BrasileirasPeloMundo.com
10 Motivos Camboja

Dez motivos para morar no Camboja

Dez motivos para morar no Camboja.

Quando decidi morar no Camboja escutei algumas palavras como: exótico, diferente, interessante e até mesmo maluco. Meio ano se passou e posso garantir que são mais de dez motivos para vir pro outro lado do mundo. Seria muito clichê citar os templos. Este eu deixo para um artigo especial.

1-   Segurança

Descobri que não é preciso morar em um país de primeiro mundo para ter segurança. Moro em um dos países mais pobres da Ásia e, mesmo assim, ando tranquilamente pelas ruas. Pobreza é diferente de criminalidade. Não tem assalto a mão armada, não me apontam uma faca e minha vida não está em risco caso eu não tenha cinco dólares. Posso voltar andando de madrugada para casa numa boa. Não vou ser hipócrita e falar que aqui não acontece nada e que é seguro 100% do tempo. Aqui também tem os batedores de carteira, mas isso, gente, tem no mundo inteiro né? No condomínio onde moro tem portão, mas nunca o trancamos. Nem chave para isso tem.

2-   Custo de vida 

Em SP, eu não tinha grana suficiente pra alugar um apê e morar sozinha. Talvez rolasse dividir, mas teria que abrir mão de muita coisa. Aqui, por ser muito mais barato, eu tenho meu próprio studio sem precisar dividi-lo e, ainda, tenho o beneficio de ganhar em dólar. A moeda local chama-se Riel e 1 dólar equivale a 4 mil riels.

3-   Vida mais saudável

Ao morar sozinha vem o desafio da alimentação. Comer na rua é mais fácil, rápido e não é tão caro. Aqui, uma refeição custa em torno de 6-8 dólares. Entretanto, fazer compras no mercado é mais barato ainda e a Ásia é bastante rica em termos de variedade de frutas e legumes. Encontro praticamente tudo o que tem no Brasil e mais algumas frutas e especiarias diferentes e deliciosas. Somando-se tudo isso ao meio de transporte que escolhi aqui, a bicicleta, automaticamente minha vida se tornou mais saudável. Sem contar com as diversas casas de massagem que há em todas as esquinas e o custo de cada sessão varia de 1 a 45 dólares.

frutas

4-   Povo acolhedor

De modo geral, o asiático está sempre sorrindo. Siem Reap é uma cidade pequena e, com o passar do tempo, as pessoas sabem quem é você. Eu machuquei o braço e fiquei um mês de tipoia. Tanta gente me abordou para saber como eu estava, se eu precisava de alguma coisa. Uma preocupação surreal. Quem me ajudou a achar meu cantinho foi o dono de um restaurante que eu frequentava bastante na época em que eu ainda morava em um hostel. Enfim, solícitos, simpáticos e sempre sorrindo. Simples assim. Aqui eu não me sinto estressada e, inevitavelmente, vem a comparação com SP: não há tempo e nem interesse em saber como você esta.

Leia também: custo de vida no Camboja

5-   A questão do tempo

Em São Paulo, para mim faltava tempo. Não pelo fato de não saber administrá-lo, mas fazia tudo correndo, com aquela sensação de “Ai, não vai dar tempo, vou chegar atrasada…” Aqui por mais que eu ache que eu não terei tempo suficiente, eu sempre me surpreendo e me pergunto: “Quando você vai desacelerar de vez, hein, Roberta?”. Tenho dois empregos e consigo conciliar atividade doméstica, física (academia, yoga e futebol), lazer e faço tudo de bike ou a pé.

6-   Países incríveis ao redor

Para quem ama viajar, assim como eu, a Ásia é um prato cheio. Aqui estou ao lado do Vietnã e da Tailândia, mais um pouquinho tem o Laos. Tem também a Malásia e as Filipinas. Opa! Olha a Índia aqui também! Fora o próprio Camboja. As distâncias são curtas e os valores das passagens são bem convidativos. Ah! Vamos parar, porque já esta me dando vontade de fazer as malas.

7-   Mente aberta

Morar em uma cidade que recebe em média quatro milhões de turistas por ano abre a sua mente. Você conhece gente do mundo inteiro, aprende sobre suas culturas, comportamentos e troca contato. No final, o saldo é sempre positivo.

8-   Autoconhecimento

Mas quem sou eu mesmo? Huuum certamente não sou mais aquela Roberta de SP. Baladas tops, restaurantes caros, porres… Mas calma. Não! Eu não me tornei um monge. Porém, como parte da vida, tudo tem seu tempo e seu processo.  Você não muda propositalmente, o dia-a-dia te faz mudar e você passa a enxergar as coisas por diferentes ângulos. Saí de um país pobre para um país mais pobre ainda. O Camboja está me ajudando muito a me redescobrir. Sou muito grata pelo que tenho e pelo que meus pais puderam me dar. Nunca me faltou nada, o essencial sempre tive. Sou grata, também, pelas minhas conquistas e pela minha trajetória. Agradeço sempre por estes momentos, descobertas e pelo que eu conquistei.  Entendi, depois de um tempo, que cada um é cada um e que, por mais que o terreno vizinho aparente ser melhor, na verdade, não é tão bom assim.

praia

9-   Uma pessoa mais forte

“Nossa que corajosa ir morar no Camboja, sozinha, sem conhecer ninguém, indo com passagem só de ida.” Sim, pra mim é tão normal. Depois entendi qual era o ponto da questão: o país. Afinal morar na terra do Tio Sam ou em algum país europeu é super ok, mas, e no Camboja? Qualquer lugar do mundo vai te proporcionar bons e maus momentos. Já morei na Austrália e todo mundo passa por um dia ruim e, aqui, não seria diferente. Não tem ninguém para segurar a minha barra, para me dar a mão, um abraço, e é ai que me fortaleço. Apesar da distância, recebo muito apoio e muita energia de quem eu amo. Eu costumo brincar e dizer que estou no futuro, afinal são doze horas de diferença.

10-Linda, linda

O que já me pararam pra tirar foto não esta escrito, sou exótica para eles! Aqui não tem tempo ruim. Até mesmo as mulheres te elogiam! Então, fica a dica: se a sua auto-estima não está boa, pode vir para a Ásia que é sucesso garantido.

DJ

Related posts

Dez motivos para morar em Omã

Paula Tomazoni

O que mais gosto morando em Portugal

Graziella Espósito

Sistema de saúde no Camboja

Roberta Jorge

18 comentários

Luciana Santoro Maio 7, 2016 at 6:04 pm

Estou simplesmente encantada, orgulhosa e extremamente feliz por ver você realizada desta maneira. Você é uma guerreira! Tenho muito orgulho de você ro! Parabéns por tudo que enfrentou e tudo que conquistou….e te garanto…É SÓ O COMEÇO! TE AMO! BEIJOS LULI

Resposta
Roberta Jorge Maio 8, 2016 at 6:07 am

Luli querida! mta obrigada pelas palavras e pela forca!!
Espero uma visita 😉 Mtas saudades
love u too!

Resposta
Vivian Kulpa Maio 8, 2016 at 1:15 pm

Olá Roberta,

Também sou colunista aqui do BPM. Adorei seu texto, pois é muito inspirador. Vim de SP também e sinto que mudei muito após minha escolha. Ainda não fui à Ásia, mas está na minha lista de próximos, pois agora vejo que está bem mais perto. E o mundo está aí para ser explorado e vivenciado, não é mesmo?
Abs,
Vivian

Resposta
Roberta Jorge Maio 9, 2016 at 3:34 pm

Oi Vivian!
Fico feliz por saber que voce gostou! Essa é a ideia, inspirar 😉 Sou suspeita para falar da Asia pois amo esse canto do mundo rs. Se quiser tirar alguma duvida sobre a Asia ou o Camboja pode me escrever que sera um prazer ajudar ????

Resposta
Mariane Maio 10, 2016 at 2:05 pm

Adoreeei!!!
Nunca tinha ouvido falar no Camboja.
Depois dessa matéria, irei pesquisar mais esse lugar..
Só tenho uma dúvida, por não ser um país da Europa, precisa de visto?
É possível morar aí ou só passear?
Bjsss

Resposta
Roberta Jorge Maio 10, 2016 at 2:54 pm

Oi Mariane!

Tem mais post do Camboja no meu blog, acho q vc vai gostar!
Acessa la 😉 http://vemcomigorobertajorge.tumblr.com/

Para entrar no Camboja precisa de visto sim, o de turismo custa 25 dolares e tem duracao de 1 mes, o de negocios (que eu uso, pois moro aqui) custa 35 dolares e voce pode renovar a cada 3, 6 ou 12 meses.

Bjos!

Resposta
Geovany Julho 31, 2016 at 5:32 pm

Legal o seu texto. Estou me aposentando e pretendo viajar, viver fora do Brasil. A Ásia sempre me desperta muita curiosidade, mas nunca esteve aí para essas bandas. Poderia me dizer se é muito complicado o visto de residencia no Camboja? Somos um casal de aposentados e não pretendemos trabalhar. Temos renda para nossas necessidades. Obrigado.

Resposta
Roberta Jorge Agosto 1, 2016 at 3:06 am

Oi Geovany! Que bacana saber do seu interesse pelo Camboja. Comparado a outros países, visto por aqui é bem tranquilo e não muito burocrático.
Ao chegar no aeroporto você pode solicitar o visto de turismo ou o visto de negócios. Diferente do visto de turismo, o visto de negócios permite você morar no pais. Apos um mês, você pode renova-lo por mais 3, 6, 9 ou 12 meses, sendo que 6 ou 12 meses te permite múltiplas entradas (você pode ir viajar para outros países e voltar sem ter que pagar mais alguma taxa). Eu sempre renovo a cada 6 meses. Se você quiser saber mais sobre o Camboja da uma lida no meu blog 😉 http://vemcomigorobertajorge.tumblr.com/

Resposta
Rafael Garavello Fevereiro 23, 2017 at 7:50 pm

Muito Legal. Principalmente pela coragem, desapego e por a prova um objetivo que na grande maioria das pessoas fica somente no pensamento.
Show!

Resposta
Roberta Jorge Fevereiro 24, 2017 at 2:06 am

Oi Rafael!
Obrigada pelas palavras, espero tê-lo incentivado de alguma forma a fazer algo que queira 😉

Resposta
antonio case Setembro 10, 2017 at 12:48 am

Meu sonho e mora ai minha filha mora ai na capital ja foi tres veze ai e como voce falhou mesmo.nao da para ficar aqui no brasil mesmo estou preso no ap e muito assalto e morte e politico ladraes. quem sabe eu e minha familia vamos nos entra ai um abraco

Resposta
Roberta Jorge Setembro 11, 2017 at 1:54 am

Oi Antonio,

infelizmente o Brasil nos proporciona sentimentos não muito agradáveis, que nos da vontade de deixar o pais.
Se vier sera um prazer conhece-los 😉

Um abraço,
Roberta

Resposta
fabricio Dezembro 11, 2017 at 1:06 am

Ola Roberta sou o Fabricio futuramente quero me mudar para o Camboja, mas o que mais me preocupa é serviço nesse país longe e desconhecido por nos brasileiro. Desculpa a pergunta mas você trabalha com o que para sobreviver no Camboja. Desculpa se a pergunta foi muito direta.

Resposta
Roberta Jorge Dezembro 11, 2017 at 3:11 pm

Oi Fabrício,

Você pode encontrar em outros textos meus, mais informações sobre o Camboja. Meu ultimo trabalho foi como gerente de marketing em um hotel-boutique 5 estrelas.

Boa sorte!

Resposta
Marcos Janeiro 2, 2018 at 10:59 pm

Oi!
Será que se eu ir em busca de algum trabalho por aí, é muito difícil conseguir? Sou professor de história, mas duvido que consiga nessa área.

Não tenho nenhum tipo de vínculo com o país, será que ainda consigo algo?

Resposta
Marta Durante Janeiro 3, 2018 at 11:17 pm

Olá Roberta, tudo bem? Iremos em fevereiro para o Camboja a turismo e iremos nos encontrar com minha filha que está fazendo um mochilão pela Ásia.
Mas se ela ficar lá nos esperando irá vencer o visto dela de 30 dias como turista.
Pesquisei e não consigo ver como faz para pedir renovação do visto. Você sabe me dar uma dica de como consigo esta informação para renovação do visto por mais 60 dias?

Resposta
Catoline Janeiro 28, 2018 at 11:23 am

Estava querendo ir para abrir um hostel. Tem visto diferente?

Resposta
Gutemberg Silva Fevereiro 25, 2018 at 11:02 pm

Oi amei tudo que eu li, eu estou querendo ir morar aí, gostaria de informações, poderia me responder por facebook ?
https://www.facebook.com/silvagutemberg777

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação