BrasileirasPeloMundo.com
África do Sul

Os amigos que fiz na África do Sul

Quando surge a oportunidade de uma mudança para um lugar diferente, também aparece aquele frio na barriga, a insegurança, a dúvida. A atitude mais comum de brasileiros e com certeza de qualquer pessoa, é a busca por informações sobre o novo país e sobre os costumes locais, isso inclui a busca por pessoas da mesma nacionalidade ou algum conhecido que pode dividir experiências e oferecer boas dicas.

No meu caso, quando recebemos a proposta de morar na África do Sul, estávamos morando na Índia. Minha primeira atitude foi entrar no Google e digitar “Brasileiros na África do Sul”. Me lembro de ter gostado muito de dois blogs. Um era da Camille e o outro do Alexandre. Li tudo e escrevi para os dois.

Encontrei aqui no meu arquivo as mensagens que mandei para eles:
“(…) Somos brasileiros, e hoje estamos morando na Índia, mas por pouco tempo. Já começamos  arrumar nossa mudança rumo a África do Sul, vamos morar em Johannesburg. E procurando informações sobre o lugar, encontramos você.
Gostaria de saber se podemos conversar e saber se você e sua esposa podem nos dar algumas dicas além daquelas que vimos no blog. Principalmente para quem está de mudança. (enviado no dia 8 de junho de 2012)

Optimized-AFR3

E para Camille:
“Olá Camille!
Você ainda não me conhece, te achei no Google! rs
Eu e meu marido estamos morando na Índia e estamos de mudança a Johanesburgo, procurando mais informações sobre o lugar, encontramos o seu blog, que nos deu boas dicas!
E então eu decidi escrever para ver se você pode nos dar algumas outras orientações.”
(Enviada também no dia 8 de junho de 2012.)

O Alexandre respondeu logo em seguida e passamos a conversar no skype. Foi fundamental a ajuda dele e da Adriana, sua esposa. Quando chegamos a Johannesburg o Alexandre nos recebeu, a Dri estava viajando (pois é, depois de um tempo a Adriana virou Dri e o Alexandre virou Alê). Nunca esqueço o dia que o Alê passou para nos pegar, eu estava me arrumando e falava pro Gabriel, meu marido: “Ai meu Deus! Será que eles são legais? Será que não é perigoso? Que loucura essa né?”. Normal, quem não ficaria preocupado não é mesmo? Saíamos muito e conversávamos bastante sobre as nossas experiências, deles de alguns anos e nossas de alguns meses. Eles nos ensinaram muitas coisas, foram os nossos anfitriões aqui na África. Mas infelizmente depois de alguns meses eles voltaram ao Brasil.

Agora vamos ao caso Camille. Nunca recebi a resposta dela. Porém um belo dia, fazendo um churrasco na casa de um outro casal de amigos, ja morando em Johannesburg há mais de um ano, conhecemos uma tal Camille. Detalhe: eu nem lembrava o nome da moça do blog. Conhecemos o marido e o filho dela, começamos a conversar. Nos encontramos algumas vezes, festinhas de crianças, Natal e outras comemorações. Ja éramos amigas no Facebook quando em janeiro de 2015 ela respondeu uma mensagem antiga: “Nossa Thaís! Acabei de ler sua mensagem…. acho que ja faz um tempo hein… Quer dizer que vc achou meu blog no google!! Hahahahahah E a gente acabou se encontrando sem eu nem ter visto sua msg”. E a Camille virou a Cacá.
A vida tem dessas coisas…

É como eu sempre falo, brasileiro você encontra em todo lugar. Até na Índia que era mais difícil, encontrávamos.

Na África do Sul já perdi as contas de quantos brasileiros encontrei por acaso. No supermercado, na fila do banco, no museu do Apartheid, na feira de artesanatos, na loja de roupas para crianças, na ONG de crianças carentes. E diferente do que acontece no Brasil, quando você conversa com um brasileiro por acaso, isso vira uma troca de telefones, e se o santo bate, uma amizade surge.

Quando estou conversando com algum sul africano eu sinto que eles ficam com dó quando eu falo que moro aqui e minha família toda está no Brasil. Eles me olham com aquela carinha de quem quer me dar um abraço. Mas quando eu falo que em Johannesburg existem aproximadamente 100 famílias brasileiras eles fazem aquela cara de espanto. “Como assim? E como você conhece essa turma?”. “Ah, nos encontramos por aí. Um amigo apresenta o outro e o grupo de amigos vai crescendo.”

Logo que cheguei no país eu fui atrás de um curso de inglês. No meu primeiro termo tinha uma brasileira, a Ana Paula. Ficamos amigas, sentávamos uma ao lado da outra todos os dias, sabe aquela coleguinha da escola? Era bem assim. Um belo dia ela me levou em um café da manhã com algumas brasileiras. Quando fui chegando perto do apartamento, ainda dentro do elevador, eu perguntei a ela: “quantas mulheres tem aí?”. Tinha muitas brasileiras, mulherada marcando presença no café da manhã. Fiquei assustada! Não sabia para quem eu dava atenção. E como era a minha primeira vez, todas queriam saber quem eu era, de onde era e por que estava aqui. Na época eu me lembro, as novatas se apresentavam e contavam um pouquinho da sua história, assim como no primeiro dia de aula na faculdade. Que engraçado!

Optimized-AFR4

A partir deste café fiz amizades que vão ficar para sempre. Algumas delas já foram embora; voltaram ao Brasil ou já estão em outros países, outras estão aqui e fazem parte da minha vida.

Optimized-AFR2

Como já escrevi no meu primeiro texto, esses amigos se tornam a nossa família. E é muito bom saber que eles existem e estão por perto. São pessoas que se dispõe a ajudar, te dar um ombro, um abraço gostoso, te ligam nos momentos felizes e tristes também, e estão prontos para qualquer encontrinho. E olha que legal, quando esses amigos recebem a visita das mães, a gente abraça a mãe deles como se fossem nossas próprias mães. É coisa de maluco!

Alguns vão embora e deixam a gente morrendo de saudades. Mas segue a lição de não deixar a amizade acabar.

Então eu digo, não adianta dizer que não conhece ninguém, uma hora ou outra você acaba esbarrando em um brasileiro. Aí cabe a você querer ou não transformar essa “topada” em uma amizade bacana.

Leia sobre hábitos locais na África do Sul!

Related posts

Dez curiosidades sobre o Natal na África do Sul

Debora L. Juneck

5 curiosidades sobre a Cidade do Cabo

Eloah Ramalho

Uma mensagem de otimismo para quem chega na África do Sul

Thaís Helena

34 comentários

Andrea Maio 19, 2016 at 6:35 pm

Linda història Thaís, nos veremos em um destes cafés aqui em Joburg !

Resposta
Thaís Helena Maio 21, 2016 at 7:59 pm

Oi Andrea!Obrigada e espeo que possamos nos conhecer mesmo! Abraços

Resposta
Luciane Waechter Maio 19, 2016 at 11:52 pm

Oi Thais Tudo Bem com Vc e sua família? Thaís não sei se vc lembra de mim mas nós nos vimos poucas vezes em joburg mas vc ficou na minha lembrança por uma pessoa muita simpática e meiga. Fiz o bolo do teu esposo lembra ?
Abraços adorei ler seu artigo beijos

Resposta
Thaís Helena Maio 21, 2016 at 7:57 pm

Oi Luciane, claro que me lembro de você e do bolo e doces gostosos. Obrigada pelo carinho! beijao

Resposta
Carol Veloso Maio 20, 2016 at 1:30 am

Amei…vou seguir!!! Ah, e tbm adorei me ver na foto do café, que tbm foi o meu primeiro!!!

Resposta
Thaís Helena Maio 21, 2016 at 7:55 pm

Siga Carol! TEm muita coisa interessante! beijos Foi um imenso prazer conhece-la

Resposta
Jordânia Maio 30, 2016 at 5:45 pm

Olá Thais achei muito interessante sua matéria! Gostaria de saber se poderíamos conversar mais sobre Johannesburg.

Resposta
Thaís Helena Junho 1, 2016 at 12:25 pm

Ola Jordania (me desculpe, estou sem os acentos do computador que estou usando). Muito obrigada pela mensagem. Podemos começar trocando mensagens por aqui mesmo. Abraços

Resposta
Ruth Agosto 20, 2016 at 7:28 am

Ola…penso em me aposentar e passar um tempo fora do Brasil trabalhando em Ongs para auxilio do proximo. Recebi tantas coisas boas na vida que acho necessario agradecer de alguna forma. E acredito que a melhor forma é doando um pouco de mim.
Mas na verdade nao sei nem por onde começar meu sonho!
O que sugere?

Resposta
Thaís Helena Agosto 28, 2016 at 1:50 pm

Olá Ruth.
Aqui na Africa do Sul faço parte de uma ONG que ajuda crianças carentes. Mas é uma ajuda diferenciada, nós não apenas doamos coisas materiais (que também são importantes), mas proporcionamos a muitas crianças a oportunidade de estar em um ambiente feliz, brincar, ser criança e receber amor em forma de beijos, abraços, carinhos e muita comida gostosa. Se você tiver interesse, visite o site http://www.magicalmoments.co.za e veja como gostaria de participar, nós recebemos ajudas de pessoas do mundo todo. Você também pode conhecer o trabalho maravilhoso dessas fadas pelo facebook (Magical Moments). Qualquer dúvida, me escreva novamente.
Para começar basta apenas desejar ajudar, o coração te guiará!
Muito obrigada!

Abraços

Resposta
Paula milan Julho 25, 2017 at 2:18 am

Olá
Estou indo para africa do sul em outubro/novembro, vou para um projeto voluntário em Madagascar.
Vi que vc tem esse projeto magical moments? Sou médica, se eu puder ajudar em algo me avise!!!
Procuro por dicas e ajudas tbm em
Joanesburgo e Cape towm!

Resposta
Elaine Maio 19, 2018 at 6:34 pm

ola
queria muito mesmo poder participar dessa ong.
sou enfermeira.
Quero muito poder fazer algo pelo proximo.

meu email e

[email protected]

Resposta
Liliane Oliveira Maio 20, 2018 at 2:23 pm

Olá Elaine,
A Thaís Helena parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Patricia Weigert dos Santos Rossano Agosto 22, 2016 at 12:02 am

Ola Thais, como vai, sou Patricia , moro em Osasco SP no Brasil e estou ajudando minha filha num seminario em grupo sobre a Africa do Sul, por aqui conseguimos informações maravilhosas e estamos tentando a tradução do video deste link abaixo para parte de apresentação em aula, mas o retorno que tive é que quem postou ja nao contribui mais. Sera que voce poderia nos ajudar ? se preferir pode me enviar email, ou nos falamos pelo face ou ate watts, não sei se é possivel.. De qualquer forma , desde ja te agradeço por informações táo ricas, bjss

https://www.youtube.com/watch?v=s4BeijDtG0I

Resposta
Thaís Helena Agosto 28, 2016 at 1:41 pm

Olá Patricia.
O video que você anexou é apenas a apresentação de uma mulher. A primeira parte ela fala em um dos idiomas africanos e na segunda ela fala em ingles. Ela diz o nome dela (Queen Gama), de onde ela é e que ela fala 5 idiomas (incluindo o ingles). Apenas isso. Espero que eu tenha ajudado.
Abraços,

Resposta
Luana Fernandes de Souza Setembro 28, 2016 at 2:34 pm

lá!! Adorei o texto e as experiências. Estou pensando em ir para àfrica do Sul de janeiro a março. Pouco tempo, mas é o que é possível neste momento. O objetivo é estudar inglês, trabalhar em alguma ong, enfim. Comecei a pesquisar agora. Preciso de visto ou passar por agencias para trabalhar em ongs por três meses? O que puder indicar de dicas.. agradeço muito!

Resposta
Jacqueline Novembro 30, 2016 at 5:30 pm

Tais gostaria de conversar com vc

Resposta
Jorge Dezembro 7, 2016 at 11:32 am

Thaís, nos últimos tempos bateu uma vontade de dar uma virada na vida, e vendo matérias sobre a África do Sul (principalmente sobre Cape Town), me animei mais, gostaria de saber mais a respeito de mercado de trabalho, custo de vida, oportunidades por aí, assim como as dificuldades que vocês enfrentaram.
Obrigado!!!

Resposta
Thales Janeiro 21, 2017 at 5:27 pm

Oi thais, estou morando na África do sul, KRUGERSDORP. Pode passar seu contato.

Resposta
Ann Moeller Janeiro 24, 2017 at 2:13 pm

Ola Thales, a Thais não colabora mais com o BPM. Equipe BPM

Resposta
Márcia Santos de Souza Janeiro 18, 2018 at 4:00 pm

Olá!
Estou indo fazer um curso de inglês na Cidade do Cabo.
Gostaria de ter um contato para tirar umas dúvidas.
Agradeço tua atenção.
Márcia

Resposta
Liliane Oliveira Janeiro 18, 2018 at 7:15 pm

Olá Márcia,
A Thaís Helena parou de colaborar conosco, mas como eu fiz um intercâmbio na África do Sul, talvez consiga te ajudar.
Se quiser, me mande um e-mail: [email protected]
Obrigada,
Liliane

Resposta
Heloisa Miura Fevereiro 7, 2017 at 10:31 am

Olá Thaís! Tudo bem? Nossa, muito legal sua matéria!
Acabei de me mudar para Joanesburgo e fiquei imaginando “cadê os brasileiros?!?!?!”.
Diferente da maioria das pessoas que mudam para Joanesburgo como expatriados a trabalho, eu estou aqui fazendo um estágio na Anistia Internacional, uma ONG de direitos humanos bem grande, e por aqui não há brasileiros.
Gostaria de saber como posso conhecer vocês, sinto falta de falar português!

Beijos grandes.
Heloisa

Resposta
Iza Maio 20, 2017 at 4:21 am

Oi Thaís,tudo bem meu nome é Isa. Eu já estive em cape como solteira,agora eu sou casada tenho 3 filhos e gostaria muito de morar em cape de novo por um ano.Estou tentando convencer meu marido.Eu queria saber o que que você acha.Como você acha que tá a África do Sul agora?’queria saber sobre escola para as crianças como é que meus filhos tem 9,7,3 anos. O custo eu gosto de vida na África do Sul para uma família grande com a minha.O que que você me aconselha?

Resposta
Jamile Outubro 19, 2017 at 7:12 am

Oi Thais:
Eu e meu Marido ficamos encantados com Cape Town.
Tanto que pensamos em nós mudar para cá.
Você tem o contato de alguém que revalidou o diploma de medicina aqui?
Se tiver poderia me passar? Obrigada

Resposta
Liliane Oliveira Outubro 19, 2017 at 8:25 pm

Olá Jamile!
A Thaís Helena parou de colaborar conosco, mas temos outra colunista na África do Sul.
Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Luciene Novembro 1, 2017 at 12:18 pm

Oi Thaís.
Meu nome é Luciene e estarei chegando em Joanesbugo dia 13 de novembro.
Já tenho um roteiro montado, mas gostaria de receber dicas. Sempre fica uma dúvida na hora não é mesmo?
Poderia me ajudar por favor?
Meu Whatsapp é 55 86 9 9959 3356.
Chego dia 13 e retorno para o Brasil dia 21 de novembro.
Adorei o evento do café e minha especialidade é tapioca rsss. Adoraria participar.
Aguardo seu retorno.
Até mais e obrigada!!

Resposta
Liliane Oliveira Novembro 2, 2017 at 12:51 pm

Olá Luciene!
A Thaís Helena parou de colaborar conosco, mas temos outra colunista na África do Sul.
Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
valter junior Fevereiro 4, 2018 at 7:51 pm

Parabéns pelas dicas ,
Vou com minha esposa em maio queria um guia em portugues para ajudar com passeios .
Nao falamos ingles
Se souber algum brasileiro ai que faz
Obrigado

Resposta
Liliane Oliveira Fevereiro 5, 2018 at 12:49 pm

Olá Valter,
A Thaís Helena parou de colaborar conosco, mas temos outra colunista chamada Eloah Ramalho na África do Sul que talvez possa te ajudar.
Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Glaunio Martins Março 26, 2018 at 12:46 am

Estou interessado em participar conhecer a África do Sul, meu e-mail para podermos conversar é [email protected] e muito obrigado!

Resposta
Liliane Oliveira Março 26, 2018 at 1:22 pm

Olá Glaunio,
A Thaís Helena parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Luiza pinto Maio 20, 2018 at 5:28 pm

Estou pensando em passar 10 dias em agosto, em Joanesburgo com uma amiga, e gostaríamos de um Brasileiro/ a para nos ajudar, sendo guia. Se conhecer alguém para me indicar, por favor, passar O contato e-mail, whatsap para combinarmos. Grata.
[email protected]

Resposta
Liliane Oliveira Maio 21, 2018 at 1:09 pm

Olá Luiza,
A Thaís Helena parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação