BrasileirasPeloMundo.com
Grécia Turismo Pelo Mundo

O verão na Grécia além de Míkonos

O verão na Grécia além de Míkonos.

Suas redes sociais estão lotadas de fotos de amigos, de amigos dos amigos e de famosos em alguma ilha grega? Parece que está todo mundo passando esse verão na Grécia, não é mesmo? Mas não é só sensação, não.

Definitivamente as praias daqui viraram um dos destinos mais desejados dos brasileiros para curtir o verão europeu este ano. Um luxo!

Com essa onda significativa de brasileiros passando férias por aqui, o Brasil, pouco a pouco, vai ganhando relevância nas estatísticas do turismo e da economia. Estima-se que, em 2015, cerca de 65 mil brasileiros carimbaram o passaporte na Grécia.

Ainda é pouco, se comparado a países vizinhos europeus, que representam 80% do total de turistas no país, mas o incremento é perceptível.

Em 2017, cerca de 27 milhões de turistas estiveram em alguma cidade grega e, este ano, estima-se um novo recorde de 32 milhões de visitantes. Para vocês terem uma ideia, a população da Grécia é de 12 milhões de habitantes.

Ou seja, o número de turistas em 2018 será quase três vezes maior que o de residentes. É muita gente! Por isso, o turismo é um pilar extremamente importante na economia grega, que está em franca recuperação.

É claro que passar férias no verão de qualquer país da Europa não é um dos programas mais acessíveis, pois esta é a altíssima temporada mesmo.

E é aí que o verão na Grécia aparece como uma excelente opção: além dos cenários realmente paradisíacos, os custos por aqui geralmente são mais baixos do que em outros balneários igualmente concorridos na França ou na Espanha, por exemplo. Obviamente existem opções para todos os gostos e todos os bolsos.

Leia também: Custo de Vida em Atenas

Aqui, vou compartilhar com vocês um pouco do que existe para ser explorado no verão na Grécia, além das super famosas Míkonos e Santorini.

Se houver tempo e você estiver pertinho, ainda dá para viajar neste ano. A melhor época é no final da temporada, em setembro e início de outubro mesmo: mais vazio, ainda mais barato e com temperaturas mais amenas. Se não, anota tudo para planejar as suas férias de 2019.

O mapa da Grécia

A Grécia é formada por inacreditáveis 6.000 ilhas, das quais 227 são habitadas.

Quase todas essas ilhas são agrupadas em sete arquipélagos, localizados nos Mares Egeu e Mediterrâneo, cercados por Itália, Turquia, Norte da África e a própria Grécia continental.

Daí já podemos avaliar como a geografia é complexa e diversificada. É um país para todos os estilos de viajantes.

Ilhas Cíclades

É o conjunto de ilhas gregas mais famoso do mundo. O nome (em grego, kíklades) significa “circular”, em função da forma como as ilhas do grupo estão dispostas no Mar Egeu.

É aqui que existe exatamente aquela descrição de “ilha grega” que temos no imaginário comum: visuais exuberantes de pôr do sol, casinhas brancas e azuis e chão de pedra.

As praias aqui são de areia branca fina e água azul cristalina.

Míkonos e Santorini são as cidades carro-chefe do arquipélago, logo as mais procuradas pelos turistas durante o verão.

Por isso, prepare-se para encontrar ruas mais cheias e preços bem mais altos que no resto do país.

Ainda compõem o arquipélago outras ilhas ainda mais paradisíacas, com paisagens intocadas e mais frequentadas por gregos: Naxos, Milos, Íos, Paros & Antiparos, Amorgos, Folegrandos e Koufounísia (com seus 366 habitantes!).

Folegandros, Ilhas Cíclades. Foto: Pinterest

Aqui é possível fazer o que se chama de “island hopping”, ou seja, ficar pulando de ilha em ilha. As travessias a barco são relativamente rápidas – 1 hora, em média – e há boa oferta de rota entre as ilhas.

Fica a 3 horas e meia de Atenas, via barco rápido (ferry boat). Durante a alta temporada, as principais capitais da Europa têm voo direto para as ilhas maiores. Vale pesquisar as empresas aéreas de baixo custo.

Opinião dos gregos:  as Cíclades têm muito mais a oferecer do que Míkonos. No geral, todos eles acham a ilha do momento superestimada – não é a mais linda, não é a mais agradável, não é a mais grega.

Vá só se o seu objetivo é curtir a vida noturna. Ilhas menos famosas como Naxos e Paros são as preferidas. Já Santorini, todos recomendam ir pelo menos uma vez na vida. São apaixonados pela beleza do lugar e falam sobre a ilha com um ar apaixonado e contagiante.

 Ilhas Jônicas

Localizadas no Mar Mediterrâneo, entre a Grécia Continental e a Itália, têm muita influência cultural e histórica dos italianos. Apresenta um clima mais ameno e águas mais profundas e geladas.

Por ter uma natureza mais rica e diversificada, é uma região mais apta ao mergulho de cilindro, snorkel e esportes aquáticos, principalmente, windsurfing.

O mar é de um azul vibrante e, ao mesmo tempo, transparente, e algumas praias são de pedras.

As principais ilhas são Kefaloniá, Íthaca, Corfú, Lefkada e Zákynthos (famosa por sua praia Navagio com o navio naufragado). É um destino de férias de verão e de feriados prolongados bem comum para quem mora por aqui.

Apesar de serem próximas umas das outras, aqui é mais difícil pular de ilha em ilha, pois a logística é mais limitada. Por isso, o ideal é selecionar uma região do arquipélago e explorá-lo sem ter que se deslocar o tempo todo de barca.

Para chegar, o mais fácil é ir de avião a partir de Atenas, que tem voo direto para Kefaloniá, Zákynthos, Lefkada e Corfú.

Ilhas Sarônicas

Hydra, Ilhas Sarônicas. Foto: Dreamstime

Este é um excelente grupo de ilhas para um bate-volta a partir de Atenas. Localizado ao Sul da Grécia continental, está a pouco mais de uma 1h de barco rápido de capital e conta com passeios diários, saindo do Porto de Pireus, parando em duas ou três ilhas.

Sempre dou essa sugestão de viagem para quem está por aqui a trabalho e quer ir à praia no final de semana ou não tem muito tempo para explorar muitas regiões do país.

Pela proximidade, também é um destino muito frequente para os gregos e, por isso, ainda mantêm bem preservadas as características culturais do país.

É uma região com muitas residências de veraneio e aspecto mais urbano, por serem cidades maiores.

Dentre as principais ilhas estão: Égina, Poros, Hydra, Spetses e Agistri. Essas duas últimas são minhas favoritas!

Creta

De tão grande e completa, Creta é um arquipélago de uma ilha só! É a maior ilha grega e a quinta maior do Mar Mediterrâneo.

Não espere apenas praias incríveis, beach clubs, sombra e água fresca. Aqui, você vai encontrar resquícios e ruínas de civilizações passadas, cidades grandes e gastronomia riquíssima.

História, cultura, praia e muita comida boa para você apreciar em não menos do que uma semana.

Isso mesmo, se a sua opção é conhecer Creta, separe um tempo adequado para explorar essa gigante e você não irá se arrepender. Os principais vinhos, azeites e azeitonas consumidos no país são de Creta.

Vai correr o risco de não ter tempo de aproveitar essas belezuras fresquinhas, direto da fonte? Por isso, se você não tem muito tempo na Grécia, evite conjugá-la com alguma outra ilha.

Acessar Creta é superfácil. A ilha conta com três aeroportos com voos diretos com duração de aproximadamente 1h, a partir de Atenas. Tem também a opção de barco, mas o trajeto leva cerca de oito horas.

Ilha de Creta. Foto: Pixabay

Além dessas quatro regiões, a Grécia ainda possui mais dois importantes arquipélagos: Dodecaneso – é a região mais ensolarada e mais próxima da Turquia.

Aí estão as ilhas de Rhodos e Samos; e Sporades – onde foram gravadas cenas do filme “Mamma Mia”, nas ilhas de Skópelos e Skiathos.

Para conhecer esses e mais outros detalhes sobre o que dividi nesse post, vale acessar o site oficial do Ministério do Turismo Grego.

Com tantas opções, são necessárias muitas férias nessa vida para poder conhecer todas as belezas desse país. Minha sugestão é planejar uma primeira visita explorando um pouquinho de cada região.

Com exceção de Creta, 3 ou 4 dias em cada ilha é um tempo mais do que suficiente. Com uma variedade de 227,  sem dúvida, você vai encontrar uma ilha grega para chamar de sua.

Related posts

Turismo pelas principais cidades dos spas tchecos

Isadora Costa

A beleza das ilhas gregas

Clarissa Gaiarsa

Dicas de passeio na região basca

Lilian Moritz

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação