BrasileirasPeloMundo.com
Brasileiras Pelo Mundo Textos coletivos

O que mais gosto no país onde moro e se fosse me mudar, pra onde iria e por quê?

Morar no exterior é um assunto que suscita um grande leque de possibilidades e opiniões. Porém, como se sabe, todo país tem seus altos e baixos, suas belezas e feiuras, suas dificuldades e aspectos positivos, e um mundo perfeito é inexistente. Para falar um pouco a respeito, reunimos nosso time de colunistas e pedimos a cada uma delas que respondesse a essa pergunta: o que mais gosto no país onde moro e se fosse me mudar, para onde eu iria e por quê?

Confira as respostas!

Aline, Austrália –  O que mais amo na Austrália é a igualdade profissional. Um pedreiro é tão respeitado quanto um médico e ganha bem o suficiente para ter uma qualidade de vida bacana. Se eu pudesse mudar para outro país seria somente pela proximidade com o Brasil, pois não consigo ver minha vida fora da Austrália – e seria talvez Londres, pela facilidade da língua e acesso a toda a Europa. Tenho vontade de morar na Alemanha por conta de sustentabilidade mas morro de medo do inverno; e na França, pelo francês e porque é um país lindíssimo.

Ana Laura, Bélgica – O que mais gosto na Bélgica e especialmente em Bruxelas é viver em um país cosmopolita, multicultural, que fala diversas línguas e que tem mais de 27 mil eventos por ano, onde todos os dias chegam pessoas para estudar, a trabalho ou simplesmente para tentar a vida na capital da Europa. Depois de viver em Bruxelas, eu só sairia daqui para viver em Londres, na Inglaterra, justamente por ser o único lugar que me parece tão cosmopolita e multicultural quanto a capital belga.

Carolina, França – A simpatia e a disponibilidade em ajudar dos cidadãos franceses são as coisas mais adoráveis do mundo! Adoraria morar em Barcelona (Espanha). A energia dessa cidade é incrível. A vida pulsa sem cessar!

Cintia, Países Baixos (Holanda) – O que mais gosto daqui é a tranquilidade da zona rural. Moro numa área de uma dorp (vila/aldeia) holandesa; aqui não se ouve barulho constante de automóveis, a paisagem é linda e existe um senso comedido de comunidade. Se eu fosse me mudar, iria para a Inglaterra, porque sempre fui apaixonada pelas paisagens e história do país – estudo a história inglesa por puro prazer, mesmo.

Cristiane, Dinamarca – São muitos os fatores que me fazem uma feliz habitante do reino da Dinamarca: a equidade social e de gênero, o respeito ao idoso e às crianças, o senso de cooperativismo, a honestidade, a educação gratuita e de qualidade, a confiança que se deposita no outro. Eu me identifico muito com os valores desta sociedade. Se tivesse que me mudar, gostaria de viver em outro país nórdico ou na Alemanha, país pelo qual também nutro grande estima em vários aspectos.

aircraft-723900_640
Foto: https://pixabay.com

Debora, EUA – Tratando-se de Nova Iorque, sou suspeita para falar, pois desde a primeira vez em que visitei a cidade eu fiquei completamente apaixonada! Foram umas oito viagens, todas a turismo, até eu me mudar de fato para a ‘cidade que nunca dorme’. Hoje vivo o sonho de morar numa cidade que é cosmopolita, eclética, moderna, conceitual, dinâmica, agitada, incansável, poderosa e, acima de tudo, encantadora. Com base nos países que conheço, uns 35, acho, e pelo que sei do restante eu simplesmente não gostaria de morar em nenhum outro lugar!

Erika, Islândia – Na Islândia eu adoro a água pura, literalmente insípida, inodora e incolor que sai das torneiras, de graça. Isso mesmo, não se paga conta de água fria aqui, e ela é deliciosa, sem calcário, pura, de geleira ou de fonte. Um luxo! Se eu não morasse aqui, voltaria para a Alemanha. Porque é clichê, mas tudo funciona quase perfeitamente lá. E são coisas materiais, mas lá estão os melhores sistemas de saúde e de transporte público da Europa. E porque só é possível filosofar em alemão.

Fernanda, Espanha – O que mais gosto da Espanha são a cultura e os valores. Sinto-me feliz de estar numa cidade onde tudo acontece e onde posso encontrar tudo sem ter que ir a outro lugar. Os valores familiares são muito fortes por aqui e acredito que isso é importante na nossa vida. Se eu fosse mudar, seria para Roma, na Itália, pela proximidade com o idioma, clima e valores.

Jéssica, França – O que eu mais gosto da França é a gastronomia – poder comer um bom queijo por preços acessíveis, ir a um restaurante por um preço justo e apreciar um bom prato, ir a um café e poder passar horas na mesa sem pedirem pra eu me retirar. Mas se eu pudesse escolher outro lugar para morar, este lugar seria Londres (Inglaterra); acho que por ter sido a primeira cidade em que eu pisei quando sai pela primeira vez do Brasil, ela me marcou profundamente. Foi em janeiro de 2005 e 10 anos depois ainda lembro daquela sensação boa e feliz que senti ao descer do avião, e juro que até hoje quando ando pelas ruas londrinas a sensação é a mesma.

Joy, Chile – Voltar a viver no Chile depois de uma temporada de dois anos no Brasil não foi uma decisão fácil, mas agora que sou mãe vejo mais benefícios do que antes. Conseguimos comprar uma casa fora de condomínio, num lugar bastante seguro, onde meu filho pode ter uma vida de bairro como eu tive há tantos anos atrás sem que eu viva apavorada. Se não morasse aqui, não sei para onde iria, mas certamente o quesito sol, calor e uma praia onde dê pra nadar sem congelar pesariam na decisão, já que é o que mais sinto falta por aqui.

Juliana, Inglaterra – Moro em Warwick, no coração da Inglaterra. Amo a segurança e paz interior trazidas pela minha cidade. Mas se tivesse que escolher outro país, escolheria a Espanha – Barcelona, para ser exata – pois sinto falta de um clima mais bem combinado com boa comida.

Luciana, Irlanda – O que eu mais gosto sobre morar na Irlanda é a possibilidade de andar por aí sem medo e sozinha – uma mulher pode sentar em qualquer lugar sozinha sem ser constantemente cantada nem rotulada como alguém que está “caçando homem”. E a ditadura da moda passou longe da ilha: você pode se vestir como quiser. Ainda não viajei tudo o que gostaria pra escolher outro país, mas um lugar com um clima mais quentinho, um verão de verdade como os do sul da França, Espanha ou Itália, não faria mal nenhum!

Maila-Kaarina, Finlândia – As duas coisas que me fazem gostar mais de viver na Finlândia são a segurança (tanto no aspecto físico quanto social) e a possibilidade de viver em um lugar onde as diferenças sociais são pequenas e todos os cidadãos têm oportunidade de estudar. Eu não penso em me mudar daqui, mas se tivesse que fazê-lo e pudesse escolher para onde ir, eu iria para outro país nórdico – qualquer um deles.

Renata, Emirados Árabes Unidos – Algumas razões pelas quais eu amo morar em Abu Dhabi: os dias lindos e ensolarados o ano inteiro; culturalmente, é um país de grande diversidade; 90% da população é composta por expatriados; é extremamente seguro; sua localização geográfica o torna uma porta de entrada para o Oriente com suas relativamente curtas distâncias para a Europa e África. Não gostaria de mudar, mas se precisasse, acho que escolheria Cingapura, por ser um país internacional, seguro, com uma educação excepcional e por ter de pano de fundo a cultura oriental, que adoro.

Tábata, Bélgica – O transporte público é o que mais aprecio por aqui. Não que seja barato, mas é possível ir para qualquer lugar sem carro. Outra coisa que aprecio bastante é que o salário mínimo daqui é suficiente para se viver dignamente (alugar um cantinho, comer, sair etc), o que no Brasil é impossível. Se tivesse que escolher outro país para viver, seria a Itália, porque adoro a musicalidade do italiano, porque o país é lindo e claro, porque faz mais calor que aqui e tem praias lindíssimas.

Thaís, Qatar – O Qatar é um país que posa de grande mas na verdade é como uma cidade do interior. Eu adoro me sentir segura para caminhar com meu celular na mão enquanto faço um passeio pelo parque ou sair à noite sem medo. A única coisa que me deixa incomodada de viver aqui é a falta de vida nas ruas. Para quem vem do Rio de Janeiro isso faz muita diferença. Saindo daqui gostaria de viver em algum lugar da Europa, ainda não tenho certeza de onde mas sei que gostaria de um lugar onde eu pudesse ter a liberdade artística de dançar no meio da rua se me desse vontade.

Vânia, Suécia – O que mais gosto na Suécia é a educação. As pessoas são muito bem educadas e conversam sobre vários assuntos. Talvez isso se deva ao fato de que a maioria delas viaja bastante, durante pelo menos um ano, antes de entrar na universidade ou partir para o mercado de trabalho. Um país onde eu adoraria morar é o Canadá, pois percebo que lá a sociedade é mais aberta ao multiculturalismo e as relações interpessoais são mais fáceis.

Ann, Inglaterra – O que eu mais gosto da Inglaterra é a atitude “tô nem aí”; pode parecer banal mas viver em uma sociedade onde você não precise provar nada para ninguém além de si próprio torna a vida mais leve. Não quer passar roupa nem cozinhar? No problem. Você não vai ser criticado por isso, é sua vida, sua escolha, simples! Se eu saísse daqui, depois de 15 anos em Londres e 7 no interior do país, eu iria para o Canadá, Alemanha ou a Suécia. Por quê? Frio, sociedades estruturadas, gosto por esportes de inverno e nada bate um jogo de hóquei no gelo sábado à noite, pelo menos no Canadá!

Related posts

Relatos de vítimas de assédio no Brasil e no mundo

Ann Moeller

Dez curiosidades sobre a Transiberiana

Vanessa Tenório

Ciência e Transformação Social na BRASCON 2018

Carleara Weiss

15 comentários

Rita Dorneles Novembro 8, 2015 at 7:16 pm

Depois de viver 5 anos em Lisboa e outros 5 aqui em Londres devo dizer que gosto de ambas as cidades de forma bem diferente…. Lisboa tem gostinho de casa da avo, com toda aquela culinaria tao conhecida e deliciosa… a facilidade da lingua (ainda que com suas diferencas e particularidades) e o calor e praias…. Aqui em Londres gosto de poder ser eu mesma, falar ingles com sotaque sem ser julgada, vestir qualquer coisa e sair que ninguem ta nem ai, adoro o transporte eficiente que te leva a TODOS os cantos do pais, a educacao inglesa…. Nao pretendo me mudar de novo, mas se um dia eu tivesse que ir para outro lugar, iria para o interior da Franca… um sonho muiiiiito antigo 🙂

Resposta
Cristiane Leme Novembro 8, 2015 at 7:33 pm

Obrigada por comentar e continue nos acompanhando aqui no blog! 🙂

Resposta
Bárbara Hernandes Novembro 9, 2015 at 11:38 am

Cristiane, esse foi com certeza dos um dos meus artigos preferidos por aqui! Adorei ler a opinião de tantas participantes e achei interessante que todas as que moram em países nórdicos gostariam de morar em… países nórdicos! Isso diz muito sobre a qualidade de vida desses lugares, né?

Se me permite, posso fazer uma referência à vocês e fazer um post no meu blog com esse tema?

Resposta
Cristiane Leme Novembro 9, 2015 at 12:11 pm

Oi Bárbara! Obrigada pelo comentário, todas nós do BPM ficamos felizes 🙂 Na verdade, a Erika da Islândia citou a Alemanha e a Vânia da Suécia citou o Canadá, mas acredito que morar por esses lados talvez tenha nos acostumado com a ordem e uma certa dose de assertividade que existe nos países do norte. E claro que devido à homogeneidade relativa que existe nos países nórdicos e sobretudo entre os escandinavos a adaptação se torna mais fácil, já que certos parâmetros deixam de ser novidade 🙂
E sim, pode citar a matéria com os créditos no seu blog.
Beijos e continue nos acompanhando! 😀

Resposta
João Faustino Jr Novembro 9, 2015 at 12:33 pm

De início, queria dizer que este post foi um dos mais legais que eu vi nesse blog, amei! Ficou muito bacana. Em particular adorei principalmente o da Vânia, da Maila-Kaarina, da Ann, da Erika e do seu(Cristiane). Talvez porque compartilho desse gosto pelos paises nódicos, e tambem porque gosto do frio. parabens.

Resposta
Cristiane Leme Novembro 9, 2015 at 1:51 pm

Obrigada, João! Aproveite e dê uma espiada nos textos sobre os países nórdicos e escandinavos aqui no blog. 🙂
Abraços

Resposta
Regina Oki Novembro 11, 2015 at 8:06 am

Oi, Cristiane! Parabéns por essa coletânea de boas experiências de brasileiras pelo mundo… Identifiquei-me muito com vários dos depoimentos. Eu, que moro na Holanda há sete anos e que sou apaixonada por esse país! Eu tenho uma lista imensa de coisas que gosto por aqui, mas acho que a maior delas é a sensação de liberdade que só a segurança e a acessibilidade me dão. Sabendo que posso andar segura por onde quiser, faz com que minha alma esteja sempre leve…

Também sinto a tranquilidade que a Cíntia descreve… mesmo morando muito próxima ao centro da grande e efervescente Haia! O silêncio da noite é algo reconfortante! Seria muito difícil ter que me mudar para outro país… Mas acho que escolheria a Inglaterra, pois reúne uma história e uma cultura que me fascinam e ainda fica pertinho de tudo que gosto de visitar aqui na Europa.

Um grande abraço,

Regina Oki

Resposta
Cristiane Leme Novembro 11, 2015 at 5:09 pm

Oi Regina! Obrigada por deixar o seu depoimento também!
Abraços e seja bem-vinda ao nosso time de colunistas 🙂

Resposta
Valgricia Novembro 12, 2015 at 1:54 am

Adorei os comentários e ver como as pessoas estão felizes morando fora do Brasil. Érika, você não poderia deixar de falar, o quanto você ama a Alemanha, como de fato o fez. Seja feliz pelo mundo querida e parabéns por participar do blog.

Resposta
Cristiane Leme Novembro 12, 2015 at 3:48 pm

Obrigada por comentar e continue acompanhando os textos aqui no blog! 🙂

Resposta
Maria Luzia Santos Novembro 14, 2015 at 4:14 am

Ola Cristiane!

Achei muito interessante todos os depoimentos das blogueiras e inclusive o teu! Pude ver os bons pontos positivos de cada pais e, que talvez, foi uma boa motivação para vocês continuarem a viver na Europa. Gosto muito de me informar sobre outras culturas e sobretudo, a qualidade de vida,a educação e a segurança. Tive o privilegio de conhecer alguns países, a turismo, como a Finlândia, Estónia, Portugal, Itália e Peru. Foi muito boa a experiência! Mas, viver num desses países, deve ser fantástico! Parabéns pelo artigo!

Um abraço!

Resposta
Cristiane Leme Novembro 15, 2015 at 12:29 pm

Obrigada pelo seu comentário! Dê uma lida nos outros artigos aqui no blog e continue nos acompanhando para saber mais sobre as experiências de nossas colunistas!
Abraços 🙂

Resposta
Elias Dezembro 7, 2015 at 1:57 am

Respondendo a Joy (Chile), o país que melhor atende os quesitos “sol, calor e uma praia onde dê pra nadar sem congelar” com certeza seria a Austrália. Meu sonho é visitar esse país: tropical como o Brasil, mas com um padrão europeu de qualidade de vida. 😉

Resposta
Tereza Março 9, 2017 at 9:12 pm

Delicioso este artigo !! Moro na Florida há quase 15 anos e daqui só saio para o Havaí.

Resposta
karina Sell Junho 27, 2019 at 5:13 pm

Adorei o post! Depois de morar em 14 cidades no Brasil e em 6 países diferentes, sempre me pergunto isso. Atualmente moro em Barcelona, o que mais gosto daqui é que a cidade é bem viva e conectada. Se pudesse escolher moraria em Zurique por ser uma cidade segura, organizada, limpa, bastante internacional e apesar de estar na Suíça, é um pouco mais agitada, com bons restaurantes etc. Além de estar no centro da Europa, ou seja, a uma distância curta de qualquer lugar. Pra finalizar, amo o fato da cidade ter as 4 estações muito bem definidas. Inverno com neve, outono laranja, verão ensolarado e primavera muito florida!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação