BrasileirasPeloMundo.com
Bélgica Turismo Pelo Mundo

Praias na Bélgica

Uma das coisas que acho mais legal aqui na Bélgica, que faz uma falta danada no Brasil, são os bondes – chamados de “tram”. Os bondes fazem parte do transporte público das cidades, ou seja, com linhas e horários de funcionamento, como ônibus, e normalmente circulam apenas dentro da cidade. Mas aqui na Bélgica existe um tram diferente, especial: o Kusttram – tram da costa.

O bonde da praia percorre a costa inteira do país, da fronteira com a França à fronteira com a Holanda, ligando todas as cidades praianas, funcionando quase como um trem.

Isso só foi possível, claro, devido às enormes dimensões da costa belga, 67 km, um total de 14 cidades (a partir da fronteira com a Holanda: Knokke, Heist, Zeebrugge, Blankenberge, Wenduine, De Haan, Bredene, Oostende, Middelkerke, Lombardsijde- Westende, Nieuwpoort, Oostduinkerke, Koksijde e De Panne).

unnamed (4)

Eu, quando ouvi falar deste tram, fiquei curiosíssima, e fui logo testar. O percurso inteiro leva 2 horas e meia, e a paisagem alterna entre praias, cidades, dunas, prédios, portos, igrejinhas e até um antigo campo de batalha da II Guerra Mundial que foi preservado e pode ser visitado (entre as cidades de Oostende e de Middelkerke).

Para quem quer visitar, aqui vai uma palavrinha sobre cada uma das cidades mais importantes:

Knokke é denominada pelos belgas como a cidade chique da costa, ou seja, com os preços mais salgados e frequentada, em geral, pela classe rica. A parada final do tram fica quase ao lado da estação de trem, à esquerda, a apenas alguns metros.

unnamed

Em Zeebrugge fica o porto mais importante da costa (o mais importante do país fica no interior, na cidade de Antuérpia), onde chegam, por exemplo, navios que transportam gás natural redistribuído em toda Europa.

Blankenberge é mais popular, ou seja, preços mais em conta e sempre lotada.

De Haan é a mais diferente. Ao invés da muralha de apartamentos, típica das cidades praianas, ela é recheada de casas grandes, verdadeiras mansões, pintadas de branco (um estilo bem diferente em comparação ao resto do país em que a maioria das construções são de tijolinho escuro).

Oostende é a maior. Maior comércio, maior cassino, grande número de linhas de ônibus e maior número de paradas do bonde. Conta também com um aeroporto e um hipódromo.

 

Nieuwpoort é onde ficam os prédios mais modernos e possui o mercado de peixes mais importante da região.

E por fim De Panne, a mais azul, com a areia mais clara e fina, sem dúvida, a mais bonita. Onde fica também o parque de diversão Plopsaland, a “Disney” belga (penúltima parada do tram).

De Panne
De Panne

Cada cidade tem sua particularidade. Mas fazendo o passeio pude notar que os hábitos na hora de ir à praia são os mesmos de uma ponta a outra. Hábitos que para nós, às vezes, chega a ser cômico. Abaixo segue os quatro mais interessantes, na minha opinião.

1.Guarda-sol. Na praia é um utensílio indispensável, quase uma obrigação! Aqui também, mas, diferentemente do que o nome sugere, o guarda-sol é usado contra o vento e não, o sol, um guarda-vento. Literalmente! Eles são colocados no chão para barrar o vento, e se isso não for suficiente, os belgas também constroem verdadeiros labirintos de pano ou montam barracas dessas de acampamento, tudo para impedir o vento que sopra constantemente. Sempre que vou à praia acho isso cômico, mas confesso que já fiquei com vontade de me esconder atrás de um desses.

guarda-vento

2. Outro hábito curioso é em relação aos brinquedos das crianças. Ao invés de pazinhas, eles têm pazonas, de todos os tamanhos, para crianças e adultos. Os castelinhos de areia dão lugar a morros de areia, e a brincadeira é subir neles e esperar a maré alta para ficar ilhado. Isto porque o mar sobe incrivelmente rápido, em menos de 2h passa de maré baixa à alta, mais de 5 metros.

3. Bicicleta e praia, praticamente sinônimos por aqui. Em todas as cidades há inúmeras lojinhas para alugar os mais variados tipos de bicicletas, triciclos, quadriciclos, bicicletas dos mais variados modelos, tamanhos, para pedalar deitado, com as mãos, etc… Eles são criativos. Essas bicicletas tão diferentes são chamadas de trapfiets, e o aluguel sai em torno de 3 a 5 euros por meia hora.

4. E por fim, a gastronomia. Por aqui o prato principal da costa é o Moules-fritte (mexilhões com batata frita). Este também é um prato nacional, servido em todas as cidades do país, mas são mais populares na costa. Saem por volta de 15 (o mais simples) a 30 euros (os especiais).

Para quem ficou interessado, o serviço é oferecido pela companhia de transportes público da região de Flandres: De Lijn. Durante o verão, o tram passa a cada 10 minutos, durante o inverno a cada 20min. A passagem simples sai por 3,00 euros. Já o bilhete do dia sai por 5,00 euros.

Acesse o site da companhia de transporte para mais informações sobre tarifas e outros aqui.

 

Related posts

Por que conhecer as quatro províncias da Catalunha

Carolina Lauzen

Dicas de turismo em St. Augustine, na Flórida

Joana Miller

O que visitar na Noruega

Wendy Dantas

10 comentários

Lilian Outubro 2, 2015 at 1:06 am

Legal! É isso mesmo, muito guarda-sol servindo de para-vento é um mar que sobe incrivelmente rápido!!! E as bicicletas, então? Muito loucas!!!
Ai, que saudades!

Resposta
Tábata Senna Outubro 3, 2015 at 1:54 pm

As bicicletas são muito engraçadas mesmo. Tem algumas que nem consigo explicar, só vendo mesmo, como a bicicleta para 8 pessoas, mas que as pessoas sentam em circulo, como se estivessem numa mesa do bar, fiquei me perguntando quem é que dá a direção para esta bicicleta. Aqui vai uma listinha das mais curiosas:

Tretsfiets: um tipo de triciclo em que a pessoa vai quase deitada, tem até freio de mão, uma das mais populares na praia,
Ligfiets: a pessoa vai deitada,
Steppenfiets: um tipo de patinete-bicicleta,
Bakfiets: é uma bicicleta com um caixote acoplado, como um carrinho de mão, para transportar pessoas ou coisas, muito usada para levar as crianças à escola. Mas também podem ser adaptadas para levar cadeiras de roda ou carrinhos de bebê,
Aanhangfiets: uma bicicletinha para crianças é acoplada à bicicleta do adulto, mas quem pedala é o adulto,
Handfiets: para pedalar com as mãos,
Rijksja: bicicleta com um banco de passageiros, ao estilo indiano,
Eenwielerfiets: bicicleta de uma roda (dessas de circo),
Driewielerfiets: bicicleta de três rodas, normalmente com cadeirinha extra acoplada,
Skelter: parece um carrinho, tem modelos para 1, 2, 4 pessoas ou mais, algumas chegam a parecer um ônibus de tanta gente,
Bierfiets: bicicleta da cerveja, é isso mesmo! Mais parece um bar móvel, com até 8 lugares, a pessoa pedala enquanto toma cerveja!

E muitas outras, eles são criativos.

Resposta
Ana Elisa Outubro 2, 2015 at 11:55 am

Ótimo post! Até hoje não fiz esse passeio, que vergonha!

Resposta
Tábata Senna Outubro 3, 2015 at 1:56 pm

Obrigada! Descobri sobre o kusttram nas aulas de holandês. Se quiser companhia, podemos ir juntas.

Resposta
Reynaldo Outubro 2, 2015 at 2:44 pm

quando voltar ai vou fazer o passeio de ponta a ponta. E dar uma parada no campo da II segunda guerra.

Resposta
Tábata Senna Outubro 3, 2015 at 1:58 pm

Legal! Vou junto. Ainda não visitei esse campo e estou curiosa para ver.

Resposta
Jéssica Martins Outubro 2, 2015 at 8:36 pm

Tata! ja sei o que faremos qd eu for ai te visitar! hahaha. Bem vinda ao site amiga, um beijo

Resposta
Tábata Senna Outubro 3, 2015 at 2:01 pm

Obrigada! Pode vir visitar sim, vou adorar te receber, é só marcar! Depois também quero dar uma passadinha em Lyon!

Resposta
Bia Pinho Outubro 2, 2015 at 9:42 pm

Que legal!Lendo ,fiquei com vontade de conhecer esse lindo lugar….

Resposta
Tábata Senna Outubro 3, 2015 at 2:04 pm

É bem gostoso, e de tram é uma delícia! Aproveite para comer batata-frita quando vier.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação

Pin It on Pinterest

Share This