BrasileirasPeloMundo.com
Canadá Quebec Toronto

Vacina do Covid-19 no Canadá

Vacina do Covid-19 no Canadá.

O dia 14 de Dezembro de 2020 passou a ser conhecido no Canadá como “V-Day” (Dia da vacina). É que nessa data o país entrou na lista daqueles que começaram a imunizar seus habitantes.

As primeiras doses foram ministradas em um pequeno grupo de pessoas com prioridade nas províncias de Quebec e Ontário, onde moramos e, nos dias seguintes, espalhou-se pelas outras províncias.

Plano para a vacinação

A vacina utilizada pelo Canadá, nesse primeiro momento, foi a da Pfizer-BioNTech e a fase inicial contempla pessoas que mais estiveram expostas ao vírus no país: trabalhadores e moradores de casas de repouso para idosos e profissionais da linha de frente da área de saúde.

A escolha foi bastante óbvia, já que estima-se que cerca de 80% das quase 16 mil mortes que o país enfrentou até o momento estejam nas “long-term care homes” (algo que podemos, de forma geral, traduzir como “asilos”).

Duas semanas após o inicio dessa primeira etapa o governo canadense anunciou que também contará com vacina Moderna, a mesma marca que está sendo utilizada nos Estados Unidos.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar no Canadá

O mais interessante sobre o uso da Moderna é que ela demanda armazenamento e manuseio bem mais fáceis do que a vacinação da Pfizer, o que vai facilitar muito a distribuição em comunidades isoladas e remotas, incluindo os territórios do norte do país.

Nesses territórios, inclusive, estão parte dos adultos de comunidades indígenas, que também estão na lista dos primeiros a serem vacinados.

A agência reguladora de saúde no país está monitorando de perto a aplicação das vacinas em todos o país e segue bastante atenta a qualquer situação atípica.

Sabe-se, por exemplo, que pessoas com alergias severas não devem ser imunizadas pela Pfizer. Nem todas as informações ainda são claras, já que esse é um assunto novo para todo mundo, mas a população vem sendo informada quase que diariamente pela mídia e pelos canais oficiais do governo.

Imunização até o final de 2021

O país pretende ter toda a sua população imunizada até o final de 2021. Muitos especulam, com otimismo, que até o fim do verão (setembro de 2021) a vacinação estará completa.

O que sabemos até agora é que nessa primeira fase, até março de 2021, cerca de 3 milhões de canadenses devem ser vacinados – 8% da população do país.

Numa segunda etapa, entre abril e junho, o governo pretende alcançar um número entre 15 e 19 milhões de imunizações, o que equivale a praticamente metade das pessoas em todo o país.

Depois, acredita-se que até o final do ano, todos os 38 milhões de habitantes do país estarão finalmente imunizados contra o Covid-19.

Esses números baseiam-se em projeções do governo de acordo com a entrega das vacinas e suas regularizações. Importante mencionar que todo o processo será gratuito, inclusive para residentes temporários.

No total, o governo canadense assinou contrato com sete diferentes empresas e laboratórios, garantindo acesso a mais de 400 milhões de doses de vacinas, o que seria mais do que suficiente para imunizar a população do país diversas vezes.

Leia também: Apps para facilitar a vida em Toronto

Isso tudo, é claro, depende de testes, aprovações, regulações, etc. Mas mesmo que nem todas as marcas acordadas prossigam, é um numero bastante animador para quem está ansioso para se livrar do Covid-19 e mostra o comprometimento das autoridades em cuidar do assunto o mais rápido e seriamente possível.

Acredita-se que a palavra de ordem para que essa campanha de vacinação em massa dê certo é “transparência”.

A mídia tem batido na tecla de que é necessário que o acompanhamento das fases de vacinação, bem como a listagem de quem vai ser imunizado em cada fase seja bem claro, para que não haja dúvidas da população.

Atualmente, é possível monitorar as doses administradas por província através do site “Vaccination Tracker”, que conta com dados atualizados e bem detalhados sobre o assunto.

Vale ressaltar que a vacinação contra o Covid-19 não será obrigatória, mas extremamente divulgada e encorajada.

É claro que, como em qualquer lugar do mundo, existem aqueles que não acreditam no potencial das vacinas e podem optar por não tomá-las, mas acredita-se que existirão proibições de toda sorte para quem não tomá-las, desde não frequentar escola, passando por proibir a entrada em eventos e shows, não permitir viagens aéreas. Especula-se até que empresas não contratarão não-vacinados.

Leia também: A pandemia vai acabar após a aprovação das vacinas?

Enquanto a vacinação não é uma realidade para todo mundo, o país segue com regras para evitar a disseminação do vírus, que já atingiu mais de 600 mil casos até o início de janeiro.

Fronteiras seguem fechadas com os EUA, o país só recebe de fora residentes permanentes, cidadãos ou parentes próximos desses. Ainda assim é necessário apresentar PCR negativo.

Existe até um aplicativo de celular para a pessoa colocar se está com Covid-19 de forma anônima, facilitando assim que pessoas que estejam no mesmo raio tenham mais cuidados.

Além disso, províncias seguem com severas restrições, sem aglomerações e com boa parte do comércio fechado. Depois de um verão com normas mais flexibilizadas, vimos aumentar demais os números de casos no fim de ano e projeta-se um mês de janeiro bem complicado.

Nesse momento o que nos resta é aguardar ansiosamente a nossa vaga na fila da vacinação (que deve ser na última fase) e continuar com todos os cuidados que já tomamos há quase um ano.

Related posts

As melhores piscinas públicas em Toronto

Vanessa Murcilio

Avanços feministas em Québec no Canadá

Ana Carolina Sommer

Como é ser gay no Canadá?

Ann Moeller

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação