BrasileirasPeloMundo.com
França

Lyon gastronômica

Como falar da França e não falar sobre a gastronomia francesa, não é mesmo? Queijos, vinhos, foie gras, escargot e a baguette. Lembro que na semana da minha chegada fui correndo comer um croissant e beber um chocolate quente em uma casa de chá indicada pela minha host mother, afinal quer coisa mais francesa do que comer um croissant no café da manhã?

Assim como no Brasil, cada região francesa tem seus pratos típicos e a arte de cozinhar é levada muito a sério. Nesse amor pela culinária Lyon é considerada a capital gastronômica do país e posso dizer com toda a certeza: haja restaurantes nessa cidade!

Mas falando sobre tradições vou explicar o que é um bouchon lyonnais: aqui tem de tudo, desde restaurante japonês, árabe, português, italiano, até fast foods, especialidades em saladas, só de sucos… O que você quiser você vai encontrar! Mas e a cozinha regional? Aquela que você vai entrar e pensar: “uau, isso é francês e só encontro aqui!”. Esses restaurantes tradicionais de Lyon têm um nome exclusivo: Les bouchons lyonnais.

E é exclusivo mesmo? Minha resposta é sim, nesse mundaréu de restaurantes na cidade existem somente 20 bouchons considerados verdadeiros, com selo na porta de entrada garantindo a autenticidade. Claro que outros restaurantes falam que são bouchons para atrair clientes, afinal em que lugar no mundo não existe trambique, não é verdade? Mas agora os leitores do BPM saberão a diferença e em sua visita à Lyon almoçarão em um clássico bouchon lyonnais.

Antes mesmo de você entrar no restaurante você verá na porta o selo de autenticidade confirmado pelo órgão de turismo de Lyon e pelo órgão de comércio lyonnais. Ao entrar, o ar pitoresco e familiar tomam conta do lugar: balcão (onde podemos comer ali mesmo ou só beber), mesas praticamente coladas (isso quando não é uma só imensa e você divide com todos os clientes), toalhas quadriculadas em vermelho e branco, decoração em madeira, panelas penduradas na parede, Guignols (os tradicionais marionetes) e o patrão, sempre presente e cuidando de seus clientes. A cozinha é ali, geralmente de porta aberta pra todos verem.

Mas o show todo vai para a comida. Os produtos são frescos e de agricultores locais, por isso o menu é sempre simples e muda de acordo com a estação do ano. Ele é composto por pratos tradicionais cuja maioria está na história lyonesa há séculos, e por isso encontramos muitas tripas e miúdos nos pratos principais. Abaixo vou colocar uma ideia de menu completo para vocês sentirem vontade de fazer uma reserva:

  • Aperitivo: Kir à base de vinho tinto acompanhado de grattons, algo como o nosso clássico torresminho.
  • Entrada: Cervelas lyonnais, um tipo de linguiça à base de carne de porco. Cervelas vem do nome cervelle, cérebro. O motivo desse nome? Antigamente era feito com o cérebro do porco.
  • Prato principalQuenelles o carro chefe de Lyon, é um símbolo da cidade. A quenelle é uma massa feita de farinha com gordura de boi. O formato é de uma linguiça com média de 10 cm de comprimento e o diâmetro varia entre 3 e 4 cm. O molho nantua é à base de pasta de crustáceos, leite, farinha de trigo, sal, noz moscada, manteiga e creme de leite. Nantua é uma cidade da região dos Alpes e tem um lago onde nascem esses crustáceos. Posso garantir que a quenelle feita em um bouchon é muito mais saborosa do que a que eu compro no mercado já pronta (com o molho comprado à parte pronto também).

Ou

  • Tablier de sapeur. Esse prato consiste em uma parte do estômago do boi marinada no vinho branco e acompanhada de batatas cozidas. Ele pode ser servido de duas formas: cozido ou empanado e frito. O prato foi criado pelo Marechal de Castellane, governador militar da época de Napoleão III.
  • QueijoSaint Felicien ou Saint Marcellin, ambos à base de leite de vaca.
  • SobremesaTarte à Praline. A torta de praline é feita com a praline triturada (amêndoas cozidas com açúcar e normalmente com colorante rosa) misturadas no fogo com creme fleurette (uma espécie de creme de leite cru) até tomar uma consistência homogênea e espalhada na base de uma torta simples.

Tudo isso regado a um bom vinho dos Alpes, que no bouchon é servido em garrafas com exatos 460 ml. A região de Rhône-Alpes tem diversas sub-regiões produtoras de vinho que são emblemáticas, e entre elas destaco Beaujolais, Côteaux du Lyonnais e Côtes du Rhône.

A experiência de ir a um bouchon é ímpar; os preços variam mas são acessíveis a todos os bolsos.

Alguns endereços:

Aux trois cochons

9, rue des Marronniers

69002 Lyon

Cafe du Jura

25, rue Tupin

69002 Lyon

La tête de lard

13, rue Désirée

69001 Lyon

Como sou gourmande (nome que os franceses dão às pessoas que adoram comer) mas estou longe de ser uma chef de cozinha às vezes faço uns pratos mais simples em casa, como esses:

Entrada: salada de alface com pedaços de presunto e queijo gouda.

Prato principal: mini quenelle com molho nantua (compro pronto tanto a quenelle quanto o molho), ou molho de algum queijo azul (bleu d’Auvergne, bleu de Gex, roquefort, gorgonzola…).

Queijo: tanta opção que é impossível dar meia dúzia de nomes.

Sobremesa: iogurte com pedaços de frutas.

Vinho: Aqui em casa somos fãs do rosé Cabernet d’Anjou; compro a caixa de 3 litros, que rende em torno de 24 taças – comprar a garrafa sai bem mais caro.

unnamed (1)

E uma baguette fresquinha pra acompanhar.

Não sei vocês, mas me deu uma fome!

Related posts

Fases do intercâmbio na França e voltar para o Brasil

Sabrina de Paula

Entrevista com a Chef Alessandra Montagne da França

Ana Lozon

O que os franceses comem no inverno?

Lilian Moritz

3 comentários

Beatriz Setembro 1, 2015 at 6:59 pm

Jé, me bateu a maior fome lendo esse seu post! Que maldade, menina!!!
Além dos pontos turísticos, você vai ter que me levar para um tour gastronômico em Lyon! hahaha tudo muito chique!
Beijo e parabéns pelo post! Ficou demais!!!

Resposta
Jéssica Setembro 2, 2015 at 5:17 am

Nem me fale Bia! Na parte antiga da cidade tem tanto restaurante que da pra ficar horas na dúvida de qual escolher! To aqui tomando café da manhã já pensando no almoço pq a alma de gordinha não quer me liberar pro projeto madrinha gata, hahahaha. Esse nosso encontro tem que sair viu, ate 2020 ele sai, rs. Bjs =)

Resposta
Alice Setembro 13, 2015 at 7:28 pm

acho massa esses restaurantes bem tradicionais, bem franceses mesmo! uma pena que a culinaria francesa nao seja vegan friendly :'( deve ser muito dificil ser vegetariana/vegana ai ne? :/ chega ta me dando uma aflição pensar que eu nao vou poder comer em muitos restaurantes, afinal eu tb sou uma gourmandie assumida e com muito orgulho! hehehe

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação