BrasileirasPeloMundo.com
Singapura

Cingapura – Primeiras Impressões da Cidade Leão

Após 1 ano e meio morando em Kuala Lumpur, em julho me mudei para Cingapura devido ao trabalho do meu marido. Estes são países que dividem a mesma ilha, porém com muitas diferenças. Quando vim para Kuala Lumpur nunca havia morado fora do Brasil e a diferença foi enorme. Adaptar-se à cultura asiática não é nada fácil e ainda com o “bônus” da cultura muçulmana, dificulta mais ainda. Mas ter passado por essa experiência real de sudeste asiático tornou a minha adaptação a Cingapura muito mais fácil, se comparado a brasileiros que chegam aqui pela primeira vez na Ásia. Cingapura, perto da Malásia e outros países do sudeste asiático como Indonésia e Tailândia, nada tem de Ásia, tirando o fato de 80% da população ser de origem chinesa e alguns outros pequenos detalhes. E isso tem um motivo.

Quando Cingapura se tornou independente da Malásia em 1965, seu objetivo era se tornar um pais totalmente diferente de seus vizinhos e não ter o mesmo estereótipo destes países, que normalmente são associados a trânsito caótico, corrupção no governo, pouca ou nenhuma educação em todos os aspectos, enfim, países sempre associados à bagunça. Após 1965, Cingapura se separou literalmente da Malásia e teve que se tornar autossuficiente e com isso passou por muitos desafios, incluindo o não apoio politico da Malásia, que permanece até hoje. No fim do século 20 (anos 2000) passou de país em desenvolvimento a um país de primeiro mundo. Hoje Cingapura é considerado um dos melhores países do mundo para se viver. Neste ano eles celebram 50 anos de independência no dia 9 de agosto.

Depois desse tempo na Malásia, consigo identificar facilmente muitas destas qualidades em Cingapura no pouco tempo em que estou morando aqui. Como a parte difícil (que é se adaptar aos asiáticos e seus costumes) já passei, na verdade só consigo ver qualidades nesse meu novo país.

Meu dia a dia aqui é muito mais fácil e prazeroso, pois o transporte publico funciona, o índice de criminalidade é zero e os taxistas são educados e os táxis, relativamente baratos. Além disso se locomover de bicicleta pela cidade é totalmente possível e seguro, fato que não existe em Kuala Lumpur e estou muito feliz em poder voltar a fazer isso após quase 2 anos.

De fato, aqui a vida é mais cara. Os serviços como lavanderia, cabeleireiro, aluguel de carro, restaurantes e principalmente aluguel de apartamento são bem mais caros que na Malásia, mas na maioria das vezes o serviço prestado aqui é infinitamente melhor e compensa o aumento. Apesar de Cingapura ser menor e parecer que pode se tornar algo monótono após um tempo, as atividades de lazer e cultura aqui são infinitamente maiores que na Malásia. Vários espetáculos internacionais se apresentam aqui, como peças de teatro da Broadway e shows. Em Kuala Lumpur, por motivos de censura, a maioria não chega por lá. A infraestrutura geral da cidade é melhor e as opções de cursos e universidades, maiores e melhores. A qualidade do serviço de educação em Cingapura é considerada uma das melhores do mundo. Desde de que cheguei em Kuala Lumpur procurava uma especialização ou curso no assunto que me interesso; em Cingapura consegui encontrar facilmente e vou ter a oportunidade de estudar e conhecer esse sistema tão elogiado no mundo todo.

Na verdade, a única “vantagem” que a Malásia teria sobre Cingapura na minha opinião seria o custo de vida mais baixo. Porém às vezes o barato pode sair caro. No meu caso, saía muito caro e por ora estou preferindo minha vida por aqui. Caso o interesse seja fazer um pé de meia, pode ser que morar em Kuala Lumpur seja uma melhor opção, entretanto esteja preparado para uma vida sem nenhuma lembrança do mundo ocidental, a não ser as lojas e shoppings.

Diria que muitos estrangeiros vindos da Europa e outros países de primeiro mundo preferem Kuala Lumpur à Cingapura justamente por ser uma cidade com menos regras e organização, e eles buscam ter experiências diferentes daquelas com as quais foram criados: vivenciar morar em um pais mais “rústico”, por exemplo, mas para mim que venho do Brasil e 1 ano e meio de Malásia, não quero mais nada além de um pais seguro e organizado. Regras são muito bem vindas ao meu ver, pois facilitam o ir e vir das pessoas e em nada me atrapalham.

Espero poder dar continuidade ao trabalho feito pela colunista anterior, Juliana, e poder compartilhar novas informações sobre a Cidade Leão.

Até a próxima!

Related posts

Cingapura, a cidade mais tecnológica da Ásia

Fernanda Froimtchuk

Cingapura – Páscoa

Juliana Silva

10 motivos para não se mudar para Cingapura

Fernanda Froimtchuk

6 comentários

Omara Damasceno Julho 22, 2015 at 2:34 pm

Quero morar aí!País em pleno progresso!Parabens belo texto!

Resposta
Vitor Julho 22, 2015 at 7:16 pm

idala! ta tirando onda!bjs ao casal!

Resposta
Elena Julho 23, 2015 at 11:28 am

Só notícia boa! Adorei!

Resposta
Joseli lievorecavasotti Julho 23, 2015 at 11:31 am

Muito bom Fe! Que demais, é ótimo vcs conseguirem estar em um lugar mais promissor. Fico feliz por vcs e agora aproveita tudo. Estou adotando viajar com vc. Bjão , boa sorte e Deus abençoe vcs. Muito bom texto

Resposta
Glória Issa Julho 23, 2015 at 12:12 pm

É sempre bom ler os seus textos e melhor ainda é sentir que vocês estão felizes neste lugar. Muito sucesso nessa nova etapa.

Resposta
Ceres Damasceno Julho 23, 2015 at 1:16 pm

Que bom, Fernanda! Nada melhor pra vida da gente como as experiências. Parabéns, e obrigada por nos conduzir ao conhecimento de lugares excêntricos e belos, numa leitura gostosa e fotos bacanas. Bom pra “matar” a saudade de ver você. Tenho certeza que dará ‘conta do recado’ na continuidade da “Coluna Cingapura”. Desejo todo o sucesso nas novas etapas com os estudos. Manda ver, garotinha! Até a próxima! Beijocas da tia.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação