BrasileirasPeloMundo.com
Portugal Turismo Pelo Mundo

Como fazer malas leves

Como fazer malas leves.

Toda viagem começa com a mala, mas sempre tem quem ache, justamente a tal da mala, a parte mais chata da aventura. Eu discordo! É nela que os planos começam a se materializar em cada pedacinho de roupa escolhida para viver aquela história em terras distantes.

É também o melhor jeito para entrarmos no clima do que nos espera durante os dias de descanso, após nos certificarmos da programação, pensado direitinho no que vamos escolher.

E como “bagagem” para fazer mala não me falta (só nos últimos oito anos, foram seis grandes mudanças entre países, além do serviço que ofereço às minhas clientes da Consultoria de Estilo, quando sou contratada para organizar a mala delas), compartilho com vocês a minha experiência como viajante e fazedora da mala das outras, contando o que a gente deve considerar na hora de planejar o que levar!

De olho no calendário

O primeiro conselho é: não deixe para a última hora. Sempre que possível e quanto mais longa for a viagem, a mala deve começar a ser planejada umas duas semanas antes da partida. Esse é o tempo que você precisa para limpar o que está sujo ou levar para lavar a seco; para que sapatos que precisem de uma recauchutada sejam consertados; para comprar alguma peça de roupa ou acessório que esteja faltando.

Fazer mala é ritual, logo, relaxe!

Reserve uma manhã ou tarde só para a sua mala. Ponha uma boa play list para tocar (de preferência, com músicas que já rimem com o espírito do destino), faça um chá, um suco, e deixe-se embalar pelo ritmo da viagem!

Leia também: Como organizar e o que levar na mala?

Como escolher

Lembrando sempre do tipo de viagem que você vai fazer (mais aventureira, urbana, campestre, romântica, descolada, esportiva); dos meios de locomoção que pretende pegar (vai alugar carro, pegar outros voos, pegar transporte público, andar bastante); do estilo dos lugares que vai visitar (mais formais, mais despojados); e da temperatura que fará (calor, frio, meia estação), você parte para a ação, já com uma boa noção do que precisa.

Outra dica boa é pensar um pouquinho sobre como você quer se sentir durante as férias: confortável, livre, despojada, “fina”, e traduzir esses sentimentos nas roupas e combinações escolhidas.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar em Portugal

O que vai e o que fica

Mala pesada é contraproducente, concorda? Corremos o risco de pagar excesso, não facilita a vida na hora de pegar ônibus, trem ou metrô, além de comprometer o espaço para eventuais compras feitas durante a viagem.

Por isso a ideia é maximizar as suas opções, minimizando as suas escolhas! Sendo este o foco, tem uma regra de ouro que diz que, para não levarmos nem mais, nem menos do que o necessário, devemos contar quantos dias passaremos fora, e assim selecionarmos quantas peças de baixo precisaremos. Por exemplo: 7 partes de baixo variadas (calças, saias, shorts) para 10 dias de viagem, lembrando que vestido conta como parte de baixo.

Feito este cálculo, você escolhe duas partes de cima para cada parte de baixo, alternando os estilos e os tecidos das blusas, jaquetas, camisetas e camisas, para que possa criar: a) a variedade que dará leveza à sua mala e b) a versatilidade requerida pelos diferentes momentos do passeio.

Agora, para que faça sentido, você vai querer que essas roupas combinem entre elas, certo? A melhor maneira para isso acontecer é escolher peças dentro de uma mesma paleta de cores. Escolha de 4 a 6 cores e seja fiel a elas. Exemplo: beges e marrons + marinhos + vermelhos + rosa pálido.

E não vamos esquecer de que saber escolher os sapatos é fundamental para o sucesso da empreitada. O ideal é que leve, no máximo, 3 pares (e já viaje com um no pé!), não importando o tempo que passe: um salto para a noite (caso use salto e se eventos noturnos mais arrumados estiverem na programação), ou o que o valha, como uma boa sapatilha; um tênis para andar na cidade, e uma sandália sem salto, que vira a bota baixa, quando a viagem for feita durante o frio.

Sobre as bolsas, escolhendo bem, dificilmente precisará mais do que duas: uma grande para as manhãs, outra pequena para as noites.

Hora de dobrar

Na hora de guardar, lembre-se de que sapatos, bolsas e necessaries devem ser dispostos no fundo da mala, exatamente por serem mais pesados. Camisetas e peças em malha podem ser enroladas em tubos, evitando que amassem e ocupando menos espaço. Cintos, lenços e acessórios pequeninos podem ser guardados em saquinhos plásticos, dentro dos sapatos (jeito bom para também economizar espaço). Blazers, casacos e jaquetas podem ser dobrados pelo avesso, porque assim amassam menos. Peças em seda devem ser dobradas como de costume e dispostas no topo, para não sofrerem com o peso do que está em cima.

E na mala de mão!?

Quando a viagem for longa, a mala de mão pode levar uma muda de roupa, para o caso da sua bagagem não chegar junto com você; máscara para cobrir os olhos e dormir; protetores auriculares; hidrantes para lábios e mãos; meias de compressão para ajudar na circulação; barrinha de cereais  e/ou chocolate; um bom livro para ler e bons sonhos para sonhar.

Feita a mala, espero que faça uma boa viagem!

Tallenna

Related posts

5 sorveterias para se refrescar em Buenos Aires

Sara Martins

Guia de turismo em Copenhague

Camila Vicenci Witt

Dica de viagem na China: Parque nacional de Huangshan

Naschara Saraiva

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação