Colômbia – A vida sem trabalho (e sem filhos)

15
1976
Advertisement

Muitas pessoas pensam que a vida sem trabalho é muito boa. E de fato é um experiência incrível. Você tem tempo para fazer tudo o que sempre quis. E tempo é algo precioso e de valor intangível.

Mas para quem está acostumado a trabalhar (e além disso não tem filhos), esta experiência adjunta a uma mudança de país, não é feita apenas de coisas boas. O dinheiro é gasto rapidamente, e ele apenas sai e não entra mais. Você fica mais sozinha, pois as outras pessoas estão trabalhando. Academia todo dia, enjoa. O trabalho rotineiro da casa acaba ficando mais na sua responsabilidade, como supermercado, arrumar a bagunça, etc. O que poderia antes ser compartilhado, acaba ficando mais na sua mão.

Você também perde a independência que o trabalho te proporciona, o que é bem ruim.
Eu acredito que a solução é se programar para fase, que pode ser única e inesquecível na sua vida. Um bom plano te ajuda a amenizar a ansiedade e os sentimentos ruins que a falta de trabalho traz.

Programe o dinheiro:

Muitas coisas interessantes têm um custo significativo. Para não dizer que quase tudo tem um custo, pois isso é apenas uma meia verdade.

É importante reservar um dinheiro para aproveitar melhor o seu tempo, sem ficar se restringindo a toda hora. Mas dinheiro na mão é vendaval, então gaste com consciência, ou melhor, invista em você. Não fique apenas preocupado em economizar também, pois o tempo passa e você não faz nada.

Você pode investir em trocar um gasto por um investimento, ou seja, pode economizar em coisas que antes gastava, pois não tinha tempo, mas agora tem e pode fazer você mesma. E utilizar este dinheiro em algo que te dê prazer.

Também vai descobrir excelentes coisas grátis na cidade e pode aproveitá-las com mais frequência, como um museu, um parque, o simples prazer de caminhar pela rua e admirar a beleza ao seu redor. Sua sensibilidade aumenta para pequenos prazeres, pois sua energia e atenção não estão tomadas pelo trabalho.

Programe suas atividades:

Faça uma lista de tudo que desejar fazer e vá acompanhando, de tempos em tempos, para ver se a está realizando. Você tem tempo para ler a pilha de livros que comprou e ainda não leu, ver mais filmes, fazer uma viagem, se dedicar às pessoas que mais gosta, ser uma pessoa mais interessante…enfim…a lista é imensa.

Este é um ótimo momento para autoconhecimento. Você pode dar atenção para seus hobbies ou até descobrir um, pois muitas pessoas não sabem dizer qual é o seu.
Inclua atividades que cuidem do seu corpo e da sua mente, vez que geralmente deixamos estes cuidados para segundo plano. Aproveite para mudar um hábito e para se atualizar, ou mesmo se aprofundar em algum tema. Ajude o próximo, vai te fazer mais bem do que à outra pessoa. Literalmente se permita abrir a porta para o novo e entrar.

Quando decidi parar de trabalhar, peguei minhas economias e investi em um curso nos EUA. Foi uma experiência incrível de aperfeiçoamento, na qual conheci gente nova, culturas novas e pensamento diferentes do meu. A riqueza desta experiência foi excelente, aprendizado este que nenhum trabalho pôde me dar. Se estivesse trabalhando, talvez nunca teria a oportunidade desta vivência.

Aproveitei também para estudar espanhol em Cali, conhecer melhor a cultura colombiana, ir na academia, andar com meu cachorro, ensinar um adulto a ler e escrever, ajudar uma ONG de crianças, prestar atenção na VIDA, na árvore, na chuva, na arte, na arquitetura, no sabor de uma comida, na beleza das pequenas coisas. Pode parecer meio poético ou até piegas, mas sair do estresse e prestar atenção nas coisas ao seu redor, faz uma baita diferença. E, literalmente, vivemos em uma sociedade que não nos incentiva a isso.

Quanto mais atividades novas, mais interessante e produtivo vai ser o seu tempo. Não deixe ele apenas passar, programe-o, pois nos distraímos muito facilmente com coisas pouco relevantes e quando vemos, o tempo passou e não fizemos nada.

Fuja do pijama:

Vença o pijama! Estabeleça uma rotina de horários para acordar e a sua rotina de novas atividades. Ocupe seu tempo.
Primeiro, porque se não o fizer, vai começar a ficar deprimida. Mas é claro que com mais tempo, você vai poder tirar uma soneca quando estiver cansada ou simplesmente ter o prazer de dormir mais, mas não deixe este ser o ponto alto dos seus dias. Ponha a sua criatividade para lhe ajudar a inventar o que fazer.

Conheça novas pessoas:

Quando trabalhava em São Paulo, a vida era caótica. A cabeça ocupada com uma infinita lista de atividades não lhe permite ver o outro, às vezes, você fica tão imersa nos pensamentos do que tem para fazer que esquece de dar bom dia para a pessoa ao lado. É, infelizmente isso acontecia comigo. Quem nunca?

O mundo é bem maior que esta bolha onde eu vivia e está cheio de gente interessante. Eu deixei a minha timidez de lado e fui conhecer pessoas.
Pedi ajuda para vizinha, porteiro, conversei com um senhorzinho na rua, abordei uma brasileira em Cali no supermercado (e hoje somos amigas), comecei grupos de WhatsApp com pessoas que nem sabia quem eram (pois eram pessoas indicada por outras, que viviam em Cali), fiz amizade com a moça do café, conversei de arte com uma pessoa na rua, fui em todos os lugares que me chamavam para ir, conheci gente de diferentes países e diferentes cultura que estavam na mesma situação que eu, enfim.

Você não tem opção, ou você mete as caras, ou fica sozinha. E é tão rico quando você se permite fazer isso. Conhece pessoas que nunca imaginaria conhecer. Então, arrisque!
Acho que seguindo esses passos, posso dizer que estou muito bem e tirando o máximo de proveito do meu tempo.

Às vezes, bate aquele sentimento de falta do trabalho, de falta de ter o trabalho como um dos seus assuntos, de sair para almoçar com colegas do trabalho. Ainda mais que estou em Cali, longe de família e amigos. E também porque tem sempre aqueles dias que a sua maior preocupação é o que fazer para o almoço e isso dá uma sensação de inutilidade.

Além disso, aconteceram umas situações de ter que preencher um cadastro e a pessoa colocar na profissão o título de dona de casa, do lar, sem trabalho e isso soa bem diferente para mim. O meu imposto de renda deste ano talvez seja o de dependente, e isso é desconfortável para uma pessoa que sempre valorizou independência.

Mas nestas horas, penso que daqui a pouco já volto a trabalhar e isso me fortalece a parar de pensar nas coisas ruins e apenas curtir o lado bom do meu precioso tempo sem trabalho.

O que tiro deste momento? A vida sem trabalho pode deixar um vazio e uma falta de independência. Na contramão, uma vida só de trabalho, não permite curtir uma infinidade de prazeres e experiências. Vivendo os 2 lados, estou aprendendo o real sentido de equilibrar os pratos, não só no discurso, mas na prática.

Este equilíbrio não é nada fácil, mas ter esta consciência mais aguçada lhe faz buscar intensamente este equilíbrio e, isso, dita as suas escolhas e as suas prioridades, pois no final das contas é este equilíbrio que faz a vida ser bem vivida na sua mais intensa plenitude.

15 Comentários

  1. Thais querida, sei que as mudanças foram bravas, mas vc conseuiui em seu texto dizer o quanto é importante se mexer e correr atrás de algo que lhe dê prazer. Não se isolar é por demais importante, é fundamental para que vc consiga uma meta ou melhor um caminho novo para sua vida. E vc certamente vai conseguir! Vc é determinada e super forte. Bj grande.

  2. Thaís,
    Parabéns pelo texto!
    Eu entendo tudo que você escreveu, porque passei por isso também! Me identifico.
    Saí do meu trabalho para acompanhar meu marido e moramos 3 anos em Cali. Mas me senti muito sozinha, porque não fiz amizades, então ficava só todo o dia! Mas valeu a experiência!
    Quanto tempo já está em Cali?
    Aproveite!!
    Bjos

  3. Adorei o texto! Estou passando pela mesma situação, só que tenho uma filha pequena. Largar o trabalho, pra quem é independente e e virar “dependente” de uma hora pra outra é algo bem complicado, a nossa mente habituada ao mundo corporativo quer continuar “produzindo”.. Eu quero voltar ao mercado de trabalho (estou sem trabalho há apenas 3 meses) mas ao mesmo tempo não quero voltar ao caos de antes onde não vejo o sol e fico enclausurada em um prédio o dia todo, onde saio cedo, chego tarde e não sobra tempo pra curtir a minha filha. Temos que ter em mente que optamos por algo melhor e que esses percalços são momentâneos 🙂

  4. Muito legal! Admirável ! Parabéns! Tbem mudei muito… com o marido. E fazia isso tirava proveito de cada cidade e fiz amigos em cada uma , onde hj depois de 20 anos ainda mantenho contato.
    Aproveite!!! E Agradeça e sorria sempre!
    Sou amiga da Nathalia sua Irma , q admiro muito.
    Bjs 😘
    Fica com Deus

  5. Lindo texto e reflexão. Você se tornou uma mulher de muitos valores Thais. Que vc continue aproveitando o melhor da vida e que seja muito feliz! 🙌🏻😘

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui