BrasileirasPeloMundo.com
Dicas para aprender idiomas Ilha de Man

Como aprender inglês na Ilha de Man

Como aprender inglês na Ilha de Man.

Para ser bem honesta a Ilha de Man não é o melhor lugar para aprender inglês, mas vou deixar algumas dicas sobre o aprendizado da língua na ilha. Senti bastante dificuldade no início para localizar cursos de inglês aqui e depois descobri o porquê. No país inteiro não existem escolas de inglês com metodologias e horários variados. Formalmente o inglês ensinado para estrangeiros ocorre somente na Universidade (University College Isle of Man).

Quando cheguei na ilha era final de abril e o curso da Universidade já havia iniciado, então só poderia começar meus estudos na turma seguinte marcada  para outubro. Por conta disso, senti que perdi muito tempo e fui buscando outras opções como trabalho voluntário e aulas particulares.

Estar em um país com língua inglesa não é garantia que você vá dominar o inglês, você pode ficar anos em um lugar, acomodar-se e só aprender o básico, mas eu não queria e não quero isso para mim, porque gosto muito de vivenciar e conhecer a cultura local e para isso é necessária uma boa comunicação.

Recentemente recebi uma mensagem por meio do meu blog pessoal (Mundo Pequeno)  de uma brasileira que perguntou sobre lugares para aprender inglês, pois ela havia morado na ilha uns meses atrás  e sentiu muita dificuldade por não falar a língua, então percebi que valeria a pena escrever sobre isso, sei que são poucos os brasileiros que vem morar na ilha, mas acho que posso deixar essa dica para quem precisar, afinal também passei por isso.

Como citei, fiz um trabalho voluntário por um período, e esse tipo de atividade é excelente por ocupar parte do seu tempo, trazer a possibilidade de fazer amizades, ajudar o outro e a si mesmo e ainda a praticar inglês, ou seja, há muitos pontos positivos.

Para buscar um trabalho voluntário no país é necessário marcar um horário na instituição chamada CIRCA que fica em Douglas. O agendamento pode ser feito por telefone, e-mail ou pessoalmente.  O CIRCA é um serviço que concentra as instituições que precisam de voluntários. Há uma lista enorme com uma variedade imensa de opções que podem ser consultadas previamente no próprio site da instituição para já ter ideia do que possa lhe interessar.

No dia do meu agendamento eu fui até o local e a pessoa que me atendeu me entregou uma ficha para preencher com meus dados. Logo depois ela me perguntou se eu tinha algum interesse em especial, algo que eu gostasse de fazer e informei que gostaria de ser voluntária em alguma instituição com pessoas idosas pois, como psicóloga eu havia trabalhado com esse público.

Leia também: Dicas para aprender inglês em Dublin

Recebi uma lista com várias intuições e escolhi uma. Um tempo depois a coordenadora dessa instituição marcou um café comigo para me conhecer e explicar como seria o trabalho. Após preencher mais alguns documentos com informações pessoais, comecei a frequentar as reuniões e a participar de alguns eventos.

Vale lembrar que em alguns casos de trabalho voluntário e até trabalho remunerado é necessário um documento chamado DBS check, o qual a própria instituição irá solicitá-lo.

O tempo que passei como voluntária pude vivenciar mais sobre a cultura manx e ouvir um pouco de histórias da vida dos idosos, o que foi um desafio para mim por conta do meu nível de inglês. Participei de almoços, experimentei comidas diferentes com eles e estive em diferentes comemorações. O voluntariado literalmente te movimenta e te força a praticar a língua.

Ao final do ano, pude iniciar as aulas de inglês na Universidade. O curso funciona da seguinte forma, é preciso agendar um horário para realizar uma prova de nivelamento. Logo depois te informam seu nível e os dias que acontecem suas aulas. A minha vontade era estudar inglês todos os dias, pois gostaria de avançar mais rapidamente na língua, porém as aulas acontecem apenas uma vez por semana com duração de três horas. Enfim, depois da prova de nivelamento, fiz o pagamento na secretaria e aguardei o início das aulas.

O curso é montado para alunos que não tem o inglês como primeira língua e, são organizados em cinco estágios, do básico ao avançado, abrangendo fala, audição, leitura, escrita e gramática. As turmas são bem diversificadas com pessoas de vários países o que oportuniza uma boa socialização com outras culturas.

Sala de aula da Universidade – fonte: arquivo pessoal

Nessa busca por espaços para aprimorar meu inglês também tive um ótimo encontro com um espaço chamado Cafe Lingo, cuja indicação recebi no CIRCA quando busquei o trabalho voluntário. O Cafe Lingo é um espaço descontraído e amigável para aprender inglês. Todos os envolvidos são voluntários e as aulas são gratuitas. As aulas acontecem aos sábados no salão da Igreja Metodista em Douglas.

O Cafe funciona da seguinte forma, na primeira hora a aula é voltada para iniciantes, depois há um intervalo para chás, biscoitos e bolos e, na segunda hora, para os alunos mais avançados na língua. O local tem várias mesas com os alunos que desenvolvem as atividades e um voluntário que os ajudam praticando a conversação e orientando a realização das atividades.

Quem comanda as aulas é uma adorável professora de inglês aposentada cheia de energia que a cada sábado traz informações úteis e importantes no dia a dia. São abordados temas de como utilizar o 999 (disque emergência), como se inscrever no NHS (sistema de saúde), como buscar emprego, etc. Tudo muito bem explicado, como os formulários oficiais e dicas preciosas.  Aprendi muito sobre os serviços e funcionamento do país nessas aulas de inglês e para completar fiz minhas melhores amigas nesse espaço. Tenho muito carinho por esse grupo, pois são extremamente acolhedores e a cada data especial é realizado um brunch onde cada um tem a oportunidade de levar uma delícia do seu país, e eu sempre levo brigadeiro, claro!

Uma outra dica para estudar inglês é usar sites online. No ínterim entre minha chegada na ilha e o início das aulas na Universidade eu busquei esse serviço. Usei o Italki. Nesse site você seleciona um professor de acordo com suas necessidades e as aulas são via Skype. Tive ótimas aulas com uma professora do Reino Unido que me deu dicas valiosas. É bem prático e confortável estudar na sua própria casa, também gostei bastante dessa experiência e você ainda escolhe professores com o sotaque da sua região, caso não fale nada de inglês pode optar por professores brasileiros para facilitar esse início.

O half term (recesso escolar) da Universidade e das escolas são bem longos e, por isso, também busquei por aulas particulares presenciais nesse período o que foi uma ótima experiencia, pois as lições são bastante personalizadas.

Continuo estudando inglês, tenho um longo caminho ainda para percorrer, mas fico feliz de compartilhar um pouco desse percurso e das opções existentes na Ilha de Man.

Indico abaixo mais informações e sites dos locais mencionados:

  • Curso de Inglês – ESOL – (English for Speakers of Other Languages)

University College Isle of Man

Homefield Road, Douglas IM2 6RB – Próximo ao Grandstand

Informações sobre os cursos de inglês

 CIRCA

Chester Street Car Park, 2 andar, Douglas – em cima do Shoprite

Formulário para aplicar 

Lista das organizações que solicitam trabalho voluntário 

Cafe Lingo

Promenade Methodist Church, Douglas

Sábados de 10 às 12h

Mais informações

Aulas particulares presenciais

English with Anne

Inglês via Skype

Italki

Related posts

10 motivos para morar na Ilha de Man

Priscila Valverde

A difícil tarefa de aprender alemão

Monique Abbehusen

Primeiras impressões da Ilha de Man

Priscila Valverde

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação