BrasileirasPeloMundo.com
Japão Transporte Público Pelo Mundo Turismo Pelo Mundo

Dicas de turismo no Japão

O Japão não se cansa de ser lindo. Rico em paisagens, dono de uma cultura completamente diferente da ocidental, cheio de coisas incríveis para se viver e guardar para sempre na memória. Contudo, não é um país tão fácil para se visitar se você não fala japonês ou inglês. Além de ter bastante lugar para conhecer e coisas para fazer, é importante saber os trâmites para se locomover e não ter dores de cabeça desnecessárias. Seguem algumas dicas de turismo no Japão:

Tenha internet móvel. Você pode comprar um chip local ou um roteador, de acordo com as suas preferências de valor, mas não fique sem. Apesar de ser bem fácil encontrar lugares com wi-fi por aqui (inclusive, na maioria das lojas de conveniência você encontra gratuitamente), é muito difícil ficar sem internet móvel. Isso se dá porque o transporte público é bem diferente. Eu moro aqui há um ano e já me habituei aos trens, mas ainda acho infinitamente mais difícil entender as plataformas com mais de uma linha e seus horários quando estou sem celular.

A ferramenta que eu mais uso é o Google Maps, que me salva sempre. Ele indica o horário do próximo trem e mostra até os kanjis de estações, que ajudam muito quando não os conheço ainda. A partir do horário e com o nome da linha para onde você vai, só precisa se orientar na estação e ficar de olho nos painéis disponíveis para saber em qual plataforma seu trem passará.

Não se esqueça: todo transporte público no Japão costuma ser super pontual, e o horário que aparece nos mapas é geralmente cumprido. Como passa mais de uma linha na mesma plataforma, aquele hábito de “perdi o trem, vou no próximo”, e entrar em qualquer um NÃO FUNCIONA. Se você perdeu o seu trem, procure novamente no aplicativo e preste atenção aos horários e plataformas para não se perder.

A empresa mais conhecida de trens é a JR, que cobre a maior parte das estações japonesas. Felizmente, no site deles, há um tíquete chamado Japan Rail Pass, ou JR Pass, que você pode comprar para usar no JR por 7, 14 ou 21 dias, a depender de quanto tempo você ficará pelo Japão. Não é um serviço barato, mas com certeza você vai sair em maior vantagem do que pagar por cada transporte utilizado, uma vez que aqui o custo de vida é bem alto e os trens, metrôs e ônibus te levam para qualquer canto.

Leia também: 10 curiosidades sobre o Japão

Uma amiga que veio conhecer o Japão, comprou o passe de 7 dias e nesse período só precisou gastar dinheiro com transporte uma vez. No fim da viagem, ela tinha mais dinheiro do que tinha programado porque não mexeu numa quantia significativa de transporte. Valeu a pena!

Quanto ao metrô, em Tóquio você consegue um tíquete diário caso vá andar muito de metrô no dia. Vale a pena também, mas eu imagino que o JR Pass já cubra essas taxas pelo trem mesmo, já que tem bastante estações.

Não se esqueça de pegar o passe de volta da catraca toda vez que inseri-lo. Ele não é descartável, e mesmo que seja o passe normal, sem ser o diário ou JR Pass, você vai precisar usá-lo na saída de cada estação. É importante que você saiba, também, que é proibido falar ao telefone dentro do transporte público.

Outra razão para se ter internet móvel é para o caso de não dominar o idioma japonês. Em alguns lugares, mesmo que sejam pontos turísticos, não dá para se comunicar em inglês, e às vezes o tradutor é bem funcional para palavras específicas ou kanjis. No aplicativo do Google Tradutor, você pode, inclusive, tirar fotos de kanjis para traduzir. Eventualmente as traduções ficam sem sentido, mas quebra um galho imenso.

Fonte: Pixabay

Outro aplicativo que é interessante acompanhar, é o de previsão do tempo. Este geralmente acerta, e como o país está nas rotas de tufões – os chamados taifu –, é bom saber se tem alguma coisa acontecendo. Caso na sua estadia você passe por algum terremoto, não se desespere. Eles acontecem bastante. Preocupe-se apenas se durar muito tempo, e então você deve procurar onde estão os abrigos da cidade onde está. Mas isso não é tão comum, então mantenha a calma.

No Japão, são raros os lugares que aceitam cartão de crédito. A maior parte das suas compras será em dinheiro, então prepare-se para trazer o dinheiro programado, de uma casa de câmbio com troca mais vantajosa que as dos aeroportos.

Quando você for comprar alguma alguma coisa, lembre-se de que aqui se coloca o dinheiro na bandejinha disponível no balcão, não se dá o dinheiro em mãos. Se você tiver que fazer algum pagamento em dinheiro para uma pessoa, é de bom tom que você entregue dentro de um envelope (que você encontra em qualquer loja de 100 yens).

Leia sobre: Dá para morar no Japão sem saber japonês?

Quanto a o quê levar na mala, depende da estação que você vem. As estações aqui são super bem definidas, como falei nesse texto. Então traga as roupas de acordo com a estação, que está tudo certo. Só não se esqueça, de maneira nenhuma, de trazer sapatos confortáveis para passear. Como aqui geralmente é plano (e tem muitos pontos turísticos em todos os lugares), anda-se muito. Quando meus sogros vieram, acabaram comprando sapatos novos porque os que trouxeram até gastaram!

Quando for escolher a sua hospedagem, atente-se para alguns hotéis que possuem futon ao invés de colchão. Se sua coluna é sensível, preste atenção nisso antes de fechar a hospedagem. Além do mais, não se preocupe muito com localização: o Japão é um país seguro e, mesmo que a sua hospedagem seja em um lugar “esquisito”, você estará em segurança. Só busque estar próximo de alguma estação, para facilitar seus trajetos. Meus sogros se hospedaram em uma casa no meio de uma zona de prostituição, mas, juro, não tiveram problemas.

Se por acaso você for lavar roupas durante a sua estadia, lembre-se de deixar as roupas íntimas penduradas no interior da sua hospedagem. Apesar de ser um país seguro, o furto de roupa íntima acontece bastante.

No mais, apenas aproveite muito as belezas incríveis que tem o Japão! Divirta-se e boa viagem!

Related posts

A Holanda além de Amsterdam

Fernanda Campestrini

10 Atrações imperdíveis na Arábia Saudita

Diene Buffon

Transporte público em Washington D.C.

Lorrane Sengheiser

2 comentários

Leila dos Santos Amorim Janeiro 9, 2018 at 4:47 pm

Ola, Juliana!
Adorei seu texto. Breve e bem explicativo. Curiosidades: pq vc nao pode entregar o dinheiro em mãos? é algum sinal de desrespeito? E o furto de roupas intimas? ahah achei engraçado!

Um beijo, muita paz e saúde pra vc!
😀

Resposta
Juliana Platero Janeiro 26, 2018 at 10:31 am

Oi Leila, obrigada!
Na verdade, o dinheiro em mãos é tido como falta de educação, mas quando alguém entrega, os japoneses geralmente estendem as duas mãos para recebê-lo, da maneira mais educada possível.
Os furtos de roupas íntimas também me fizeram rir no começo, até que tive uma experiência meio assustadora com um homem tentando alcançar as minhas na janela. hahahah foi o maior susto, mas ele não conseguiu e saiu correndo quando o vi.
Um beijo, querida! Paz e saúde pra todas nós 🙂

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação