BrasileirasPeloMundo.com
Arizona Chicago Colorado Connecticut EUA Havaí Memphis Mississippi Missouri Nova Iorque Seattle Texas Virgínia Washington

Turismo e História Afro-americana em Washington, D.C.

Turismo e História Afro-americana em Washington, D.C..

Que Washington, D.C. é cheia de monumentos, museus e pontos turísticos históricos todos já sabem. Mas se assim como eu, você gosta de visitar lugares menos tradicionais, nesse texto aqui, dou dicas de um roteiro de passeio pela capital norte-americana, um pouco diferente do habitual. Washington, DC vai muito além dos pontos turísticos tradicionais que todos conhecem e visitam quando passam por aqui, por esta razão, o texto de hoje é dedicado a locais que contam um pouco da história e cultura afro-americana, fugindo da rota turística tradicional já abordada aqui no BPM anteriormente. Se você está considerando dar uma passadinha por aqui durante as férias de verão, seguem, abaixo, algumas dicas:

– Museu de História Afro-americana: é o museu mais novo de Washington, DC, inaugurado pela rede Smithsonian em 2016. A entrada é gratuita e o acervo é simplesmente sensacional, retratando a luta negra desde sua vinda para os EUA, passando pela Guerra Civil norte-americana, movimento de Direitos Civis, influência dos negros na arte, música e literatura, até a eleição de Barack Obama, primeiro presidente negro dos Estados Unidos. Reserve pelo menos metade do dia para visitar este museu.

– Monumento a Martin Luther King: saindo do Museu de História Afro-americana, aproveite e dê um pulinho no monumento em homenagem à Martin Luther King. O local é muito bonito e fica bem próximo ao Memorial de Abraham Lincoln, onde Martin Luther King fez seu famoso discurso “I have a dream…” (eu tenho um sonho), citado neste texto aqui.

– Museu de Arte Afro-americana: Também compondo a vasta coleção de museus da Rede Smithsonian, neste museu, você encontra uma das maiores (senão a maior) coleção de peças de arte feitas por artistas negros nos Estados Unidos. São mais de 12 mil peças ilustrativas, além de uma maravilhosa biblioteca dedicada ao tema. A entrada aqui também é gratuita.

Leia também: Vistos para morar nos EUA

– Antiga Casa de Frederick Douglass: Frederick foi um negro norte-americano, escravo, que conseguiu fugir e se tornou uma das maiores referências nos EUA quando falamos do movimento abolicionista aqui. Juntamente com o Presidente Abraham Lincoln, responsável pela abolição, Frederick teve um papel bastante importante para que os escravos norte-americanos fossem libertos. A última casa em que Frederick viveu fica no bairro de Anascotia, em Washington, DC, e é possível visitá-la e conhecer seu acervo e a história de seu antigo dono.

Bairro de Shaw – Foto: arquivo pessoal

– Bairro Shaw: um dos meus lugares preferidos em Washington, D.C. O bairro foi batizado com esse nome em homenagem ao Coronel Robert Shaw, membro de um Batalhão de Infantaria, composto por soldados negros durante a Guerra Civil norte-americana. Foi aqui, no histórico bairro de Shaw, que uma grande concentração de ex-escravos decidiu abrir pequenos negócios como restaurantes, bares, mercearias, açougues, barbearias, sempre pensando no consumidor final negro. o bairro é super charmoso, abriga uma coleção de casas em estilo victoriano, coloridas, respira arte e muita música. Sempre que posso, venho a Shaw e me perco pelas ruas apreciando os inúmeros murais de grafite espalhados por aqui e as apresentações de Jazz dos músicos locais. Inclusive, para aqueles que tem um conhecimento maior sobre este estilo musical, vale ressaltar que Duke Ellington era daqui de Shaw. Nascido e criado aqui.

– Howard Theater: É, também em Shaw, que temos o famoso Howard Theater. (que tem um brunch maravilhoso aos domingos – faca reserva hein?). Em seu auge, o teatro, de 1910, ra conhecido por atender uma clientela afro-americana, e já havia sido palco de muitos dos grandes artistas musicais negros do início e meados do século XX. O Teatro Howard foi anunciado como o “Teatro do Povo”, e apoiou duas organizações teatrais, os  Lafayette e os de Howard University. Em setembro de 2010, foram feitas extensas reformas para restaurar o teatro à sua antiga glória. Ele foi reaberto em 9 de abril de 2012 para encabeçar shows como Wanda Sykes, Blue Oyster Cult e Chaka Khan.

– Ben’s Chili Bow: é um restaurante de referência em Washington, DC, localizado na 1213 U Street, ao lado do Lincoln Theatre, no bairro de Shaw, no noroeste de DC. É conhecido localmente por seus chili dogs, half-smokes e milkshakes, e tem sido parte integrante do história do bairro desde sua fundação em 1958. Ele foi frequentado por policiais e manifestantes durante os tumultos de 1968 em Washington, DC, e é regularmente visitado por celebridades, como Bill Cosby, Chris Tuckersita e até mesmo o Presidente Barack Obama.

– U Street: assim como a região de Shaw, a U Street também possui um charme todo especial em sua arquitetura, oferece um grande leque de restaurantes, bares e casas de shows. Se voce já foi a Nova Iorque, visitou o bairro do Harlem e gostou, então você vai adorar a U Street, que precede o famoso bairro nova-iorquino. A U Street também é conhecida como a Black Broadway (Broadway Negra), tamanho são as opções de entretenimento realizadas por artistas negros.

Ben’s Chili Bowl – Foto: arquivo pessoal.

Se você, como eu, adora conhecer um pouco de história, passear por bairros charmosos e cheios de arte e terminar o dia ouvindo um bom jazz ou experimentando a comida local, o roteiro acima é uma excelente pedida pra você. Se esse não é o seu estilo, venha a Washington, DC de qualquer forma, as opções de passeio e entretenimento aqui são para todos as idades, gostos e bolsos.

Se tiver alguma dúvida ou sugestão, por favor, deixe suas perguntas nos comentários abaixo.

Você também pode me acompanhar no Instagram para pegar outras dicas de passeio na capital norte-americana. Continue seguindo o Brasileiras Pelo Mundo. Vem muita dica boa por aí.

Related posts

Hora de dizer adeus aos amigos brasileiros

Carleara Weiss

Como é o clima em Seattle

Camila Picolli

Os Brigadeiros da Samba Gourmet

Monica Bateman

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação