Escuridão e SAD na Finlândia

18
1442
Advertisement

Escuridão e SAD na Finlândia.

Todos os países lidam com extremos, mas no que diz respeito a estações do ano, mais precisamente verão e inverno, acho que a Finlândia sai ganhando. Considerada o quarto país mais frio do mundo, sua extensão territorial que vai além do círculo polar ártico provavelmente a torna o grande vencedor no quesito país mais escuro no inverno e mais claro no verão.

De acordo com minha experiência pessoal eu não diria que é difícil se adaptar ao frio, mas à escuridão…

Vivo na capital; aqui, temos cerca de 6 horas de claridade por dia de novembro a janeiro. De meados de novembro até o final de dezembro fica claro por volta das 9 da manhã e a partir das 15:00 o sol já começa a se pôr. Para quem trabalha em escritórios ou fábricas, por exemplo, é bem fácil não ver a luz do sol por dois meses, pois ele nasce quando você chega e na hora em que você sai, ele já se pôs. Só o significado da palavra novembro em finlandês já assuta: marraskuu significa o mês da morte, o mês da lama, época em que as árvores ficam desnudas, as flores e a grama morrem, costuma chover bastante e os dias são cinzas e sem cor. As poucas cores que sobrevivem na natureza empalidam.

É normal não nevar em novembro no sul do país. A temperatura costuma oscilar entre o negativo e o positivo e isso também afeta a umidade do ar. Quando acontece de nevar esta oscilação faz com que a neve derreta rápido. Também é normal chover e nevar ao mesmo tempo, o que torna a paisagem suja e enlameada.

E o assunto é realmente sério. Durante este período, os índices de depressão e suicídio tendem a aumentar e muitas pessoas são afetadas pelo SAD (Seasonal Affective Disorder), conhecido em português como Transtorno Afetivo Sazonal (ver também: depressão sazonal e depressão de inverno). Trata-se de um distúrbio de humor no qual mesmo pessoas que durante todo o ano têm condições mentais totalmente normais, durante o inverno adquirem sintomas negativos como:

  • dificuldade em acordar pela manhã (ressaca matinal);
  • náusea e dores de cabeça;
  • muito sono e falta de energia durante todo o dia;
  • desejo por carboidratos;
  • ganho de peso;
  • dificuldade em se concentrar e completar atividades;
  • tendência ao isolamento;
  • redução da libido.

É claro que nem todos apresentam todos os sintomas, mas é sempre bom prestar atenção caso você reconheça alguns deles, pois as consequências deste transtorno não são boas, podendo levar a uma depressão brava. A causa está relacionada à redução da luz solar, que causa insuficiência de vitamina D. A ausência de sol e as temperaturas baixas também podem causar o aumento da necessidade de outras vitaminas em nosso corpo, que reage imediatamente.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar na Finlândia

Médicos recomendam que tomemos vitamina D durante todo o ano, aumentando um pouco a dosagem a partir de outubro até o final do inverno. A dosagem correta deve ser prescrita, pois pode variar de pessoa para pessoa. Eu, pessoalmente, tenho uma tendência muito forte ao SAD. Durante meus dois primeiros invernos aqui adquiri todos os sintomas acima descritos e não foi legal. Normalmente aumento minha dosagem diária de vitamina D para 50 microgramas de novembro a março. Também tomo comprimidos de ômega 3 e como peixe uma vez por semana. Essas medidas me ajudam muito a combater o transtorno mas, confesso que, quando novembro se aproxima, eu já sinto um ligeiro frio na barriga.

Outra boa dica que muitos finlandeses seguem à risca é a de aumentar o nível de atividades físicas durante o inverno. Sair para caminhar ou correr (mesmo com frio e neve as pessoas fazem muito isso por aqui), fazer atividades que te tirem de casa e te façam gastar energia. Ceder à preguiça durante o inverno é uma das piores decisões que você pode tomar. Sei que é muito difícil, mas é preciso encontrar força de vontade.

File:Nordic Walkers near Ilkley 020.JPG
Savukävely, também conhecido como Nordic Walk, tipo de caminhada com bastões que muito lembram os de esquis. Esporte muito popular na Finlândia, é considerado excelente pelos médicos por ajudar a exercitar mais braços e abdômen. Foto: wikimedia.org

A boa notícia é que normalmente não fica ruim assim durante todo o inverno. Quando começa a nevar lá por meados de dezembro (isso aqui no sul da Finlândia, o norte é outra história) tudo muda. Quando a neve estabiliza a paisagem fica bonita e bem mais clara. A primeira neve de dezembro é sempre um dia muito feliz para mim. As árvores sem folhas se transformam em belas esculturas de gelo e quando o céu está limpo e a lua aparece as noites ficam mais iluminadas e muito bonitas.

Dezembro só é um mês ruim quando não neva, o que infelizmente pode acontecer, mas todos os anos torcemos muito para que não aconteça, até porque não há nada melhor e mais feliz do que o natal branco da Finlândia.

Nestes últimos 6 anos eu venho fazendo uma lista de coisas que considero positivas fazer durante este período para que o SAD não me vença. Eis aqui algumas coisas que me ajudaram:

  • É uma época boa para se sentir bonita. Um belo corte de cabelo, investir num casaco legal, em cachecóis coloridos e belas botas. Como ainda não está tão frio, ainda não precisamos usar aqueles casacos que nos deixam parecendo o boneco da Michelin. Pelo menos no meu caso, me sentir bonita me faz bem.
  • Sair para tomar um café ou comer algo depois do trabalho pelo menos suma vez por semana, sozinho ou acompanhado, não importa. Quebrar a rotina do casa-trabalho-casa e ter momentos descontraídos em que você possa ver gente.
  • Tente fazer exercício pelo menos duas vezes por semana. Três é o ideal, mas se for muito difícil para você, tente duas. Não precisa ser academia, uma boa caminhada de pelo menos 30 minutos já faz uma grande diferença.
  • Se você não for do tipo de pessoa que gosta de sair a noite, convide mais seus amigos para jantarzinhos ou drinques em sua casa, vai ajudar a você e a eles, visto que um sintoma sério da SAD é o isolamento.
  • Dê início a algum projeto ou a algum passatempo que ocupe seu cérebro e exercite sua concentração e criatividade. Os centros culturais municipais chamados ”Kansalaisopisto” oferecem diversos cursos de curta duração que são muito baratos. Pintura, fotografia, trabalhos manuais, costura, gastronomia, idiomas, dança, tem de tudo!
  • Tome vitamina D e ômega 3 todos os dias e coma peixe uma vez por semana.

Sei que esta lista parece trivial e contém somente atividades óbvias que podem ser feitas durante todo o ano, mas são exatamente essas pequenas coisas que se não tomarmos cuidado, eliminamos de nossas vidas quando o SAD aparece. Planejar fazê-las e levá-las a sério é realmente importante durante este período.

Para quem está por essas bandas, boa sorte!

Tallenna

18 Comentários

  1. Como de costume, ótimo texto. Será nosso primeiro inverno na Finlândia. Estava bem incomodado com o fato de 16hs já estar escuro. Mas percebi um outro lado legal. Eu também gosto da noite e achar que são 22hs olhar no relógio e ver que são 19hs e que tenho algumas horas antes de dormir é bacana. Ou seja, como tudo na vida, tem que tentar relevar e superar as coisas ruins e aproveitar as boas.

  2. Maila,

    Adorei o artigo. Quando mudei pros EUA 6 anos atrás não fazia ideia de que essa disorder realmente existe, e muita gente achava que eu estava de “frecura”. No meu primeiro inverno quase entrei em depressão e não entendia o que estava acontecendo comigo. Graças a Deus encontrei uma médica que me alertou sobre o problema e me ajudou muito. Realmente as pílulas de Vitamina D e ômega 3, além dos exercícios e atividades sociais fazem toda a diferença na vida de quem sofre de SAD. Tenho certeza que seu texto vai ajudar muita gente. Abração

    • Muito obrigada Lorrane!
      Eu passei pelo mesmo, ninguém me falou nada sobre o SAD e eu fiquei muito mal, principalmente no meu segundo inverno. Eu decobri pesquisando na internet e depois falando com um médico que desconfiava estar passando pelo problema. Que bom que você concorda com as dicas, fico feliz que ache que o texto ajudará outras pessoas. Um grande abraço!

  3. Muito legal o texto e bem informativo! Tenho uma amiga norueguesa que teve SAD e depressão… foram vários meses com acompanhamento médico até ela se livrar da depressão. Na minha pouca experiencia no inverno europeu percebi que a escuridão é realmente o grande problema. Dava 18h e meu cérebro já estava achando quer eram 22 e eu já estava morta de sono!
    Beijão!

  4. Gostei muito de ler sobre isso. Já tinha lido sobre mas não acreditava,não era fonte confiável.Não deve ser nada fácil lidar com a escuridão. Seu texto vai ajudar muito para os que moram na terra do norte.

  5. Adorei o texto e achei mil vezes melhor aguentar esse inverno do que nosso governo. Passei por isso aí e adorei. Se puder vou morrer perto de vocês. …

  6. Oi Maaila,

    Mudei-me para a Holanda em um inverno e no início achei que era o frio que me deixava para baixo, pouco tempo depois percebi que era a escuridão. Procurei informação na Internet e achei textos sobre o inverno e sad, então comecei a tomar vitamina D e fazer outras atividades, E mesmo com todas as precauções ainda tenho que prestar muita atenção, pois se bobear a depressao volta. Ótimas dicas.Bjs

  7. Olá Maia você pode me dizer qual o ômega 3 que você toma… só faço uso da vitamina d e adorei as dicas já vou aumentar minha dosagem que é de 20 abraços Ediene

    • Olá Ediene,
      Fico feliz que tenhas gostado das dicas.
      Eu compro na farmácia o comprimido de Omega 3. A marca é Möeler. E também me policio para comer peixe pelo menos uma vez por semana.
      A vitamina D de 50 microgramas para mim é o mais importante, sem isso eu não vivo…
      Um abraço

  8. Oi, Maila, belezinha? Adorei seu texto. Finlândia é um país que gostaria de conhecer, mesmo com esses perrengues de SAD e invernos rigorosos. Bom, o que posso dizer é que passei um ano aí do lado, na Irlanda, e não sei se tive SAD. Óbvio, faz muito pouco sol lá, mas creio que pelo fato de não gostar de calor, nem de claridade (fotossensibilidade), nem me atentei em ir atrás de vitaminas, pq pra mim estava tudo certo. Dava 7h da manhã, eu já pulava da cama no frio de esbugaiá e pegava o busão em Dublin. Amava! Ah, fiquei um tempo afastada, isolada mesmo, por questões de personalidade introvertida. Ficava quieta no meu canto, mas me trouxe certa angústia saber que tinha o mundo lá fora e eu estar trancada no meu quarto assistindo filme e comendo porcarias. Vixe, será que era SAD e eu não sabia? Um abraço!!!

  9. Que texto legal e bem escrito! Adoro ler sobre países tag diferentes do Brasil. Li junto com minha filha de 10 anos que ficou super curiosa sobre a Finlândia ! Grata e parabéns!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.