O Ano Novo na Itália

2
701
Crédito imagem: Free-Photos. Licença: CC0 Public Domain.
Advertisement

O Ano Novo na Itália

Na Itália a passagem do ano é bem diferente. Os italianos não encaram o Capodanno (final do ano) e a noite de 31 de dezembro (ou a Notte de San Silvestro) de forma tão significativa como nós. Eles não veem como um momento de recomeço e nem possuem aquela percepção, que nós temos, de um ano que termina e outro que começa. Penso que uma das razões seja que o ‘ano dos compromissos’ não se inicia em janeiro/fevereiro, mas sim em setembro. Logo depois das grandes férias empresariais e escolares que acontecem de julho/agosto –  tempo do verão aqui e época em que todos saem de férias, tipo as nossas férias de dezembro/janeiro. Por isso não há correria para se fazer em dezembro tudo aquilo que não foi realizado ao longo do ano e igualmente não se faz tantos planos para o ano novo.

O ano letivo não é igual ao do Brasil. Na Itália as aulas começam na metade de setembro e terminam no começo de junho. As grandes férias escolares acontecem durante os meses de julho e agosto. Também acontecem algumas pausas durante os feriados nacionais. E entre o Natal e Ano Novo, normalmente, as aulas param na semana do Natal e retornam logo após o dia 06 de janeiro.”

Cá o final do ano, burocraticamente falando, é o meio do ano. As pessoas só param de trabalhar/estudar poucos dias antes do Natal e voltam logo no começo de janeiro, depois da festa da Epifania (06 de janeiro).

“O final das festas de Natal acontece no dia da Epifania. Para as crianças, ele ganha uma coloração importante porque Epifania é a festa da Befana. A Befana (que significa bruxa), criada da fantasia popular, é uma figura muito típica do folclore natalício italiano. Por tradição se diz que uma velha senhora voa de casa em casa para encher as meias das crianças boazinhas com muitas balas e das crianças mal-educadas com muito carvão.”

Para nós, isso soa meio estranho, porém como o ano letivo é diferente acaba gerando essas diferenças culturais.

Além disso, os italianos não são tão místicos. Não tem nada de vestir branco ou alguma cor específica para se obter aquilo que deseja e nem simpatias de comes e pular ondinhas. O réveillon é só mais uma festa. Que muitas cidades nem celebram alla grande, promovendo festas, organizando shows, queimas de fogos, nada. Poucas são as que se organizam para a grande virada.  De todo modo tem algumas que o fazem de forma bem legal, como a cidade de Ferrara, na Toscana, que praticamente incendeia o seu castello Estense com uma linda queima de fogos coordenada a uma empolgante trilha sonora.

Nesta época, o que os italianos querem é aproveitar a settimana bianca (semana branca, em tradução livre), quando, mais ou menos a partir do dia 26 de dezembro, vão para as montanhas, para passear e esquiar nos Alpes. Bem como aproveitar o saldi, as promoções, que começam logo após o Natal.

Eu, particularmente, prefiro o nosso modo de viver a virada do Ano Novo. Adoro o encontro do hoje com o amanhã, quando fazemos uma retrospectiva –  até sugiro que este ano você faça uma retrospectiva do bem, recordando acontecimentos e sentimentos positivos que transformaram a tua história, se lembrando das pequenas e grandes conquistas: os nascimentos do ano; as formaturas; as promoções no trabalho; os casamentos; as superações das enfermidades; as conquistas materiais e não materiais; as viagens; as festas de aniversário; os churrascos com pessoas queridas; os laços construídos e reforçados; as palavras de estimulo e incentivo; as mudanças; o simples conviver com a família e amigos… E aproveito para te desejar mais afeto, ternura, sentimentos, mais sonhos. Que você reencontre a paz, mas não só, que resgate a tua alma e o teu espírito, que liberte a tua imaginação criadora, os teus sonhos, delírios, voos. Que pense menos e sinta mais. Sinta sem medo de amar. E que sinta ainda a dor dos outros, a compaixão, a piedade, a caridade, a pena, a dó, a misericórdia. O que aspiro mesmo é que todos nós saibamos redescobrir a humanidade que há em nós.

Não obstante, re-pensar, re-significar, re-começar. Tudo isso, neste momento tão especial e importante, nos deixa mais fortalecidos e assim entramos no próximo ano cheios de vontade de fazer.

Enfim, eu adoro as nossas festas, as nossas crenças, misticismos e toda aquela sensação de esperanças renovadas e de crenças em um futuro brilhante que está por vir logo ali, no Ano Novo.

Buon Anno!

***

*Citações e fontes:

A minha mensagem de final de ano | O fim e o começo | Itália – Informação importante sobre estudos | Itália – Tradições e costumes de Natal

2 Comentários

  1. muito obrigado. amei o seu jeito de explicar as coisas e com certeza eu usarei seu site para mais pesquisas. so achei que vc poderia ter falado um pouco do que o povo na italia come nessa data. mesmo eu precisando de uma explicaçao em ingles, lendo o seu texto ja deu para ter uma grande nossao sobre o assunto. 5 estrelas para vocês!!!!

    • Que delícia de comentário, muito obrigada Ana Luísa! Pode deixar que me programarei para escrever sobre isso, quem sabe para o texto do final deste ano?! Um abraço e mais uma fez gratidão! 🙂 <3

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.