BrasileirasPeloMundo.com
Croácia Psicologia

Mudança de vida: Como usar a ansiedade a seu favor

Mudança de vida: Como usar a ansiedade a seu favor

Há bastante tempo, vinha querendo fazer um artigo que falasse sobre mudança de vida e a ansiedade envolvida nesse processo. Como conseguir trabalhar a ansiedade a nosso favor, para que não surtemos ou ajamos de modo a nos arrepender depois?

Renata Castro (Foto: arquivo pessoal)

E justamente após várias mensagens informais trocadas pelas redes sociais, resolvo convidar uma especialista no assunto para me ajudar a compor esse artigo. Renata Castro, psicóloga e coach, está de mudança para Croácia em 15 dias (esse artigo foi escrito no mês de abril, no dia 13). Sendo assim, eu tive curiosidade em saber dela, que lida com o tema e tem diversos pacientes no Brasil que tratam da ansiedade, como ela está lidando com todo esse processo de mudança de país, de vida, de carreira.

Sim, sou uma pessoa ansiosa

Eu, particularmente, me considero uma pessoa ansiosa por natureza. Por diversas vezes, não tive paciência para esperar, seja no ramo pessoal como no profissional. Coisas pequenas e rotineiras do nosso dia a dia podem transformar algo banal em uma situação mais séria, como é o caso de muitos brasileiros que sofrem com a SPA (Síndrome do Pensamento Acelerado).

É aquele momento do dia em que você tenta parar de pensar em alguma coisa e acaba perdendo total controle sobre isso. Augusto Cury retrata bem essa ideia em seu livro sobre ansiedade, e fala que nós abrimos várias janelas killer ao longo do nosso dia, como se abríssemos milhares de páginas no computador para buscar informações. Nossa mente funciona assim também.

Leia também: Como deixar a vida que planejamos

Em um dos trechos do livro, o autor escreve assim:

“Pensar é bom, pensar com consciência crítica é melhor ainda, mas pensar excessivamente é uma bomba contra a qualidade de vida e um intelecto criativo e coletivo.”

Entrevista com Renata Castro

Voltando ao que mencionei no início do artigo, eu convidei a Renata para falar um pouco sobre todo esse processo novo pelo qual ela está passando. Eu também, como qualquer expatriada que larga seu país, seja lá por qual motivo, tenho momentos (ou crises, se for algo mais profundo) de ansiedade. Não me lembro como foi meu processo, já que antes de me mudar de vez pra Croácia há 8 anos, eu viajava o mundo trabalhando em navios de cruzeiro, ou seja, não foi um baque dos grandes.

Então, deixo aqui as perguntas e respostas dadas pela Renata, e daqui a um tempo vamos voltar a esse artigo para saber como está o processo de mudança em sua vida! Obrigada, Renata!

Renata, o que você tem sentido nessa sua fase pré-mudança de vida? Por que decidiu encarar essa transformação que, para muitos, pode ser considerada arriscada e radical?

Sendo sincera, eu simplesmente deixei meu coração me levar. Ao estar na Croácia, em 2018, senti esse desejo e resolvi sair da minha zona de conforto. Sou imensamente grata por tudo que conquistei até hoje, mas senti que a vida pode me oferecer coisas maravilhosas, mesmo tendo que enfrentar medos e ansiedade e, por isso, vou encarar a mudança.

Encarar uma nova perspectiva para meu trabalho, que tem sido 90% presencial em meu consultório, para ser livre, atender online e estar onde quiser. Sair da nossa zona de conforto, para mim, significa autodesenvolvimento como ser humano.

Hoje,15 dias para minha ida, sinto um desconforto, porém uma alegria de viver imensa. Essa sede de vida me dá coragem e passa por cima do receio e ansiedade.  

Você acha que, antes de decidir mudar de país, você tinha sua ansiedade sob controle?

Sempre fui uma pessoa ansiosa de maneira positiva. É como se a ansiedade fosse uma energia que me move, faz sair do lugar, sonhar, planejar e concretizar. Na verdade, a ansiedade serve para isso mesmo em nós, mas acabamos querendo controlar tudo e a coisa passa a não ser saudável.

Assim que decidi minha mudança de país, não senti muito coisa porque faltavam 7 meses. Apenas fui na empolgação de resolver tudo etc. Quando chegou perto dos 2 meses antes de ir, bateu forte a ansiedade. Se eu não fizesse minhas técnicas de respiração e relaxamento, poderia ter sido ruim.

Leia também: Tipos de visto para morar na Croácia

Tive sono agitado, mudança de humor, sensações físicas desconfortáveis e muito medo de deixar meus pais aqui sem mim, me afastar da minha sobrinha, meus gatos e deixar um consultório bem estabelecido para um projeto incerto de vida. Foi preciso muita respiração e conversas informais com minha ex-psicóloga. Agora, faltando tão pouco, estou numa fase ótima.

Comprei um caderno, onde organizo meus pensamentos e datas para o que ainda tenho que resolver, e me sinto calma e preparada para ir. O famoso “friozinho na barriga” existe, mas ele é bom! O máximo que pode ocorrer é não dar certo e eu voltar. Sempre falo isso… O que de pior pode ocorrer? É reversível? Por que não fazer? Por que não explorar a vida que tem em você? 

Como podemos usar a ansiedade de forma positiva em nossas vidas, quando precisamos encarar mudanças por vezes bruscas?

Como disse, a ansiedade é para ser positiva! Ela nos deixa alertas e focados. Sempre digo aos meus pacientes que o primeiro passo é a aceitação. Aceitar a mudança que veio para sua vida, não lutar contra. Depois, se organizar.

Geralmente, a ansiedade é maléfica em pessoas com muita necessidade de controle sobre o futuro e se organizar traz a pessoa para o presente, para as coisas que precisam ocorrer no hoje. Isso pode ser através de uma planilha, um caderno, post it, quadro branco, o que for melhor para cada um.

Com as coisas organizadas e em andamento, experimentar técnicas de respiração que oxigenam nosso cérebro e nos facilitam a enxergar as coisas com clareza. Fazer hobbies, exercícios e coisas que nos dão bem-estar também ajuda bastante. E sempre lembrar que a vida é o momento presente, e nós não temos como prever o futuro, então foque no hoje, no seu momento presente e caminhe.     

Related posts

Um texto para ser odiado

Jenny Rosén

Visões de uma carioca sobre o Carnaval croata

Debora Pedroni

Deixando velhos hábitos

Júlia Lainetti

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação