Maternidade na Alemanha

80
16212
Fonte
Advertisement

A taxa de natalidade infantil na Alemanha é uma das mais baixas da Europa. Para se ter uma ideia, em 2014 no Brasil essa taxa foi de 14,47 recém nascidos por mil habitantes, quando na Alemanha foi de apenas 1,4 no mesmo ano. Esse número é um dos maiores motivos para que haja um grande incentivo do governo alemão para que seus habitantes tenham mais filhos.

Ainda não fui mãe aqui na Alemanha mas conheço diversas pessoas que tiveram filhos aqui, tanto alemães quanto estrangeiros. Foi através dessas pessoas e de uma vasta pesquisa por fontes oficiais do governo alemão que reuni informações relacionadas aos incentivos do país para que as pessoas tenham mais filhos, bem como os direitos das mães relacionados à alguns aspectos como trabalho.

Licença Maternidade

Se estiver trabalhando a mulher não tem a obrigação de contar ao empregador sobre a gravidez até o terceiro mês, já que ainda é uma fase de risco. Ao contar as boas novas ao chefe, muitas vezes uma declaração de um médico deverá ser apresentada.

O próximo passo seria combinar com o chefe até quando a mulher poderá trabalhar antes do parto, e quanto tempo depois do parto voltará ao trabalho. De acordo com a lei, a mulher na Alemanha tem o direito de parar de trabalhar 6 semanas antes da data do parto marcada, e retornar 8 semanas depois. É claro que existem casos em que é necessário mais tempo devido à algumas exceções, como o nascimento prematuro, ou no caso de ter gêmeos.

Normalmente as mulheres não voltam tão cedo a trabalhar, isso porque aqui na Alemanha elas podem tirar até 1 ano de licença maternidade remunerada.

Fonte
Fonte: www.abendblatt.de

Licença Paternidade

Não bastando a licença maternidade, aqui na Alemanha o pai também tem direito a licença! Isso mesmo, ele pode tirar essa licença da mesma forma que a mulher, até 1 ano remunerado.

Ajuda do governo para os pais ou Elterngeld

Independentemente de a mãe ser alemã ou estrangeira, ela tem o direito de ganhar uma certa quantia do governo no auxílio ao filho. Isso acontece pelo fato de a mulher muitas vezes não poder ir trabalhar depois de ser mãe, ou por ser desempregada, ou até mesmo por ser estudante.

O valor dessa ajuda mensal pode variar muito de uma família para outra e fica entre 300€ e 1800€. O valor recebido depende muito de cada caso: se um dos pais já tinha emprego antes do filho nascer e de quanto ganhava, se um deles vai trabalhar com carga horária reduzida – o que também é possível – ou até mesmo se os dois vão tirar a licença maternidade/paternidade ao mesmo tempo. Essa ajuda é dada até no máximo os 14 meses de idade do filho.

Kindergeld

Além do Elterngeld, aqui na Alemanha cada criança nascida ganha uma quantia específica por mês, chamada de Kindergeld – dinheiro da criança. Essa contribuição mensal é dada até os 18 anos do filho, e o valor varia de acordo com a quantidade de filhos que o casal tenha:

O primeiro e o segundo filho: cada um recebe 184 euros. A partir do terceiro, o valor sobe para 190 euros e a partir do quarto filho, cada um recebe 215 euros.

Esse dinheiro pode ser usado da forma como os pais preferirem, tanto para os gastos mensais, como para investimento na educação da criança. Para se ter uma ideia, é estimado que uma criança entre 0 e 6 anos de idade, gastem 500 euros mensais.

Médico e Hebamme

Além da mulher ter o seu próprio médico ginecologista que irá acompanhar toda a gravidez, também tem ajuda de uma pessoa importante no processo da gravidez até o parto, a Hebamme. Essa profissional no Brasil seria chamada de parteira, mas aqui na Alemanha seu papel é muito mais que isso.

Além de preparar a mãe para o momento do parto, ela também auxilia após o parto, ajudando-a nos primeiros dias com o filho, em aspectos como a amamentação e assuntos relacionados à saúde. Elas normalmente visitam a mãe e o bebê em casa para prestar auxílio. A Hebamme é um serviço do plano de saúde da família; alguns não oferecem gratuitamente, mas a maioria, sim.

No hospital

Antes do nascimento, a família decide em qual clínica ou hospital o parto será realizado, sendo possível até mesmo fazer uma visita prévia ao lugar para tomar a decisão.

Outro aspecto importante em relação ao hospital é que muitas vezes o acompanhante – na maioria das vezes o pai – não pode dormir com a mãe. Normalmente isso depende do plano de saúde, já que alguns já incluem um quarto com acompanhante, enquanto outros não permitem, sendo assim um custo extra para a família.

Caso o plano de saúde da família já inclua esse tipo de quarto, sem problemas; a única coisa necessária a fazer é escolher o hospital. E quando digo hospital, falo de hospitais públicos, que são maravilhosos aqui na Alemanha. Claro que existe também o plano de saúde privado que é mais caro e tem seus próprios hospitais, da mesma forma que no Brasil.

No dia a dia

O dia a dia de uma mãe na Alemanha inclui lugares especiais nos transportes públicos (normalmente o mesmo lugar para idosos e deficientes físicos), e se estiver com carrinho de bebê há certos lugares reservados para isso. Há também estacionamentos que oferecem vagas para mulheres, chamadas de Frauen Parkplatz, bem como certas prioridades, como em filas.

Ser mãe na Alemanha é de fato uma outra realidade se comparada ao Brasil. No entanto, apesar de todos esses benefícios oferecidos pelo governo e todos os direitos que as mulheres têm, ainda não são o suficiente para que os casais tenham (mais) filhos. Aqui, a maioria das mulheres priorizam mais a carreira profissional, e dentre elas, a maioria só irão ter filhos após os 35 anos de idade.

80 Comentários

  1. O que a Tati quis dizer eu acho, é que a mulher pode ficar fora do trabalho por até 3 anos e manter o direito de voltar para o emprego. É o direito a vaga de trabalho, não uma vantagem financeira 😉
    Adorei seu texto, vou seguir seu blog!

    • Olá Mel,

      É verdade, acho que ela quiz dizer isso mesmo. Remuneração é mesmo só um ano, e poucos casos a empresa (se for muito grande) pode continuar pagando até 3 anos, mas nem sempre é o caso.
      E em muitas empresas também não dá para manter o emprego por tanto tempo estando de licença, por exemplo, se a empresa for muito pequena. Conheço casos em que a mãe perdeu o emprego depois que saiu a licença. 🙁

      Obrigada pelo elogio, fico muito feliz que tenha gostado.
      Volte sempre 🙂

      Allane

  2. Oi, sou brasileira e tive gêmeos lá na Alemanha e não tive direito ao Elterngeld… Estrangeiro não tem direito. Essa informação não confere 😉

    • Olá Lilia,

      Obrigada por compartilhar sua situação.
      Toda estrangeira tem direito sim ao Elterngeld, mas é necessário que a mãe esteja legalmente no país, esteja pagando os impostos anuais e claro, depende da sua empresa, se ela for grande ou pequena. Se for for muito pequena, é muito difícil para a empresa pagar todo o tempo de licença da mãe. Caso não tenha emprego, você tem direito à em torno de 300 Euros, independentemente de ser estrangeira ou não. Mas é necessário “avisar” que você teve o seu filho. Essa informação você pode encontrar aqui: http://www.babycenter.de/a20055/elterngeld-fr%C3%BCher-erziehungsgeld
      Assim como o Elterngeld você também tem o direito ao Kindergeld, no seu caso, como tem gêmeos recebe em torno de 194 Euros por filho.

      Espero poder ter esclarecido.

      Obrigada,
      Allane

  3. Olá,

    só queria comentar que aqui no Brasil as “parteiras” também fazem esse acompanhamento do prế/parto/pós parto, inclusive com consultorias sobre amamentação. É possível que não se achem parteiras em todos os locais brasileiros, mas quando achamos, as parteiras estão cada vez mais investindo no profissionalismo e cuidado com a Mãe/bebê.

    Parabéns pela postagem.

    • Olá Nadia,

      Nossa obrigada por compartilhar essa informação. Acho esse serviço o máximo, e muito importante, principalmente para as mães de primeira viagem. Aqui na Alemanha dá para contratar uma assim que se descobre da gravidez, é claro que nem todos os planos de saúde públicos oferecem o serviço de graça, mas a maioria sim.
      Acho muito legal que no Brasil tenha esse serviço, provavelmente é privado não é? Ou você sabe se já se tem na rede pública também?

      Obrigada pelo comentário e pelo elogio, fico feliz que tenha gostado do texto.

      Abraço,
      Allane

  4. Faltou falar sobre o outro lado da historia. POr que será que a taxa de nascimentos é tão baixa? Uma mulher que trabalha e tem crianças pequenas sofre inumeras dificuldades na Alemanha. Ela simpleamente nao consegue acompanhar o ritmo de trabalho porque as empresas não aceitam que a mãe se ausente do trabalho seja pelo filho estar doente ou por ela ter que sair mais cedo pra pegar ele nas escolas. A maioria das creches públicas nao atende no periodo integral e o kindergeld vai todo embora pra se pagar uma creche particular Qud muitass vezes tem horarios rígidos sem tolerâncias. Eu saia do meu trabalho mais cedo contra a vontade do meu chefe e chegasse na creche 10 minutos atrasada meu filho de 2 anos esrava esperando sozinho do lado de fora. Conseguir Lugar um apartamento com uma criança pequena é quase impossivel pois os prorpietarios falam clAramente que não aceitam. As criancas nao podem fazer um minimo barulho em nenhum lugar porqie vai ter sempre alguem reclamando. A mulher que tem filho nunca e vista com bons olhos pela empresa e quase sempre na volta da licença e preterida de sua posição. Porque vc acha que com todo este incentivo ninguem quwr ter filhos na Alemanha?

    • Olá Maria tudo bem?

      É sem dúvida interessante observar os desafios enfrentados pelas mães na Alemanha.
      A verdade é que aqui a vida é bem diferente do Brasil, até se tem babás, mas é um serviço caro. Entendo o seu ponto de vista e vejo muitas mães reclamando da mesma coisa.
      Problemas para encontrar apartamentos é bem comum, com criança e com cachorro. Já deixei de conseguir apartamento porque o dono deu preferência à uma pessoa que não tinha cachorro. É uma busca frustrante muitas vezes. Infelizmente não se dar para se ter tudo, mesmo em países desenvolvidos como a Alemanha. Ter filhos aqui sem dúvidas tem suas vantagens e desvantagens. Isso é um ótimo tema para ser discutido.

      Agradeço seu comentário e por compartilhar sua experiência conosco.

      Abraço,
      Allane

  5. A licença remunerada é de 1 ano, mas a mãe pode optar por ficar mais 2 anos em casa e voltar ao trabalho quando a criança completar 3 anos.

    • Olá Fernanda,

      É isso mesmo. A remunerada é até 1 ano (é claro que também existem empresas que podem pagar por mais tempo, mas não são a maioria) e dá mesmo para mãe optar por ficar mais tempo em caso.

      Abraço,
      Allane

  6. Tenho uma dúvida, nas filas do mercado, banco, comércio em geral não temos preferência né? E o marido pega licença de 5 dias só que eu saiba, ele pode pegar ate 2 meses, mas ganha só 30 ou 40% do salário. Moro ao lado de Munich e aqui pelo menos o sistema é esse. Beijos Tatiana

    • Olá Tatiana,

      Suas perguntas são muito boas. Então, como aqui à princípio as filas não são normalmente longas, não existem caixas preferenciais. O que acontece para as gestantes é o mesmo que para os idosos: depende da consciência de cada um que está na fila em deixar você passar na frente. Pelo menos é assim que sempre vejo, e é o que busco fazer quando vejo alguém gestante ou idosa nas filas.

      Sobre a licença você tem razão, mas veja bem, o pai e a mãe têm direitos iguais quando no que se refere à licença, à partir do momento em que um deles decide tirar a licença, eles continuam recebendo dinheiro, mas o valor é reduzido como você disse. Tudo depende do caso… depende por exemplo se só um deles vai continuar trabalhando ou se os dois vão tirar a licença, em alguns casos também depende da empresa (se for grande ou pequena) e do tempo da licença, mas os pais podem sim tirar o mesmo tempo de licença que as mães. No link que compartilhei acima na sessão do Elterngeld (http://www.babycenter.de/a20055/elterngeld-fr%C3%BCher-erziehungsgeld) dá para ver todos os critérios.

      Espero poder ter esclarecido um pouco para você. É que na verdade, cada caso é um caso.

      Abraço,
      Allane

  7. E como é a questão do parto em si? A mulher tem direito a escolher se quer normal ou cesariana? Ou eles tentam forçar a ser normal mesmo?

    • Olá Vanessa,

      Aqui na Alemanha não da muito para escolher entre normal e cesariana. Os médicos aqui sempre buscam fazer parto normal, a cesária é só em casos em que a mãe ou filho corram mesmo algum risco. Pode ser que quem possui o plano de saúde privado possa escolher, mas eu sei que para quem tem o público não dá. Sei que dá para por exemplo conversar com o hospital para optar por tomar uma peridural no dia do parto, mas escolher a forma do parto, só o seu médico irá dizer.

      Espero poder ter ajudado.
      Abraço,
      Allane

    • Olá Roseli,

      A situação para mãe que está irregular no país com certeza é diferente. Não dá para ter os benefícios como o Elterngeld por exemplo, pois ele requer que você esteja legal no país e que pague anualmente os impostos.
      Em relação aos outros aspectos é difícil dizer. Não seria melhor tentar se legalizar no país? Não conheço casos em que a mãe esteja ilegal, não sei por exemplo se ela tem o seguro de saúde ou faz tudo particular.
      O que posso dizer é que os benefícios que uma mãe legal tem são diferentes, já que estão dentro da lei e portanto possuem os mesmos direitos que uma Alemã.

      Espero poder ter ajudado de alguma forma.
      Abraço,
      Allane

  8. OLA aLLANE!! EU ESTAVA TRABALHANDO EM UM EIS CAFE AÍ NA ALEMANHA E ACABEI ENGRAVIDANDO E O DONO ME DESPEDIU. MEU INTERESSE ERA TER MINHA FILHA AI. MAS DEVIDO A ISSO NAO FOI POSSIVEL POIS NAO FALO A LINGUA. ENTAO O CONSULADO DE MUNIQUE ME INDICOU UMA ADVOGADA E ENTREI COM UM PROCESSO, MAS ESTOU ACHANDO QUE A ADVOGADA QUE É ALEMA FOI COMPRADA POR ELE POIS NAO ME DEU MAIS NOTICIAS A MAIS DE UM MES.
    CASO ESTEJA ROLANDO O PROCESSO POSSO TER CHANCE DE GANHAR??? OU POSSO ENTRAR COM O PROCESSO COM OUTRO ADVOGADO?
    OBRIGADA

    • Olá Mariana,

      Sinto muito pela situação. Na verdade eu não tenho muito como te ajudar nesse aspecto, não conheço nenhum caso parecido e não conheço esse lado da lei. O que eu recomendaria era você entrar em contato novamente com o consulado, eles podem te auxiliar melhor em relação às leis. Se esse advogado não te deu mais notícias é estranho, não seria melhor pedir ao consulado para indicar outra pessoa?

      Desculpa não poder responder à sua pergunta, mas não tenho conhecimento em como esse tipo de processo acontece.

      Te desejo muito boa sorte.
      Abraço,
      Allane

  9. Allane, parabens pelo blog!
    Bom, mas sobre a escolha de cmo vc deseja ter seu bebe, vc pode sim escolher. Eu fiz duas cesareas sem indicacao medica, simplesmente porque eu disse que nao tinha coragem de fazer parto normal… Em cidades diferentes e com dois medicos diferentes. So falei que nao queria timha coragem de fazer parto normal. E meu plano de saude era publico tb.
    Beijo e tudo de bom.

    • Olá Cy,

      Obrigada pelo comentário. É sempre muito interessante saber de outras experiências. Talvez isso possa variar de médico para médico ou de cidade para cidade. Aqui em Munique eles fazem de tudo para que você tenha normal, e nem aconselham muito anestesia. Interessante não? 🙂

      Abraço,
      Allane

  10. Allane, não entendi muito sobre a licença paternidade … Meu marido só teve um dia de licença paternidade dado pela empresa. Depois ele tirou dois meses, mas através do Elterngeld, recebendo 67% do salário (se não me engano) nesses meses de licença + o que recebia do Elterngeld. Adorei o blog, vou tentar acompanhar. bjs

    • Olá Regiane!

      Quando o pai ou a mãe decidem tirar a licença paternidade/maternidade, apesar de continuarem sendo remunerados, esse valor irá diminuir.
      O valor a ser recebido dependerá do tempo da licença, ou seja, cada caso é um caso.
      Outro fator que irá afetar a remuneração é a empresa, se ela for grande as chances de benefícios são maiores. Se for pequena, muitas vezes nem pagam a licença, e algumas nem garantem que você tenha seu emprego de volta. Isso acontece porque elas não possuem o capital para isso.

      É um tema um tanto complicado mesmo, até para os alemães.
      Espero ter respondido sua pergunta 🙂

      Fico feliz que tenha gostado do blog. Volte sempre.
      Abraço,
      Allane

  11. Allane, parabéns pelo post.
    Tenho uma dúvida.
    Atualmente eu trabalho como autônoma no Brasil.
    Tenho planos de ir morar na Alemanha com o meu marido.. Provavelmente ele irá trabalhar em uma empresa, com todos os benefícios.
    Você tem alguma ideia se é possível eu trabalhar por conta própria? Ele tem cidadania portuguesa..
    E sendo estrangeira, quanto tempo terei que pagar impostos parar ter acesso ao sistema de saúde pública.

    Obrigada

    • Olá Talitha,

      Obrigada! Fico feliz que tenha gostado do post!
      Sobre a sua pergunta…
      Se vocês forem casados e ele tiver todos os benefícios da empresa, você também estará inclusa no seguro de saúde dele, não precisa pagar impostos para ter acesso ao seguro de saúde.
      É possível sim trabalhar por conta própria, você terá que registrar uma empresa aqui na Alemanha, que é bem simples. Toda cidade tem um local onde é possível registrar uma empresa, aqui em Munique por exemplo, fica no mesmo prédio onde se renova a identidade de estrangeiros.
      Você só terá que pagar impostos se lucrar mais que 8 mil Euros por ano. Espero ter esclarecido suas dúvidas.

      Se tiver mais alguma pergunta é só entrar em contato.
      Abraço,
      Allane

  12. Olá Allane!
    Uma dúvida que pode parecer idiota, mas como quero planejar antes de ter filho, nao quero nenhuma surpresa 🙂
    Eu trabalho e meu salario é maior do que o de meu marido e eu moro aqui como cidada portuguesa.
    Tenho direito a isto mesmo nao morando na Alemanha há 3 anos?
    No caso, a mulher que tem filho e tira essa licenca por um ano, continua recebendo o mesmo valor de seu salario (como no Brasil)? Ou é apenas esse valor do Elterngeld (que seria 67%)?
    Ou é o salário mais o elterngeld (salario x + Elterngeld)?
    Muito obrigada desde já, pelas dicas aqui!
    Abracos!!
    Cris

    • Olá Cris,

      Imagina, nada de pergunta idiota. Sua pergunta é bem interessante. No entanto, não entendi… você mora aqui na Alemanha ou não mora há 3 anos?
      A partir do momento que você mora na Alemanha tem direto à todos esses benefícios.
      Sobre o valor, o Elterngeld já é o seu salário. O salário não continua o mesmo depois que você entra de licença, sempre haverá esse desconto que varia de acordo com o valor do seu salário. Você irá receber além desse salário (o Elterngeld) o Kindergeld, valor este de aproximadamente 180 Euros mensais até o seu filho completar 18 anos.

      Espero ter respondido suas perguntas. Caso tenha alguma dúvida é só entrar em contato que terei prazer em ajudar.
      Abraço,
      Allane

  13. Olá Allane,

    gostaria de saber se eu estiver trabalhando em uma empresa a menos de seis meses sem contrato fixo eu também tenho direito a licença maternidade ou a firma pode me demitir por eu não ter contrato fixo?

    • Olá Karime,

      Nesse caso é complicado, você não terá o direito a licença maternidade.
      Seu contrato precisa ser fixo, e você terá que ter mais de 6 meses na empresa.

      Espero ter ajudado.
      Boa sorte,
      Allane

  14. Olá boa noite eu tenho umas duvidas em relação aos direitos de maternidade na Alemanha… Moro em stuttgart a 4 anos…estou a trabalhar numa firma ia fazer 2 anos agora dia 30 de setembro…fiquei grávida e como é óbvio não me renovam o contrato logo fico pelo fundo de desemprego….Mas só por 2 semanas porque apartir do dia 12 de Outubro fico de licença…Eu gostaria de saber se sabem quais vão ser os meus rendimentos que vou ter direito apartir do momento que fico em casa…obrigado

    • Olá Susana,

      Sua pergunta é bem específica, então não sei bem responder o valor exato que você irá receber porque depende muito do seu contrato, do seu salário e da empresa.
      Dai é calculado um percentual em cima disso, mas é certo que não receberá o valor normal, e sim menos.
      Desculpa não te dar informações mais detalhadas, esse processo de licença maternidade é bem complicado mesmo e é diferente para cada caso.

      Te desejo boa sorte.
      Abraço,
      Allane

  15. Sou brasileira, moro e trabalho no Brasil e descobri agora que estou grávida. Meu namorado é alemão e vive e trabalha na Alemanha. Gostaria de saber: 1 – Até que período da gravidez eu posso viajar para Alemanha? 2 – Queremos ter o bebê na Alemanha, mas eu não trabalho e não tenho visto. Posso ficar por lá legalmente, antes do parto quanto tempo (ou somente os 03 meses de turista)? 3 – Eu na Alemanha, desempregada e não-casada, terei algum direito financeiramente falando?
    Obrigada desde já pelo post e aguardo um retorno.
    bjus,

    • Olá Rosa,

      Sobre até que período você poderá viajar para a Alemanha só o seu médico pode dizer. Aqui na Alemanha você poderá ficar somente 3 meses como turista. Para ser sincera não o que aconteceria se você tivesse o seu filho aqui sem ter visto, ainda não me deparei com um caso assim. Sem emprego e sem ser casada seria muito complicado, até onde eu sei você não teria direito à nada, nem seguro de saúde, o que significa dizer que você teria que pagar todos os custos com o hospital etc. O mais fácil seria se você estivesse casada.

      Desculpa não poder passar muitas informações, é que não sei mesmo.
      Abraço e boa sorte,
      Allane

  16. Olá Boa tarde gostei muito do post mas tenho algumas dúvidas. Eu estou grávida e o bebê nasce dia 13 de fevereiro de 2016. Mas como mãe solteira apesar de o meu companheiro viver comigo não somos casados. Ele neste momento não tem trabalho e eu trabalho so em apart time no qual o meu salário bem chega aos 450€ por mês o que é bem complicado. E gostava de saber o que preciso para ter direito as ajudas. Não sou alemã sou portuguesa e em Portugal sei que quando se está grávida levamos x por mês por se estar grávida e quando nascer levamos o abono e aqui quais são os meus direitos? Sei que o meu contrato também foi renovado agora em agosto para 1 ano se não estou em erro tenho direito a receber dinheiro do trabalho mesmo estando em casa? Obrigada pela compreensão..

    • Ola Francielle,
      A Christiane não colabora mais com o blog. Por favor entre em contato com alguma outra colunista da Suíça. Obrigada. Ann Moeller

  17. Olá Allane!

    Em primeiro lugar parabéns pelo blog. Então, minha situação é a seguinte. Eu e minha mulher (não somos casados oficialmente) sempre pensamos em sair do país mas as coisas não aconteceram com a gente imaginava. Agora ela está grávida de 6 meses e fui atrás de informações sobre ter nosso filho no exterior. Como tenho ascendência alemã, pensei na Alemanha. Essa possibilidade existe? (de nos mudarmos agora para termos nosso filho aí?) Como funcionaria todo o processo? Obrigado.

    • Olá Ibanez,

      Obrigada pela mensagem!
      Nunca vi um caso que nem o seu pra ser sincera, mas a verdade é que para se mudar para cá mesmo tendo a cidadania alemã você tem que se registrar aqui quando chegar, ter emprego etc. Você já procurou o consulado da Alemanha pra perguntar? Com certeza eles irão pode te ajudar bem mais que eu. Não quero te responder algo que não tenho certeza.

      Espero que dê tudo certo.
      Boa sorte,
      Allane

  18. Ola tudo bem? A minha pergunta é a seguinte. Sou portuguesa com dois filhos menores e solteira. Estou na Alemanha há 4meses. Fui pedir ajuda e foi me negado. Dizem que tenho de teabalhar. Mas Como? Um dos meus filhos só tem 7meses. Podem fazer isso? Que é que eu faço? Ajude me por favor. Obrigada

    • Olá Andreia,

      Sim, mesmo sendo portuguesa você precisar trabalhar para morar aqui na Alemanha 🙁
      Ou pelo menos estudar. Você já entrou em contato com o seu consulado aqui? Acho que eles poderão de ajudar melhor.

      Boa sorte,
      Allane

  19. olá meu namorado é alemao e trabalha em um emprego publico na Alemanha. Vou ter nosso filho no Brasil porque aqui tenho seguro saúde, ele tem direito a licença paternidade mesmo o filho nascendo no Brasil? Sobre o registro no consulado já vamos fazer, mas a dúvida é sobre o direito dele de licença paternidade sendo que o filho vai nascer no Brasil…. se puder me ajuda ou indicar um site agradeço antecipadamente.

    • Olá Karol,

      Sua pergunta é muito interessante, mas eu infelizmente não sei dizer porque nunca li sobre um caso assim nem conheço ninguém nessa situação. Na verdade eu acho que ele deveria ver isso com a empresa dele. Eu acredito que possa sim, mas não quero te afirmar porque não tenho certeza. Talvez com o filho de vocês registrado aqui seja possível, mas acho melhor vocês falarem com a empresa ou com o órgão responsável por esse assunto aqui na Alemanha.

      Espero que dê certo.
      Abraço,
      Allane

  20. Ola eu sou aninha
    Estou gravida COM sete Meses ,e tenho uma pergunta e Duvida ao Mesmo Tempo.sou Casada COM um alemao ,Vamos completar tres anos ainda de Casada.eu gostaria de ganhar o bebe no brasil,mas muitas colegas minhas falaram p mim ,Que se isso acontecesse o meu filho nao teria Ost mesmos direitos de um cidadao alemao ,isso e verdade?

    • Olá tudo bem?

      Isso não é verdade, tendo o pai alemão seu filho terá a cidadania alemã e terá sim os mesmos direitos. Assim que nascer no Brasil você deverá registrar o nascimento no consulado da Alemanha no Brasil. Esse procedimento é o mesmo para quando você tem o seu filho na Alemanha e quer que ele tenha a cidadania brasileira.
      🙂

      Abraço,
      Allane

  21. olá amigas eu lir tantos comentos que fiquei tonta, eu sou brasileira mais meu companho e alemáo, tenho cidadinancia italiana por isso náo penso em me casar, naó me vale a pena,eu moro na france com divisa com alemanha, tive meu filho na france mais podia tambem ter na lemanha, foi otimo mais esta ajuda de dinheiro so se recebeu meu marido e eu nunca recebir nem um centavo, sei que ele recebe kindergeld mais vai na conta dele, pois eu náo trabalho, so que agora meu filho tem 4 anos e entre nós vai mal eu quero cuidar da minha vida eu queria uma ajuda da social pelo menos enquanto eu encontrace um trabalho, será que eles me ajudariam, ? pois meu filho e alemáo ,

  22. Boa noite, poderia me esclarecer uma dúvida em relação ao elterngeld? Eu estava a pensar ir ter o meu filho a Portugal porque o meu namorado tem um contrato de trabalho de três meses lá. Estava a pensar em deixar a casa ca porque é uma despesa extra embora mantenha o meu contrato de trabalho. Terei direito ao elterngeld ou terei que ter uma morada ca?

  23. Quero trazer minha filha de 26 anos para estudar na Alemanha problema que ela tem um bebê de 6 meses ,como faço para conseguir visto para os Dois???

    • Andrea, a Allane parou de colaborar com o blogue.
      Sugerimos que entre em contato com o consulado da Alemanha mais próximo de você ou algum órgão oficial de imigração alemão para obter as informações solicitadas.
      Equipe BPM

  24. Gostaria de saber para extrangeira na Alemanhã, sem documentação, estando no país no 6 período de gestação. Como fica o parto? Parece que não aceitam fazer o parto? O que a gestante fará neste caso se esta 6 meses grávida sem documento de cidadania …

    • Gemima, a Allane parou de colaborar conosco. O ideal nesse caso é que a brasileira em questão procure se informar junto aos órgãos de imigração da Alemanha e busque . Em geral, não há assistência médica para pessoas indocumentadas, porém dependendo do caso pode-se procurar órgãos de direitos humanos para conseguir ser atendido – não há, contudo, garantia de conseguir o atendimento. O melhor nesse caso é procurar tentar se legalizar e, assim, poder ter acesso aos serviços de saúde sem questionamentos.
      Boa sorte,
      Edição BPM

  25. Ola Allane sou brasileira e tenho uma filha com um alemão, chegamos a morar juntos mas o relacionamento nao deu certo, hoje minha filha tem 6 anos, e eu coloquei o pai dela na justiça alemã. Ele paga a pensão mas meu advogado que dai da Alemanha, a meses não me da mais assistencia, sera que ele foi comprado pelo o pai da criança? Mas ele continua mandando a pensão, mes sim e mes não, se eu fosse pra Alemanha, pra agilizar a documentação dela em relaçao ao pai vc acha que eu conseguiria? Ela quer muito conhecer o pai, ele ja viu ela mas so pela internete e ja conversou tambem, mas ele tem contato direto comigo, escreve todos os dias e o mesmo quer que eu e ela vamos morar lá, Eu penso que ele pode me tomar ela no futuro, mas o advogado me garantiu que não. vc poderia me tiarar essa duvida? Me chamo Hilda obg.

    • Maria Hilda, a Allane parou de colaborar conosco mas temos outras colunistas na Alemanha. Você pode procurar pelos textos mais recentes e tentar fazer sua pergunta para uma delas, quem sabe alguém ajuda? No mais, tente ver com a embaixada da Alemanha no Brasil em relaçâo à documentação.
      Boa sorte
      Edição BPM

  26. Gostei muito deste artigo. Foi bem útil. Estou pesquisando todas as informações necessárias sobre a Alemanha, pois temos a intenção de morar na Alemanha um dia, se for possível. Vou seguir o blog para estar sempre atualizada. Você por acaso tem Facebook?

  27. Oi tudo bom? Eu sou portuguesa e meu marido tambem é. Descobri a pouco tempo que estou gravida e so ele esta a trabalhar. Sera que vamos ter alguma ajuda?obrigada

  28. Olá bom dia,
    Estou grávida de 3 meses vivo 14 anos na Alemanha,Fui casada com um alemão idiota a mais de 12 anos tenho 2 filhas dele,
    Por ele ser um homem frio e não ter dado muito atenção a família eu rersovi mim separa,
    Um ano depois Fui para fortaleza que lá acabei me apaixonando por brasileiro
    Ele veio para Alemanha e está a mais de 1 anos na Alemanha estudando.
    Estou esperando o primeiro filho dele.
    À minha pergunta é.
    Ele só tem o viso até o dia 20/05/2017
    🙁
    Tenho medo de não conseguir o viso até o bb narcer será que alguém pode me ajudar nessa minha pergunta ?
    o que agente podermos fazer ?

  29. ola eu gostaria de sabe pelo fato de minha namorada esta gravida eu tenho direito algum tipo de visto na Alemanha ? ela e alemã. e mora aqui.

    • Olá Gilvan,
      A Allane Milliane parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas na Alemanha que talvez possam te ajudar.
      Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
      Obrigada,
      Edição BPM

  30. boa noite!
    Gostaria de ter uma informação.
    O meu marido trabalha na Alemanha, e eu estou em Portugal, eu estou grávida e terei o bebe pro inverno.
    A minha pergunta é saber se ele tem direito a algum tipo de licença do trabalho para poder estar connosco.
    Obrigado!

  31. Boa noite! Meu marido e eu somos brasileiros e moramos na Alemanha, quando engravidar gostaria de ir ter meu filho no Brasil e retornar somente quando o bebê tiver 3 meses. Gostaria de saber se teremos esses direitos sociais sendo o meu bebê filho de brasileiros e nascido tbm no Brasil. Obrigada!

    • Olá Priscilla,
      A Allane Milliane parou de colaborar conosco, mas temos outra colunista na Alemanha chamada Karina Finke que mora na Alemanha e talvez possa te ajudar.
      Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
      Obrigada,
      Edição BPM

  32. acredito que o problema em relação a natalidade do país não é devido ao incentivo do governo ante a situação, o problema é meio que cultural, diria ainda que se restringe a formação moral das famílias. Mas, não querendo ser o tiozao conservador mas ja sendo; a cultura de ter o sexo matrimonial com fins reprodutivos é ligada diretamente ao cristianismo (mais em específico, os católicos), uma vez que a Alemanha cada vez mais é “afetada” pela descristianização, tendo cada dia mais ateus, o sexo deixa de ser algo sagrado e único e sofre uma certa prostituição, retirando assim a sua essência, buscando apenas o prazer e como consequência disso, “os filhos são prejuízo”.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.