BrasileirasPeloMundo.com
Argentina Turismo Pelo Mundo

Qual é o melhor alfajor argentino?

Qual é o melhor alfajor argentino? 5 alfajores que você não pode deixar de provar

O alfajor é, definitivamente, um ícone nacional na Argentina. Se ao visitar o país é obrigatório provar a guloseima e inconcebível não voltar com algumas caixas, ao morar é impossível não adquirir o hábito de consumo da iguaria no dia a dia. São tantas as variedades que chega a ser difícil escolher um favorito. Ainda assim, fiz uma seleção dos cinco que você não pode deixar de provar!

Antes, porém, um pouquinho de história… Como essas duas metades de bolinho unidas por uma generosa quantidade de recheio chegaram ao país e caiu na graça dos seus habitantes?

Leia também: Como os argentinos socializam

Contam que o alfajor chegou à Argentina através das mãos dos espanhóis que, por sua vez, o herdaram dos árabes que ocuparam o sul do país durante 700 anos, a partir do século XV. Nestes tempos, se chamava “al-hasú”, palavra que deu origem ao nome que conhecemos hoje – alfajor –, e que significa “o recheio”. Eram um tipo de tortinha com um biscoito de cada lado e recheio de castanhas, mel e especiarias, elaborados principalmente na época de Natal. Segundo Jorge D’Agostini, autor do livro “El alfajor, un ícone argentino”, a forma redonda, como um sanduíche, foi dada na Argentina, assim como a incorporação do doce de leite, paixão nacional.

D’Agostini conta, também, que o primeiro registro gráfico do alfajor na Argentina é um quadro de 1844 que retrata uma vendedora ambulante que levava a iguaria em uma bandeja. A industrialização do produto, porém, só aconteceu um século depois. Em 1948, em Mar del Plata, se inaugura a primeira fábrica da Havanna, marca mais tradicional e reconhecida mundialmente. Nos anos 80, já em Buenos Aires, a gigante Kraft se lançou no mercado dos alfajores com a marca Terrabusi. De lá para cá, o número de produtores do produto só foi aumentando e hoje se calcula que existam mais de 100 marcas!

A Asociación de Distribuidores de Golosinas y Afines (ADGyA) estima que sejam consumidos, na Argentina, por ano, 1 bilhão de alfajores, o que significa uma média de 24 alfajores por pessoa ao ano! Por definição do artículo 132 do Código Alimentar Argentino, o nome alfajor é dado ao “produto constituído por dois ou mais biscoitinhos, biscoitos ou massa assada, separadas entre si por recheios como geleias ou outros doces, podendo ter um banho ou cobertura exterior” (tradução nossa).

Leia também: Quanto custa fazer supermercado em Buenos Aires?

Qual, então, é o melhor alfajor argentino? Claro que, como tudo, há uma questão de gosto pessoal e a minha lista dos “TOP 5” é baseada é baseada na minha percepção do gosto. Esclareço, porém, que alguns critérios foram adotados: quantidade e qualidade do recheio, proporção de massa e recheio, umidade da massa, lista de ingredientes e sabor.

 

1) Entre Dos Alfajores Premium / Negro

Fonte: Página Facebook Entre Dos

Descobri os alfajores premium Entre Dos em uma viagem a Mendoza, em 2016, onde são produzidos. Desde então não podia esquecer o sabor e estive em uma busca incansável por eles na capital porteña durante muito tempo. Finalmente, hoje podem ser encontrados nas lojas Dulce de Leche Co. O que fazem deles o melhor alfajor argentino? A quantidade de um delicioso doce de leite (50% do peso total do produto é doce de leite), a cobertura meio amarga, a suavidade e umidade de massa, o equilíbrio entre todos os ingredientes e o sabor inesquecível e inigualável! A versão com rum ganhou, no ano passado, o prêmio de alfajor mais saboroso do país, categoria premium, na Festa Nacional do Alfajor, em Córdoba. Segundo um dos donos da empresa, Ariel Fabrízio, um dos segredos do sucesso é a receita caseira da massa, desenvolvida por sua esposa e sócia, Constanza Carcaño, depois de muitos experimentos.

2) Alfajor Artesanal Rapa Nui / Dulce de Leche con Chocolate Semi Amargo

Fonte: Página Facebook Rapa Nui

A empresa de Bariloche, famosa pelos sorvetes e chocolates, faz um alfajor compatível com a qualidade de tudo que é encontrado por lá. Massa úmida e macia, recheio abundante, cobertura de chocolate meio amargo de verdade. É só conferir a lista de ingredientes e confirmar o porquê da qualidade superior: sem conservantes, sem essências, bem caseiro e de-li-ci-o-so!

3) Cachafaz / Dulce de leche con coco

Fonte: Página Facebook Cachafaz

Se encontrar os primeiros alfajores da lista pode ser um pouquinho mais complicado, o nosso número 3 vai para um que pode ser encontrado facilmente em qualquer kiosko ou supermercado. Também de categoria premium, os alfajores Cachafaz são deliciosos e, se pergunta a qualquer argentino, muito superiores ao concorrente direto, Havanna. A versão indicada aqui, de doce de leite com coco, é de massa de maisena e não pode faltar na degustação de alfajores! Vale ressaltar que as outras versões são igualmente deliciosas e, os conitos, um verdadeiro manjar!

4) El Rosario / Dulce de fruta con baño azucarado

Fonte: Página Facebook Estancia El Rosario

É inadmissível fazer uma lista de alfajores sem mencionar algum alfajor cordobês! A escolha foi pelo produto da Estancia El Rosario, fundada em 1924 por imigrantes suíços e escoceses. A versão indicada, com recheio de fruta e banho de açúcar, é uma preciosidade para acompanhar um chá! O biscoitinho de maisena, a crocrância que se rompe no primeiro bocado, o puxa-puxa do recheio de fruta… realmente delicioso!

5) Alfajorcito Jorgito / Negro

Página institucional Jorgito

Apesar de não pertencer à categoria de alfajores premium, não poderíamos finalizar a lista sem um clássico! A marca é líder na região de Capital Federal e Grande Buenos Aires e ocupa o 3º lugar a nível nacional. Encontrado em todos os kioskos e supermercados, minha escolha fica com os “alfajorcitos”, que são menores e vêm em um pacote com 6 unidades, sem serem embalados individualmente – um perigoso incentivador para o seu consumo integral, em uma única sentada!

Related posts

Turismo na região de Halkidiki na Grécia

Aimée Bardella Aihst

História e mito na Romênia: Drácula

Cristina Hélcias

6 lugares para passar o dia perto de Praga

Isadora Costa

2 comentários

Fernanda Rodrigues Outubro 31, 2018 at 2:46 am

Minha irmã trouxe 2 marcas, há umas semanas atrás, e confesso que não curti. Não lembro os nomes. Uma caixa cinza azulado e um com pacote dourado. O dourado era bem melhor que o da caixa. Faltou o recheio de doce de leite. O chocolate por fora era amargo. N curti!

Resposta
Sara Martins Outubro 31, 2018 at 11:53 am

Olá, Fernanda! Tudo bem?
Não saberia dizer quais foram os alfajores que você provou, já que existem muitas e muitas marcas, mas é uma pena que você não tenha gostado.
Cada pessoa tem uma preferência e é realmente difícil que algum seja do agrado de 100% das pessoas. Essa listinha foi justo para orientar sobre aqueles que costumam ser os mais consumidos e admirados por aqui, espero que numa próxima oportunidade possa prová-los e, quem sabe, mudar o seu conceito sobre alfajores!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação