BrasileirasPeloMundo.com
Austrália Transporte Público Pelo Mundo

O transporte público em Melbourne

O transporte público em Melbourne.

Em agosto de 2017, Melbourne foi eleita pela revista inglesa “The Economist” a melhor cidade para se viver pelo sétimo ano seguido. Um dos critérios levados em consideração pela revista é o transporte público e quando você conhece a cidade pode perceber que ele realmente merece um destaque.

Melbourne tem a maior rede de bondes do mundo, o melhor de tudo é que na região central eles são gratuitos, então você não paga nada para se deslocar entre as principais atrações turísticas e pontos de interesse do centro. Aliás, o bonde aqui tem um nome específico, ele é chamado de tram. Os bondes são muito práticos no dia a dia, mas não são só eles que compõem o transporte da cidade.

Melbourne conta com três tipos de transporte público: bondes, ônibus e trens. Todos eles têm alta qualidade e podem ser considerados bastante seguros, além disso, é possível chegar a quase todos os cantos da região metropolitana sem precisar usar um carro. Há algumas falhas nos percursos, como em alguns casos onde é necessário ir para o centro da cidade para mudar a direção da rota, mas nada que atrapalhe muito quem mora aqui ou está a passeio.

Os trens geralmente ligam estações principais e mais distantes umas das outras, ele é o meio de transporte mais rápido e está presente em quase todas as áreas da cidade. Os ônibus ligam as estações principais aos bairros, assim como os bondes, que podem ser encontrados praticamente a cada quarteirão quando próximo ao centro. Os bondes são os mais presentes, mas também os mais lentos, por isso é bom planejar sempre sua rota com antecedência.

Leia também: Alguns certificados necessários para trabalhar na Austrália

Myki é o nome do cartão utilizado em toda a rede de transporte público do estado de Vitória, onde Melbourne é a cidade principal. Esse cartão custa 6 dólares não reembolsáveis e pode ser recarregado com diferentes valores, de acordo com a necessidade do passageiro. Como regra, você deve bater o cartão na entrada e na saída dos ônibus e trens, já nos bondes só é necessário validar seu cartão na entrada. Há diversos fiscais espalhados pelos bondes, ônibus e trens a fim de checar se o seu cartão está carregado e se você validou ele na entrada da viagem. Se o seu cartão não estiver validado ou não tiver créditos você pode levar uma multa que gira em torno de 200 dólares, um gasto bem alto e que pode ser evitado facilmente seguindo direito as regras.

Há duas maneiras de recarregar o seu cartão, a primeira se chama Myki Money e com ela o valor da passagem é calculado referente ao trajeto percorrido e tem validade por um período máximo de 2 horas. Também há um valor limite diário a ser debitado, definido de acordo com as zonas da cidade, o que impede que você gaste muito, caso utilize o transporte público diversas vezes em um mesmo dia. Se você ainda não tiver o cartão, é possível pagar direto para o motorista, mas você deve ter o valor em notas abaixo de 20 dólares e tentar facilitar o troco.

Leia também: Dicas para viajar de carro pela Austrália

A segunda maneira de recarregar o cartão é o Myki Pass, no qual você paga um pacote por determinados dias corridos independente de usar o transporte ou não. Essa alternativa é muito boa para quem precisa utilizar o transporte público todos os dias, pois o valor diário gasto é bem menor que aquele recarregando o cartão com a primeira opção. Para qualquer uma dessas opções de recarga, é possível fazê-la nas máquinas espalhadas pelas estações, nos guichês ou até mesmo online, registrando o seu cartão. Ao registrar o cartão, se você perdê-lo ou for roubado pode bloquear os créditos instantaneamente e assim não perder aquele dinheiro gasto para carregá-lo.

Uma característica bem interessante sobre o transporte público em Melbourne e no geral em todas as cidades grandes da Austrália é que ele realmente funciona. O que eu quero dizer com isso? Em todo ponto de ônibus você encontra uma tabela de horários, assim como nas estações de trem e nos pontos de bonde. O incrível é que os horários são seguidos à risca e quando há algum problema você tem um número de telefone para se informar sobre o próximo ônibus, ou no caso dos trens o motorista geralmente informa os passageiros caso haja algum atraso e de quantos minutos será.

Falando ainda sobre transporte público, em Melbourne é possível alugar bicicletas em pontos espalhados por diversas partes da cidade. Você aluga em um ponto e pode devolver em outro, o pagamento deve ser feito com cartão de crédito direto nas máquinas. O valor por meia hora em um dia é de 3 dólares, são mais de 600 bicicletas em 50 pontos de Melbourne.

Deixo aqui dois links úteis para vocês se localizarem e se locomoverem em Melbourne:

Agora o mais importante com tantas opções de transporte é não deixar de conhecer cada canto dessa cidade encantadora, certo? Bom passeio!

Related posts

Transporte público em Washington D.C.

Lorrane Sengheiser

Transporte Público em Auckland

Gabriela Nunes

Trabalho voluntário no zoológico de Perth, na Austrália

Aline Arruda

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação