BrasileirasPeloMundo.com
Austrália

Vale a pena morar fora?

Vale a pena morar fora?

Antes de começar esse post, gostaria de reforçar que tudo o que escrevo aqui é opinião pessoal, reflexo da minha experiência dentro e fora do Brasil. Cada um tem um ponto de vista, é claro, e venho apenas apresentar o meu a vocês! Fiquem à vontade, portanto, para concordarem ou não com o que escreverei a seguir!

Eu nunca entendi bem aquela máxima de que para ser feliz é preciso algum sacrifício ou que nada vem fácil, enfim, qualquer expressão ou insinuação de que coisas boas exigem esforço, paciência e coisa e tal. Para mim, nunca fez muito sentido ter que sofrer para ser feliz, sempre achei que uma coisa excluía a outra. Até que veio a Austrália e tudo o que envolve a decisão de morar fora. Talvez eu esteja dramatizando um pouco (tenho essa tendência, perdoem-me), mas para mim é real. Por mais que eu descreva aqui o que deixar seu país de origem representa, tenho quase certeza que somente quem passa por isso na pele entende, de fato, o que e como é de verdade. É bom? Sim, é ótimo! É fácil? Nem um pouco.

Não sei se já dividi com vocês, mas o fator principal que me fez embarcar para o outro lado do mundo foi interno, e não porque eu queria aprender inglês, juntar uma grana ou qualquer coisa do tipo. Eu estava muito insatisfeita com minha vida profissional e queria uma chance de tentar diferente, começar de novo, mas sabia que no Brasil não teria a coragem necessária para tal. Daí optei por recomeçar, literalmente, do zero em outro lugar. E este foi meu primeiro grande desafio.

Foto: Pixabay

A primeira bomba foi descobrir que a questão estava dentro de mim, então não adiantava viajar 15.000 km, porque eu não fugiria dela. Entender e aceitar isso não foi nem um pouco fácil e doeu pra caramba. Bateu medo, insegurança, vontade de voltar… E aí começou a tal montanha-russa de emoções que é morar fora.

Leia também: Mas por que morar na Austrália?

Depois percebi que o processo de deixar uma vida estruturada para trás, com família, amigos, emprego, casa, carro, etc. é mais dolorido que parece, por mais que a princípio você se sinta completamente empolgado com a nova fase. Passada a euforia, bate aquele desespero: o que foi que eu fiz?!

Outro ponto é que por mais que você ame o país em que está, ele nunca será sua casa (é o que eu sinto, pelo menos). Não sou australiana, portanto não consigo me sentir 100% em casa aqui. Por outro lado, uma vez que moramos fora, parte da gente passa a pertencer ao outro lugar também e, com isso, deixamos de ser 100% brasileiros. É um sentimento de não pertencer a lugar algum, mas vai caber a você encarar isso como positivo (viramos cidadãos do mundo, afinal!) ou negativo.

Mas é só morando fora que a gente abre a cabeça para novas culturas, novos pontos de vista, outras visões de mundo de uma forma que vivendo na nossa zona de conforto jamais conseguiríamos fazer. É quando aprendemos a valorizar pequenas coisas, a viver um dia de cada vez, a não se preocupar tanto com tudo, afinal a vida sempre se encarrega de ajustar as pontas e, sim, no fim tudo dá certo.

É quando pessoas que você conhece há pouco tempo viram quase família, e é quando você agradece de verdade pela existência da tecnologia, pois ela que te aproxima da família e amigos que ficaram no Brasil.

É programar seu cérebro para falar uma segunda língua e aprender as tarefas de um trabalho novo nessa outra língua. É chegar em casa completamente exausta no fim do dia (ou da noite), mas se sentindo super orgulhosa por ter dado conta do recado, ou é aprender a rir de si mesma quando deu o maior furo simplesmente porque não entendeu alguma instrução ou algo que foi dito.

Leia também: Relatos sobre o peculiar inglês australiano

É conhecer lugares incríveis, e se sentir muito grata pela oportunidade de viver aquele momento, mas também reconhecer que seu país é dono de uma beleza natural incrível.

Enfim, é adquirir tanta bagagem que seria completamente injusto afirmar que não vale a pena. Então, voltando à questão que titula esse post, morar fora: vale a pena? Para mim, é claro que vale, muito! Porém cabe pontuar que, na minha balança, a vontade de me aventurar pesou mais que a vontade de me manter na zona de conforto, apesar de essa última às vezes ainda querer me puxar de volta, confesso. Sendo assim, todo dia preciso ter coragem e manter a cabeça e a mente abertas para o que esse mundão me proporciona, mas com a certeza absoluta de estar vivendo uma experiência transformadora, que já deixou, deixa e ainda deixará marcas (das boas!) na minha vida para sempre!

Related posts

As 10 melhores praias em Sydney

Juliana Letra

Turismo em Perth

Aline Arruda

Bali, o quintal da Austrália Ocidental

Aline Arruda

16 comentários

Paula Monteiro Dezembro 11, 2018 at 1:10 pm

Livia, seu texto é extremamente sensacional.
Tenho convívio com pessoas que desejam ter uma vida diferente e querem sair do seu país, mas você foi muito assertiva em relatar que muitas vezes a grande questão é interna. Poucas pessoas têm coragem de assumir isso. Nunca morei fora, mas tenho a sensação que alguns que o fizeram camuflam sentimentos inevitáveis, mostrando apenas um lado da moeda. Não deve ser nada fácil, somente os guerreiros conseguem vencer essa batalha! Parabéns pela coragem e pela escrita. Sucesso!

Resposta
Lívia Campos Dezembro 11, 2018 at 10:14 pm

Paulinha (é Paulinha ainda? Na minha época era! Ahahahaha), muuuito obrigada pelo seu comentário, nada me faz mais feliz que receber o feedback das pessoas sobre o que escrevo! É isso, não é fácil, não é a vida mansa que muita gente pensa, mas é muito bom!!!!
Obrigada mesmo e volte sempre! 🙂
Beijão!

Resposta
Marcelle Dezembro 11, 2018 at 4:02 pm

Me identifico com o post!!!
Beijos!!!

Resposta
Lívia Campos Dezembro 11, 2018 at 10:15 pm

É, amiga, seguimos na nossa vida de imigrante! 🙂
Beijos e saudades!

Resposta
Catharina Dezembro 11, 2018 at 6:42 pm

Bem legal o que vc falou. Deve ser mágico mas tbm desafiador morar em outro país. É otimo vc compartilhar essas emoções de forma tão clara.

Resposta
Lívia Campos Dezembro 11, 2018 at 10:16 pm

Obrigada!!! É desafiador, mas vale muito a pena!
Beijooo!

Resposta
Alícia Dudorenko Dezembro 12, 2018 at 1:50 am

Gostei muito do seu texto, estou em processo de mudança também, muito difícil sair da zona de conforto.

Resposta
Lívia Campos Dezembro 12, 2018 at 3:05 am

Obrigada, Alicia! Nao eh uma decisao facil mesmo, mas como disse, se eh um sonho, va em frente, vale a pena!!! 🙂

Resposta
Keila Ribeiro Dezembro 12, 2018 at 10:28 am

Livinha, me identifico totalmente com este posto, ontem mesmo estava com essas inquietações e cheguei a esta mesma conclusão. Até voltei a “supunhetar” kkkk da uma lida ai….
Como é fugir para uma ilha chamada Australia?
É descobrir que o problema não é do lugar ou das pessoas ao seu redor.
O problema não está em sua familia, em seu marido, namorado ou amigos.
O problema não e do tipo de trabalho que você faz, do seu chefe ou dos seus colegas de trabalho…
Não está nas dificuldades ou facilidades.
Está em você.
O problema é seu.
A solução também é sua.
Lamenta-se
Chore
Grite
Procure-se
Resolva-se
Reinvente-se
Mas faça.
Ou o tempo irá passar e você ficara com as mesmas inquietações indepentende do oceano que banha seus sonhos.
Keila Ribeiro 11.02.2018

Resposta
Lívia Campos Dezembro 12, 2018 at 11:07 am

Muito bom, Keila, super em linha com o que eu escrevi mesmo!!!! 😄😄😄

Resposta
Shelly Dezembro 12, 2018 at 11:26 am

Livinha,

Me identifico muito com o texto. Será interessante saber como você se sentirá daqui 2, 5 anos… Estou morando em Londres há 4 anos e hoje me sinto mais em casa aqui do que no Brazil. Mas as vezes ainda bate muita saudade…

Abraços,
Shelly

Resposta
Lívia Campos Dezembro 12, 2018 at 11:02 pm

Shelly!!! Obrigada pelo comentário!
Com certeza vai mudar, até porque se tem uma coisa que o ser humano é, é adaptável, né?! E que bom! 🙂
Vamos aguardando o que vem pela frente!
Beijos!

Resposta
Caroline Constant Dezembro 12, 2018 at 12:39 pm

Oi Livia

Mais uma vez, um otimo post!!
Eu passo por isso aqui. Apesar de morar aqui a um tempo, sempre tem uma situacao ou um comentario de alguem que lembra que vc ‘nao e daqui’. Por mais que o ingles seja bom e que estaja adaptado, esse sentimento paira como uma nuvem…

Obrigada por dividir conosco!

Carol

Resposta
Lívia Campos Dezembro 12, 2018 at 11:03 pm

Obrigada, Carol!
É verdade, mas daí que vem tanto aprendizado, né… então no fim, vale mto a pena!
Obrigada pelo carinho, viu?!
Beijos!

Resposta
Monica Dezembro 12, 2018 at 2:02 pm

ola Livia,

Acabei de mudar de Londres pra Sydney faz 1 semana e apesar de nao ter tido tempo de visitar a cidade q realmente e’ muito bonita, eu me pergunto o mesmo voce, nao sei se fizemos a melhor escolha. Depois de 23 anos em Londres e largar casa, escola da filha, emprego, amigos, familia, pra viver num pais completamente estranho, nao e’ facil. Confesso ja me sinto um pouco arrependida. Mas … quem sabe o q 2019 vai nos trazer ne’?
Abraços e gostaria de entrar em contato com vc se tiver interesse.

Resposta
Lívia Campos Dezembro 12, 2018 at 11:05 pm

Oi Monica!
Fica tranquila que a experiência com certeza não será em vão, ainda que vocês acabem optando por retornar a Londres! Dê um pouco de tempo, essa fase de adaptação é chatinha mesmo, mas já já você vai começar a ver os aspectos positivos!
Claro, vou te mandar um e-mail!
Abraços!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação