BrasileirasPeloMundo.com
China

Solidariedade na China

Solidariedade na China

Estamos chegando a uma das épocas mais bonitas do ano: Natal! Época em que as pessoas se sentem mais leves, se sentem mais solidárias, confraternizam mais umas com as outras e avaliam o ano que passou, para que no ano novo, que logo se inicia, façam-se desejos de coisas melhores.

No Natal a impressão que dá é que as pessoas se importam mais umas com as outras, olham mais ao seu redor, e tentam ajudar mais o próximo! Mas e por que não fazer isso o ano todo?

Pois bem, aqui em nossa querida Dongguan, casos de solidariedade de toda a comunidade foram muito fortes! Tivemos vários casos em que rapidamente a comunidade precisou se abraçar e ter forças para ajudar o próximo.

Por aqui já existem vários grupos voluntários que ajudam algumas entidades carentes locais. A AMBD – Associação de Mulheres Brasileiras de Dongguan- é um grupo local de mulheres que, junto a comunidade, desenvolve atividades, bailes e eventos para arrecadar fundos e ajudar instituições como orfanatos, asilos e até uma comunidade há muito tempo esquecida por questões de saúde (tema para um post futuro). Mas todas essas ajudas foram a instituições locais, com alguns estrangeiros das mais diversas nacionalidades ajudando.

Mas o que me chamou muito a atenção foram casos isolados de necessidade. O nosso primeiro grande caso foi da pequena Gabriela, que nasceu com uma má formação congênita no coração chamada Tetralogia de Fallot. Essa síndrome, é uma “falha” na formação do coraçãozinho, e o reparo é feito através de cirurgia. A nossa pequena grande guerreira Gabi (GGG, como a apelidamos) estava bem enquanto aguardava ficar maiorzinha e mais forte para poder realizar a cirurgia. Aguardava em casa, sendo monitorada por médicos. Mas ela teve uma recaída e precisou ser internada. Entre conversas e diagnósticos, sugestões de cirurgias e recaídas, a pequena precisou ser operada às pressas! E o seguro de saúde não cobriu os custos!

Imagine você, vivendo em um país completamente estranho, onde o “SUS” não é utilizável por você, e você precisando de dinheiro para que realizem uma cirurgia às pressas?

Neste momento é que me orgulho da comunidade que temos, (e chego a me arrepiar lembrando de tudo!). Todos, literalmente, se abraçaram e vestiram a camiseta! Foram feitas não só doações espontâneas, como também vários eventos e formas diversas de ajudar: restaurantes oferecendo o espaço para festas, e TODO dinheiro arrecadado por vários dias indo para a menina; vendas de pão solidário; vendas de camisetas, e muito mais. Lembro de a madrugada inteira o whatsapp não parar, pois todos queriam ajudar de alguma forma! E em pouco tempo conseguimos juntar o necessário! Hoje, graças a Deus a pequena esta linda, saudável e sorridente! Não terminou sua guerra, mas venceu as primeiras batalhas! Para mais informações, acessem o link da campanha dela.

Logo em seguida do caso da pequena Gabi, um outro grande amigo da comunidade precisou de ajuda. Entre uma viagem e outra, acabou em coma em um hospital da região. O diagnostico: meningite, seguido de várias outras conseqüências. Foi uma coisa exatamente logo após a outra, mas mesmo assim todos tentaram ajudar. Entre as atividades realizadas para ajudar este caso, estava um galeto, realizado em um hotel da região, que contou com 700 pessoas. Infelizmente, mesmo após tanto esforço, esse caso não teve um final feliz, e o nosso amigo nos deixou!

Passado um tempo, um outro pequeno menino norte americano precisou de ajuda. E não é porque ele não era de nossa terra que não íamos ajudar. Imaginem vocês, mamães, acordar no meio da noite com teu pequeno filho de apenas 2 anos vomitando sangue? Não posso nem pensar no desespero dessa mãe! Essa família morava aqui em Dongguan, mas havia se mudado para o interior. O hospital mais próximo (em condições de atender um caso assim) ficava a 2 horas da casa deles! Chegado aos possíveis diagnósticos (sim, possíveis, pois ele não conseguiam determinar a causa e ele continuava a perder sangue), constatou-se que precisariam movê-lo para outro hospital em uma cidade distante, precisando novamente de muito recurso financeiro, pois precisava-se de transporte médico aéreo. E pagamento antecipado! Graças ao bom Deus, esse caso também teve um final feliz! O pequeno conseguiu ser transferido para um hospital de ponta, onde descobriram o que estava causando isso, e o devido tratamento foi lhe dado.

Agora, estamos passando por isso novamente, com a pequena Natalie. Natalie nasceu no dia 5 de setembro com Síndrome de Down. Muitos bebês com a Down têm problemas de coração: uns mais sérios, outros menos sérios. No caso da pequena Natalie, ela nasceu com uma abertura de 8mm em uma das 4 cavidades do coração, onde ela apresentava séria disfunção respiratória, hipotireoidismo, hipoglicemia, disfunção metabólica e infecção pulmonar.

Na China é comum, em partos, a mãe e bebê ficarem no hospital de 5 a 7 dias, e somente receberem alta se ambos estiverem bem, sem infecção e já sem os pontos. É um cuidado total de mãe e bebê durante os sete primeiros dias. A explicação? Se algo muito sério for acontecer, será na primeira semana de vida do bebê, e aí este estará no hospital. Da mesma forma, a mãe, tem monitoradas infecção tanto de útero quando dos pontos. Sim, é diferente do Brasil, mas não posso dizer que está errado. Tive meus dois filhos aqui, e ambas experiências foram boas (mais um assunto para um próximo texto).

No caso da pequena Natalie e sua mãe, imediatamente após o nascimento, elas foram separadas: a mãe ficou no hospital onde deu a luz, e a pequena bebê foi transferida para um hospital com uma UTI neonatal mais preparada.

O nível de oxigenação dela ainda estava muito baixo, e falou-se também em cirurgia. A pequena foi transferida mais uma vez para outro hospital especializado em UTI neonatal e cirurgias de bebês. Este hospital fica a mais ou menos duas horas da nossa cidade, e os pais da pequena só podem entrar para vê-la às segundas e sextas-feiras, e por apenas míseros 5 minutos! QUE AFLIÇÃO! E para ajudar tudo isso, não se esqueçam que há a dificuldade lingüística: médicos praticamente só falam mandarim! Inglês é muito pouco. E daí a necessidade de se ter um tradutor para saber o que está acontecendo. E nem sempre tudo é traduzido como deveria (ou como gostaríamos de nos expressar).

Estamos, então, nos mobilizando por esta pequena, que já fez uma cirurgia para correção da abertura da cavidade e, no momento está usando um marca-passo portátil para a correção dos batimentos cardíacos;  em breve ela precisará fazer uma nova cirurgia para implantação do marca-passo.

Já tivemos venda de pão solidário, teremos essa semana dois brechós, onde todo dinheiro arrecadado será revertido para a pequena, rifa, galeto solidário, e por aí vai!

Resta a vocês, leitores e leitoras, que rezem por essa pequena, para que logo ela possa estar bem, e receber um colinho do papai e da mamãe.

E à minha querida comunidade de Dongguan, peço somente para que nunca deixemos de ser assim! Deixamos família e amigos no Brasil para vir tentar uma nova vida por aqui. Mas aqui formamos novos amigos e uma nova família de coração. Amigos queridos onde nos apoiamos, nos ajudamos. Passamos por apertos juntos, mas nessas horas em que mais precisamos, tenho grande orgulho dessa comunidade que ajuda. Como sempre digo por aqui: “Juntos podemos mais!” Vamos lá, Dongguan, se abraçar por mais uma causa importante e ajudar o pequeno anjo da forma que podemos!

Até a próxima pessoal!

Nota: Da edição até a publicação deste artigo, infelizmente a pequena Natalie nos deixou. Porém, resta aos pais ainda pagar uma parte das despesas. No dia 4 de dezembro foi realizado o galeto para ajudar a arrecadar fundo! Descanse em paz Natalie! e Força a toda a família.

 

Related posts

Como saber que é hora de morar fora

Naschara Saraiva

Presentes, tabus e costumes na China

Christine Marote

Hong Kong, 20 anos da reunificação com a China

Ana Clara Oliveira Garner

4 comentários

Luciane Batista Dezembro 29, 2016 at 7:09 pm

Parabéns querida Tati pelo belo trabalho que vcs desenvolvem … Um ato solidário muito lindo! Orgulho de todos vcs Brasileiros que abraçam essa causa w fazem ela acontecer!! Beijos daqui do outro lado do mubdo e muita saudade… ❤

Resposta
Tati Klaus Fevereiro 15, 2017 at 7:59 am

Obrigada, Lu!!!!
Nao vamos nem comecar a falar em saudades!!!!
Beijo grande!!!!!

Resposta
Alex Veloso Janeiro 19, 2017 at 2:09 am

Olá boa noite,
Meu nome é Alex Veloso de Londrina Paraná, desculpe o encomodo, mas gostaria de saber quais são os trâmites que devo tomar para tentar oportunidade de trabalho aí na China, se poder me passar informações eu ficarei muito grato.
Desde já obrigado!

Resposta
Tati Klaus Fevereiro 15, 2017 at 7:47 am

Olá Alex!

Não é tão simples como possa parecer vir trabalhar por aqui. Geralmente as pessoas já vem transferidas ou fecham contrato de trabalho antes de virem para cá.
Os brasileiros que estao aqui em Dongguan, a grande maioria trabalha no setor coureiro-calcadista. Não tenho muitas informações de outras áreas de trabalho e como chegar nelas.
Tudo se resume a sua area de trabalho.
Uma dica interessante é usar as plataformas online para troca de experiências de trabalho, como o LinkdedIn por exemplo.
Boa Sorte em sua busca!
Abraco!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação