BrasileirasPeloMundo.com
Alemanha

Vida de expatriada na Alemanha

Vida de expatriada na Alemanha.

Trabalho desde 2011 em uma Multinacional Americana e, no final do ano passado, fui selecionada para um projeto como expatriada na Alemanha. Fui designada para o escritório de Munique, que já era uma das minhas cidades preferidas na Alemanha, e cheguei aqui no final da primavera.

Inicialmente fiquei hospedada em um hotel, pois meu apartamento só estaria vago a partir do primeiro dia do mês. No hotel, fui interpelada por uma senhora, que celebrava seus 90 anos, e me questionara onde eu estava estabelecida na cidade e quanto custava a moradia.

Naquele momento, deduzi que não passava de mera curiosidade, apesar de ter estranhado o interesse repentino e o fato de ela ter segurado meu braço para perguntar – alemães não são muito afeitos a contato físico com desconhecidos. Meu apartamento tem 31m², mas descobri que, em Munique, não é exceção. Conseguir um apartamento aqui na cidade é tarefa árdua. Chega-se a procurar meses a fio e, para solicitar uma visita aos imóveis, o interessado deve encaminhar juntamente um mini currículo em que conste dados pessoais, renda, quem morará no apartamento, visto, passaporte, dentre outros. Parece brincadeira, mas a procura e a defasagem de imóveis são tão extremas que os proprietários dos imóveis chegam a receber mais de 40 pessoas em um dia de visita.

Leia também: como obter o Cartão Azul/ Blue Card para morar na Alemanha

Por isso, se você está cogitando Munique para morar, prepare-se para essa etapa, visto que demandará bastante tempo. Após algumas semanas aqui, entendi que a pergunta da senhora era muito mais normal do que se poderia imaginar, pois Munique é uma das cidades mais complicadas do mundo para se conseguir local para morar.

O sistema de coleta de lixo aqui é bastante similar a outros sistemas pela Alemanha: você verá contêineres de lixo gigantes nas esquinas para separar plástico, alumínio, vidro transparente, vidro verde e roupas velhas para doação. No prédio, tenho apenas a opção do lixo não reciclável e da separação do papel. Os demais recicláveis devem ser descartados nos contêineres, além disso eles têm o biomüll, isso é, o lixo que poderá ir para as composteiras e virar adubo.

Após descobrir como proceder com a devida separação do lixo, outro tópico interessante e bastante mencionado entre brasileiros que vêm para cá, é o descarte do papel higiênico nos vasos sanitários. Na Europa, em geral, não se encontram lixeiras nos banheiros, pois o descarte do papel higiênico deve ser feito no próprio vaso, à exceção dos produtos não degradáveis como fraldas e absorventes.

Primeiro dia de trabalho: momento de comprar a passagem para o trem. Em Munique, a rede de transporte público é bastante desenvolvida com bondes, ônibus, metrô e trens. Com o tíquete, você poderá transitar em todos, porém muita atenção ao sistema: a cidade é dividida em zonas (os Rings) de 1-4 e o seu tíquete vai depender das zonas onde pretende trafegar e das distâncias. No meu caso, moro à uma estação do meu local de trabalho, portanto utilizo da Zona 1 à Zona 2, um único tíquete para o mês todo. Não há necessidade de carimbar, tampouco há catracas, porém, muita atenção para lembrar de comprar eventual tíquete extra quando for se deslocar em alguma zona fora dessa que você comprou.

Burlar o sistema e andar sem tíquete implica um alto risco de ser pego por um fiscal e a multa é bem alta, 60 euros. Seja de onde você for, não adianta sair do país e esquecer da multa: há relatos de pessoas que receberam após 4 anos, na sua casa, uma cobrança com os juros por todos os anos de atraso. Após 3 multas, pode-se inclusive ser visitado pelos policiais.

Ainda sobre o tema transporte: Munique é uma das cidades com mais ciclovias e com mais bicicletas da Alemanha, com isso bicicleta aqui realmente é meio de transporte, logo, tem semáforo, regras e devidas multas. Se você estiver na cidade, muita atenção com as bicicletas e as ciclovias! E, se você quiser pedalar em Munique, fique atento às regras específicas de tráfego nas ciclovias pois, trafegar na contramão ou passar nos sinais vermelhos, pode render algumas multas. O mesmo vale para o pedestre: os semáforos tendem a ser respeitados pelos alemães, não apenas pelas multas, mas pelos exemplos que servem às crianças.

Leia também: salários na Alemanha

Outro tema bem importante para quem recentemente se muda para cidades na Alemanha: é obrigatório você fazer uma espécie de inscrição no Departamento Municipal de Registros. Você apresenta documentos e informações do endereço de residência e afins. Caso você mude de endereço dentro da mesma cidade, poderá inclusive ser necessário desfazer o registro de um e registrar-se no outro bairro. Por meio desse registro, você receberá cartas e estará oficialmente no sistema.

Aproveitando o tema cartas, ao contrário do Brasil, a identificação residencial na Alemanha se dá pelo sobrenome, portanto você deverá ter em sua caixa de correspondências e em sua porta, o seu sobrenome para que seja devidamente identificado. No meu caso, por ter mais de um sobrenome, solicitei ao meu locador que mantivesse a etiqueta da caixa de correspondência com ambos os sobrenomes.

Uma das cartas bem importantes, que você deverá prestar atenção, solicita o pagamento de uma taxa pelo uso da televisão/rádio. Mesmo que você não tenha quaisquer desses aparelhos, se tiver um computador ou laptop, poderá ser alegado que, com esses equipamentos, você terá acesso à essas redes. São aproximadamente 18 euros/mês e é obrigatório para toda e qualquer pessoa que utilize sistema de rádio e/ou televisão.

Outra dica muito importante que percebo com certa frequência nos grupos de estrangeiros de Munique: download de vídeos e afins aqui é ilegal usando streaming. Portanto, se você, assim como eu, é um cinéfilo, invista em um sistema estilo Netflix ou outros sistemas de download, mas evite o download por streaming. As multas são bem altas (aproximadamente 900 euros) e evitá-las não é uma opção.

Abrir conta no banco me pareceu realmente simples, porém quem fez todo o agendamento foi a equipe que estava me assessorando na expatriação. Chegamos ao banco no horário marcado – agendamos um horário com o gerente -, fomos atendidas pontualmente e todo o material já estava devidamente separado. Foi bastante rápido e eficiente.

Na minha primeira semana em Munique, tive uma dor de garganta muito forte e acionei meu seguro saúde, que encaminhou um clínico geral até minha casa, em torno das 23 horas. O profissional me analisou – em casa – prescreveu os remédios, questionou se eu era segurada e foi embora. Questionei se eu deveria pagar pela visita, pois não sabíamos – até aquele momento – se eu era ou não segurada para aquela consulta. Ele disse que, caso eu não fosse, enviaria a nota. Fiquei espantada pelo nível de confiança dele, ou melhor, pela falta de desconfiança.

Munique é simplesmente encanto à primeira vista. A cidade tem uma alma fervilhante e, apesar da falta de moradias, sempre tem espaço para os milhares de turistas que chegam e saem diariamente da cidade.

Related posts

Dicas para entrevista de emprego na Alemanha

Karina Finke

Como se tornar um chefe de cozinha na Alemanha

Tatiane Domingos

Como ser freelancer na Alemanha

Clarissa Gaiarsa

8 comentários

Nádia Mateus Dezembro 1, 2016 at 6:09 pm

Olá Patrícia,

Adorei os comentário, bem claros e esclarecedores.
Continue postando, queremos ler mais, parabéns.

Nádia

Resposta
Patricia Dezembro 4, 2016 at 9:44 pm

Obrigada, Nadia! Muito bacana a sensação de poder estar colaborando de alguma forma com tanta gente!
Até o próximo mês 🙂

Resposta
Fernando Dezembro 2, 2016 at 10:47 am

Muito legal Pati.
Quem sabe, eu e Taís não escreveremos sobre a nossa experiência em breve…
Abs

Resposta
Gabriela Fevereiro 24, 2017 at 2:39 pm

Olá Patricia, eu moro e trabalho atualmente na China para uma empresa privada alemã com sede em Weilheim, próximo a Munich.
Serei expatriada em breve porém parte do processo de reconhecimento do meu diploma está dando muita dor de cabeça e seria bom conversar com alguém que entenda do assunto. Você saberia me dizer que agência te assessorou com o processo de expatriação? Muito obrigada!

Resposta
Patrícia Souza Março 5, 2017 at 11:27 pm

Olá, Gabriela. Eu fui assessorada pela TM Relocation, mas nao indico o servico deles. Além disso, a parte de reconhecimento do diploma eu fiz por conta, já nao tive assessoramento. Que tipo de problemas você está enfrentando? Se quiser escrever por email, avisa que te mando meu endereco de email. Abracos, Patricia

Resposta
Catia Linkiwcz Ribeiro Agosto 4, 2017 at 1:44 pm

Patricia bom dia!
Por favor me envie seu contato aí em Munique e seu e-mail.
Minha filha mora em Munique e precisa com urgência de alguém para fazer as declarações de IR.
Se possível ainda hoje por favor.

Resposta
Ann Moeller Agosto 9, 2017 at 7:25 pm

Ola Catia, a Patricia não colabora mais com o BPM. Passaremos a sua mensagem para ela entrar em contato. Obrigada. Equipe de Editoras BPM

Resposta
Patrícia Souza Novembro 7, 2017 at 5:57 pm

Olá, Cátia, peço desculpas pela demora neste retorno, mas como a Ann comentou acima, estou um pouco afastada do Blog em virtude de questões pessoais. Com relação à sua pergunta, eu não sou especialista em Declaração alemã, somente brasileira, mas posso indicar uma Steuerberaterin de Munique que me auxiliou bastante (inglês e alemão). Com relação ao processo no Brasil, posso ajudar com prazer. Pode me escrever no patrí[email protected] Abraços.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação