BrasileirasPeloMundo.com
Suíça

Desapegar para mudar

O ditado diz: ano novo, vida nova. Mas sendo bem sincera, se a gente vive sempre da mesma maneira, como é que a vida vai mudar? Se quisermos realmente viver coisas novas, sem dúvidas precisaremos dar um empurrãozinho…

1421
Foto: www.minhasuica.com

Morar na Suíça foi o maior empurrão que já dei na minha vida. Não sabia o que me esperava mas sabia o que não queria mais. A decisão de abandonar uma vida estável, sair da zona de conforto e desbravar uma nova cultura, consequência da minha curiosidade e insatisfação, foi certamente a decisão mais acertada que tomei nos últimos tempos.

Não acho que todo mundo tem que viver mudanças radicais para ser feliz mas aprendi que mudanças trazem benefícios sim, amadurecem e até rejuvenescem!

Mas nada vem de graça na vida. Para conseguir um recomeço é necessário muito desapego. Desapegar da própria cultura, de verdades absolutas, de objetos precisos e até de pessoas queridas.
Desapegar-se da própria cultura é muito louco. É tentar entender e respeitar atitudes diferentes da sua, aceitando que o seu prejulgamento não prevalecerá sempre.

A Suíça tem um número de estrangeiros bem alto, uma em cada quatro pessoas daqui vieram de algum lugar e com elas trouxeram culturas, ideias e maneiras de ser bastante diferentes dos padrões daqui. Deixaram também muitas coisas para trás, desapegaram. Faz parte do jogo. Existe uma riqueza, e até uma estranheza, por todos os lados que se vá. Eu adoro!

Fiz uma vez um treinamento para expatriados e vivi um exercício bárbaro sobre mudança de país, que descrevi detalhadamente aqui. Resumindo, disseram que conhecemos mais do nosso país quando não mais estamos lá. Ops, será? E é verdade! O nosso país de origem é a nossa base, o nosso referencial de tudo. Longe dele, todas as novas experiências são inevitavelmente comparadas com experiências que vivemos nele. É muito interessante. Em resumo, quando digo que a Suíça é limpa, comparo inconscientemente a limpeza da Suíça com a limpeza do Brasil.
Ironicamente me convenci que conheci mais do Brasil quando resolvi viver longe dele. Foi desapegando da cultura brasileira que me aproximei dela de verdade! Tudo virou verde e amarelo!

255
Foto: www.minhasuica.com

Desapegar é um hábito. Quando vim para a Suíça tive que escolher o que levar. Constatei que não usamos e nem precisamos de metade do que temos. Tinha uma casa montada, armários cheios de roupas e objetos que não acabavam mais, mas mover aquilo tudo custaria uma fortuna. Fiz então uma seleção e fui ficando literalmente mais leve.

Ter uma razão ajuda muito no desapego. A minha foi pagar a mudança.

Feng shui prega que precisamos deixar a energia circular. Mas como circular qualquer coisa em um lugar abarrotado?

 

Quando tiramos coisas da vida, abrimos espaços para que novas coisas surjam, não só no espaço físico mas também no emocional. Em um passe de mágica abrem-se oportunidades para novos projetos, novas emoções e descobertas. Novos comportamentos são viabilizados. Limpar armários é também faxinar a mente. Para que novas energias cheguem, é necessário se livrar de tudo que está estagnado: sapatos, livros e pratos, passando por emoções, sensações e ressentimentos. É preciso desapegar para poder reviver. Desapegando temos mais controle sobre o que queremos: escolhemos, ao invés de sermos escolhidos!

E tem também a tal lei da atração. Generosidade atrai generosidade. Organização chama organização. O que é desnecessário para um pode ser vital para outro. Doar faz bem, instiga a gratidão que atrai a gratidão. E assim vai.

O suíço de uma maneira geral é pouco consumista. A cada mudança de estação eles revisam os armários e passam para frente o que não mais usarão. Se algo novo entra em casa ele logo descarta ou doa o velho. Fico tentando desvendar os motivos de tamanha disciplina, se é para tentar abrir espaço nos armários, se por genuína generosidade ou se seria ranços culturais das dificuldades e privações dos tempos de guerra. Ainda não desvendei, mas sei que funciona.

Mês passado uma amiga mudou de um apartamento grande para um menor. Já estava planejando onde empilharia o armário extra que compraria para abrigar aquele monte de coisas acumuladas na vida. Começamos então a criticar de uma maneira construtiva as peças do guarda-roupa dela, aquelas que não eram vestidas há mais de um ano. Daí passamos a tirar da frente algumas coisas quebradas, coisas fora de moda, e outras que não funcionam mais direito mas que de alguma maneira estão e sempre estiveram por perto. Foi a razão que faltava para ela passar por uma avalanche de desapego. Soube que depois que começou a questionar já tirou quatro malas mega grandes da casa, diz que sentiu-se bem doando coisas para uma creche na época de Natal, economizou a compra de um armário extra e tem falado aos sete ventos que se sente muito mais leve.

IMG-20151202-WA0001

Ano novo, vida nova. Que tenhamos um 2016 mais leve, em todos os sentidos.

Related posts

Mini favelas na Suíça? Não, Schrebergärten!

Mel Barbieri

Atividades para curtir o inverno Suíço

Janaína Abreu

Dicas para economizar energia no inverno

Mel Barbieri

8 comentários

Regina Miranda Fevereiro 1, 2016 at 11:08 am

Parabéns pelo maravilhoso texto!!! Faz algum tempo que procuro exercitar esse desapego… Realmente faz muito bem à alma!!!

Resposta
Teca Hungria Fevereiro 1, 2016 at 11:42 am

Oi Regina,
Que bom que você gostou.
Desapegar é um exercício diário, exige disciplina mas, como você mesma disse, é super recompensador!
Abraço para você!

Resposta
Ana Elisa Fevereiro 1, 2016 at 3:40 pm

Mudar de país (algumas vezes) me ajudou a desenvolver o desapego como estilo de vida. Mantendo somente o necessário, o belo, o útil e o valioso (também emocionalmente), vivo muito mais leve e centrada.
Obrigada pelo texto.

Resposta
Teca Hungria Fevereiro 2, 2016 at 12:16 pm

Oi Ana Elisa,
É isso ai, o negócio é manter o que importa e ficar mais leve, e para isso, desapegar realmente ajuda!
Obrigada por também dividir sua experiência aqui.
Abraço, Teca

Resposta
Ms. Yasmin M Fevereiro 2, 2016 at 11:41 pm

Adorei o Post! Desapegar é sem dúvida o primeiro passo para mudanças!

Resposta
Teca Hungria Fevereiro 4, 2016 at 5:49 pm

Que bom que você gostou Yasmin!
… e que venha um 2016 com mudanças maravilhosas.
Abraço!

Resposta
Lais Fevereiro 20, 2016 at 10:50 am

Fiquei muito feliz lendo seu texto, pois estou praticando EXTAMENTE isso.
Estou de malas prontas para a Suíça, e o meu único pensamento é Desapegar.
Coisas materiais não estão sendo o problema, mas desapegar das pessoas que vou deixar para trás. Está sendo um grande passo na minha vida, mas é uma mudança que a muito tempo procuro e espero.
Adorei seu texto! ????

Resposta
Teca Hungria Fevereiro 20, 2016 at 11:48 am

Oi Lais,
Fico feliz que você tenha gostado e se identificado com o texto.
A Suíça é um país surpreendente e você certamente terá experiências maravilhosas por aqui. Se já começou a desapegar, acredito que terá uma adaptação ainda mais fácil!
Boa sorte e seja muito bem vinda!
Teca

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação