BrasileirasPeloMundo.com
China Entrevistas

Daniella Santana, empreendedora e coach na China

Daniella Santana, empreendedora e coach na China.

Quando a gente ouve alguém falar sobre a vontade de se mudar do Brasil e ir pra algum outro país, o que nos vem de imediato à cabeça? Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, França… Agora, China? Meio inusitado para muitos, principalmente, mulheres, mas para Daniella Santana não foi.

Há bastante tempo, venho querendo realizar essa entrevista com uma de minhas melhores amigas, e que hoje é uma empreendedora de sucesso na China. Com certeza, Daniella Santana é atualmente nome de destaque no mercado de negócios na área de exportação e importação, e também referência na plataforma LinkedIn como palestrante e coach.

Espero que essa entrevista sirva de grande inspiração para muitas brasileiras espalhadas mundo afora. Até porque, não é todo dia que temos uma carioca abrindo seu próprio negócio na China, não é verdade?

BPM – Daniella, conte-nos um pouco sobre a sua trajetória e chegada à China.

Bem, eu cresci na Baixada Fluminense no Rio de Janeiro, e morei lá até os 13 anos, quando me mudei para a cidade para morar com a minha mãe. Naquela época, eu tinha uma paixão enorme por esportes e resolvi estudar Educação Física. Após me graduar na área, voltei a viver com a minha avó na Baixada. No entanto, a falta de opções de emprego nessa área me desmotivou bastante, então decidi que sairia do Brasil para tentar uma nova experiência de vida. Só que não foi tão fácil. Mas após várias tentativas e oportunidades que não deram certo, recebi uma proposta de emprego temporário na China por 4 meses. Chegando na China, já estava certa de que não voltaria mais a viver no Brasil. Cheguei na China em 2005, saí e regressei 2 vezes, e, desde então, há quase 10 anos moro aqui.

BPM – O que lhe motivou a começar uma carreira voltada ao empreendedorismo e mundo dos negócios?

Minha maior motivação foi quando de fato cheguei aqui. Quase todos os meus amigos e pessoas que conheci tinham o seu próprio negócio, ou trabalhavam com trading, ou estavam investindo nessas áreas. Exportavam produtos para o Brasil. Achei isso simplesmente fantástico, além da liberdade que tinham por serem seu próprio chefe. Desde então, trabalhei com vários produtos e serviços, e hoje tenho 2 cursos offline que, em breve, estarão online, sobre como comprar da China e como criar sua personal brand no LinkedIn. Além disso, também dou consultoria para empresas que queiram comprar ou criar seu próprio produto.

BPM – Como você vê hoje o papel da mulher como empreendedora num mundo tão acostumado ao homem empreendedor?

Acredito que nos dias de hoje as mulheres estão buscando cada vez mais o seu espaço a fim de estarem de fato envolvidas no empreendedorismo. Com a falta de trabalho e desemprego crescente, e a falta de oportunidades reais, precisamos criar as nossas próprias oportunidades. Esperar pelo Governo não vai funcionar, mulherada. Vamos criar nosso próprio negócio! Hoje temos várias oportunidades de negócios com investimento quase zero. Tendo acesso à Internet, LinkedIn, Youtube e tantas outras plataformas, você já pode começar como um freelancer.

Leia também: Vale a pena morar fora

BPM – Como é a vida na China?

A vida na China é muito bacana, principalmente para empreendedores iniciantes ou jovens. Aqui tudo acontece muito rápido, é super fácil de conhecer gente nova, fazer amigos ou encontrar um sócio, por exemplo. Com relação a comida, aí é um pouco mais complicado, principalmente para quem não está acostumado a comer comida chinesa (aquela comida que comemos no Brasil não chega nem perto da comida chinese verdadeira). Hoje eu amo a comida chinesa, mas nos meus 3 primeiros meses só comia fast food. Para fazer negócios com chinês, é essencial entender bastante a cultura. Apesar de ser uma cultura bem diferente, no entanto, a mulher empreendedora é bem vista aqui. Até hoje, só me lembro de verdade de um incidente ocorrido em uma fábrica chinesa, onde o dono tentou gritar comigo (talvez por eu ser mulher), mas não tenho como dizer com certeza. A China é um lugar super tranquilo de se viver, com violência quase zero. Você pode andar com seu celular, laptop na sua mão para ir tomar um café e trabalhar de lá (coisa que eu amo fazer). Isso também foi uma das coisas que mais me influenciaram a viver aqui por tanto tempo: a segurança. Aqui, eu posso andar nas ruas às 2 da manhã sozinha sem medo algum.

Daniella Santana em uma de suas palestras

BPM – Que dificuldades ou desafios voce enfrentou/enfrenta até hoje?

Olha, desafios foram vários. É necessário um mindset muito forte para começar um negócio, e, mais ainda, para tocar o negócio para frente. Mas são dificuldades que em qualquer lugar do mundo seriam as mesmas, como, por exemplo, a comunicação (o que para a maioria das pessoas é a maior barreira). Como hoje eu falo chinês, (apesar de não ler em chinês, pois, na verdade não estudei), eu não tenho dificuldades aqui na China. Minha rede de network é uma das mais extensas na área de Guangdong (sul da China), e muita gente me conhece.

Leia também: Tipos de visto para morar na Croácia

BPM – E vida social? Dá tempo de socializar, fazer amigos? Como é a comunidade brasileira na China?

Quando comecei meu negócio, eu confesso que trabalhava por volta de 16 horas, de segunda a segunda. Hoje eu tento balancear, porque percebi que no final não é produtivo. Todos nós precisamos de tempo para socializar, viajar e curtir a vida. De que vale ser seu próprio chefe se não tem tempo para fazer mais nada? No começo, talvez tenha que trabalhar várias horas, talvez até mais do que no seu último emprego, mas tirar um tempo para descansar e relaxar também é muito importante. A comunidade de brasileiros na China não é tão grande. A maior que temos é em Dongguan, no sul da China, em torno de 2000 a 3000 brasileiros na cidade, trabalhando com sapatos.

BPM – Tem saudades do Brasil? Voltaria a viver algum dia na sua terra natal?

Não tenho saudades do Brasil. Sinto saudades da minha família e do meu cachorro chinês que levei paro Brasil. Em 2019, vou buscá-lo. Só voltaria a viver no Brasil em caso de emergência. É triste dizer isso, mas é a verdade. Shenzhen é minha casa hoje, e se um dia eu sair daqui e for para algum outro país, caso não goste, é para cá que volto.

BPM – Alguma dica pras mulheres que pensam em começar uma carreira na China?

Venham ontem! Não esperem o momento passar. A China é um verdadeiro lugar para se fazer negócio. Tanto para o mercado doméstico, quanto para o mercado internacional. Há vários empregos e oportunidades para empreendedoras.

Contatos: website / facebook / instagram

Related posts

Entrevista com Polly Anna de Andrade Freire

Lívia Maioli Soares

Audiologista brasileira em Londres

Ann Moeller

Profissões Pelo Mundo – Consultora de imagem e moda em Nova Iorque

Ann Moeller

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação