BrasileirasPeloMundo.com
Camboja Vistos & Cidadanias Pelo Mundo

Visto de trabalho no Camboja

Até ano passado, a questão do visto de trabalho no Camboja (Work Permit – WP) era bagunçada. E ainda continua. Porém, agora existe um processo online no qual você como estrangeiro pode requerer e se inscrever para obter esse visto e poder trabalhar legalmente. Tem um artigo sobre vistos que escrevi aqui no BPM também.

O WP é um documento à parte do visto de negócios. Este te permite ficar no país a longo prazo, mas não para trabalhar; essa é função do WP, que precisa ser renovado anualmente. Mas, desde que me mudei, o WP é uma novela e um drama para patrão e empregado. Por mais que você queira requerer por conta própria, o empregador não quer te reconhecer como funcionário, pois estrangeiro gera uma taxa mais cara e implica na contratação de mais locais. Agora, com este novo processo, o intuito é vincular o WP ao visto de trabalho e quem não tiver o WP independente de trabalho irá pagar multa.

De acordo com o Governo, quem não requereu o WP teria até abril deste ano para requerer e se regularizar sem ter de pagar multas referentes a anos anteriores. Imagine agora o “auê” que isso gerou. Para mim foi bom, pois entrei no país em 2015 e desde então não tinha o WP. Mas, e para quem pagou anualmente os 100 dólares para obter tal documento? É, pois é. O cumprimento da lei não se vê muito por aqui. Quem não a pagou terá uma “segunda chance”, que custa em torno de 135 dólares.

Vou aproveitar, então, para regularizar minha situação, pensei animada. Fui requerer e não consegui cadastrar o hotel em que trabalho. Por que? Por ser um hotel novo, ainda não temos um número de inscrição e sem esse número não conseguimos nos cadastrar e pagar impostos, ou seja, não somos reconhecidos como um negócio de fato. Conclusão: preciso esperar o hotel se regularizar para eles poderem se cadastrar no portal e aí sim eu conseguir fazer meu cadastro e requerer o WP. Detalhe: o hotel não quer se cadastrar antes de começar a operar para não ter que pagar taxas “à toa”. Fácil, né? Lei? Que lei? Porque, perante o Governo, meu contrato de trabalho com o hotel não vale nada.

De acordo com as novas leis, estrangeiro que não tiver o WP vai pagar 10 dólares de multa por dia após 1º de maio. Não precisa fazer muita conta para ver o tamanho da encrenca. O hotel me garantiu que arcaria com a minha multa diária, mas eu não estava disposta a pagar para ver. E se eu mudar de emprego? Resolvi me inscrever como autônoma no prazo de abril para não ter que pagar o retroativo referente a 2015 e 2016.

Modelo do work permit cambojano. Fonte: B2B Cambodia

Documentos como passaporte, visto de negócios, exame médico e comprovante de residência são exigidos para a inscrição. E quando você não tem contrato de locação? Porque eu pagava mensalmente o meu landlord (proprietário do imóvel) e ele me dava um recibo! Mudei-me recentemente e, pelo menos agora, tenho um contrato. Agora vem a parte confusa: o contrato de aluguel não é solicitado quando requerido como autônoma, mas é obrigatório caso eu solicite como uma estrangeira trabalhando! E a pergunta vem à tona novamente: “Faz sentido?”, “Que lei é essa?”. Porque eu sou estrangeira do mesmo modo, sendo empregada ou autônoma! Por que numa inscrição pede esse documento e na outra não? Como eu também estava sem o contrato de aluguel, tive mais um motivo para solicitar como autônoma e não empregada, já que como autônoma comprovante de residência não era necessário. Complicando um pouco mais: como autônoma, eu teria que ter uma empresa aberta aqui, que não tenho, pagando taxas e impostos. Bom, e agora, o que eu faço? Não consigo me cadastrar como funcionária e não tenho empresa para me cadastrar como autônoma.

Eu pesquisei com amigos locais, participei de grupos de discussão de estrangeiros e ninguém tinha uma informação clara. É desesperador, porque aí começa o debate: “Ah, mas quem é voluntário, quem é aposentado, quem trabalha como freelancer, como faz? Assim como inúmeros estrangeiros, requeri o WP, mas de forma incorreta. Não tinha muita opção: ou eu não tentava e perdia a oportunidade de não ser cobrada pelos anos anteriores, ou tentava de uma maneira incorreta e ficava no aguardo de uma resposta. Resultado: um mês depois recebi o e-mail de confirmação do meu documento. O hotel efetuou o pagamento de 135 dólares e uma semana depois retirei meu cartão.

Eu acho, sim, que o Governo tem que impôr vistos e exigir que estrangeiros vivam aqui de forma legal, pagando imposto e tudo mais e organizar essa “bagunça”. Afinal, é assim em qualquer lugar do mundo. Porém, aqui as informações não são claras ou não estão disponíveis. E, infelizmente, nem sempre é possível contar com o empregador, pois este também não quer pagar mais taxas.

Related posts

Como morar legalmente na Suécia

Juliana Teles

Novidades sobre os vistos para morar na China

Christine Marote

Cidadania belga

Tábata Senna

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação