BrasileirasPeloMundo.com
México

O México é seguro?

Você acabou de receber uma bela proposta para trabalhar no país da tequila? Sonha em morar em terras mexicanas, mas tem medo por causa das manchetes terríveis nos jornais do mundo todo sobre a crescente violência neste país? Será que você precisa carregar na mala um colete a prova de balas ou se trata apenas de mais um exagero midiático? Afinal, o México é um país seguro?

Não sou de respostas prontas. Detesto o radicalismo do preto ou branco. Prefiro analisar os diferentes aspectos das situações. Portanto, a pergunta de se o México é ou não seguro não tem resposta fácil e terei que contestar com um reticente depende.

Já sei. Esta resposta não ajuda muito. Mas veja bem, a questão da segurança engloba vários aspectos que podem variar de pessoa a pessoa. Coisas como: local onde se vive, estilo de vida, horários e, principalmente, sua noção subjetiva do que é segurança. Conheço pessoas que consideram o México ultra seguro e outras que não.

O México é um país que geograficamente não é enorme, porém é extenso e bastante diversificado. Não há como falar em segurança sem contextualizar o local de onde se fala.

Sabe-se que a região fronteiriça, ao norte do país, é, sim, extremamente perigosa por conta do tráfico de drogas. Cidades como Ciudad Juarez, Tijuana, Ciudad Victoria e Tampico são alguns exemplos. Mas cidades que não se encontram na fronteira como Torreón, La Sierra de Guerrero, La Sierra de Oaxaca, Cuernavaca, Durango, Hermosillo, Veracruz, Culiacán estão constantemente nas notícias por notória falta de segurança também.

Lemos constantemente nos jornais noticias terríveis e, verdade seja dita, a fronteira e os outros acima mencionados pólos de risco não são locais onde vamos passear com tranquilidade com nossas crianças pelas ruas, nem nos aventurar se não quisermos viver com um olho nas costas, um em cada ombro – sendo, de preferência, o da esquerda com visão noturna e o direito com função raio x.

 

Claro que estou exagerando um pouco, mas as pessoas que vivem neste locais realmente sofrem um bocado no dia a dia, preocupados com o próprio bem estar constantemente. Em várias cidades brasileiras vivemos a mesma situação, de modo que como brasileiros, sabemos bem como pode ser difícil esta realidade, porém não impossível.

É inegável que há também, por outro lado, um favoritismo da mídia em circular histórias de violência. Vende mais. Já cansei de ter que dizer para os estrangeiros que me perguntam sobre o Brasil que não, não tive que viver minha adolescência no Rio fugindo de balas perdidas, embora já tenha sim sido assaltada em Ipanema. É difícil de explicar para quem não viveu algo similar. Afinal, a falta de segurança – como muitas coisas – é algo que se instaura e a pessoa se acostuma a olhar de maneira suspeita para qualquer transeunte. É um hábito que criamos quando nascemos em locais onde gatos e lebres se misturam.

O mesmo acontece no México. As pessoas vivem suas vidas, choram, riem, amam, comem e odeiam como em qualquer lugar. O dia a dia nem sempre é pautado pelo medo. Como falei no início desta matéria, não há preto nem branco em questões desta natureza.

Por exemplo, na Cidade do México, onde morei, sentia-me relativamente segura. Os crimes que ocorrem não são de natureza violenta em sua grande maioria. Embora haja um crescente número de sequestros nas áreas mais favorecidas da cidade, até o momento, a principal preocupação dos chilangos são pequenos furtos e coisa do tipo.

Eu tive o azar de ter a minha carteira roubada em San Miguel de Allende — uma pequena cidade a 3 horas do DF aproximadamente — de dentro da minha bolsa em um Starbucks, sem que eu me desse conta. Ou seja, ninguém me apontou uma arma, cortou-me com faca, nem me ameaçaram de alguma maneira. Claro que, mesmo assim, fiquei super chateada com o ocorrido mas, como dizia a minha avó: vão-se os anéis, porém ficam os dedos.

Depois desta experiência, passei a não andar com todos os cartões ao mesmo tempo na bolsa, nem a utilizar meus documentos originais. Tiro cópias e saio para passear com estas em mãos.

Portanto, fica a dica: sempre tire cópias de todos os seus documentos e se possível não saia de casa para passear com os originais. O mesmo se aplica ao passaporte. Sempre tenha cópia e original do passaporte na hora de viajar e guarde-os em locais diferentes. Deste modo, se o original acabar sendo roubado ou extraviado, você ainda possuirá a cópia que pode ser de grande valia na hora de ir pedir ajuda no Consulado Brasileiro no exterior.

Quando estamos fora do nosso país, poder contar com ajuda a brasileiros fornecida pelas missões e consulados pode ser bastante importante. Portanto, tenha sempre em algum lugar seguro os seus documentos de identidade brasileiros.

Outro cuidado que se deve ter, não só no México como em qualquer lugar, é buscar muitas referências de pessoas que irão prestar qualquer serviço dentro da sua casa. Há trabalhadores honestos e outros nem tanto em todos os lugares do mundo, portanto todo cuidado é pouco.

O México é minha segunda casa e eu espero que os problemas resultantes do narcotráfico e crescente corrupção sejam, algum dia,  atacados de forma eficaz pelos governantes. O mesmo espero do Brasil.

Se o seu sonho é morar no México, pesquise, vá até lá, conheça o país em diferentes esferas antes de tomar sua decisão. E no final, escolha de acordo com sua sensação interna de segurança, de acordo com seus próprios filtros de bem-estar. Seja precavido quanto a possíveis riscos, mas não deixe que o medo te impeça de conhecer este maravilhoso país que é o México. Não há lugares perfeitos, mas há imperfeições que podem ser verdadeiros paraísos se os sabemos encontrar.

Related posts

Leis trabalhistas no México

Joseane Dambros

Como aceitar a nova cultura

Fabrícia Erler

Sistema de Saúde no México

Patrícia Velazquez

4 comentários

Alfredo Sanches Neto Abril 13, 2016 at 3:16 pm

Olá Fernanda adoro o México tenho vontade de conhecer, tb sou apaixonado pela culinária desse país, me facina a variedade de chiles (pimenta) que existe por aí tem uma que se chama guajillo que da um belo molho vermelho (rojo) para tacos, pelo que vejo a culinária mexicana que tem no Brasil é puro marketing não chega nem perto dos sabores e condimentos daí, portanto gostaria de saber será que é permitido trazer daí da cidade do México algumas pimentas tipo aquelas desidratadas pela questão alfandegária e sanitária?, me parece que sementes estão proibidos mas serà que as pimentas bem embaladas em saquinhos (bolsitas) como dizem aí será que teria problema e risco de serem confiscados aqui no Brasil?

Resposta
Adair Trindade Março 30, 2018 at 6:31 pm

Pena que vc não informou sobre os lugares mais seguros.

Resposta
MATHEUS DE OLIVEIRA Julho 25, 2018 at 5:05 pm

OLA ESTOU QUERENDO VISITAR A CIDADE DE MATAMOROS QUE FICA EM DIVISA COM ESTADIS UNIDOS “FRONTEIRA” MAS PESQUISO E NAO ACHO RELATOS SOBRE A CIDADE… TENHO UMA PREOCUPAÇÃO SE A CIDADE E SEGURA OU EXTREMAMENTE PERIGOSA COMO AS PESSOAS DIZEM QUE SÃO AS CIDADES QUE FAZEM FRONTEIRA COM EUA

Resposta
Liliane Oliveira Julho 26, 2018 at 1:20 pm

Olá Matheus,
A Fernanda Moura parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas no México que talvez possam te ajudar.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação