BrasileirasPeloMundo.com
Marrocos Turismo Pelo Mundo

O desconhecido deserto Agafay em Marrocos

Todos os anos, no fim do inverno reservamos alguns dias para descansar.  Aproveitamos a data do meu aniversário para comemorar viajando. No ano passado fomos à Islândia, e foi uma viagem maravilhosa com  muita neve, gêiseres e auroras boreais. Mas neste ano, a ideia era escapar do frio e fomos conhecer o Marrocos.

Demos bastante sorte e coincidimos com um anticiclone. Surpreendentemente, as temperaturas, apesar de ser inverno, alcançaram deliciosos 30°C em pleno mês de fevereiro. O Marrocos é um país vizinho à Espanha – onde vivemos –, e conhecido como a porta da África. A sua proximidade e ligação com a Europa, além do seu vínculo com o restante do continente africano, fazem desse país um lugar realmente único, rico em suas tradições, arquitetura, cores e sabores! Nós tínhamos poucos dias de viagem e eu queria muito ter a experiência de dormir no deserto.

Leia também: Tudo o que você precisa saber para morar na Espanha

O deserto do Sahara

O deserto do Sahara é imenso e abrange vários países: Argélia, Tunez, Sahara ocidental, Mauritânia, Mali, Líbia, Níger, Chad, Sudão, Egito e Marrocos. Pesquisamos bastante e saindo de Marrakesh, a cidade que mais queríamos conhecer no país, havia duas opções de ida ao deserto do Sahara marroquino: o deserto de Zagora a 360 quilômetros ou o de Merzouga a 550 quilômetros de Marrakesh. Ou seja, na opção mais próxima, gastaríamos sete horas no transporte de ida e mais sete horas na volta do dia seguinte, uma vez que a estrada possui vários trechos de terra e é bastante sinuosa.

Essas duas opções são maravilhosas, durante as nossas pesquisas de roteiro, vi muitos textos e fotos e a região é realmente linda. O deserto do Sahara marroquino é simplesmente espetacular com sua imensidão de dunas de areia. Mas, como a nossa intenção era uma viagem também de descanso, essas opções seriam muito cansativas e cheias de compromissos com horários, portanto, ficaram para uma outra ocasião.

O deserto do Agafay

Foi quando encontramos o deserto do Agafay, que fica a apenas 30 quilômetros  de Marrakesh, uma região linda aos pés das cadeias de montanhas nevadas do Atlas, com grandes vales e desertos rochosos. Além disso, a região é também a terra do argan. Ali, tivemos uma experiência incrível de contato com a natureza, a paz e o silêncio do deserto.

Quando estávamos ainda em Marrakesh, em conversas com pessoas locais, ficamos sabendo que as duas opções do Sahara marroquino que mencionei no começo do texto, a do Zagora e a do Merzouga, têm hoje em dia um turismo bastante massivo, ou seja, são várias caravanas e acampamentos que trabalham quase em linha industrial. Entretanto, o Agafay, por ser mais desconhecido ou justamente por não fazer parte da área considerada Sahara, ainda possui um turismo mais tranquilo e, pode-se dizer também, um pouco mais exclusivo.

A cultura berbere

Além disso, uma das coisas mais deliciosas dessa nossa estadia foi a possibilidade de imersão à cultura berbere, através de cada detalhe da decoração, das músicas e das comidas. Tudo remetia a essa cultura milenar desse povo do deserto nômade e livre.

Formou parte da nossa experiência, como também é oferecido nos outros dois desertos, o contato com a cultura através do passeio de dromedário e o uso do talgemust, o véu berbere usado em formato de turbante, que tem como função a proteção contra maus espíritos e fisicamente protege do sol e das tempestades de areia. Eu usei um lenço pessoal mesmo, mas ele foi colocado em mim da maneira berbere tradicional. Sei que é algo bastante turístico, mas eu adorei a experiência de vesti-lo assim!

Curiosidade: o termo berberes veio da forma pejorativa que os romanos chamavam esse povo de bárbaros, e que acabou difundida no mundo ocidental. Mas eles se denominam como povo imazighen, que significa “homem livre”.

Deserto do Agafay – foto: acervo pessoal

Hospedagem em um glamping

A região do Agafay possui vários tipos de acampamentos turísticos. Desde os mais rústicos até os chamados glamping, um conceito de hospedagem que vem do inglês glamorous camping, ou seja, um acampamento de luxo.

Já que a viagem era de comemoração de aniversário, optamos pelo acampamento de luxo, com mais estrutura, e a experiência foi maravilhosa. Pudemos desconectar, ver as estrelas à noite e o sol nascer por dois dias, e ao mesmo tempo foi uma experiência com bastante conforto. Nossa tenda tinha uma cama extremamente confortável, nível de hotel cinco estrelas, lareira para noite fria do deserto, um banheiro completo com banheira e uma varanda com vistas de tirar o fôlego. As áreas comuns tinham dois lounges berberes, fogueiras ao ar livre e uma piscina linda.

O abastecimento de água do acampamento, assim como o de toda Marrakesh, vem da cadeia de montanhas Atlas. Água direto do desgelo, excelente, pura e saborosa, totalmente diferente da água de cidade a qual estamos acostumados, tratada com excesso de produtos. Outra característica que achei  interessante no acampamento é que tinha  pouco ou quase nada de concreto ou asfalto nas construções, exceto, obviamente, na piscina. Todo o restante eram decks de madeira e estruturas de aço das tendas, o que causa um impacto ambiental menor no entorno.

A paz do deserto

O senhor Said, proprietário do Riad ao lado do aeroporto onde passamos a primeira noite quando chegamos em Marrakesh,  foi também a pessoa que organizou o nosso transporte e nos acompanhou até o Agafay. Ele nos deu uma verdadeira aula sobre o conceito de deserto durante o caminho. Contou-nos sobre outro significado do conceito de deserto, que envolve mais do que o cenário natural em si e, sim, principalmente o isolamento que o ambiente de um deserto proporciona, o momento de verdadeira introspecção, de conexão com a natureza e com si mesmo.

Isso realmente o Agafay nos proporcionou. Naquele mar de deserto rochoso, sem os horários de partidas e chegadas, sem grandes deslocamentos, pudemos relaxar de verdade. Disfrutamos daquela luz única do nascer e pôr do sol. Ah! E nas noites extremamente estreladas pudemos sentir profundamente o silêncio e a paz. Inclusive, em certo momento, o tempo começou a passar de forma mais lenta. Pudemos sentir o correr das horas de uma maneira única, contemplando a paisagem e esvaziando a mente.

Ir até o Sahara naquelas dunas de filme e toda a aventura que esse deslocamento envolve, deve ser incrível, mas, sinceramente, se você tiver pouco tempo e a sua intenção for descansar, recomendo fortemente o deserto do Agafay.

Related posts

Viajar pela Nova Zelândia

Natália Souza

10 atrações turísticas imperdíveis no Canadá

Priscila Carda

Turismo em Sofia, na Bulgária

Aimée Bardella Aihst

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação