BrasileirasPeloMundo.com
Finlândia

Finlândia – Escolas finlandesas

Eu moro em Oulu como estudante cursando mestrado em Educação e Globalização e como parte do curso de Estudos Nórdicos, eu fiz visitas a algumas escolas para ver um pouco na prática como funciona o sistema de ensino do país.

O sistema educacional finlandês é conhecido mundialmente pela sua excelência e resultados, principalmente pelo bom posicionamento no PISA, um exame que avalia a capacidade de estudantes de 15 anos em leitura, matemática e ciências. É um teste unificado aplicado na língua oficial de cada país e acontece a cada 3 anos. É claro que há controvérsias em aplicar exatamente o mesmo exame em países com realidades tão diferentes, mas isso já é outra história.  Além disso, muito se fala do preparo do professor finlandês, que tem autonomia em sala de aula e possui, no mínimo, o mestrado, inclusive professores de ensino infantil. E é claro também que ter mestrado na Finlândia significa que o professor fez 3 anos de bacharelado e mais 2 de mestrado enquanto eu, por exemplo, fiz 5 anos apenas de licenciatura e bacharelado em Letras no Brasil. Mas isso também já é outra história.

As visitas incluíram uma creche, uma escola para crianças especiais e uma escola secundária e duraram cerca de 1h30 a 2h, então tivemos apenas um pequeno recorte da realidade das escolas e pudemos acompanhar só uma pequena parte do dia daqueles alunos, sempre orientados pelo diretor de cada escola. A seguir, vou falar um pouco sobre cada visita e destacar alguns pontos interessantes. É importante frisar que os relatos correspondem às minhas impressões e informações fornecidas pelo diretor de cada instituição.

Creche

Não é obrigatório matricular em creche/pré-escola crianças com menos de 6 anos de idade, ficando a critério dos pais fazê-lo ou não. A creche visitada tinha 200 crianças matriculadas e apesar do ensino obrigatório ser gratuito no país, nesta creche, pelo menos, as famílias pagam um valor mensal estipulado de acordo com a renda familiar.

As crianças ficam separadas em pequenos grupos de acordo com a idade e cada turma conta não só com a professora, mas com uma enfermeira assistente para auxiliar em todas as atividades. Desse modo, é mais fácil prestar atenção em cada aluno como um indivíduo e trabalhar o potencial de cada um. É interessante ver como cada espaço da creche foi realmente pensado para crianças, já que tudo é do tamanho dos pequenos, com decorações que enchem os olhos de qualquer criança e o mais importante: as crianças tinham seus nomes escritos nas cadeiras, mesas e cartazes. Para mim, isso faz cada criança se sentir especial e não apenas “mais uma ma multidão” e torna o ensino mais significativo.

Todos os dias as crianças brincam no parquinho e saem para “explorar”, já que o que não falta aqui em Oulu é natureza para isso. Mesmo nos dias frios é essencial que as crianças saiam, pois o passeio as conecta com o espaço que ocupam. Segundo a diretora, as saídas da escola só são canceladas quando a temperatura é inferior a -15 graus ou as condições climáticas não forem favoráveis.

Optimized-20151006_100049

Escola para crianças especiais

O público desta escola são crianças com deficiências que impedem que elas estejam matriculadas em qualquer outra escola. Todos os professores têm especialização na área e são capacitados para lidar com as crianças. As turmas são de, no máximo, 6 alunos e há assistentes, então é quase um professor por aluno, tornando o ensino quase que personalizado e focado nas necessidades de cada criança. Há diversas salas especiais para trabalhar com os sentidos e também coordenação dos alunos, estimulando o cérebro. Há, por exemplo, uma sala para crianças com deficiência auditiva com uma cama com sensores que permitem as crianças “sentirem” a música.

Optimized-20151013_093046

Escola secundária

A escola secundária visitada fica num bairro considerado carente e tem 800 alunos matriculados, o que a faz ser considerada uma escola grande pelos padrões da região. Como em toda escola finlandesa, todos os alunos têm direito a almoçar na escola sem custo algum. Nesta visita, pudemos circular livremente pela escola e observar diferentes aulas. Uma das aulas que mais me chamou a atenção foi de Home Economics. Nesta aula, os alunos aprendem a cozinhar, desde a teoria até a prática. Na aula que visitei, por exemplo, a professora ensinava peculiaridades da batata e como cortar uma cebola e em seguida, os alunos cozinharam carne com batatas. Por outro lado, quando visitei as aulas de inglês, finlandês para estrangeiros e biologia, elas não pareceram nada diferente do que temos no Brasil: um professor explicando a matéria e os alunos fazendo exercícios. Porém, o perfil do aluno finlandês é bem diferente do brasileiro: são quietos e não interagem muito. Não vou generalizar e afirmar que são todos assim, mas esta foi a impressão que tive do recorte das aulas que visitei.

Optimized-20151103_101211

O sistema de ensino finlandês parece funcionar muito bem, mas isto não significa que ele deve ser copiado ou transplantado para outros países. Não podemos esquecer que a solução para um ensino de qualidade funcionou aqui e precisamos levantar em consideração todas as variáveis como a história e cultura do país, por exemplo.

Related posts

Dez motivos para morar na Finlândia

Evelyse Eerola

Existe Halloween na Finlândia?

Lili Simmelink

Finlândia – 6 motivos para morar em Oulu

Beatriz Guedes

2 comentários

Gerda Holanda Abril 18, 2018 at 12:05 pm

Olá. Sou brasileira, estou fazendo doutorado em educação especial e gostaria de conversar com você sobre algumas questões. Como posso te contactar?

Resposta
Liliane Oliveira Abril 18, 2018 at 1:35 pm

Olá Gerda,
A Beatriz Guedes parou de colaborar conosco, mas temos outra colunista na Finlândia chamada Maila- Kaarina que também é Editora Geral do https://www.brasileirinhospelomundo.com/ e talvez possa te ajudar.
Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação