BrasileirasPeloMundo.com
Culinária Pelo MundoEgito

Dez comidas típicas egípcias

O Egito é um país árabe e, por isso, muitas vezes presumimos que as refeições são compostas de kibe, esfiha, hommus e tabule, que são uma delícia, mas não oferecem o verdadeiro DNA da gastronomia da terra dos faraós.  O Egito tem receitas singulares, bem mais difundidas e apreciadas nas refeições do dia a dia, enquanto as citadas anteriormente possuem identidade de países como Líbano e Síria, mas quais são as comidas típicas egípcias?

Muito da gastronomia vem dos tempos faraônicos, o que a faz ter um toque especial. Então, se for visitar o país, nada de chegar com clichês. Que tal experimentar as verdadeiras “pratas da casa”? Aqui vão algumas dicas de pratos para uma autêntica experiência culinária egípcia:

1 – Marshi

Toda casa egípcia que você visita tem uma “mama” sentada preparando Marshi. Em minha opinião, é a receita que figura a mesa do almoço mais vezes na semana. É o que conhecemos como charuto, e existe em diversas versões. Na folha de uva, na berinjela, na abobrinha, na folha de repolho, no tomate e no pimentão. Na maioria das vezes o recheio é feito só de arroz, algumas vezes acrescenta-se carne moída. Tudo cozido com bastante molho de tomate e condimentos.

2 – Molokheya (pronuncia: molorréia)

É uma sopa preparada a partir da folha triturada de juta, cozida no caldo de alguma carne. Um caldo verde espesso e um pouco pegajoso, é servido sempre acompanhado de arroz e a carne do preparo, mais tradicionalmente frango.

É consumida desde o tempo dos faraós.

3 – Fattah

Uma receita especial de festividades. É servida comumente na Grande Festa, que precede a peregrinação a Mecca, ou quando alguém tem um bebê, como forma de comemoração.

A base da refeição é pão árabe torrado, coberto por arroz branco, algumas vezes com molho de tomate, outras de molho branco feito a partir de vinagre e alho. No topo, a grande estrela do prato, carne cozida.

Leia também: adaptação no Egito

4 – Pombo recheado

Para nós, a mais exótica das refeições; para os egípcios, a mais nobre, e é bem caro. Obviamente, os pombos consumidos são criados em condições de higiene próprias para consumo. Ninguém fica na praça caçando pombo para levar para os restaurantes. É consumida assada e recheada de arroz. Já experimentei, não odiei, mas também não é aquela coisa que me faça pensar “Ai, que vontade de comer um pombo!”.

5 – Foul e falafel

Falafel egípcio - feito de fava
Falafel egípcio – feito de fava. Foto: Pixabay

As estrelas das manhãs, a especialidade dos “food trucks”, que na verdade não passam de carrocinhas de comida mesmo, o café da manhã dos egípcios.

Foul nada mais é do que uma pasta de feijão, incrementada por alho, tomate e limão, servido dentro do pão árabe – muito mais fofinho e saboroso do que o que comemos no Brasil – como café da manhã. O sanduíche desejo de todas as crianças no recreio da escola.

E não menos importante do que ele é o falafel, o bolinho de favas e vegetais fritos, com bastante cominho e pimenta do reino. Servido também em forma de sanduíche.

Para completar o café da manhã, faltam apenas ovos mexidos, queijo, pimentão frito, berinjela frita com bastante alho por cima e tomate. Voilá! Uma refeição deliciosa e que te fará aguentar o tranco de um dia de passeios no Cairo até o almoço, normalmente servido às cinco da tarde.

Leia também: religiões e cultura no Egito 

6 – Koshary

Se me pedissem para indicar um prato só, seria esse. O koshary está para os egípcios assim como a feijoada está para os brasileiros. E ambas as combinações são de torcer o nariz aos ouvidos dos novatos. Mas quando se experimenta, não é que combina?

O Koshary é uma mistura de arroz com lentilhas, acrescido no topo por dois diferentes tipos de macarrão, às vezes grão de bico, e os dois segredos da receita, que conferem sabor, e fazem toda essa mistura conversar entre si: um condimentado molho de tomate e cebolas fritas.

Não é uma mistura nada convidativa, mas dê uma chance de se surpreender. O koshary se popularizou no país por ser uma receita barata, saborosa e que sustenta, um trunfo para as famílias mais pobres.

Leia também: custo de vida no Egito

7 – Renga

Como contei em meu blog, esse peixe não pode faltar na refeição da páscoa. A preparação não tem segredo, mas faz uma baguncinha e deixa o aroma por vários dias em sua casa. Compra-se o peixe inteiro salgado e, na hora de servir, coloca-o em contato direto com a chama do fogo. E está pronto! Come-se acompanhado de muita salada (principalmente cebolinha) e tahine.

8 – Fetir Meshaltet

Essa é uma torta de massa folhada, super versátil. Pode-se comer doce (com mel ou chocolate), ou salgada (recheada de carne, queijo ou o que desejar). Esta receita vem desde o tempo dos faraós, quando era usada como oferenda aos deuses nos templos. Fico imaginando Osíris “lambendo os beiços”.

9 – Kebab

Não é uma exclusividade egípcia, pois o kebab pode ser encontrado em diversos países do oriente médio como a principal forma de preparação de carne grelhada. Mas vale experimentar a versão egípcia.

Como não possuem carnes tão macias e saborosas como as da América do Sul, preparam com diversos condimentos que conferem sabor a carne, e é mais comumente encontrado em carne de cordeiro, pela ampla oferta da mesma e preços mais acessíveis.

10 – Bouri Mashui Singari (Peixe à moda de Alexandria)

O Egito é um país mediterrâneo, toda sua costa norte termina nele. A oferta de peixes e frutos do mar é ampla, o que proporciona a cidades, como Alexandria, uma deliciosa gastronomia. Cheia de sabores, cores e o frescor característico da culinária mediterrânea.

Esse peixe preparado no forno é uma das minhas comidas favoritas no Egito e no meu blog ensino a prepará-lo. Come-se com arroz (com cebolas ou molho de tomate), tahine e salada.

No geral, a comida egípcia é condimentada e pesada. Usam manteiga Ghee na cocção, mas às vezes exageram, pois segundo a tradição local, quanto mais abastada é a família, mais manteiga se usa na comida, pois a consideram um ingrediente caro.  A comida sempre vem brilhante!

Related posts

O que os alemães comem no inverno

Sarah Oliveira

Natal em janeiro no Egito

Michelle Bastos

Adaptação no Egito

Michelle Bastos

1 comentário

Antinesca Luiza Gonzaga January 11, 2018 at 6:50 pm

Amei suas dicas. Provavelmente em novembro irei ao Egito para me casar e tenho algumas dúvidas, mesmo o Hassan me ajudando muito. Tenho dúvidas em duas coisas, posso levar roupas e sapatos de presente nas malas de viagem? Quando colocam hotel familiar, querem dizer que não podemos ficar hospedados sendo somente noivos?
Um grande beijo e agradeço por tudo.

Resposta

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação