BrasileirasPeloMundo.com
Grécia Turismo Pelo Mundo

Tour pela cidade de Metéora

Tour pela cidade de Metéora

Tour pela cidade de Metéora.

Quando pensamos em viagem pela Grécia, logo nos vem à mente as paisagens idílicas das diversas ilhas gregas, com suas praias animadas, mares azul turquesa e pores do sol deslumbrantes.

É verdade que o turismo pelas ilhas é o que a Grécia tem de mais famoso e desejado. Mas, com certeza, um país com tanta história já vivida tem muito mais a oferecer do que apenas as belezas do Mar Egeu.

Com a ideia de descobrir cantos ainda pouco explorados pelos brasileiros, caímos na estrada no início da primavera. Fomos rumo à Metéora, na cidade de Kalabáka, a 359 km do centro de Atenas.

Em grego, Metéora é o plural de meteoro, palavra também usada na língua portuguesa, e que significa suspenso no céu, elevado. A região foi assim batizada pois é formada por cadeias de rochas altíssimas e bastante verticalizadas, esculpidas pela água e pelo vento durante milhões e milhões de anos.

A paisagem é composta por enormes pedras saindo do chão e apontando para o alto, dando realmente a sensação de tocar o céu. Um visual inacreditável de tão lindo e a total noção de como somos pequenos diante da grandiosidade do planeta.

A fama de Metéora não é apenas pela sua beleza natural. O inusitado fica por conta da interação entre homem e natureza. Acreditem se quiser, por volta do século XII, foram construídos monastérios da Igreja Católica Ortodoxa no topo dessas rochas super altas, dando origem ao segundo complexo mais importante do país, atrás apenas do Monte Athos. As construções se fundem com as pedras e parecem ter surgido naturalmente naquele lugar. É mágico!

Não à toa, Metéora foi reconhecida pela UNESCO como Patrimônio Mundial por representar uma obra prima da genialidade humana, um exemplo arquitetônico excepcional e por abrigar um fenômeno natural de extrema beleza e importância.

Como chegar a Metéora

  • De carro

São cerca de 3h30 de viagem, em uma estrada com condições muito boas, com alguns trechos beirando o mar e outros cruzando as montanhas. Boa parte do trecho tem pedágios, com faixas duplas em ambos os sentidos, mas alguns trechos mais próximos à Metéora são feitos em faixa única em ambas as direções.

A partir de Atenas, seguimos pela rodovia E75 (caminho para o aeroporto) por 206 km, no sentido Lamia. E, em seguida, pegamos a E65 até Kalabáka, por mais 148 km. Estimo um gasto de €65 de combustível e mais €30 de pedágio, ida e volta. A vantagem do carro é a facilidade e a liberdade para circular em Metéora e visitar os monastérios.

  • De trem

A viagem de trem também tem um belo visual no trajeto e tem a vantagem de não precisar dirigir ou se preocupar com a estrada. A desvantagem é que a maioria das opções de trem saindo de Atenas não são diretas para Kalabáka (a estação mais próxima à Metéora). Os que saem da Estação Larissa (localizada no centro de Atenas e com integração com a linha 2 do Metrô) têm uma parada para troca de trem na cidade de Palaeofarsalos. Mas, diariamente, há uma opção direta saindo pela manhã de Atenas e retornando no fim da tarde de Kalabáka.

O primeiro trem sai de Atenas às 7h da manhã e a última opção sai às 23h55. A viagem dura cerca de 5h30, dependendo da opção de horário e da baldeação em Palaeofarsalos. A opção direta sai de Atenas às 8h20 da manhã.

As passagens custam entre €18 e €32 por trecho. Incrivelmente, o trem direto costuma ser o mais barato. É possível comprar os bilhetes online e pagar com cartão de crédito pelo site. Tem versão em inglês e é bem fácil de utilizar. Comprar online normalmente é mais barato que comprar direto na estação!

  • De ônibus

A outra opção é ir de ônibus, mas nesse caso é necessário fazer baldeação. É preciso ir até uma cidade chamada Tríkala e de lá, pegar outro ônibus para Kalabáka. Os bilhetes dos trechos Atenas – Tríkala – Kalabáka podem ser comprados juntos, já que as rotas são feitas pela mesma empresa (KTEL Trikala). O primeiro trajeto leva cerca de 4h30 e de lá, mais uma hora até a cidade final. O bilhete só de ida custa €32 e o de ida e volta sai por €48.

Uma desvantagem desta opção é que a estação rodoviária de onde partem os ônibus não fica bem no centrão de Atenas. É preciso pegar a linha 1 do metrô até a estação Kato Patíssia e de lá caminhar mais uns dez minutos. Então, dependendo de onde você estiver hospedado, pode ser necessário fazer baldeação no metrô para chegar até lá também.

O endereço exato da rodoviária, que fica perto do Museu Rodoviário é: rua Liosion, 260.

Não é necessário comprar a passagem de ônibus com muita antecedência, mas na alta temporada (julho e agosto) a procura aumenta bastante e nem sempre é possível encontrar lugares disponíveis em todos os horários. São seis ou sete frequências diárias, dependendo do dia da semana.

Você pode encontrar os horários e comprar bilhetes online pelo site.

Leia também: Transporte público em Atenas

Onde ficar em Metéora

Acomodar-se pelo centro de Kalabáka é a minha sugestão para ter acesso mais fácil às atrações da região. A cidade é bem pequena e basicamente se resume a duas ruas principais, onde estão os serviços e comércio.

A maioria dos hotéis é de 2 ou 3 estrelas, pensados apenas para passar a noite. Ou seja, não existe muito conforto e a oferta é relativamente reduzida.

Nós nos hospedamos no Hotel Edelweiss, bem no centro. A localização é ótima para circular a pé pelos restaurantes, cafés e pubs. Fica a 1,3 km de Metéora. Mas achei o quarto muito pequeno mesmo! Se tiver com muita bagagem, fica impossível circular. Diárias para quarto duplo estão em torno de €50, com café da manhã e estacionamento gratuito.

Para quem precisa de mais estrutura, existem dois hotéis bem recomendados, localizados na entrada de Kalabáka: Famissi Eden Hotel e Divani Meteora Hotel.

O que fazer em Metéora

Quatro monastérios de Metéora. Conseguem achar todos? Foto: Arquivo Pessoal

A beleza de Metéora está na combinação de suas formações rochosas verticais e de seus monastérios, que estão todos reunidos num mesmo percurso. Para conhecer tudo, sugiro pelo menos dois dias inteiros de passeio.

Acessando a estrada rumo à Metéora, já encontramos as indicações para os monastérios e para o topo dos penhascos. É possível fazer esse caminho a pé, de bicicleta ou de carro. Lembrando que é um trajeto bastante íngreme e com muitos degraus. Então, preparo físico, roupas adequadas e água são importantes.

Esse complexo já chegou a contar com mais de 20 monastérios, mas hoje apenas seis estão ativos e ainda funcionam para servir aos ensinamentos de monges e freiras da Igreja Católica Ortodoxa. Todos estão abertos para visitação e cada um tem o seu destaque na forma como foram construídos nos topos das rochas. A maioria deles tem entrada gratuita, mas pode haver a cobrança de no máximo €5 de ingresso.

Leia também: Custo de vida em Atenas

Se tem um monastério que não pode ficar de fora do roteiro é o Monastério da Santíssima Trindade. Ele está localizado no topo de uma rocha ilhada, que não tem conexão com outras pedras. Olhando rápido, não dá para entender como chegar lá e parece que o monastério “caiu do céu”. É incrível!

Monastério da Santíssima Trindade. Foto: Pixabay

Antes de partir para a visitação, é importante considerar que esses são locais de oração. Facilmente, os membros da Igreja são vistos circulando pelo meio dos turistas. Por isso, fiquem atentos às vestimentas (evitar saias curtas, bermudas e ombros de fora) e aos horários das missas, que podem impedir a entrada de visitantes.

Além dos monastérios e do super visual das rochas, assistir ao pôr do sol sentado no topo de um dos vários penhascos (com segurança) é um espetáculo à parte. Não perca a chance de simplesmente contemplar a paisagem e apreciar o silêncio.

Conhecer Metéora foi uma grata surpresa e, sem dúvidas, tornou-se um destino TEM-QUE-VER na Grécia. Preparem o fôlego para um show de beleza e para longas e intensas caminhadas!

Related posts

Turismo no Quênia- Parte 1

Daniela Milani

Viajar pela Nova Zelândia

Natália Souza

Délhi: roteiro de um dia na capital indiana

Nione Cristina Claudino

1 comentário

Fabiola Julho 7, 2018 at 11:34 am

Pena que não li isso antes de ir… Já tinha um … agora tenho dois motivos para ir de novo.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação