BrasileirasPeloMundo.com
África do Sul Sistemas de Saúde Pelo Mundo

Sistema de saúde na África do Sul

Quando moramos fora do nosso país, ficamos muito preocupados em qual atitude tomar em caso de emergência. Um acidente, dores fortes, algum tratamento que temos que dar continuidade, o médico das crianças, o dentista da família, enfim, para onde correr em momentos de necessidade. Por isso é importante saber sobre o sistema de saúde na África do Sul.

Preparem-se! Os médicos daqui não são como os do Brasil. Brasileiro tem o costume de chegar no consultório médico achando que está entrando em uma sessão de psicanálise. Já senti isso na pele  e escuto muito as minhas amigas dizendo: “Você tem um médico pra me indicar? O meu não me fala as coisas, só me manda tomar o remédio e diz que vai ficar tudo bem”. O negócio aqui é confiar com bom senso. Já que foi ao médico, confia nele, faz tudo direitinho e vai ficar tudo bem.

Se você é novo no país, procure saber sobre o seu plano de saúde. Normalmente a empresa do contratado paga. Os planos de saúde são muito bons, nunca ouvi nenhum estrangeiro reclamando. Agora os sul africanos ja são outros quinhentos… Se está a procura de um plano, procure saber sobre o Discovery Health. Eles tem plano de saúde, seguro de vida e também de carro. Não será difícil achar, todo mundo conhece, se você tem um plano Discovery você ganha desconto na academia, nos cinemas, farmácias e se bobear até na vendinha do Seu Manoel ali na esquina.

O plano de saúde da minha família não é o Discovery, mas também é muito bom. É um plano que temos desde que saímos do Brasil. E ele nos reembolsa 90% dos valores gastos nas consultas. Normalmente funciona assim, você vai a consulta ou faz o procedimento necessário, paga e envia o comprovante para o plano, que em poucos dias deposita o dinheiro em sua conta. Eles também reembolsam medicamentos, mas tudo é muito rígido e controlado.

Antes de engravidar precisei de algumas consultas médicas nada fora do normal, clínico geral, ortopedista, ginecologista, e também nada grave. A dica continua a mesma, na hora de escolher um médico, peça ajuda a uma amiga.

Os valores por aqui as vezes podem ser os mesmo do Brasil, mas eu ainda acho que os gastos na área de saúde são mais em conta. E chegou o dia em que eu precisei comprar um teste de gravidez na farmácia, e isso sim mudou a minha vida, literalmente! Passei a frequentar muitos médicos e fazer vários exames.

O meu obstetra foi muito bem recomendado, inclusive por sul africanas. Foi muito difícil conseguir uma consulta com ele. No comecinho da minha gravidez  tive um sangramento que me deixou bem preocupada mas a secretária não queria papo. Então, resolvi apelar. Fui na emergência do hospital onde este médico tem consultório. Quando viram que eu estava grávida perguntaram quem era o meu médico, eu disse o nome dele e as enfermeiras ligaram para o consultório dele. Assim eu consegui a minha primeira consulta.

IMG_8206
A gravidinha com o Dr. Peter

Eu estava tensa, tremia muito e estava ansiosa para conhecer quem traria o meu bebê ao mundo. Ele foi muito simpático, me recebeu super bem, porém sério e de poucas palavras. Eu com aquela lista enorme de perguntas e ele só respondia “sim” e “não”. Por volta dos seis meses de gravidez, com os hormônios a flor da pele, eu saí do consultório dele decidida a procurar outro médico. Eu chorava dizendo “Ele não está nem aí pra mim. Ele não conversa comigo, não me explica as coisas, não responde as minhas perguntas direito”. Foi um chororô danado. Foi então que o marido entrou de cabeça e me puxou pelo pé. “Você realmente acha que outro médico será melhor que este?”. Pois é, no fim o Dr. Peter se acostumou com o meu interrogatório, eu com o jeito serio dele, e nos entendemos muito bem.

Finalmente chegou o grande dia. Na sexta feira, 6 de junho, liguei para ele e disse que nem sinais de Maria Antônia nascer. Ele disse tranquilamente que se ela não nascesse no final de semana eu deveria ir ao hospital para dar início ao parto. Então na madrugada de sábado corremos para a maternidade. Chegamos às 3:45. Fui super bem recebida. E naquela madrugada outros bebês também estavam nascendo, e a única médica plantonista veio se apresentar. “Olá! Eu sou a médica que fará seu parto. Mas estou muito cansada, vou para casa descansar um pouco e já volto”. Alguém pode imaginar como eu fiquei? DESESPERADA!!!! Como assim a pessoa fala uma coisa dessa? Ela estava tentando me acalmar? Eu queria o meu médico. Então ela voltou com um semblante renovado e tudo funcionou direitinho. Maria Antonia nasceu as 11:20 da manhã de sábado.

Durante o parto eu tive uma complicaçãozinha e depois da quarentena o meu médico decidiu me operar para resolver o problema. Não deu certo. Fiz uma segunda cirurgia no Brasil que também não foi bem sucedida. Pela terceira vez, tentamos resolver e não tivemos sucesso.

O meu próprio médico foi quem me indicou um especialista e conseguimos descobrir o que era. Passei por mais uma cirurgia e com muita esperança estou a espera do último procedimento. Dois anos se passaram e posso dizer que em todas as minhas consultas, exames e cirurgias eu fui muito bem cuidada aqui na África do Sul. Claro que não se compara ao atendimento que o meu médico do Brasil sempre me deu. Mas, apenas ele e a equipe dele merecem o Oscar. Porque na questão de infra estrutura dos hospitais, da atenção, carinho e cuidado dos enfermeiros, da dedicação por parte do Plano de Saúde, isso tudo me deixou muito satisfeita. Era tudo muito fácil de ser resolvido.

Então se eu disser que se você precisar de cuidados médicos você será muito bem tratada por aqui, por favor acredite e não tenha medo.

Leia sobre hábitos locais na África do Sul!

Related posts

Mulheres profissionais e ativistas na África do Sul

Marília Martone

Depressão e a falta de políticas públicas no Chile

Renata D'onofrio

Saúde Pública em Québec

Mirella Secassi Agarelli

14 comentários

Janaina Fiorini Julho 20, 2016 at 3:48 am

Que coincidência, morei na África do sul por 8 anos e o de Cameron fez meu parto de gêmeos e depois diagnosticou minha segunda gravidez com problema. Pra ser sincera prefiro médicos estrangeiros como ele, se precisar de terapeuta como acho que muitos médicos brasileiros se comportam, vou a procura de um. Brasileiro gosta de conversar muito, eu já sou mais pratica. Mas sim, a espera no consultório dele era um saco!! Só mesmo durante gravidez que eu pulava a fila.

Resposta
Thaís Helena Julho 27, 2016 at 12:50 pm

Ola Janaina,
que legal a coincidência. Descobri esses dias que o Dr. Cameron aposentou. Agora tenho que procurar outro médico.
Com minhas passagens a diferentes consultórios por aqui, ja ate me acostumei com o jeito mais direto deles. Mas ainda assim gosto das coisas muito bem explicadinhas.
abraços!

Resposta
Cristiano Julho 26, 2016 at 1:06 am

Olá Thaís! Texto esclarecedor, só fiquei em dúvida: os seguros do Discovery Health são bons mesmo ou você foi irônica no texto? Muito obrigado e parabéns.
P.S.: Saúde para você e sua família.

Resposta
Thaís Helena Julho 27, 2016 at 12:45 pm

Olá Cristiano!
Muito obrigada pela mensagem.
Não fui irônica no texto não, os planos da Discovery são bons. A maioria dos meu amigos brasileiros tem e todo mundo gosta. Eu só não tenho esse porque ja chegamos na África com o nosso plano, que a empresa do meu marido oferece.
Abraços

Resposta
Carol Julho 27, 2016 at 8:55 pm

Oi Thais,

Gosto muito do seu blog…é como se voltasse no meu tempo de Joburg. Só pra esclarecer, meu plano era Discovery e era sensacional. Eu recebia reembolso quase total das consultas com meu ginecologista, que “by the way” era muito bom, sinto falta dele.

Bjs,
Saudade

Resposta
João Vitor Abreu Setembro 21, 2016 at 8:59 am

Thaís Helena, bom dia!!
Sou barsileiro e estou em treinamento em Capetown e estou apaixonado! Que lugar maravilhoso! mas fico somente por 30 dias e depois retorno para Angola onde trabalho atualmente. Você pode me indicar algum portal ou site onde seja possível acompanhar ofertas de emprego por aqui? Trabalho com T.I e análise de negócios, meu email é [email protected]
Muito obrigado!

Resposta
Ana Novembro 29, 2016 at 4:05 pm

olá… estou indo estudar na UCT e preciso fazer o plano sozinha…está quase impossível …
tem alguma dica para me dar? sem isso eu não obtenho o visto
na verdade achei um aqui, mas pede um numero de celular e o meu simplesmente não aceita

Resposta
Ann Moeller Novembro 30, 2016 at 11:41 am

Ola Ana, no momento estamos sem colunista na África do Sul. Equipe BPM.

Resposta
Cíntia Abril 24, 2018 at 6:58 pm

Boa tarde pessoal, alguém sabe me dizer com quanto tempo um profissional na área da odontologia normalmente se aposenta?
desde já agradeço.

Resposta
Liliane Oliveira Abril 26, 2018 at 12:28 pm

Olá Cíntia,
A Thaís Helena parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
mirian Fevereiro 20, 2019 at 6:51 pm

tem brasileiro que da aula de ingles em joanesburgo?

Resposta
Liliane Oliveira Fevereiro 22, 2019 at 12:28 am

Olá Mirian,
A Thaís Helena parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Samara Setembro 12, 2019 at 1:55 pm

Olá, Thais. O seu post é muito bom e nos ajuda muito. Meu nome é Samara e eu estou querendo morar na África do Sul com meu filho que terá uns 5 anos. Mas, eu tenho dúvidas sobre quanto custa a educação em escola comum ou internacional, quanto custa os planos de saúde, sobre a questão de segurança e sobre o visto de trabalho. Seria ótimo se vc pudesse fazer um post sobre isso! Caso, possa me ajudar com essas informações seria tão legal!! Meu e-mail é [email protected]

Resposta
Liliane Oliveira Setembro 13, 2019 at 1:54 pm

Olá Samara,
A Thaís Helena, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação