Como abrir uma empresa na Espanha

0
201
Lavanderia El Lavante - Arquivo pessoal
Advertisement

Como abrir uma empresa na Espanha.

Neste texto, vou contar um pouco sobre a minha experiência para abrir uma empresa na Espanha. Espero poder servir de inspiração e que alguma dica prática seja útil para quem estiver pensando em abrir uma empresa por aqui ou apenas tiver curiosidade sobre o assunto.

Quando programamos nossa vinda para cá eu não tinha nada em mente sobre trabalho ou atividade, pensava em sentir a cidade para somente depois pensar em algo e foi justamente o que aconteceu.

Na Espanha é comum você alugar apartamentos já mobiliados e quase todos sempre têm uma lavadora de roupa pequena para roupas do dia a dia, que eles chamam de colada, na cozinha. Isso mesmo, é costume a máquina ficar na cozinha, quase sempre próxima à pia. Como a nossa máquina era pequena, logo no primeiro mês senti falta de uma máquina maior para lavar coisas grandes, especificamente queria lavar um edredom.

Íamos então até a cidade vizinha, que fica a 10 minutos de carro daqui pela autoestrada, para poder lavar as roupas maiores. Na minha segunda ida a essa lavanderia autosserviço, enquanto a roupa girava na máquina tive a ideia de abrir uma em nossa nova cidade, já que não tinha nenhuma.

Desse momento em diante fizemos, eu e meu marido, muitas pesquisas em várias fontes diferentes para saber se o negócio seria viável, pesquisamos muitos planos de negócios dessas empresas de franquia e redes de lavanderias que calculam inclusive o número de habitantes, o tipo de cidade, se é de praia, montanha, grande cidade ou cidade turística para checar se há ou não viabilidade e mercado.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar na Espanha 

Optei por abrir a lavanderia independente de franquias ou redes, e foi o que possibilitou e tornou a abertura muito mais econômica já que as franquias te entregam tudo pronto mas cobram por isso, claro!

Sendo uma lavanderia independente, foi muito trabalhosa a abertura desde o zero. Foram meses de trabalho bastante intenso, desde a montagem do espaço físico, preparação elétrica, hidráulica até a procura das máquinas.

Ir pessoalmente vê-las já requeria bastante, pois compramos duas máquinas em Madrid e duas na Cantábria, ou seja, atravessávamos o país para ver as máquinas dos anúncios pessoalmente mas a economia valeu muitíssimo a pena.

Sobre a parte burocrática foi bastante tranquilo. Acredito que essa parte é bem mais rápida e simples do que no Brasil, a média da estatística daqui são de treze dias para os trâmites de abertura, mas os espanhóis consideram esse tempo demorado se comparado aos outros países da Europa.

Claro que também deve-se levar em conta o tamanho e a atividade da empresa. No meu caso, foi bastante fácil pois para a atividade eu pude me inscrever como autônoma, que é uma das modalidades mais simples já que a empresa não possui nem funcionários.

Os requisitos básicos para a abertura de uma empresa na Espanha são:

  • Ter um número de documento fiscal – para espanhóis o DNI e para estrangeiros o NIE (Numero de identificación para estranjero);
  • Ter a residência na Espanha;
  • Não possuir nenhum tipo de antecedentes que impeçam exercer a atividade.

A partir desses requisitos mínimos, dependendo da atividade, as exigências e necessidades vão variando e existem muitas empresas que fazem a assessoria personalizada dessa parte burocrática.

Leia também: Previdência Social na Espanha

Li algumas recomendações na internet dando como dica principal, antes de buscar essas assessorias, ir pessoalmente até a Câmara de Comércio mais próxima da sua região para ter informações diretamente do órgão responsável, pois algumas dessas empresas podem complicar propositalmente a abertura e chegar a cobrar valores bem altos. Não sei se essa informação é real mas, como vi coisas a esse respeito em mais de um lugar, resolvi não arriscar.

Fui diretamente até a Câmara e por 10 euros, praticamente um valor simbólico, tive uma assessoria completa e bate-papo de duas horas onde tiraram todas minhas dúvidas.

Esse órgão tem um setor próprio para aberturas de empresa, você telefona, explica rapidamente o seu caso e já faz o agendamento. Informaram-me e explicaram tudo o que eu precisava e os requisitos para a abertura, inclusive avisaram que no meu caso eu precisaria já estar com o local alugado, para que no segundo retorno com os papéis necessários de autônoma já pudesse abrir a empresa.

Foi super rápido, nessa segunda visita eles abriram a empresa na hora e então pude começar as adaptações e o projeto com um engenheiro certificado para a atividade, o que levou alguns dias.

Com o projeto pronto, fui até o Ayuntamiento (prefeitura) e assim pudemos abrir as portas no mesmo dia. O certificado que seria equivalente ao alvará de funcionamento no Brasil chegou depois de 30 ou 40 dias que já estávamos funcionando, pois você pode abrir enquanto esse certificado esteja em trâmite.

O atendimento na Câmara em que estive foi excelente, não sei como funciona em outras localidades com mais procura como cidades grandes. Deixo aqui o link do órgão oficial que tem bastante informações: Cámara de Comercio de España.

Toda a minha papelada foi feita como cidadã comunitária da união europeia, já que toda a minha documentação daqui é de cidadã holandesa. Mas pelo o que pesquisei na época, não haveria muitas diferenças se eu abrisse como brasileira, o essencial seria ter o NIE e a residência, além, é claro, das exigências específicas para cada tipo de atividade.

Feliz na abertura das portas! – Arquivo pessoal

Sobre a rotina da lavanderia, posso dizer que tem muito trabalho de bastidores, abrimos todos os dias das 8 até às 22 horas. Uma vez por semana ficamos até a meia-noite para fazer a manutenção de rotina com ela fechada.

Bom, você deve estar pensando: Coitada, de domingo a domingo sem folga! Risos.

Mas calma, a parte boa vem em seguida, moramos a um quarteirão da lavanderia e como ela é toda automatizada e com câmeras de acompanhamento remoto, não preciso estar fisicamente o tempo todo lá, com isso faço a sesta na praia por uma hora ou mais todos os dias e ainda programando tenho tempo livre para todas as outras coisas, como longas caminhadas, por exemplo.

Em média, tenho que ir de 5 vezes durante o dia no inverno a até 10 vezes no verão, para resolver coisas rápidas, organizar e eventualmente atender pessoas com alguma dúvida pontual. Morar no mesmo quarteirão nesse quesito foi essencial, para quem pensa em abrir esse tipo de negócio recomendo fortemente morar bem próximo.

Ter um negócio com máquinas e equipamentos de valor sem a necessidade da presença de uma pessoa para vigilar, eu acredito só ser possível graças ao nível de segurança do país. Claro que temos contratada uma empresa de vigilância online 24 horas, com um valor muito acessível, diga-se de passagem. Além disso, estou sempre online e fisicamente por perto, mas não me imagino tendo uma empresa nesse formato de funcionamento no Brasil.

Esse foi um resumo da minha experiência de abertura e um pouco da rotina nesse um ano e dois meses de empresa. Acho que para um início as coisas vão indo bem. Espero sinceramente poder ajudar compartilhando a minha história com vocês!

Un besote y nos vemos muy pronto, brasileiras pelo mundo!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.