Oculistas e dentistas na Escócia

5
957
Crédito: www.seniorliving.org
Advertisement

Oculistas e dentistas na Escócia.

Depois de explicar como são feitas as consultas e tratamento médico de maneira geral no Sistema Público de Saúde da Escócia, o NHS, detalho um pouco mais os serviços especializados: odontologia, oftalmologia, saúde sexual e vacinação, além de como é o funcionamento de planos de saúde privados.

Odontologia

A maior parte dos serviços de odontologia na Escócia é oferecida em clínicas dentárias particulares. Estas podem optar ou não por oferecer serviços pelo NHS. Os tratamentos odontológicos não são totalmente cobertos pelo sistema público (algumas categorias de pacientes, como gestantes ou pessoas que recebem certos serviços sociais, por exemplo, têm o tratamento totalmente coberto). Eles são cobrados baseados em valores tabelados pelo governo, e serviços não essenciais, como os estéticos, não têm cobertura.

Aberdeen Dental School (crédito: Bill Harrison - http://www.geograph.org.uk/photo/3444060 - CC BY-SA 2.0)
Aberdeen Dental School (crédito: Bill Harrison – http://www.geograph.org.uk/photo/3444060 – CC BY-SA 2.0)

A primeira consulta para check-up é gratuita, mas o paciente paga por itens extras, como radiografias. O dentista faz o check-up completo e te explica qual tratamento será necessário e o plano para isso, incluindo os valores. Caso o tratamento seja mais complexo, precisando de um especialista como os da área de buco-maxilo-facial, o procedimento é parecido com o que é feito no caso de outros tratamentos de saúde: o dentista encaminhará uma solicitação ao hospital da sua região e o paciente será agendado para uma consulta com o especialista. Nas consultas no hospital, alguns serviços são completamente cobertos. Quando precisei fazer radiografias no hospital como parte do tratamento com o especialista, nada me foi cobrado.

O site Scottish Dental traz mais informações sobre os serviços de odontologia na Escócia. Quem não tem direito ao NHS ou quer pagar à parte, incluindo serviços não cobertos, discute tudo diretamente com o dentista.

Oftalmologia

Exames básicos oftalmológicos não são feitos em clínicas e sim, nas próprias óticas. Elas têm um consultório e uma equipe que atende o paciente e toda a estrutura para fazer o check-up inicial, que é gratuito para quem tem cobertura do NHS. O sistema público também cobre parcialmente óculos de modelos mais baratos, caso seja necessário.

Caso o diagnóstico do check-up mostre que seja necessária uma avaliação mais detalhada ou um tratamento mais complexo com especialista, a ótica encaminha o paciente para o hospital, seguindo o mesmo procedimento de sempre.

Saúde sexual

As clínicas sexuais oferecem consultas, aconselhamento e exames relacionados a contracepção, gravidez e a doenças sexualmente transmissíveis. Em algumas clínicas é necessário marcar consulta, enquanto outras funcionam como walk-in, onde o paciente é atendido por ordem de chegada.

Os médicos oferecem aconselhamento sobre os tipos de contracepção, e dependendo da decisão, a paciente já marca para fazer o procedimento lá mesmo, como inserção de DIU e implantes. Quem opta pela pílula recebe uma quantidade referente a três meses. Após este período deve-se retornar para um novo check-up, e caso não tenha sido notado nenhum problema, recebe quantidade suficiente para um ano de uso.

As clínicas também disponibilizam camisinhas, que podem ser retiradas a qualquer horário de funcionamento, sem necessidade de consulta. Elas também oferecem aconselhamento e encaminhamento a especialistas para quem quer optar por ligadura de trompas ou vasectomia. No caso de decisão pelo aborto, há procedimentos específicos, que detalhei aqui.

São oferecidos também exames para diagnóstico de DSTs e testes de gravidez. Papanicolau é oferecido pelo NHS apenas de 3 em 3 anos caso não haja nenhum sintoma. A paciente é notificada por carta quando chega a hora de fazer um novo exame.

Vacinação

As clínicas gerais (GPs) são responsáveis pela vacinação e notificam os pais quando está na época de vacinar os filhos, desde os dois meses de idade (primeiras doses) até os 18 anos. Adultos podem tomar certas vacinas pelo sistema público, mas já não recebem notificação e devem conversar com o médico para solicitá-las. Algumas universidades já oferecem por exemplo a chance de tomar a vacina contra meningite aos estudantes no início do curso. Entretanto, nem todas as vacinas podem ser oferecidas gratuitamente a imigrantes adultos, é necessário checar com sua clínica local dependendo do seu visto. O calendário de vacinação do país está disponível nesta página.

Planos de saúde particulares

Como falei no texto passado, é uma minoria da população que opta pelos planos particulares. As pessoas que preferem optar por eles podem escolher dentre vários provedores. Algumas razões para optar por este serviço são:

  • A oferta de tratamentos não cobertos pelo NHS, como acupuntura, podologia, entre outros. Lembre-se que entretanto alguns serviços cobertos pelo NHS podem não ser cobertos pelos planos, como tratamento de HIV/AIDS, doenças pré-existentes e doenças crônicas;
  • Poder escolher a data de uma consulta com o especialista, ao contrário do NHS onde o paciente é colocado na lista de espera;
  • Escolher o hospital de sua preferência;
  • Ficar em um quarto de hospital individual, já que no NHS os quartos são coletivos.

O tratamento pode ser feito em hospitais particulares, normalmente operados pela própria empresa do plano, ou às vezes em hospitais do NHS.

De qualquer maneira, mesmo com o convênio, o paciente não pode marcar a consulta diretamente com o especialista, e deve ser encaminhado pelo GP.

O site Money Advice Service traz mais detalhes sobre planos de saúde, incluindo uma relação de prós e contras.

5 Comentários

  1. Olá Daniela adorei seu artigo. É muito bom ter serviços de saúde que realmente funcionem. Eu ainda creio e espero ver essa qualidade de serviço no Brasil.
    Obrigado

  2. Oi Daniela. Parabéns pelo post .
    Vou à Glasgow em Outubro. Como turista, caso tenha uma emergencia medica ou odontologica, como devo proceder? Que hospital devo procurar?

    • Oi Maria Lucia, no caso de uma emergência (de verdade!) você pode buscar o setor de A&E do hospital mais próximo de onde estiver.
      Turistas não têm direito à cobertura do sistema público, então recomendo fortemente que faça um seguro-saúde internacional ao viajar pra cá, para que tenha eventuais gastos cobertos pelo seguro.
      O consulado brasileiro em Londres também oferece assistência a cidadãos brasileiros no caso de emergências – http://cglondres.itamaraty.gov.br/pt-br/orientacao_geral.xml.
      Boa viagem!

  3. Olá meu nome é Bruno Moro no Brasil e sou formado especialista e mestre em odontologia tenho dupla cidadania italiana, gostaria de saber o que preciso para trabalhar em endburgo na Escócia? Obg des de já

    • Olá Bruno,
      A Daniela Madureira parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas na Escócia, Laura Bernardes e Narister de Oliveira que talvez possam te ajudar.
      Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
      Obrigada,
      Edição BPM

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.