BrasileirasPeloMundo.com
Dicas para aprender idiomas Dinamarca

Dicas para aprender dinamarquês

É praticamente impossível viver e ser funcional num país sem falar a língua local.  Aprender uma nova língua pode ser difícil e parecer complicado, mas sabemos que é um excelente treino para o cérebro. Se for uma língua nórdica, então… o treino é intensivo, e seu cérebro vai funcionar a mil, vai por mim! Então que tal considerar aprender dinamarquês?

Mas que língua é essa?

O dinamarquês é uma língua germânica do norte. O idioma tem raízes no nórdico antigo, língua falada na época dos Vikings, e faz parte do grupo de línguas chamadas escandinavas, sendo falado por aproximadamente 6 milhões de pessoas na Dinamarca e seus territórios e 50 mil no norte da Alemanha – lembra do artigo sobre turismo onde falei a respeito das cidades bilíngues da fronteira entre os países? Pois é, existem mais falantes de dinamarquês no mundo do que supõe a nossa vã filosofia…

O alfabeto dinamarquês tem 29 letras e usa o alfabeto básico romano de 26 letras mais as três vogais adicionais æ, ø, å.  Os alemães são famosos por suas palavras gigantes e emendadas, mas se você acha que é exclusividade dos alemães tente dizer a palavra dinamarquesa “speciallægepraksisplanlægningsstabiliseringsperiode“! Porém nem todas as palavras em dinamarquês são assim grandes e complicadas. Apesar de às vezes o dinamarquês parecer com alemão misturado com holandês, falado por alguém que está com uma batata quente na boca, aprender o idioma pode ser algo bem divertido e sem dúvida, muito útil, principalmente para quem considera visitar ou morar na Escandinávia. Além do mais, aprendendo dinamarquês você vai conseguir entender e se comunicar com noruegueses e suecos, pois os idiomas escandinavos são bem parecidos entre si.

Por onde começar?

Há diversos lugares que oferecem cursos no país. Dependendo de suas  necessidades, tempo, interesses e qualificações, você poderá optar entre:

– Cursos em universidades na Dinamarca; 
Programas e cursos oferecidos pelo município local (kommune);
– Cursos em centros de formação de adultos (VUCs);
– Escolas particulares ou aulas oferecidas por professores particulares;
– Cursos em Escolas Superiores Populares (Folkehøjskoler).

Se você está na Dinamarca por contrato de trabalho, por visto de reunificação familiar ou como refugiado, existe um programa do governo que oferece gratuitamente cursos do idioma local nos vários Sprogcentre espalhados pelo país. Basta que você tenha seu documento de identificação nacional (CPR) e se inscreva no centro de línguas local para iniciar o aprendizado. É seu direito e dever, por lei, aprender o idioma enquanto estiver no país. Os cursos oferecidos pelo governo têm duração máxima de 3 anos e pode-se estudar durante o dia, durante a semana toda ou uma noite por semana, caso a pessoa trabalhe ou estude. São oferecidos 3 níveis de ensino, compatíveis com os diferentes graus de escolaridade e conhecimentos linguísticos dos alunos, e são aplicadas provas para avanço de nível normalmente a cada 6 meses.

Caso seja estudante universitário no país, muitas universidades oferecem cursos intensivos de dinamarquês no início do ano acadêmico, durante o semestre ou como parte de um programa de cursos de verão, e normalmente não se cobra mensalidades dos estudantes matriculados na instituição. Não sendo estudante da instituição, caso queira frequentar os cursos de dinamarquês nessas universidades o valor da taxa varia entre 2.500 a 5.000 DKK por curso e para se informar melhor, aconselho visitar a página da universidade pretendida ou ir pessoalmente se informar a respeito das condições.

 

Os VUCs – Voksne Uddannelsecenter ou centros de formação de adultos são escolas que oferecem cursos em disciplinas gerais para adultos a nível secundário baixo e alto, mais ou menos como o nosso supletivo no Brasil. Adicionalmente aos cursos gerais oferecidos para os dinamarqueses, alguns dos VUCs oferecem cursos de língua dinamarquesa para estrangeiros. Cada curso dura entre 6 a 12 meses e compreende 240 aulas. É cobrada uma pequena taxa de cerca de 200 DKK por curso. Para mais informações, consulte o site e procure o VUC da sua municipalidade.

Caso opte por um professor particular, é bom observar que essa opção, apesar de mais intensiva, pode ser a mais cara. Professores podem ser encontrados nos centros de línguas (sprogcentre) ou em anúncios classificados locais, como o DGS ou DBA. Procure por sprogundervisning/dansk para encontrar os anúncios.

Cursos em Escolas Superiores Populares (Folkehøjskoler): algumas Escolas Superiores Populares oferecem cursos em língua e cultura dinamarquesa durante as férias de verão (3 a 4 semanas) ou durante os semestres de outono ou primavera (duração de 4 a 5 meses). Esses cursos normalmente não incluem  testes ou exames formais. Para mais informações consulte o site da secretaria das Escolas Superiores Dinamarquesas.

Leia sobre motivos para não morar na Dinamarca

E se eu quero aprender dinamarquês estando no Brasil?

No Brasil também há escolas e professores de dinamarquês. O Instituto Cultural da Dinamarca oferece cursos regulares de dinamarquês em suas filiais de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, com duração de 10 semanas, sendo 2 horas por semana. Ao concluir o curso você terá o nível A1 ou A2.  No site da Embaixada da Dinamarca no Brasil também há uma lista de sites onde se pode aprender o idioma online, gratuitamente. Ainda pela internet é possível aprender frases básicas e úteis em casos de viagens, como por exemplo no Loecsen, onde se pode aprender a cumprimentar, agradecer e perguntar questões simples em dinamarquês, entre outras frases práticas. Outros sites úteis para aprender dinamarquês online de graça podem ser encontrados no site do Ministério da Educação dinamarquês.

A diferença de sotaques – Jysk, Københavnsk e Bornholmsk

6641302-dialekter

Apesar de ser um país pequeno, a Dinamarca apresenta regionalidade de sotaques e dialetos. Os habitantes de Copenhague, da ilha de Bornholm e da península da Jutlândia têm dialetos completamente únicos. Na Jutlândia se fala um dialeto chamado jysk, que é cantado e sincopado e varia do dinamarquês padrão, que por sua vez é o københavsk, também conhecido como rigsdansk e que é a forma como os habitantes de Copenhague falam. Na ilha de Bornholm o dialeto é ainda mais musical que na Jutlândia. Essas diferenças regionais dificultam o entendimento entre os habitantes dos diferentes lugares, mas os sotaques são principalmente difíceis de decifrar por estrangeiros, já que nas escolas normalmente se ensina o rigsdansk ou københavnsk, que desde a década de 1970 é considerado o dinamarquês padrão. As principais diferenças entre os dialetos estão na forma de pronunciar e às vezes de escrever as palavras. E pensando nessa dificuldade, foram criados diversos dicionários online para a tradução de termos do jysk para o københavnsk e vice-versa, já que são esses os dialetos predominantes e mais falados. Um desses dicionários é o I Himlen, mas há outros, criados pelas universidades.

Como saber se já estou pronto para me comunicar com um dinamarquês sem que ele caçoe de mim?

Diz a lenda que todo mundo que consiga falar rødgrød med fløde três vezes, rápido e sem gaguejar ou engasgar está tecnicamente preparado para encarar o desafio de conversar em dinamarquês com um nativo e ser compreendido. Veja aqui como pronunciar e teste se você já está apto a falar como um legítimo dinamarquês!

Brincadeiras à parte, aconselho quem estiver estudando dinamarquês ou que pretende começar a estudar: insista, persista, não desista! A língua é difícil, mas é possível, e com paciência, perseverança e muito tempo, ela vem – ou como se diria em dinamarquês, det kommer! E veja esse vídeo de um dinamarquês tentando repetir sentenças em português com sua esposa dos EUA:

Bons estudos! Kan I have det sjovt!

Related posts

Hábitos dinamarqueses

Cristiane Leme

Como é ser brasileira na Dinamarca

Cristiane Leme

Tem pobre na Dinamarca?

Cristiane Leme

30 comentários

Juliana Novembro 1, 2014 at 8:40 pm

Legal de mais seu texto, Cristiane! Moro em CPH há 4 anos 🙂

Resposta
Cristiane Leme Novembro 1, 2014 at 10:06 pm

Obrigada pelo comentário, Juliana! Continue seguindo o blog! Abraços

Resposta
Michelle Maio 14, 2017 at 1:23 am

Oi meu nome é Michelle sou casada com um brasileiro que é permanente na dinamarca gostaria de saber se vc pode me informar o que fazer para mim conseguir o visto e conseguir ficar com meu marido na dinamarca, desde já te agradeço.

Resposta
Cristiane Leme Maio 14, 2017 at 3:55 pm

Que engraçado você comentar sobre esse tema aqui e não nos dois textos que falam sobre vistos.
Se o seu marido tem a permissão de trabalho e residência na Dinamarca ele só precisa pedir o visto de reunificação familiar para você. Para isso é preciso observar as regras no site da imigração dinamarquesa: http://www.nyidanmark.dk/en-us. A partir das informações do site é só seguir o passo a passo e apresentar todos os documentos. Você pode, inclusive, dar entrada no visto já estando na Dinamarca. Converse com ele a respeito. Seu visto terá validade enquanto o dele estiver válido e enquanto você preencher todos os requisitos para obtenção do visto. Mesmo que ele tenha visto permanente no país (veja as regras nos meus textos sobre vistos e no site da imigração dinamarquesa), o seu visto será temporário até que se enquadre nas exigências para o visto permanente.

Resposta
M. Sofia Dos Santos Novembro 23, 2014 at 3:31 pm

Blog muito muito bom mesmo. Adorei. Um beijinho, um abraço e um sorriso.

Resposta
Cristiane Leme Novembro 24, 2014 at 4:03 pm

Obrigada e continue nos acompanhando 🙂 Um beijinho, um abraço e um sorriso de volta pra você! :*

Resposta
Renata Aragão Dezembro 9, 2014 at 10:56 pm

Seu blog está na minha lista agora. Simplesmente AMEI. Parabéns e muito obrigada pela a GRANDE ajuda que você me proporcionou. Beijos e abraços.

Resposta
Cristiane Leme Dezembro 9, 2014 at 11:10 pm

Obrigada! Beijos e se tiver alguma sugestão de pauta sobre a Dinamarca, fique à vontade para sugerir!

Resposta
Ana Carolina Dezembro 16, 2014 at 6:51 pm

Adorei sua página! Morei na Dinamarca, sou casada com um dinamarquês e hoje, moramos no Brasil!

Resposta
Cristiane Leme Dezembro 17, 2014 at 7:11 am

Obrigada pelo comentário e elogios! Volte sempre e se tiver alguma sugestão de pauta sobre a Dinamarca, pode mandar! Abraços e continue lendo e nos acompanhando! 🙂

Resposta
cristina Fevereiro 3, 2015 at 9:01 am

Bom dia Cristiane , ótimo blog falando do idioma, estou a 2 meses na Dinamarca e não entendo nada . E as vezes penso que não entenderei nunca . Mas vou persistir.. Valeu pela dica.

Resposta
Cristiane Leme Fevereiro 3, 2015 at 10:59 am

Oi Cristina. Tem vários outros temas sobre a Dinamarca, dê uma lida e se tiver sugestões de temas a serem abordados, ficarei feliz em ouvi-las!
O idioma dinamarquês parece complicado mas com paciência, perseverança e persistência dá pra aprender, sim! Você também vai chegar lá, é só estudar e praticar muito. O segredo é fazer tudo o que você puder em dinamarquês: ler jornais e revistas, ver televisão, ouvir música, escutar pessoas conversando… vale tudo pra se acostumar com os sons desse idioma que aos nossos ouvidos parece coisa de outro mundo, hehehe… Fique firme e forte que você vai aprender 🙂
Abraços e obrigada por nos acompanhar!

Resposta
Marina Março 3, 2015 at 3:58 am

Olá Cristiane! Estou adorando acompanhar seu blog! Pretendo fazer um intercambio para Copenhague esse ano através de um programa de intercambio do meu estado e me interessei muito pela Dinamarca! A minha dúvida é: dá pra encarar morar na Dinamarca sabendo falar apenas o inglês? Você sabe me informar se nas universidades eles ministram as aulas em inglês ou em dinamarquês? Estou muito empolgada com a ideia de morar ai, principalmente depois que li alguns dos seus posts. Desde já agradeço! Beijos!

Resposta
Cristiane Leme Março 3, 2015 at 9:31 am

Oi Marina e obrigada por nos acompanhar! Como estudante, acho tranquilo viver só com o inglês em Copenhague, porém a longo prazo o domínio do dinamarquês se torna fundamental. Acho que a gente só entende a cultura de um país de verdade quando aprende a falar o idioma, a pensar no idioma, enfim… A maioria das universidades oferece cursos em inglês pois há muitos estudantes estrangeiros no país. Se a sua estadia for de um ano, acho que dá para se virar legal no inglês, sim! Eu moro no interior e aqui foi um pouco mais difícil pra se virar só com o inglês, então corri pra aprender o dinamarquês. Como todo idioma é preciso pelo menos 3 anos de estudo para se chegar a um nível B2. Venha tranquila e confiante! Obrigada pelo comentário. Beijos

Resposta
ANNA LAURA Março 6, 2015 at 10:19 pm

Estou amando saber mais da Dinamarca! Parabéns pelos posts! Anna.

Resposta
Cristiane Leme Março 8, 2015 at 12:35 pm

Obrigada e continue nos acompanhando! Beijos

Resposta
Alice Amado Julho 31, 2015 at 3:34 pm

olá Cristiane. Por íncrivel que pareça, o meu filho de 18 anos chama-se Cristiano. Só que ele quer acabar o 12º ano numa escola com Curso de formação com a equivalência aí na Dinamarca. só lhe falta o Exame Nacional de Matemática . Pode-me enviar moradas de Centros de Formação Profissional, de Aalborg ou Copenhag e Horsen?Agradecia imenso, pois o futuro dele em Portugal é mt limitado e é o que ele deseja, mais tarde ir para uma Univ, da Dinamarca, para fazer um curso de eng Infor. obrigada, felicidades. Que Deus a abençoe. Alice Amado e Cristiano Amado.

Resposta
Cristiane Leme Julho 31, 2015 at 3:57 pm

Alice, é muito simples: digitando no Google “teknisk skole” você acessará todos os sítios de todas as escolas técnicas (profissionalizantes) existentes na Dinamarca. Como eu acabei fazendo a pesquisa, aqui vão os sítios de algumas das escolas nas quais vocês têm interesse:
http://www.ats.dk – Em Aarhus
http://www.techcollege.dk – Em Aalborg
http://www.kts.dk – Em Copenhaga
http://www.leanmark.dk – Em Horsens

Entre em contato com as escolas para saber os critérios de admissão. Também aconselho dar uma lida no sítio do ministério da Educação dinamarquês, para conhecer os critérios de acesso: http://studyindenmark.dk/study-options/admission-requirements

Espero que as informações lhes sejam úteis.
Obrigada pela visita e pelo comentário e continue nos acompanhando aqui no blog para saber tudo sobre a Dinamarca! Abraços 🙂

Resposta
Alice Amado Agosto 1, 2015 at 3:20 pm

Obrigada. Que alegria me deu quando vi a sua resposta. A Cristiane tem uma áurea da cor do Pôr-do-Sol.O meu filho já enviou currículo e cartas de recomendação, além do Teste Internacional de Inglês,para duas Universidades. A de Horsens convidou-o a ir este ano a começar o curso a 28 de Agosto. Estamos ansiosos pelos resultados do Exame Nacional de Matemática A,que serão afixados na terça dia 4 deste mês. mas se os resultados forem negativos, então os cursos profissionais da Dinamarca serão muito úteis para o Cristiano.poder ter um futuro risonho, e aproveitar para ter aulas em dinamarquês..Se as escolas não tiverem alojamento, eu não me importo de ele alugar um quarto e trabalhar num par-time.
Mais uma vez um obrigada, Desculpe este grande “testamento”!um beijinho e toda a sorte do mundo., de Alice Amado e Cristiano Amado

Cristiane Leme Agosto 2, 2015 at 8:48 am

Desejo que ele consiga ter resultados que o permitam ingressar na universidade daqui, então! Aproveito para sugerir a leitura do meu artigo sobre custo de vida, aqui no blog: http://www.brasileiraspelomundo.com/dinamarca-quanto-custa-morar-aqui-091116026 . Lá eu comento sobre o custo de vida e há uma ligação para um sítio onde ele pode ver o custo de vida para estudantes. O problema maior é alojamento, que é um tanto difícil de encontrar, sobretudo se for em cima da hora. Alugar um quarto pode ser um processo longo…
Boa sorte ao Cristiano e obrigada pelo carinho! Beijos

Grazielly Junho 14, 2015 at 7:58 pm

Oi Cristiane! obrigada pelo seu trabalho tão legal no blog! Ajuda muito quem está planejando se mudar para a Dinamarca como eu. Quero me mudar para o país, tenho cidadania italiana e achei que poderia me ajudar. Para cobrir meu custo de vida, terei que trabalhar, mas não sei se há oferta de trabalho que cubra viver aí. Claro que gostaria de aprender a língua também e fazer uma pós, mas apenas se encontrar curso gratuito. Sou professora aqui no Brasil, formada em Letras Português e Inglês. Minha segunda formação onde também tenho experiência é na aviação, fui comissária de voo na UAE. Será que você poderia me dar uma orientação? Estou super disposta mas muito perdida sobre as possibilidades. Obrigada e parabéns pelo blog! abraços

Resposta
Cristiane Leme Junho 14, 2015 at 8:42 pm

Oi Grazielly e obrigada pelo comentário tão gentil! Eu aconselho a procurar emprego antes mesmo de se mudar pra cá, pois o custo de vida é alto – estou escrevendo a esse respeito, a matéria será publicada em julho. Existe uma procura grande por professores do ensino básico e fundamental e acredito que haja uma chance pra você como professora de inglês, porém creio que seja necessário falar dinamarquês também. O ensino do idioma dinamarquês na sprogskole é parte do programa de integração que contempla os estrangeiros morando no país, sejam eles refugiados, asilados políticos, cônjuges estrangeiros ou trabalhadores estrangeiros em empresas na Dinamarca. Porém, para conseguir trabalhar como professora é preciso já ter pelo menos uma base do idioma, acredito eu. No texto que escrevi sobre trabalho eu dou o link para a lista positiva, onde figuram as profissões com mais carência de profissionais no país. Os profissionais dessas áreas têm mais facilidade em conseguir emprego, mas é importante também frisar que o que conta bastante em matéria de conseguir emprego por aqui é networking. Há vários cursos online onde você pode aprender gratuitamente o dinamarquês e, quando estiver confiante o suficiente, poderá procurar o Instituto da Dinamarca no Brasil para se submeter a uma prova de proficiência no idioma. Caso deseje, escreva-me pelo Facebook que poderei lhe enviar mais links sobre equivalência de estudos Brasil x Dinamarca e outras informações úteis que tomariam muito espaço aqui. Leia os demais textos sobre a Dinamarca e continue nos acompanhando! Obrigada e abraços

Resposta
Manuel Maio 28, 2016 at 12:10 am

Vi um a nuncio de um senhora com barba comprida de maceio alidade dinamarca que fala fluentemente 20 linguas e guarante que é fácil para quLque peeeoda aprender uma nova lingua e falar fluentemente cadaver 4 semanas. Poderá indicate o nome dele e do see método? Muito Obrigado

Resposta
Cristiane Leme Maio 29, 2016 at 2:45 pm

Manuel, queira perdoar mas eu estou até agora tentando entender a sua mensagem. Escreva por favor mais claramente sobre que tipo de ajuda precisa, eu estou confusa e só poderei ajudar se me mandar uma mensagem clara e bem escrita. Obrigada e desculpe.

Resposta
Hidalgo Marques Junho 2, 2016 at 10:49 pm

Olá Cristiane.

Sigo você no Blog e também de vez em quando dou uma olhada no Facebook na página Brasileiros na Dinamarca (BND).
Sou formado e pós graduado aqui no Brasil,, estou estudando inglês e pretendo iniciar o dinamarquês também, tudo por aqui. É um projeto para médio e longo prazo pois pretendo futuramente obter a cidadania italiana que tenho direito.
Sou da área de Compras e sei que dificilmente conseguirei algo em minha área por ai. Minha intenção seria morar em Copenhague ou num outro grande centro da Dinamarca. Quais dicas você poderia me dar?
Obrigado por tudo e parabéns pelo seu nobre trabalho.

Resposta
Cristiane Leme Junho 2, 2016 at 10:59 pm

Oi Hidalgo. Obrigada por ler os meus artigos.
Por que você acha que não conseguirá vaga no setor de compras? As empresas dinamarquesas também compram! 😀
Todo mundo que ouve falar em Dinamarca pensa em Copenhague, Aarhus, Odense, Aalborg, que são as cidades grandes daqui. Mas eu te digo que há potencial nas cidades pequenas. Encontrar um lugar pra morar nessas cidades grandes é uma odisseia – se você acompanha o grupo BnD no Facebook poderá notar os milhares de pedidos de ajuda para encontrar um lar em Copenhague. Existe uma procura muito grande e o mercado imobiliário se aproveita disso, inflando os preços.
Quanto a dicas, seja mais específico, assim eu vou poder ajudar melhor. Eu não sei ser genérica, e se for para ser, recomendo então que siga as dicas já dadas nos textos publicados, que são várias 🙂 Aproveite e dê uma lida nos textos da Camila, nossa colunista de Copenhague.
Abraços

Resposta
Hidalgo Marques Junho 3, 2016 at 3:49 pm

Primeiramente, obrigado por me responder…
Bem, vamos lá…
Tenho algumas dúvidas, minha ideia seria tentar fazer um mestrado ai na Dinamarca, dando sequência aos meus estudos (sou de SP capital). Já vi alguns vídeos bem legais do Bruno Bartulic sobre a Dinamarca, aqui no Brasil está muito complicado, estou desempregado atualmente mas aqui trabalhei em grandes empresas (TV GLOBO, etc), não me importaria em morar numa cidade menor ai na Dinamarca, acredito ser possível ficar na minha área mesmo morando ai, o que seria bom, será que morando em cidades menores, fugindo dos grandes centros? Os brasileiros são bem acolhidos ai pelos dinamarqueses? Comecei ontem a estudar a língua e confesso que é um pouco estranha, confusa as pronúncias das frases e difícil mas vamos lá!!!!
Vou ler os demais textos e me aprofundar um pouco mais…
Muito obrigado…

Resposta
Cristiane Leme Junho 6, 2016 at 7:16 am

Hidalgo, antes de fazer seus planos de estudos sugiro que consulte o http://www.studyindenmark.dk/portal para informações a respeito do mestrado e requerimentos para admissão. Se você vem como estudante não precisa se preocupar em aprender o idioma no Brasil, já que o governo oferece aulas gratuitas para estudantes estrangeiros no país. Sobre moradia, vai depender muito do curso que vai escolher, já que pode ser que ele seja oferecido em uma única cidade.

Sugiro ter um foco determinado para o planejamento da sua mudança. Se quer estudar, planeje-se para estudar. Estudantes não podem trabalhar em período integral – tenha isso em mente. Se quer vir para trabalhar, é mais complicado e precisa de mais planejamento. Você terá que provar ser um profissional de altíssimo nível na sua área para conseguir ser convidado para entrevistas de emprego. Leia os artigos sobre trabalho no blogue para dicas sobre como procurar e encontrar um trabalho na Dinamarca.

Acho pessoalmente difícil dizer se os dinamarqueses acolhem bem os brasileiros, pois penso que a questão do acolhimento é uma via de duas mãos: a gente só recebe aquilo que é capaz de dar. Sendo assim, creio que se a pessoa (brasileira ou não) vier aberta para aprender e para se adaptar, ela vai se sentir muito mais à vontade e isso cria a sensação de acolhimento.

Espero ter ajudado e continue acompanhando o nosso canal por aqui 🙂

Resposta
Ladimir Novembro 18, 2017 at 1:01 am

Boa noite.
Vendo a Reportagem sobre a Dinamarca fiquei com vontade de co tecer esse país.
Será que no Brasil existe dicionário pra facilitar a compreensão das palavras ?
Abraço e bom findi.

Resposta
Cristiane Leme Novembro 18, 2017 at 2:14 pm

Ladimir, tente esse aqui: http://www.aprender-dinamarques.com/vocabulario-dinamarques-palavras-viagem.html
Se quiser uma edição impressa, sugiro entrar em contato com o Instituto Cultural da Dinamarca, com sedes em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. Eles ministram cursos do idioma e saberão indicar um dicionário.

Abraços e continue nos acompanhando!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação