Transporte público em Paris

0
99
Fonte: arquivo pessoal
Advertisement

Transporte público em Paris.

Quando se fala em visitar ou mudar para Paris, pensa-se nos inúmeros passeios turísticos, na vida cultural pulsante e no charme da arquitetura da cidade, mas um outro tema que não pode ser negligenciado por qualquer pessoa que esteja pensando em vir para a cidade, seja a passeio seja por um longo período, é saber como funciona o transporte coletivo por aqui.

Tipos de transporte

Para começar, é importante falar sobre a diferença entre a Ilha de França e Paris. A Ilha de França é uma região, também conhecida como região parisiense, que engloba Paris, o que pode causar confusão. Paris é apenas a zona 1 da rede de transportes e dentro dela circulam metrôs, RER, trasiliens, tramway, ônibus e o funiculaire de Montmartre. Algumas das linhas de metrô também chegam até a zona 2, mas as linhas que vão até as zonas mais distantes são as de RER (Réseau Express Régional) e as que vão ainda mais longe são as de trens, chamados de transiliens. Os tramway são como bondinhos elétricos que complementam alguns trajetos fora de Paris. A rede de transporte é gerenciada por duas empresas, a RATP e a SNCF. O aplicativo da RATP é bastante útil, permitindo a consulta do mapa de metrô, sugerindo itinerários e indicando o tempo médio de duração deles. O site da SNCF será mais útil para quem conta visitar cidades aos arredores de Paris, como Versailles e Saint-Germain-en-Laye. Para quem não quiser baixar os aplicativos ou decidir contar também com uma versão física dos mapas, nas estações de metrô, há versões impressas, às vezes até versões de bolso, o que ajuda na praticidade. Basta perguntar nos guichês presentes nas estações.

Leia também: Meios de transporte em Nova Iorque

O metrô conta com 16 linhas, a linha 1 até a 14 e as linhas 3bis e 7bis. Há uma previsão de prolongamento da linha 14 e a construção das linhas 15, 16, 17 e 18, algumas delas planejadas para ficarem prontas em 2024, antes dos Jogos Olímpicos de Paris.

O RER tem 5 linhas: A, B, C, D e E. Essa última também deve ser ampliada nos próximos anos.

O transilien possui as linhas H, J, K, L, N, P, R e U.

O tramway tem as linhas 1, 2, 3a, 3b, 5, 6, 7 e 8.

Os ônibus e os noctiliens (ônibus noturnos) podem ser uma boa opção para quem deseja fazer percursos admirando a cidade e sem pressa, afinal de contas, o trânsito deve ser levado em conta. São a opção que eu menos utilizo aqui.

O funiculaire de Montmartre é um bondinho para quem não quer ou não pode subir a pé até a Basílica de Sacré Cœur.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar na França

Fonte: RATP

Horários

O serviço de metrô funciona todos os dias das 5h30 às 1h. O horário do RER, transilien e tramway são diferentes e podem ser conferidos no site da SNCF. Os ônibus, como dito acima, têm opções noturnas, que muitas vezes são usadas por quem quer voltar para casa depois que as outras opções de transporte já não estão mais disponíveis.

Tickets

Há diferentes formas de obter os tickets. Eles podem ser comprados diariamente, semanalmente ou mensalmente. Comprando em quantidade os tickets acabam saindo por um preço mais baixo. A unidade do ticket custa hoje 1,90 €, mas comprando 10 tickets o preço total fica 14,90 €. O bilhete pode ser usado no metrô, no RER, ônibus e tramway. Ele deve ser validado na entrada da estação onde você vai pegar o primeiro metrô ou trem e é válido para correspondências por 2 horas a partir da ativação, desde que você não saia da rede de transporte. Caso saia, para entrar de novo, precisará usar outro ticket. Para o uso em ônibus e tramway o período de validade de um ticket é de 1h30, a partir da ativação dele. Nunca deixe de validar seus tickets e de guardá-los com você, pois há frequentemente supervisores que entram nos trens ou que ficam nas estações controlando quem está com o título de transporte. Quem não tiver o ticket ou um passe para apresentar deve pagar uma multa bem salgada que pode variar de 35 a 80 €.

Para quem vem morar em Paris ou passar um longo período minha recomendação é a obtenção de um cartão de transporte chamado Pass Navigo. O passe pode ser recarregado semanalmente, mensalmente e anualmente. A recarga semanal custa 22,80 € e pode ser compensatória para quem quer transitar livremente por todas as zonas. Os passses chamados Découverte podem ser comprados em alguns guichês e em várias tabacarias da cidade por 5 €. Quem vem pra ficar e quer fazer um título definitivo, pode fazer isso em algum guichê ou on-line apresentando alguns documentos exigidos.

Leia também: Paris fora do roteiro turístico

Prós e contras

A facilidade para encontrar estações de metrô talvez seja um dos melhores pontos fortes do serviço, na minha opinião. Às vezes quando se está andando à procura de alguma estação mesmo que não encontre exatamente a que procurava você vai achar outra e pode pegar o metrô nela e depois fazer uma troca de linha, caso precise.

Paris é uma cidade onde, de maneira geral, o transporte coletivo funciona bem, principalmente se comparado com o estado desse mesmo serviço no Brasil. Porém, os franceses são conhecidos pelas greves que costumam fazer, e muitas dessas greves afetam os transportes. Há até um site onde podemos acompanhar as greves de transporte que estão acontecendo e as que estão previstas. Isso permite que a população tente se organizar de forma a não sofrer tanto os impactos dessas manifestações.

Acessibilidade não é prioridade por aqui. Logo, uma viagem de trem ou metrô com malas pesadas, carrinhos de bebê ou caso seja cadeirante pode ser um pesadelo. Eu já peguei metrô com malas diversas vezes e não guardo boas lembranças. São raras as estações com elevadores e algumas vezes os lances de escada que temos que subir são um verdadeiro teste físico, portanto, fique atento a isso.

Deve-se tomar MUITO CUIDADO com os recorrentes casos de furto dentro do metrô e das estações. Os responsáveis por essas ações são conhecidos aqui como pickpockets, algo como batedor de carteira. Pode acontecer de romantizarmos a França e esquecermos que Paris é uma cidade grande como qualquer outra onde estamos vulneráveis não só a golpes, mas também a roubos e furtos. Eu fui furtada entrando em uma estação de metrô nos meus primeiros meses aqui e só aí liguei o alerta mental que tenho ativado constantemente quando estou no Brasil. Fique sempre ligado, guarde carteira, celular e documentos em lugares de difícil acesso (nada de bolso ou zonas facilmente acessíveis de bolsas e malas) e nunca deixe bolsa nas costas no meio da multidão. Isso também vale para quando estiver em pontos turísticos muito lotados.

Espero que esse pequeno guia dos transportes em Paris seja útil e ajude vocês a curtir ao máximo a cidade.

À plus!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.