BrasileirasPeloMundo.com
Espanha Transporte Público Pelo Mundo

Transporte Público em Madrid

Transporte Público em Madrid.

Para quem não sabe, faz uns meses que me mudei com minha família da cidadezinha galega de A Coruña, rumo à capital da Espanha, Madrid. Loucuras de mudança à parte, vamos tratar de um tema muito importante, principalmente na cidade grande: o transporte público.

Por quase dois anos, minha realidade foi viver em um centro histórico, com ruazinhas de pedra e fechadas para o acesso de automóveis (com as exceções de emergências e moradores em horários restringidos), sem contar que, por ser uma cidade pequena, fazia quase tudo a pé ou com o único meio de transporte público coruñés, que era o ônibus.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar na Espanha

Mas agora essa realidade acabou, e embora esteja vivendo em um bairro com acesso a todos os serviços e na região central, o metrô é a nova realidade. Então, indo direto “al grano” como dizem os espanhóis, vou dizer como funcionam e as opções existentes do transporte público madrileño.

Vamos começar pela divisão de zonas em Madrid: a região metropolitana da cidade está dividida principalmente em 4 zonas (A, B1, B2 e B3), além da zona T para o bilhete de turistas em toda comunidade de Madrid (menos o “Renfe”, trem, para Toledo e linhas aeroportuárias), e também as linhas de cercanias, que ligam a capital às cidades ao redor ou afueras, como eles chamam por aqui.

A lógica de pagamento é simples, quanto mais longe e mais dias, maior a tarifa. As principais atrações turísticas e o centro da cidade, além de alguns centros comerciais grandes, estão dentro da zona A, com exceção do aeroporto de Barajas.

Os preços começam em 8,40 € o bilhete de turista zona A e 17,00 € o bilhete zona T, ambos para 1 dia, e vão até 35,40 € para zona A e 70,80 € para zona T, por um período de 7 dias. O título é pessoal, por isso, cada passageiro deverá ter o seu e existem descontos de até 50% para crianças entre 4 e 11 anos. Para mais informações sobre o bilhete, poderá ser consultada a página do metro Madrid, neste link.

Outra dica é baixar o aplicativo do metrô, disponível para android e ios nesse link. Nesse app, você pode consultar os planos de metrô normais e turísticos, além de receber alertas sobre o funcionamento das linhas.

Leia também: Como se locomover em Barcelona

Se você está chegando em Madrid para ficar, no entanto, e, assim como eu, o meio de locomoção é o transporte público, deverá adquirir um cartão recarregável que custa 2,50 €. As estações possuem máquinas automáticas que aceitam pagamento em dinheiro e cartão, mas vale a atenção, pois algumas somente fazem a recarga e outras vendem o cartão, além de recarregar.

Existem opções de compra de bilhetes unitários (sencillo), bono de 10 e 30 viagens, e também fazer o cartão mensal ou anual do metrô – que deve ser agendado pelo site em um dos postos de atendimento nas estações. As informações sobre como agendar estão neste link da página do metrô de Madrid.

O bilhete custa 1,50 € para 5 estações e tem um adicional de 0,10 € para cada estação a mais depois da quinta, com o limite de 2,00 €. Pode ser carregado nas máquinas e também em estancos (lojas de tabaco) e lojas autorizadas.

Esse cartão também serve para o transporte em ônibus, ainda que eu tenha pouco conhecimento de causa sobre o tema, já que não utilizo com frequência o serviço.

Outra coisa para se ter em conta são as greves. Conhecidas como huelgas, elas costumam acontecer nos meses de verão, ainda que possam ser organizara-se durante o ano todo. Apesar da frequência, elas são avisadas previamente e o sistema continua a funcionar, mesmo com redução de serviço.

Existem, como em outras capitais europeias, a opção de alugar bicicletas também, pelo sistema chamado BiciMad e embora não tenha usado o serviço, sei que se usa e paga por app ou tarjeta, sem contar que vejo bastante gente usando esse serviço por aqui, principalmente na zona central da cidade (já que o trânsito é um caos e o clima é, de modo geral, bom). Para quem tem interesse, pode consultar informações nesse link.

Por enquanto, o que posso dizer por experiência de uso é que o sistema de transporte da capital espanhola funciona muito bem, está bem conectado em todas as zonas e, de modo geral, é muito rápido e organizado.

Related posts

Como tirar carteira de motorista em Barcelona

Gleice Garcia Santiago

Espanha: um sonho, uma mudança, uma escolha

Marina Barreira

Transporte público no Panamá

Ana Rodrigues

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação