BrasileirasPeloMundo.com
China

Um pedaço do Brasil na China

Um pedaço do Brasil na China

Sou a Tati, moro na China há 10 anos e tenho muita história para contar.

Eu sou uma pessoa que gosta de ajudar, de me inteirar, de fazer pelo próximo, especialmente o “próximo que está próximo”, e apesar de já ter pensado na ideia de escrever, nunca tinha ido adiante com ela. Com a oportunidade de colaborar com o BPM, pude ver que é uma possibilidade real e acho que recebi o último empurrão que precisava.

Moro na cidade de Dongguan, no sul da China. A cidade fica a mais ou menos 2 horas de carro da famosa e linda Hong Kong. Dongguan é uma cidade bem grande, bonita e cada dia mais moderna, certamente nada parecida com a China que todos vocês imaginam. E a maior diferença para mim, brasileira, é justamente isso: os brasileiros que aqui vivem.

Dongguan é uma cidade com muitos estrangeiros e especialmente, muitos brasileiros. Temos uma comunidade bastante grande atuando e se apoiando em diversos segmentos. Ter essa comunidade torna o fato de vir morar na China muito mais fácil, pois aqui temos um pedacinho de Brasil.

A maioria das famílias aqui instaladas são gaúchas, oriundas do setor coureiro-calçadista que em meados dos anos 90 começou a entrar em crise. Com a crise, muitas empresas buscaram não só materiais com custo inferior, mas também viram que seria possível se instalarem aqui com uma mão de obra mais baixa. Com isso, muitas famílias começaram a se mudar para cá, o que não foi diferente com a minha.

No ano de 2006 meu noivo na época recebeu novamente a proposta de vir trabalhar na China. Com o mercado cada vez mais em decadência no sul do Brasil, tomamos a difícil decisão de largar tudo – família, amigos, faculdade – para virmos nos aventurar sem saber ao certo o que esperar. Isso aconteceu com muitas famílias.

O fato de já termos amigos na cidade facilitou um pouco. E viemos, de mala e cuia – literalmente, pois gaúcho que é gaúcho não esquece o chimarrão jamais! Na época, já havia uma pequena creche de brasileirinhos que, com o passar do tempo, foi aumentando; já havia a AMBD – Associação de Mulheres Brasileiras em Dongguan, um grupo que ajuda entidades carentes da região; uma churrascaria, comandada por um chef brasileiro; o Boteco Brasil – restaurante de comida brasileira, servindo de pequenos lanches até o nosso famoso X-burguer ou nosso prato querido de cada dia, arroz com feijão.

 

Com o passar do tempo a comunidade foi se organizando ainda mais, existindo hoje profissionais das mais diversas áreas como fisioterapeutas, esteticistas, cabeleireiras, manicures, doceiras e confeiteiras com as mais diversas delícias, artesanatos, entre outros. Além disso ainda surgiram grupos culturais, sendo o mais conhecido o PTG CHINA VEIA, que através de encontros, músicas, danças e festas maiores, estendidas à toda comunidade, celebra sempre a nossa cultura gaúcha.

Já as esposas, a maioria vem para cá sem trabalho, vindo na verdade acompanhar o marido. Com isso forma-se a base da comunidade, com cada uma fazendo o que pode e como pode. No começo pode ser difícil pensar em largar tudo e vir para cá para ser “apenas uma dona de casa”, o que, com o passar do tempo, vemos que em alguns casos é quase que preciso. Para algumas, a problemática se dá por não falarem o idioma; para outras, é falta de experiência na área de trabalho oferecida. Há ainda as que decidam ficar em casa por causa dos filhos, do trabalho de casa, por questão de organização ou tão somente por opção.

Filhos, aliás, são outra questão ampla a ser abordada. Eu engravidei e dei à luz a meus dois pequenos aqui. Mas sempre é uma dúvida muito grande que passa pela cabeça de qualquer grávida na cidade a questão de escolher entre ter os filhos aqui ou ir pro Brasil. Isso é assunto que deixarei para um próximo post. Depois que os pequenos crescem, surgem as dúvidas quanto às escolas.

Posso dizer com total certeza que viver em Dongguan é muito bom. É com certeza um desafio, mas e que graça teria se não fosse? De todas as visitas que eu já recebi, todos, sem exceção, gostaram.

A diversidade cultural e gastronômica que temos com certeza ajudam a garantir esse veredito. Quer comida tailandesa? Tem! Quer comida coreana? Tem! Quer comida alemã? Tem! italiana? Ih, perdi a conta de quantos temos. Isso com certeza não era assim há 10 anos quando cheguei, mas com tantos estrangeiros tentando sua vida aqui, as opções aumentaram.

Em Dongguan formamos a nova família com os amigos que conhecemos. Superamos toda a saudade, passamos toda a aflição e nos apoiamos uns nos outros. Passamos juntos todas as datas comemorativas, choramos de saudades no Natal, festejamos no Ano novo! Nos felicitamos a cada aniversário e pouco a pouco vamos descobrindo naquele amigo um grande irmão, um grande companheiro que a vida nos dá!

Assim vamos seguindo, juntos e fortes, enfrentando cada desafio que essa China nos oferece.

Recentemente tivemos amigos que foram encarar os desafios em outro país ou voltaram para o Brasil e posso dizer, com total certeza, que deixar Dongguan e essa nova “família” que aqui se forma é tão difícil quanto foi deixar nossa querida terra natal para vir para cá.

Até o mês que vem!

Related posts

Passeios imperdíveis em Shanghai

Ana Carolina Turci

Aprovada a lei contra a violência doméstica na China

Christine Marote

Licença maternidade pelo mundo

Ann Moeller

13 comentários

Daiana Reis Outubro 3, 2016 at 8:48 pm

Amei Tati….É muito burocrático morar na China?

Resposta
Tati Klaus Outubro 5, 2016 at 8:01 am

Obrigada, Daiana….

As leis sobre vistos aqui mudam frequentemente. Mas alem de burocratico, esta caro viver por aqui. Fazer visto frequentemente é complicado, e os vistos de 1 ano ou mais tambem estao bem caros. Para quem tem “permissao de trabalho” ou “permissao de residencia” é um pouco burocratico para o primeiro visto, devido ao grande numero de documentos traduzidos para o chines que a policia chinesa pede. Apos isso fica facil renovar o visto, contanto que esteja na mesma empresa. Mudando de empresa, recomeca todo o processo.
Fica ligada que mes que vem tem mais assuntos sobre Dongguan.
Beijos

Resposta
Liane Outubro 4, 2016 at 6:07 am

Adorei teu texto! Parabéns pela iniciativa! Vou ficar aguardando os próximos! Beijos

Resposta
Tati Klaus Outubro 5, 2016 at 7:48 am

Oi, Li! Obrigada!
Curte a pagina do BPM, todo mes sai um artigo! Se tiver dicas de assuntos daqui, me envie tambem! beijos!

Resposta
Ana Dietmüller Outubro 4, 2016 at 10:35 am

Simplesmente Super!

Artigo leve, e, ao mesmo tempo, consistente em conteúdo e formação.

Sucesso!

Abraço!

Resposta
Tati Klaus Outubro 5, 2016 at 7:49 am

Muito Obrigada Ana!
Super feliz em fazer parte da familia BPM!
Abracao!

Resposta
Isis Outubro 4, 2016 at 3:28 pm

Oii, vc tem dicas sobre o Chinese new year ? quero visitar a China e Hong Kong durante esse período ano que vem ????

Resposta
Tati Klaus Outubro 5, 2016 at 7:54 am

Ola, Isis…
O Chinese new year no proximo ano sera mais cedo, ainda em janeiro.
é um period bonito na china, cheio de decorações e festividades. Porem, a grande maioria dos locais publicos bem cheios, pois é o maior feriado por aqui.
é bom se planejar e ter bastante paciencia para frequenter os lugares, bem como a travessia na fronteira entre hong kong e china.
Tem ideia de que cidades na China pretende visitar?

Beijos e ate a proxima

Resposta
ROSIMERE MUELLER MAYA Outubro 5, 2016 at 3:20 am

Adorei teu comentário. Gosto muito da Cultura chinesa . bjo.p

Resposta
Tati Klaus Outubro 5, 2016 at 7:50 am

Obrigada Rosimere!
Fique ligada nos proximos artigos sobre a china!
Beijos

Resposta
Alessandra Machado Novembro 18, 2017 at 1:20 am

Tati, amei seu texto. Me passou uma grande alegria e uma positividade incrível. Adorei saber tbm que existe uma comunidade brasileira aí e para nos que estamos fora e muito importante termos suporte e poder ter essa convivência. Parabéns e estou aguardando seu próximo texto. Beijos

Resposta
Simoni cavalli Janeiro 23, 2018 at 8:59 am

Tati, eu estou em Shunde-Foshan, não muito longe de onde você mora. Me adiciona no wechat. Gostei muito do seu artigo!!!

Resposta
Liliane Oliveira Janeiro 23, 2018 at 3:24 pm

Olá Simone,
A Tati Klaus infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação