm

Adorei seu texto! Desmistifica muita coisa sobre o Chile, e também aponta coisas que o Brasil tem de bom e que muitos brasileiros desvalorizam. Já estou ansiosa pra ler o próximo! Bem-vinda ao time!

Resposta
Georgina Novembro 14, 2013 at 5:35 pm

Obrigada, Cristiane, em breve virao mais posts… Mas Chile tem muita coisa boa também! O que pega é o primeiro impacto e adaptaçao! 😉

Resposta
Ana Cristina Kolb Novembro 14, 2013 at 1:21 pm

Seja bem vinda Georgina, adorei seu texto, e ja me alegro de escutar muitas outras estórias das suas experiências no Chile. Não sabia que o Chile era considerado a “SUIçA latino-americana”, porque? devido ao clima alpino do sul do pais?rsrsrsrsr Ja me alegro de seguir suas experiências culturais, eu estive uma vez em Santiago, ha 26 anos atras, e somente por poucos dias, ainda tinha um evento politico acontecendo nas ruas e éramos interditados a ficar no hotel pra nossa própria segurança, de forma que não posso dizer que conheço o Chile, tive também um lover chileno, era mestiço, mae brasileira e pai chileno, era LINDO e adorava passar meses acampando no Chile. Era um doce, loiro, com uns cabelos lisos longos até a cintura, e ótimo tecnicamente falando, era meu amor hippie, embora um hippie rico e por opção por sinal, pra espanto de todos, pois eu era a super mulher de negócios! rsrsrsrrsr Veja so o que o Chile me lembra! rsrsrsrsr Namasté querida e seja bem vinda ao BPM!!!!!

Resposta
Georgina Novembro 14, 2013 at 3:09 pm

Obrigada pelas boas vindas!! A tal suiça latino-americana é pelo clima do sul do país e pela estabilidade econômica que há por aqui (quando comparada aos demais países da América do Sul, claro). Bom saber que o Chile te traz boas lembranças. Vou falar de coisas boas por aqui também, claro!!!

Resposta
debora mateus Novembro 14, 2013 at 2:37 pm

AMEI TUA HISTORIA…é UM MOTIVO A MAIS PRA TER ORGULHO DE SER BRASILEIRA,E EU QUE PENSEI QUE FOSSE PESSOAS GENTIL COMO NòS!!!! E ASSIM MESMO AQUI NA ITALIA AS COISAS NAO SAO DIFERENTE…FELICIDADES E PARABéNS…:D

Resposta
Clarice Novembro 14, 2013 at 6:03 pm

Você tirou as palavras da minha boca, Georgina! Parece que eu estava lendo as minhas experiências aqui. Moro no Chile há 3 anos e 9 meses e ainda me sinto “fora da casinha”. Santiago é uma cidade muito evoluída em muitos aspectos, mas falta calor humano, preocupação sincera, socioabilidade. Espero que ainda possa ver um chile mais humano, menos capitalista. Observação: Também me apaixonei por um chileno, e meu marido é maravilhoso!!! Então não posso colocar todos os chilenos no mesmo saco. Com certeza existem pessoas maravilhosas.
Muito êxito em todos os âmbitos de sua vida!!!
Abraços!

Parabéns

Resposta
Chris Novembro 15, 2013 at 3:28 pm

Oi Georgina!
Eu morei em Santiago até dezembro do ano passado. Sendo muito sincera: não gostei. Muito pela mentalidade do povo. Infelizmente o chileno carrega uma “amargura” difícil de explicar e isso se reflete no atendimento, como vc explicou muito bem. Um país tão bacana, com tantas paisagens lindamente diversas, uma economia que decola… não entendo como pode ter um povo assim. O que mais me chocou foi a segregação social que há. Onde você estudou, qual o seu sobrenome e em que bairro você mora definem e muito a maneira como as pessoas te tratam. No prédio onde morei em Las Condes, os chilenos simplesmente não cumprimentavam (muito menos batiam papo) com o pessoal da portaria e limpeza. Quando nos mudamos de lá, os porteiros e as meninas da faxina nos abraçaram e disseram: “que pena, as pessoas boas sempre vão embora daqui”. Fiquei bastante chocada com isso.
Mas olha, tenho que te falar, acho que esse perfil é do “Santiaguiano”. Viajei para o Norte e conheci algumas pessoas do Sul. São pessoas completamente diferentes, mais amáveis e mais gentis. Eu imagino que tenha alguma razão histórica e cultural no comportamento do Santiaguiano. Assim, espero.
bjão

Resposta
Joy Matta Abril 28, 2014 at 2:41 pm

Sim, sim…. a mentalidade do chileno santiaguino é uma das grandes críticas que vejo dos brasileiros que moram no no Chile. A maior razao da segregaçao nao é tanto social, e sim, política. A ditadura de Pinochet deixou marcas bem profundas na comunidade chilena. A desconfiança vem desse período terrível quando nao se sabia em quem confiar porque qualquer denúncia de possível participaçao em grupos esquerdistas eram levadas a sério…. Os de direita geralmente (mas nao exclusivamente) sao parte da elite chilena, que costuma ser ainda mais segregadora…. Uma pena, mas eu já superei a etapa onde esse tipo de coisa me chocava ao ponto de me fazer entristecer. Eles sao felizes levando o estilo de vida que levam, porque eu deveria ficar triste por isso? Basta manter minha essência e nao tentar mudar ninguém. Assim eles também pararam de tentar me mudar. 😉

Resposta
Alice Novembro 15, 2013 at 3:31 pm

Faço suas as minhas palavras!!!
Isso e muito mais. Nao me acostumei com os empurroes pra entrar na sua frente em qq lugar.
Mesmo estando de pe quebrado e com um bb de colo.

Resposta
Marchhhh Novembro 17, 2013 at 3:26 am

Gostei muito do seu texto , parabéns !!!

Resposta
Denise Novembro 17, 2013 at 8:32 am

Seja bem vinda Georgina, ótimo texto!

Eu tenho um amigo chileno a quem estou sempre prometendo ir visitar, mas nunca tive oportunidade! Muito interessante ler sobre as suas impressões de Santiago, estou ansiosa para ler mais! Abracos!

Resposta
Viviana Aguiar Novembro 17, 2013 at 3:17 pm

Adorei o seu texto! Estarei sempre por aqui! Quero muito viver um tempo no Chile e saber sobre o real dia a dia desse país é muito importante para nós brasileiros que de cara aparentamos ser mais alegres e flexíveis! rs Beijosss

Resposta
Joy Matta Abril 28, 2014 at 2:43 pm

Olha, vou te confessar que a adaptaçao, especialmente pras mulheres, nao é nada fácil. Mas pra mim, hoje em dia, valeu a pena e, mesmo nao concordando com muita coisa da postura do chileno (principalmente os de Santiago) isso nao muda o fato de que este é um bom país pra se morar. Tem coisas que a gente nunca vai gostar, mas precisa aprender a tolerar pra viver em paz. Em qualquer lugar do mundo 🙂

Resposta
Especial Natal – Chile Dezembro 19, 2013 at 6:36 pm

[…] Leia mais sobre o Chile! […]

Resposta
Ana Paula Dezembro 26, 2013 at 11:27 am

Conheci um chileno pela internet em Abril… ele veio para o Brasil me conhecer e em Outubro fui para o Chile passar minhas férias lá e posso dizer que foi um lugar que me agradou bastante e se tudo der certo no final de 2014 estarei me mudando para lá…

Resposta
Andrea R. Fevereiro 3, 2014 at 5:55 pm

Olá Ana Paula!!!
Também tenho uma vontade enorme de sair do Brasil… Meus pais estão idosos mas tem uma pequena empresa que já pensaram em fechar diversas vezes por conta da nossa “burrocracia”, impostos… Mas já viram que não vai dar para ficar sem trabalhar e viver de “renda” aqui!!!
Eu já falei que eles poderiam ir para um país melhor, e os da America latina ao menos seria mais fácil de aprender o idioma nesta idade.
Pensei em Santiago, mas como é o custo de vida ai? E a saúde para os idosos?
Para abrir um comercio o uma fabriqueta? Conhece alguém que o tenha feito? Tem alguma carência em algum ai?
Adorei o Post. Muito sucesso e beijocas!

Resposta
Ede Márcia Março 27, 2014 at 12:17 am

Prezada, tenho vivido situação semelhante a sua, gostaria de conversar inbox para troca de experiencias e conhecimento. Meu email [email protected], meu face Ede Márcia Chaves Souza

Resposta
Joy Matta Abril 28, 2014 at 2:49 pm

Meninas, o Chile é ótimo. Meu primeiro conselho sempre é vir passar um tempo aqui antes de se decidir totalmente a morar. E se decidir vir com a cara e a coragem, façam um curso de espanhol. Nada de depender dos outros para ser compreendida porque isso pode ser muito estressante inclusive pra relaçao. Saúde é como no Brasil e pior, na pública o atendimento vai depender do bairro onde se mora (e, como estrangeiro nem sempre é grátis) e para marcar consulta com especialistas ou cirurgias a espera é longa. Aqui o plano de saúde é a isapre e nao existe cobertura de 100%, ou seja, vc paga o plano e ainda assim tem que pagar uma parte do valor da consulta…. Mas vamos comentar isso em outros posts. Aconselho sempre a entrar em comunidades de brasileiros que morem no Chile porque o pessoal costuma ser bem solícito pra tirar dúvidas mais imediatas! Boa sorte, meninas!

Resposta
Ricardo Lopes Janeiro 20, 2014 at 2:32 pm

Bom dia, obrigado pela narrativa, vai ser um choque e por isso tenho lido diversos relatos.
Se cuida e, obrigado novamente!

Resposta
Chile – Sociedade Fevereiro 11, 2014 at 11:09 am

[…] Leia mais sobre o Chile! […]

Resposta
Leticia Marsola Fevereiro 12, 2014 at 6:53 pm

Você escreveu tudo o que eu penso sobre morar aqui. Vivo em Santiago há 8 anos e meio tenho muitas alegrias e tristezas. Aconteceu comigo exatamente como vc, mas eu me separei do chileno (graças a Deus), tudo era uma amargura, tudo era difícil, tudo é impossível, nada tem solução, tudo é branco ou preto. É uma violência calada, sem demonstração de sentimento, uma hipocrisia. Mas é como vc disse… Aqui eu também encontrei minha independência e sim, Santiago é um lugar excelente pra viver. Parabéns pelo seu texto!

Resposta
Joy Matta Abril 28, 2014 at 2:52 pm

Obrigada, Leticia. E nao desista. Ainda tem muito chileno “diferente” por aqui, que sao mais mente aberta. E sempre tem brasileiros morando por aqui que sao bem agradáveis. 😉

Resposta
Acássio Vilas Boas Maio 12, 2014 at 1:46 am

Olá,
Também gostei do seu post e terminado este comentário vou procurar por mais posts teus.
Nesta tarde me veio um relampeio de ideias e elas estão ligadas a ir morar na capital do Chile. Em julho de 2013 iniciei uma viagem de carro que saia de Barra do Garças no estado de Mato Grosso passando pela Bolívia, Peru, Chile, Argentina e de volta ao Brasil, infelizmente nosso carro teve problemas mecânicos e não passamos de La Paz – Bolívia, mas já foi muito proveitosa apesar de curta. Nosso roteiro íamos ficar poucos dias em cada cidade e em San Tiago ficaríamos 4 dias nossa maior estadia da viagem, para aproveitar tudo que a cidade tem para apresentar, em fim, hoje vou iniciar um estudo para viabilizar minha próxima morada na cidade de San Tiago no Chile, eu, minha esposa, meu filho de 8 anos e minha filha de 3 anos.

Resposta
Joy Matta Maio 12, 2014 at 5:18 pm

Oi, Acássio! Que bom que vc gostou do post! Santiago é lindo de se visitar. Pra morar costuma custar um pouquinho mais pra passar o efeito de choque da diferença de clima e cultural, mas quem se habitua, recomenda. Fique de olho aqui no Blog que sempre tem novidades 🙂

Resposta
[email protected] Junho 29, 2014 at 2:49 pm

Adorei seu post, dicas muito legais, valeu.

Resposta
Raiane Rezende Julho 28, 2014 at 12:19 am

Olá! Eu amei o texto, tenho 17 anos e penso e morar aí depois da faculdade de Direito. Você teria algumas dicas para me dar?

Resposta
Joy Matta Julho 28, 2014 at 1:34 am

Raiana, que bom que vc gostou do texto. Se você pensa morar aqui depois da faculdade, já te aviso de antemão que nao há forma rápida para validar seu diploma aqui. As leis sao diferentes de um país para outro e a maioria dos advogados que vem para cá terminam em consultoria ou em outras profissões nao relacionadas ao Direito. Não saberia te dizer exatamente qual é o caminho a seguir para que seus estudos tenham completa validade aqui, mas há no facebook várias comunidades que apóiam os brasileiros que moram no Chile. Uma das mais requisitadas, sendo inclusive indicada pelo consulado brasileiro em Santiago é a Brasileiros no Chile “migrakut https://www.facebook.com/groups/brasileirosnochile/. Ali tem pessoas das mais diversas profissões. Eu aconselharia você a perguntar à alguém que tenha estudado Direito para ter certeza de que valha a pena mesmo. E se decidir vir, será muito bem-vinda.

Resposta
Nidongo silva Agosto 26, 2014 at 11:37 pm

Ja fui ao chile como turista , mas ainda não percebi tanta hospitalidade dos brasileiros , ja viajei a varios estados do Brasil e vivo indo ao Rj e normalmente sou tratado com muita falta de respeito e ignorância seja em periferia ou nas areas nobres da cidade . Talvez os Brasileiros confundam simpatia com intimidade , basta você dizer um oi a um vizinho que o mesmo quer já entrar na sua casa contando sua vida e querendo saber da sua . Respeito vindo de um motorista de onibus ? So falta este arrancar com os velhinhos na porta , atendimento de telemarketing ? Outro drama da falta de respeito … em fim nunca pense que vai mudar o local que está invadindo pois você é a intrusa ou se adapta sem reclamar ou sofre as consequências da escolha e tenha certeza de que se escolheu é porque o que tinha antes não era satisfatório. O Brasil é perfeito para quem gosta de ser brasileiro , por isso eu hoje vivo na argentina e não reclamo nem me arrependo disso apenas o fato de ter esperado tanto tempo para trocar .

Resposta
Joy Matta Agosto 27, 2014 at 3:36 pm

Nidongo, obrigada por dar-se um tempo de comentar em meu texto!
A hospitalidade a que me refiro neste texto é em atendimento ao cliente. Há seres humanos de todos os tipos em todas as nacionalidades, isso eu tenho bem claro. Quanto à forma de ser no dia a dia, com amigos e conhecidos, é matéria para outro texto, mas sim, temos uma certa fama de ser ·”invasivos” demais. E atendimento de telemarketing acho que não é parâmetro de comparação porque aqui no Chile a coisa vai de mal a pior nesse quesito e acho que acontece isso no mundo todo, infelizmente.
Acho que o ponto de vista sobre morar no exterior é extremamente pessoal, cada um sai do seu país de origem por diferentes motivos e resolve ficar fora por outros que não são necessariamente os mesmos. E a bagagem anterior influencia muito na adaptação. Excelente que você tenha encontrado seu caminho!
E espero que volte mais vezes ao Chile. É um excelente país para se conhecer.

Resposta
Karen Silva Setembro 4, 2014 at 12:11 am

Gente, muito boas informações eu usufruí de vocês neste Blog. Mas eu também gostaria de saber quanto aos remédios controlados pois eu tenho uma doença crônica e tomo um remédio há 20 anos. Seria possível continuar o diagnóstico sem burocracia? Alguém tem uma noção de como legalizar isso? É que ano que vem vou fazer uma escolha entre o Chile e o Uruguai…
Obrigado por tudo e um abraço a todos que dialogaram acima!

Resposta
Joy Matta Setembro 11, 2014 at 4:55 pm

Karen, obrigada por comentar aqui no Blog!!
Não sei se funciona assim com todas as doenças crônicas, mas eu tenho hipotiroidismo e quando me afiliei à um plano de saúde tive que passar novamente com o endocrino e fazer todos os exames pra ele continuar a me dar a receita do remédio. Claro que neste caso o medicamento não é controlado, pelo que eu poderia comprar mesmo sem a receita…. E o que me explicaram é que em caso de alguma complicação dessa mesma doença (como um tumor na tireóide, por exemplo) meu caso seria estudado e analisado antes de ser pago (ou rejeitado) pelo plano…. Se eu fico somente no sistema de saúde do governo, eles cobrem qualquer complicação…

Resposta
Aloísio Setembro 12, 2014 at 7:36 pm

Olá achei seu blog muito interessante, eu e minha esposa estivemos no Chile, mais exatamente em Valparaiso e Vina delmar. Ficamos apaixonados pela beleza, pelo povo ( pelo menos enquanto turistas fomos muitíssimo bem tratados ) eretornareiem novembro para uma convenção. É claroquesempre desperta uma curiosidade, vc sabe como é o trâmite para profissional da aérea de odontologia no Chile?? Uma pessoa aposentada consegue documentação de permanência definitiva ?
Boa sorte a vc e sua família.

Resposta
Joy Matta Setembro 12, 2014 at 8:29 pm

Olá, Aloísio, Obrigada pelos elogios, só retifico que sou somente uma das colaboradoras do Blog!! Eu sei que pra odontologia tem que legalizar como todo diploma estrangeiro (Certificado➡reconhecimento de firma➡Itamaraty (ministério de relações exteriores no Brasil)➡Consulado do Chile no Brasil➡Relações exteriores no Chile ➡Mineduc,) e depois ainda devem fazer provas específicas, mas desconheço o processo exato. Sei que há uns 3 ou 4 profissionais da área de odontologia exercendo aqui e é uma profissão que ganha um salário que permite viver com bastante conforto. Quanto ao aposentado, teria que dar uma pesquisada, porque sei que em algum momento me comentaram que era possível (apesar de ser burocrático) mas não sei como é o processo, para isso, a melhor alternativa é ver diretamente o site da EXTRANJERIA: http://www.extranjeria.gob.cl Espero ter ajudado. Abraços!!

Resposta
vandré Setembro 14, 2014 at 12:08 am

muito legal!!! mas confesso que depois desse texto e que vc fala dos chilenos me desmotivei para fazer meu intercâmbio la… hahah tomara que passe logo essa sensação! muito obrigado pelas dicas! 😉

Resposta
Joy Matta Setembro 15, 2014 at 3:59 pm

Vandré!! Aconselho que você leia outros posts que eu tenho aqui no blog sobre o Chile. Essas foram somente minhas primeiras impressões. Claro que nem tudo é tão terrível, caso contrário, já não estaria aqui 😉 E quando se vem com um prazo definido, a gente parece vir com o coração mais preparado pra novidades, afinal, aconteça o que acontecer, temos a volta pra casa, já quando você não sabe se nem quando volta, passa a observar cada detalhe e comparar muito (o que eu hoje considero um erro inevitável que a gente comete na adaptação). Um abraço!

Resposta
Luciana Veronezi Setembro 26, 2014 at 4:27 pm

Adoreiii seu texto! na verdade me indentifiquei!! Sou de Curitiba e quando vim pra Valdivia, também por amor hahahaha me senti extamente assim em relaçao a tudo! vou seguir lendo seus posts!!

Resposta
Joy Matta Setembro 27, 2014 at 2:36 pm

Luciana, obrigada pelos seus comentários!! Fico feliz de que você esteja curtindo os textos. Um abraço!!

Resposta
Claudinha Outubro 27, 2014 at 4:20 pm

Eu espero que o Chile com todos os seus defeitos nunca deixe de ser “capitalista”- vejam o que está acontecendo na Venezuela e agora o futuro trágico do Brasil que se aproxima.

Resposta
Joy Matta Outubro 27, 2014 at 5:44 pm

Olá Claudinha, obrigada por deixar seu comentário no Blog. Não esqueça que Michelle Bachelet já governou o país e está em seu segundo mandato. A única diferença é que ela nao foi reeeleita porque aqui nao tem reeleição, no entanto, ela é de centro esquerda. Aliás, com exceção do governo anterior de Sebastián Piñera, o governantes chilenos têm sido de tendências esquerdistas desde o fim da ditadura de Augusto Pinochet.

Resposta
Chile – Ame-o ou Deixe-o… Será? Abril 11, 2015 at 5:50 pm

[…] longo, dolorido e cheio de maus momentos, mesmo tendo família chilena (aliás, meu primeiro texto aqui no BPM fala um pouco sobre isso). Mas é possível chegar à um equilíbrio no qual você mantém a […]

Resposta
Cris Barbosa Julho 31, 2015 at 2:16 am

Olá Joy,parabéns pelos textos e obrigada pelas dicas e informações do Chile.Eu conheci um Chileno em 2011 e até hoje namoramos a distância e planejo morar no Chile em dezembro de 2015 e seus posts estão maravilhosos,no aguardo dos próximos!

Resposta
Joy Matta Julho 31, 2015 at 5:03 pm

Cris, que bom que vc está gostando. Espero que realmente te ajude no processo de adaptação! Abraços.

Resposta
Ana Dezembro 5, 2015 at 8:40 pm

Ameeeeiii!! Eu sou do Rio de Janeiro, e conheci um Chileno aqui, um viajante!! Ele está de passagem, logo irá voltar para Santiago, ele é lindooo, cabelo preto até o ombro, olhos claros, sorriso sedutor, músico! Um homem apaixonante.. Estou aproveitando cada segundo do lado dele.. E estou apaixonada, quem dera eu, tivesse a sorte de me juntar a ele e viver em Santiago.. Adorei sua história, será que irá acontecer comigo também ? Rsrsrs bjsss

Resposta
Joy Matta Dezembro 7, 2015 at 1:09 am

Oi, Ana!! Espero que dê tudo certo. Dê qualquer forma, dê uma olhada nos demais posts sobre o Chile pra ter uma ideia sobre a vida por aqui. Abraços

Resposta
Mykon Menezes Julho 22, 2016 at 2:40 pm

Obrigado por compartilhar sua experiência 🙂 Estou de mudança para o Chile neste ano (2016) e me casarei com uma Chilena *–* 🙂 E sei que não vai ser fácil esse processo. Espero ter a paciência necessária para me adaptar e estar nesta busca pela estabilidade emocional. Sobre Brachilenos! É nóis! Seguirei lendo seus textos por aqui 😉

Resposta
Rosemeyre Novembro 29, 2016 at 11:38 pm

Amei os comentários. Gostaria de pedir contato com brasileiros que estão morando em Valdivia. Moro em Brasília e pretendo mudar pra Valdivia. Grata

Resposta
Flavia Fevereiro 4, 2017 at 8:55 pm

Ola pessoal amei os comentarios namoro um Chileno a 2 anos,esse ano começo Mexer com papeis com permanecia definitiva, em la serena mulheres sao bem distintas,elas me reparavam muito kkk nao sei se sabiam que eu era brasileira,mas meu chileno e um amor educado,cavalheiro nao tenho oque reclamar estamos muito felizes

Resposta
Flavia Fevereiro 4, 2017 at 8:56 pm

Ola pessoal amei os comentarios namoro um Chileno a 2 anos,esse ano começo Mexer com papeis com permanecia definitiva, em la serena mulheres sao bem distintas,elas me reparavam muito kkk nao sei se sabiam que eu era brasileira,mas meu chileno e um amor educado,cavalheiro nao tenho oque reclamar estamos muito felizes

Resposta
Tainá Setembro 18, 2017 at 11:08 pm

Legal o texto. Estou morando em Valparaíso por causa de um estágio de doutorado e digo que nunca amei tanto o Brasil. Não vejo a hora de voltar! Quando cheguei, achei os chilenos simpáticos. Mas depois fui vendo como é um povo distante, fechado, sem cultura moderna… Enfim, não voltarei mais, a não ser que seja para turismo (aí sim, vale a pena!).

Resposta
[email protected] Dezembro 12, 2017 at 9:29 pm

Vdd valparaiso povo antipatico e cidade e suja demais gente dizem que o custo de vida aqui e barato barato de vc ganha quinhentos mil por mes ou seja 2 mil reais

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação