BrasileirasPeloMundo.com
Camboja

Trabalho, remuneração e benefícios no Camboja

Trabalho no Camboja.

O destino parecia não me ajudar muito. Família e amigos se dividiam. “Que loucura, mas pra quê?”, “Está perdida?”, “Não está feliz?”, “Desiludida?”. Não, não e não! Quando as pessoas irão começar a entender que viagem não é significado de fuga? Eu gosto de desafios, gosto do diferente e sigo a linha de que se você não dá a cara para bater, nada acontece.

Depois de um ano (e quatro meses) aprendi que, quanto mais relaxada eu ficava, mais as coisas aconteciam. Retrospectiva básica: deixei família, amigos, trabalho e carro para ir me aventurar do outro lado do mundo. Aceitei um trabalho totalmente incerto, sem salário fixo, sem benefícios, sem contrato. Me mudei com a cara – e a coragem coloquei na mala. Aqui estou eu quase 1 ano e meio depois vivendo, aprendendo, viajando e me divertindo. Sentindo saudades e chorando também, claro.

Deixei o Brasil para trabalhar com Pub Crawl: levava jovens mochileiros de bar em bar durante a noite com o intuito de fazer novos amigos e se divertir. De fato isso acontecia. Com o passar do tempo fui conhecendo gente, fazendo contato e recebendo novas oportunidades. Agora estou em uma agência de marketing, trabalhando na minha área. Sempre trabalhei em empresa, como cliente. Está sendo bacana e ao mesmo tempo desafiador ver o outro lado da moeda e ter que saber lidar com os prazos antes dados por mim! Risos.

Leia também: custo de vida no Camboja

Diga-se de passagem, este é o primeiro emprego “sério” que tenho por aqui. Assinei contrato (aqui não tem carteira de trabalho como no Brasil), a agência pagou meu visto por um ano, irá pagar meu work permit (permissão para trabalhar) e como benefício tenho plano de saúde. Agora, vale refeição, vale alimentação, férias coletivas, décimo terceiro salário, aviso prévio, FGTS e outros passam longe. Não, não tenho esses benefícios por aqui (saudades, Brasil).

Minha equipe trabalho. Fonte: acervo pessoal.
Minha equipe de trabalho. Fonte: acervo pessoal.

Remuneração: o salário mínimo gira em torno de 100 dólares. Isso mesmo. Este salário é base para um barman, uma recepcionista, entre outros. Quanto mais estudos, experiências, maior será seu salário. Já para nós, expatriados, os salários são mais atrativos. O que acaba por criar uma divergência enorme entre salários. Às vezes me pergunto como é possível, pois só de aluguel pago 170 dólares por mês. Aqui, como no Brasil, também passamos pelo período de 3 meses de experiência. Após ser contratado efetivamente, há um aumento no salário. O horário de trabalho é padrão: 8h por dia, porém, quando trabalhava com turismo em hotéis e em bares, eu tinha somente uma folga na semana.

Hora extra: aqui na agência, ao trabalhar no sábado ganha-se 1.5 vezes mais por hora. Domingos e feriados o valor dobra.

Leia também: dez motivos para morar no Camboja

Feriados: a maioria dos feriados locais estão relacionados à religião ou à história (feriados políticos), principalmente depois do término do Khmer Rouge. Se o feriado cai num domingo, segunda automaticamente vira feriado. O Camboja tem aproximadamente 20 feriados públicos. Mas na agência temos somente 15 dias de feriados não pagos, mas em contrapartida temos os feriados ocidentais, como Natal e Ano Novo.

Férias: quem trabalha período integral pode tirar 15 dias de férias remuneradas. Empregados que estão na empresa há dois anos têm direito de tirar um dia a mais. Já quem trabalha há mais de 7 anos pode tirar 20 dias. Prós: não precisa esperar um ano para tirar as férias. A agência é bem flexível e posso optar por quebrar ou tirar todos os dias de uma vez. Contras: não recebemos por 30 dias (saudades, Brasil – II). Mas no final, dá para ter mais de 30 dias, pois caso não fique doente posso utilizar os meus “sick days” (até cinco dias) além dos feriados locais, caso opte por trabalhar nestas datas. Quero tentar acumular esses dias com os meus 15 pagos, afinal o que eu mais amo fazer é viajar (risos).

Bônus: é individual e varia de acordo com a sua performance para a empresa, não é fixo. Em termos de valor, honestamente não sei nem se dá para comparar com o PPR do Brasil. Comecei agora, então vamos acompanhar.

Como procurar emprego por aqui: no meu caso, sempre consegui trabalhos por network. As comunidades no Facebook, tanto de Siem Reap como Phnom Penh, são bem movimentadas e tem também sites como o everjobs  e o khmeronlinejobs para pesquisar.

Camboja para sempre? Minha ideia inicial era ficar no mínimo 6 meses, e por aqui continuo. Enquanto eu estiver bem e sentir que há progresso não vejo razão para voltar. Mesmo porque, tem sempre aquele plano B de partir para outro país com um outro desafio.

Related posts

Mulheres cambojanas

Roberta Jorge

Encerrando meu ciclo no Camboja

Roberta Jorge

De Siem Reap a Phnom Penh, capital do Camboja

Roberta Jorge

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação