BrasileirasPeloMundo.com
Romênia Transporte Público Pelo Mundo

Transporte público e o metrô em Bucareste

Transporte público e o metrô em Bucareste

Certa manhã de abril, tinha um compromisso às 10:00 no Muzeul Național al Țăranului Român, o museu dedicado às histórias e artes dos camponeses romenos. Localizado próximo a uma das vias mais movimentas da cidade, eu tinha duas opções para chegar ao meu destino: ou me enfiar no trânsito caótico e perder uma boa meia hora, entre buzinadas e xingamentos, procurando uma vaga para estacionar em cima de alguma calçada e a uma longa distância do museu; ou aproveitar o dia de sol e caminhar até a estação de metrô mais próxima da minha casa, que me depositaria, em alguns minutos, exatamente onde eu queria, e ainda me permitiria não so fugir do trânsito, mas atravessar o parque Kiseleff florido por tulipas, com tempo e tranquilidade. Sem pensar duas vezes, fiquei com a segunda!

O metrô de Bucareste tem sido um excelente companheiro de exploração urbana. Ele me livra do que mais desgosto em terras romenas, os modos dos motoristas, apresentando-me ângulos de belezas camufladas e endereços escondidos que apenas os andarilhos, saídos de suas estações, são capazes de descobrir.

Hoje, conto como o Metrou funciona, podendo ser facilmente usado por viajantes de passagem pela cidade, entre encontros profissionais e visitas turísticas. Venham comigo!

Um pouco de história 

Administrado pela Metrorex, empresa cujo nome também identifica o meio de transporte entre os seus usuários, o metrô de Bucareste abrange, atualmente, 69.25 km de trilhos, possuindo 4 linhas e 51 estações.

Metro de Bucareste – Foto: Metrorex

Iniciada a construção durante os anos 1970, as estações, sobretudo as mais antigas, como as da linha M1, com seus altos pilares e piso de ladrilhos, guardam o viés funcional da arquitetura de massa comunista, contando para quem lá passa, um pouquinho de sua história.

O que é bom saber 

Antes de se aventurar pelo subterrâneo, é sempre bom ter o mapa do metrô em mãos. Eles podem ser encontrados nos pontos de venda de passagens, nas imediações das estações, ou impressos da própria página da Metrorex.

O mapa oficial, pronto para imprimir, está neste link aqui.

As estações do Metrou estão identificadas por um “M” maiúsculo pintado na cor azul. Por serem bem espaçadas, com cerca de 2km ou mais entre uma e outra, é recomendável planejar o percurso com antecedência, avaliando a possibilidade de complementar o trajeto com linhas interligadas de ônibus ou bonde.

Para planejar o seu roteiro, você pode se valer desta ferramenta oferecida pela RATB, empresa responsável pelos demais transportes públicos, em seu site. O link para o planejador de rotas é este aqui.

Outro ponto a ser prestado atenção são as diferentes opções de saídas oferecidas por algumas estações, como as da Piața Victoriei e Piața Unirii. Exatamente por serem espaçadas, caso não escolha a saída correta, poderá se encontrar na direção oposta ao seu destino.

As passagens podem ser compradas nos pequenos pontos de venda localizados na superfície, onde também é possível adquirir bilhetes para ônibus e bondes. Outra opção mais acessível para estrangeiros são os guichês eletrônicos, situados no subsolo. Comprando pela máquina, há a possibilidade da transação ser auxiliada por mensagens em inglês, além da compra ser efetuada com dinheiro ou cartão de crédito.

Existe uma grande variedade de passagens que vão desde uma simples ida e volta, no valor de 5,00 Lei (cerca de 1,00 EUR), ou do passe mensal, na quantia de 70,00 Lei (cerca de 15,00 EUR). Outra alternativa, especialmente para quem tiver interesse em usufruir dos demais transportes públicos, é adquirir o cartão ACTIV, cuja compra e carregamento devem ser feitos nos pontos de venda próximos às estações, mas não nos guichês eletrônicos.

Para saber mais sobre valores, maiores informações estão neste link aqui.

Escolhida a tarifa e comprada a passagem, antes de ter acesso às plataformas, o bilhete deve ser validado nas catracas de entrada e guardado com o passageiro por todo o trajeto. No entanto, ao sair da estação, o cartão não precisara ser mostrado ou inserido em nenhuma máquina para liberar a saída, uma vez que o tipo de barreira utilizado não requer esse tipo de validação.

Nas plataformas, há painéis eletrônicos apostos, informando o tempo que resta para o trem chegar. Com a exceção de eventuais contratempos ou acidentes, as chegadas e saídas são bastantes pontuais.

O metrô, em Bucareste, funciona das 5:00 às 23:00, saindo, exatamente às 23:00, o último trem, das estações terminais, como pode ser verificado neste cronograma aqui. Os horários de pico acontecem, pela manhã, entre as 8:00 e as 10:00 e, no final do dia, entre as 16:00 e as 18:00. As estações a serem evitadas nestes horários, em razão da grande quantidade de passageiros que por elas circulam são Piața Victoriei, Piața Unirii, Dristor, Piața Universităţii e Piața Romană.

Roteiros pelas linhas do metro

Seguindo pela linha azul, a M2, encontramos muitas das atracões da cidade próximas ao metrô, localizadas a distâncias que podem ser, facilmente, percorridas a pé. Na lista abaixo, podemos ver algumas das estações da M2 relacionadas ao que de bom tem para ver e fazer nas suas vizinhanças:

Aurel Vlaicu: Promenada Mall

Aviatorilor: Bulevardul Aviatorilor, Parcul Herastrau

Piața Victoriei: Parul Kiseleff,  Muzeul Național al Țăranului Român, Calea Victoriei, Muzeul Național George Enescu

Piața Romană: Ateneul RomânMuzeul Național de Artă al României,

Universitate: Muzeul Național de Istorie a României, o Centro Antigo

Piața Unirii: Palatul ParlamentuluiMuzeul Național de Artă ContemporanăPatriarhia Română

Related posts

Transporte público em Paris

Rosana Alcântara

O que fazer no verão em Bucareste

Cristina Hélcias

Os fumantes de Bucareste

Cristina Hélcias

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação