BrasileirasPeloMundo.com
Japão Sistema Educacional Pelo Mundo

Sistema de ensino no Japão

Sistema de ensino no Japão.

Acho que esse é um dos grandes dilemas das famílias que pretendem ir morar em outro país, “ e a escola das crianças? ”

Para ajudar você que pretende vir morar no Japão, aqui vai algumas informações sobre o sistema de ensino japonês:

1. Creches : podem ser públicas (kooritsu hoikuen) que são bem estruturadas e também as mais procuradas, as inscrições ocorrem no começo de outubro normalmente, e o setor responsável (kodomo ka ou kyooiku iinkai) funciona dentro de cada prefeitura. Você pode tentar matricular seu filho no meio do ano por exemplo mas, será mais difícil conseguir vaga dependendo da região. Os pais devem indicar 3 opções de creches (você pode visitá-las desde que marque horário previamente, antes de fazer as opções) e indicar o motivo pelo qual você optou pelas mesmas. Normalmente você deve escolher as creches do seu bairro e proximidades. Optar por uma creche muito longe ou em cidade vizinha diminui suas chances de conseguir a vaga visto que após a inscrição você vai ter que aguardar o parecer da prefeitura da sua cidade que lhe enviará uma carta, em dezembro, informando para qual das 3 opções seu filho conseguiu a vaga.

Os critérios de seleção são definidos pelo setor responsável de cada localidade. Referente a idade, algumas creches aceitam até mesmo recém nascidos. Existem as opções de creches particulares, minkan hoikuen, só que muita atenção pois, se dividem entre autorizadas pelo governo que recebem subsídios e as não autorizadas, essas normalmente são mais caras e tem horários e critérios para matrícula bem mais flexíveis.

Leia também: curiosidades sobre o Japão

Grupo de crianças indo para a escola juntas
Grupo de crianças indo para a escola juntas

Quanto ao valor da mensalidade as creches públicas variam conforme a renda da família (em média entre 15 à 50 mil yenes) porém, existem vários subsídios do governo que você pode se benificiar como desconto para mães ou pais solteiros, famílias que possuem o pai ou a mãe em tratamento médico ou tem muitos filhos e renda baixa. Para informações mais detalhadas vale a pena visitar essa página aqui, lembrando que apesar do informativo ser da província de Nagano e com data de 2012 basicamente o que difere um pouco de outras regiões são os valores e horários.

2. Jardim de infância (Yoochien) : Também divididos entre públicos e particulares o sistema de inscrição é o mesmo das creches. Esses tem um horário de permanência mais curto e idade a partir de 3 anos até 5 anos por isso, são a opção ideal apenas para as famílias onde normalmente a mãe não trabalha ou trabalha em empregos part-time.

3. Shoogakko e Chuugakko : Equivalem ao ensino fundamental no Brasil, quando a criança completa 6 anos de idade a prefeitura da sua cidade enviará uma carta informando sobre os procedimentos para matrícula, os estrangeiros não são obrigados a matricular seus filhos nas instituições japonesas, porém a lei exige que as crianças japonesas frequentem a escola até completarem pelo menos o Chuugakko ou seja 9 anos de estudo. Entre as comunidades estrangeiras que frequentam as escolas japonesas, a brasileira está em primeiro lugar, por esse motivo muitas escolas oferecem intérpretes e salas especiais para adaptação dos alunos estrangeiros.

Leia sobre: Dá para morar no Japão sem saber japonês?

4. Kookoo/High school : Ensino médio, que dura três anos, também com opções para as escolas públicas e privadas. A diferença aqui é que para ingressar em um Kookoo o estudante tem que prestar um vestibular. Já no segundo ano do Chuugako os alunos começam a ser orientados sobre os procedimentos para a escolha de um Kookoo, é um momento de certo estresse tanto para os estudantes como para os pais que precisam rever o orçamento e se prevenir pois caso o filho não consiga passar em uma escola pública a particular vai com certeza custar caro. (eu mesma tive que desembolsar 720 mil yenes no primeiro ano).

5. Daigaku , Senmon Gakkou e outros: Faculdades e universidades também são públicas ou particulares, cursos técnicos profissionalizantes (mecânica, enfermagem, cabelereiro etc) cursos de curta duração 2 ou 3 anos também são uma boa opção.

 

sinalização para isolar a faixa do caminho para a escola, para que as crianças possam ir e voltar sozinhas ou em grupos
sinalização para isolar a faixa do caminho para a escola, para que as crianças possam ir e voltar sozinhas ou em grupos

Para muitos estrangeiros manter o filho em uma escola japonesa é uma tarefa árdua devido ao ritmo de vida de cada família, por isso deixo aqui algumas dicas importantes:

  •  Planeje sua vinda ao país, e tenha em mente que a criança mesmo que estude em uma das muitas instituições que ofereçam um intérprete em português será imprescindível aprender o idioma e a cultura do país e nos primeiros meses o acompanhamento de um dos pais ou responsável será de grande ajuda.
  •  O “Ijimê” ou bullying também é uma realidade dentro das escolas japonesas mas, alguns pais confundem as diferenças culturais com atitudes discriminatórias então procure também se envolver e conhecer os costumes do país.
  •  Participe sempre que puder das reuniões e das muitas atividades da associação de pais e professores os chamados PTA, muitos brasileiros nem se quer atendem a 1 reunião da escola ou eventos importantes para a criança como a gincana de esportes anual (Undokai), que é a maior confraternização onde até os avós normalmente participam para incentivar a criança.
  •  Como no sistema de ensino não existe reprovação até o final do ensino fundamental, os pais podem vir a pensar que a criança está acompanhando bem os estudos o que na maioria das vezes não condiz com a realidade. Sempre que possível converse com seu filho e o ajude nas tarefas da escola.

A barreira do idioma e a jornada de trabalho não devem ser empecilhos para que os pais participem da vida escolar do filhos.

Related posts

Envelhecer no Japão

Hasu Kikuchi

Como é o ensino infantil na Finlândia?

Beatriz Guedes

Sistema de ensino no Reino Unido

Juliana Brandão

13 comentários

[email protected] Dezembro 6, 2015 at 9:28 pm

Parabéns ,perfeito…..realidade que precisa de ajuda.Esta de parabéns

Resposta
Alessandra Ozbir Dezembro 7, 2015 at 11:55 pm

Obrigada Dri (Onessan) estou me esforçando para trazer informações atuais e que ajudem a comunidade e os futuros imigrantes! Bjos.

Resposta
Martha Mayumi Ito Dezembro 6, 2015 at 9:42 pm

Minha filha nasceu em Fukui ken Fukui shi, ficou no Hoikuen durante anos, aprendeu mtoooo, educadinha, mas chegou no Brasil as coisas desandaram rsss….

Resposta
Alessandra Ozbir Dezembro 7, 2015 at 11:52 pm

É Marthinha aqui a disciplina é coisa levada a sério, as escolas brasileiras poderiam adotar alguns costumes básicos do sistema japonês não acha? Um abraço amiga!

Resposta
Leiliane Abril 18, 2016 at 4:48 pm

Olá Martha, se não for muito incomodo,como faço para encontrar essas Hoikuen, é que estamos nos programando para morar no japao esse ano, mas até agora não consegui nenhuma informação sobre as creches de fukui, especialmente próximo à fábrica Murata echizen.

Desde já grata.

Resposta
Alessandra Ozbir Abril 19, 2016 at 1:38 am

Olá Leiliane, a empresa Murata é uma das maiores na região com um número muito grande de funcionários brasileiros. Caso a agência contratante não possa oferecer assistência você terá que dispor de tempo para fazer os tramites para inscrição em uma creche conforme explico nesse artigo. Lembrando que o ano letivo começou agora em Abril, e para conseguir uma vaga vai depender da disponibilidade das creches que podem ser em locais não muito perto da sua residência, se possível for melhor a empresa ou a agência verificar diretamente na prefeitura antes do seu embarque. Aqui deixo o link em portugues http://www.city.echizen.lg.jp/office/010/010/portugues.html do site da prefeitura com informações diversas sobre creches (hoikuen) e outros assuntos pertinentes a vida cotidiana em Ichizen.

Resposta
Tatiana Martins Fevereiro 1, 2016 at 10:51 am

Alessandra tudo bem? Gostei muito da suas dicas e gostaria de saber se você poderia me ajudar com um trabalho de escola.A escola que trabalho, tem uma festa tradicional chamada Festa das Nações. Cada ano uma turma é responsável por estudar uma nação. O 5º ano ficou responsável por estudar o sistema educacional do Japão. Você poderia me enviar fotos ou mesmo mais informações sobre este tema? Muito obrigada desde já.

Resposta
Alessandra Ozbir Fevereiro 3, 2016 at 12:32 am

Olá Tatiana, será um prazer colaborar com o trabalho da sua turma. Você pode me dizer quanto tempo falta para a apresentação do trabalho? vou mandar no fim de semana por e-mail ok? Obrigada e um grande abraço!

Resposta
Tatiana Martins Fevereiro 4, 2016 at 10:48 am

Olá Alessandra. A duração do nosso projeto é de 02/05 a 30/06, com apresentação de uma dança do País. Pode ser que a data sofra alguma alteração. Mas, não antes disso é certeza.

Muito obrigada por sua colaboração!

Resposta
Michele Agosto 11, 2016 at 5:40 pm

Olá! Estarei indo este ano para o Japão e gostaria de saber se você sabe se tem como estudar em escola técnica no Japão após os 30 anos de idade… Porque eu gostaria de estudar enquanto minha filha fica na escola. Att

Resposta
Alessandra Ozbir Agosto 12, 2016 at 1:58 am

Olá Michele, para responder melhor sua pergunta, eu precisaria saber exatamente que tipo de curso você pretende fazer.
Escolas técnicas no Japão com certificado reconhecido exigem domínio do idioma japonês caso você queira exercer a profissão aqui no país. Se você quiser obter informações mais específicas em determinada área, entre em contato comigo através do meu e-mail citado no meu perfil. Um abraço e obrigada por ler meu artigo.

Resposta
SIMONE SATO Fevereiro 25, 2018 at 12:29 pm

BOA NOITE, ALESSANDRA..
TDO BEM,ESTOU C UMA GRANDE DUVIDA EM RELAÇÃO AO ESTUDO,RETORNO AO JAPÃO AINDA ESSE ANO E MEU FILHO ESTA C 14 ANOS E ESTOU MTO PREOCUPADA … PQ SEI O QTO E DIFÍCIL NA PARTE DA EDUCAÇÃO E ADAPTAÇÃO… GOSTARIA MTO DE UMA ORIENTAÇÃO…

Resposta
Liliane Oliveira Fevereiro 25, 2018 at 11:18 pm

Olá Simone,
A Alessandra Ozbir parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas no Japão que talvez possam te ajudar.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação